FTST Portuária e Co..

Report
FTST
Formação Técnica em Segurança do
Trabalho
Módulo de Portuária e Construção Civil – AULA 5
Prof.ª Marivaldo Oliveira
COMPETÊNCIAS QUE TRABALHAREMOS NESTE
MÓDULO
Conhecer os tipos e qualificações de portos
no Brasil e no mundo visando aplicar as
técnicas de Segurança do Trabalho
adequadas a cada organização portuária.
Introdução
HISTÓRICO
• O trabalho de carga e descarga em embarcações
mercantes remonta à antigüidade, vez que o
transporte aquaviário foi o primeiro a ser utilizado
comercialmente pela humanidade.
• Via de conseqüência, as corporações de
carregadores são centenárias.
• Entretanto, somente com a criação das Delegacias
do Trabalho Marítimo (DTM), em 1933, o Estado
interveio nas relações de trabalho portuário a fim de
disciplinar a prestação de serviços respectiva,
conforme nova política trabalhista instaurada.
DTM Delegacias do Trabalho Marítimo
As principais atribuições das
DTMs, que foram extintas em
1989, eram:
- organizar a matrícula dos
trabalhadores portuários
avulsos;
- orientar e opinar sobre o
trabalho portuário;
- quantificar o número de
Trabalhadores Portuários
Avulsos (TPA) necessários;
- impor penalidades aos TPAs.
Portos
Em sentido amplo, porto é uma pequena
baía ou parte de grande extensão de água,
protegida natural ou artificialmente das ondas
grandes e correntes fortes, que serve de abrigo
e ancoradouro a navios, e está provida de
facilidades de embarque e desembarque de
passageiros e carga.
Mais amplamente, ainda, é qualquer lugar de
abrigo, de refúgio ou de descanso.
Portos
PORTO ORGANIZADO
É o porto construído e aparelhado para
atender às necessidades da navegação e da
movimentação
e
armazenagem
de
mercadorias, concedido ou explorado pela
União, cujo tráfego e operações portuárias
estejam sob a circunscrição de uma autoridade
portuária.
PORTO ORGANIZADO
• Mercadoria: todo bem destinado ao comércio;
• Operação portuária: movimentação e/ou
armazenagem de mercadorias destinadas ou
provenientes de transporte aquaviário, realizada
no porto organizado por operador portuário.
Área do porto organizado
É a área compreendida pelas
instalações portuárias, quais
sejam, ancoradouros , docas
, cais , pontes e píer de
atracação e acostagem ,
terrenos,
armazéns,
edificações
e
vias
de
circulação interna, bem como
pela
infra-estrutura
de
proteção.
Área do porto organizado
• Ancoradouro: local onde
a embarcação lança
âncora. Também
chamado fundeadouro.
• É o local previamente
aprovado e
regulamentado pela
autoridade marítima.
Área do porto organizado
•Docas: parte de um porto de
mar ladeada de muros ou cais,
em que as embarcações tomam
ou deixam carga.
•Cais: plataforma em parte da
margem de um rio ou porto de
mar em que atracam os navios e
se faz o embarque ou
desembarque de pessoas ou
mercadorias.
Área do porto organizado
• Acostagem: ato de acostar um navio (aproximar,
arrimar, encostar, pôr junto de: uma lancha acostou ao
navio).
• Pontes e Píer de Atracação: Ponte: construção erigida
sobre o mar servindo à ligação com um cais avançado, a
fim de permitir a acostagem de embarcações para carga
ou descarga e a passagem de pessoas e veículos.
• Píer: parte do cais que avança sobre o mar em linha
reta ou em L.
• Atracação: operação de fixação do navio ao cais..
Porto de Suape (PE)
Porto de Suape (PE)
Plano comercial: segmentos de mercado
1. Petróleo & refino
-Petrobras
2. Químicos & fertilizantes
-Petroquimica Suape
-M&G
-BrasAlpla
-Tequimar
3. Gás & energia
-Termopernambuco
-Impsa
4. Indústria de construção
-Pamesa
5. Produtos agrícolas de
alimentos
-Transnordestina
-EDF&Man
-Bunge
6. Minério de ferro, aço,
maquinário pesado
7. Containers, logística &
distribuição
-Soluções Usiminas
-Impsa
-Tecon Suape
-Suata
8. Indústria naval & offshore
-Atlântico Sul
Mercados com alto potencial de crescimento
1. Petróleo & refino
2. Químicos & fertilizantes
3. Gás & energia
SEGMENTOS
PRIORITÁRIOS:
i. Minério de ferro, aço, maquinário
pesado
ii. Containers, logística & distribuição
4. Indústria de construção
iii. Produção agrícola de alimentos
5. Produção agrícola de alimentos
SEGMENTOS SUAPE GLOBAL:
6. Minério de ferro, aço, maquinário
pesado
7. Containers, logística &
distribuição
iv. Petróleo & refino
v. Gás & energia
vi. Indústria naval & offshore
8. Indústria naval & offshore
Partnership models
Suape como membro de uma rede
Portlíder
of como
Rotterdam
International
Suape
membro
de uma rede
de portos internacionais
líder de portos internacionais
Rotterdam
Russia
Rotterdam
Qatar
 Quatar
 Sohar
 Positra
India
Sohar
 Lahad Datu
 Suape
Suape
Malaysia
Africa
17
Benefícios de uma rede líder de portos
internacionais
 Acesso à mercados internacionais
 Acesso à: melhores praticas, lições aprendidas,
inovações
 Posição fortalecida perante instituições financeiras
 Visão mais abrangente dos investidores potenciais
 Maior atratividade para clientes
 Fortalecimento da marca Suape.
Suape como um complexo
de classe mundial
18
PORTO DE SALVADOR (BA)
PORTO DE ARATU (BA)
PORTO DO ITAQUI (MA)
PORTO DE PARANAGUÁ (PR)
PORTO DE PARANAGUÁ - PR
PORTO DE SÃO SEBASTIÃO (SP)
PORTO DE SÃO SEBASTIÃO - SP
PORTO DE SANTOS (SP)
BACIA DE EVOLUÇÃO
AUTORIDADES QUE ATUAM NO PORTO, JUNTAMENTE
COM O MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO
AUTORIDADE ADUANEIRA
É a exercida pelos Auditores-Fiscais da
Receita Federal e pelos Técnicos da
Receita Federal.
Controle da entrada e saída de
pessoas, bens e veículos, o despacho
aduaneiro das mercadorias e a
repressão ao contrabando
e descaminho.
AUTORIDADES QUE ATUAM NO PORTO, JUNTAMENTE
COM O MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO
AUTORIDADE MARÍTIMA
• É a autoridade responsável pela segurança do tráfego aquaviário,
realizando inspeções periódicas nas embarcações brasileiras e
estrangeiras.
VIGILÂNCIA SANITÁRIA
• É exercida pelos inspetores de vigilância sanitária visando à
verificação das
• condições operacionais e higiênico-sanitárias a bordo dos navios
e do estado sanitário
• de seus tripulantes e passageiros, autorizando a livre prática.
AUTORIDADES QUE ATUAM NO PORTO, JUNTAMENTE
COM O MINISTÉRIO DO TRABALHO E EMPREGO
POLÍCIA FEDERAL
• É exercida pelas
autoridades policiais
federais, visando ao
controle do acesso
de pessoas e ao combate
aos crimes federais,
especialmente o
narcotráfico.
Norma Regulamentadora do Trabalho
Portuário – NR 29
Dispositivo da norma aplicam-se a:
• Trabalhadores Portuários a bordo;
• Trabalhadores Portuários em terra;
• Trabalhadores que exerçam atividades nos portos
organizados;
• Trabalhadores que exerçam atividades em instalações
portuárias de uso privativo;
• Trabalhadores que exerçam atividades em instalações
retroportuárias;
• Trabalhadores elencados acima dentro ou fora do
porto organizado;
Norma Regulamentadora do Trabalho
Portuário – NR 29
COMPETÊNCIAS
Operadores Portuários, Tomadores de Serviços e
OGMO, conforme o caso:
• Cumprir e fazer cumprir o disposto na NR-29;
• Fornecer instalações, maquinários, equipamentos e
acessórios em bom estado e dentro das normas,
responsabilizando-se pelo uso correto;
• Zelar pelo cumprimento da norma de segurança e
saúde nos trabalhos portuários e das demais
normas regulamentadoras;
Competências – NR 29
Operadores Portuários ou ao OGMO
• Propiciar a todos os trabalhadores formação sobre
segurança, saúde e higiene ocupacional no trabalho
portuário;
• Responsabilizar-se
pela
compra,
manutenção,
distribuição, higienização, treinamento e zelo correto
dos EPI e EPC ;
• Elaborar e implementar o PPRA (Programa de Prevenção
de Riscos ambientais) e PCMSO (Programa de Controle
Médico e Saúde Ocupacional);
Competências – NR 29
Trabalhadores:
• Cumprir e fazer cumprir o disposto na NR-29;
• Informar ao responsável pela operação de que esteja
participando as avarias e deficiências observadas que
possam constituir riscos para o trabalhador ou para
operação;
• Utilizar corretamente o EPI e EPC e as instalações
que lhes forem destinadas;
SESSTP / CPATP
• SESSTP
–
Serviço
Especializado
em
Segurança e Saúde do
Trabalhador Portuário
(29.2.1);
• CPATP – Comissão de
Prevenção de Acidentes
de
Trabalhadores
Portuários (29.2.2);
Atribuições SESSTP (29.2.1.5)
• PPRA – Programa de Prevenção de Riscos
Ambientais;
• PCMSO – Programa de Controle Médico e Saúde
Ocupacional;
• Procedimentos de Segurança;
• Visitas prévias as locais de trabalho;
• Investigar todos os acidentes de trabalho.
Atribuições CPATP (29.2.2)
Análise dos acidentes de trabalho.
Investigar
Analisar
Discutir
Encontrar soluções para que não se
repita.
ATIVIDADE
1ª Parte:
O aluno deverá realizar uma pesquisa sobre
as NR’s 04, 05, 06, 07 e 09, com introdução,
desenvolvimento e conclusão o texto de no
mínimo 40 linhas e no máximo 100 linhas
em letra arial tamanho 12 para cada NR.
ATIVIDADE
2ª Parte:
•
•
•
•
•
•
O aluno deverá realizar uma pesquisa sobre as
Legislações portuária:
LEI Nº 4.637, DE 20 DE MAIO DE 1965;
LEI Nº 8.630, DE 25 DE FEVEREIRO DE 1993;
LEI Nº 9.719, DE 27 DE NOVEMBRO DE 1998;
DECRETO Nº 1.467, DE 27 DE ABRIL DE 1995;
DECRETO Nº 1.574, DE 31 DE JULHO DE 1995;
DECRETO Nº 1.596, DE 17 DE AGOSTO DE 1995;
ATIVIDADE
• DECRETO Nº 1.886, DE 29 DE ABRIL DE 1996;
e
• DECRETO Nº 1.912, DE 21 DE MAIO DE 1996.
Com introdução, desenvolvimento e conclusão
em letra arial tamanho 12.
DICAS PARA SUA ATIVIDADE
SER SFO!!!
Nossa atividade deve ter os seguintes tópicos:
Capa:
+ Nome do Aluno + Nome do Polo
+ Nome do Tutor + Módulo + Disciplina + Nome do Professor + Nº da Atividade.
Sumário: Tópicos da atividade e sua localização na atividade (nº da página).
Introdução: Suas considerações sobre a atividade.
Desenvolvimento: Apresentação de todos os tópicos da atividade, atendendo
ao solicitado pelo Professor, sempre mostrando sua própria produção.
Lembrando que cada tópico corresponde a um subtítulo, que deve estar
destacado no texto.
Conclusão: Suas considerações finais. Devem ser exclusivamente suas!
Bibliografia/Fonte de Pesquisa: Links e livros consultados
(Revistas técnicas também são uma ótima opção de pesquisa!)
Utilize o Guia “Minha Atividade é SFO!”
Disponível no AVA
41
Dúvidas
Acesse o Fórum de Dúvidas
e Discussões.
42

similar documents