tubulações e conexões

Report
ALERTA
As informações contida nesta
apresentação tem somente finalidade
de Treinamento Técnico
Para a manutenção da aeronave devese usar os Manuais Técnicos aprovados
TUBULAÇÕES E
CONEXÕES
Objetivo: entender o significado do termo
“tubulações e conexões” empregado na indústria
aeronáutica a saber:
-Tubulações Rígidas;
-Tubulações Flexíveis (mangueiras);
- Conexões;
- Processo de formação de tubulações rígidas e
flexíveis;
- Técnicas de instalação;
TUBULAÇÕES E
CONEXÕES
TUBULAÇÕES DE METAL
Linhas de combustível;
Linhas de óleo;
Linhas de oxigênio;
Linhas de
instrumentos;
Linhas de sistemas
hidráulicos.
TUBULAÇÕES DE METAL
TUBULAÇÕES DE METAL
TUBULAÇÕES DE METAL
Instalação/confecção de tubulações rígidas:
Material;
Diâmetro externo;
Espessura da parede;
TUBULAÇÕES FLEXÍVEIS
(MANGUEIRAS)
Conectam partes moveis com partes
estacionarias;
Locais sujeitos a vibrações;
Locais onde a flexibilidade torna-se
necessária.
TUBULAÇÕES FLEXÍVEIS
(MANGUEIRAS)
BUNA-N:
Composto de Borracha
sintética.
Excelente resistência aos
produtos do petróleo.
Não usar com fluidos
hidráulicos com base fosfato
éster (skydrol).
NEOPRENE:
Composto de Borracha
sintética base de
acetileno.
Não tem boa resistência
aos produtos do petróleo
Boa resistência abrasiva.
Não usar com fluidos
hidráulicos com base
fosfato éster (skydrol).
BUTYL:
Composto de
Borracha sintética base
de petróleo bruto
Usar com fluidos
hidráulicos com base
fosfato éster (skydrol).
Não usar derivados do
petróleo.
SKYDROL:
Ele é um óleo sintético, a base
ester-fosfato que possui
características de alta resistência ao
fogo (em outras palavras, o ponto de
ignição dele é altíssimo), além disso,
seu ponto de congelamento é
baixíssimo. Este óleo é tão bom no
que faz que todas as grandes
fabricantes de aviões o utilizam.
TEFLON:
Trabalha sob condições de alta temperatura e
altas pressões.
Cobertas com fios de aço inoxidável.
Grande variedade de operação ( Combustíveis,
petróleo, óleos, álcool, refrigeração ou solventes ).
Alta resistência à fadiga e a
vibração.
MARCAS DE IDENTIFICAÇÃO:
Baixa pressão: ate 250 psi.
Média pressão: 1500 / 3000 psi
Alta pressão: 3000 psi
Marcas de
identificação.
Fabricante, Medida,
pressão, datas.
MARCAS DE IDENTIFICAÇÃO:
IDENTIFICAÇÃO DAS LINHAS DE FLUIDO;
IDENTIFICAÇÃO DAS LINHAS DE FLUIDO;
IDENTIFICAÇÃO DAS LINHAS DE FLUIDO;
IDENTIFICAÇÃO DAS LINHAS DE FLUIDO;
IDENTIFICAÇÃO DAS LINHAS DE FLUIDO;
CONECTORES DE TUBULAÇÕES:
UNEM UM PEDAÇO DE TUBO A
OUTRO, OU A UMA UNIDADE DO
SISTEMA.
CONEXÃO FLANGEADA;
CONEXÃO FLANGEADA;
DIFERENÇAS ENTRE CONEXÕES “AN” E “AC”;
CONEXÃO “AN” :
CONEXÃO SEM FLANGE;
CONEXÃO SEM FLANGE;
ACOPLAMENTO DE
DESCONEXÃO RÁPIDA:
CONEXÃO ESTAMPADA:
FRISOS
ESTAMPADOS
CONECTOR FLEXÍVEL: FRISO
E BRAÇADEIRA;
FRISOS
CONECTOR FLEXÍVEL: FRISO
E BRAÇADEIRA;
Princípios da inspeção em
aviação:
Manutenção Preventiva (Checks de pernoite ou diária, check’s A,
B, C e D) – Desejável que as falhas ou danos que possam resultar
em falhas, sejam detectados nestes níveis de manutenção.
Tubulações e mangueiras são componentes classificados como
“on condition” (na condição) – Serão trocados levando-se em
conta a condição que se apresentam durante inspeções em um
dos eventos de checks de manutenção mencionados.
Mas... E se a falha se pronunciar de repente, durante a operação
da aeronave?
Manutenção Corretiva não planejada – Normalmente ocorrências
envolvendo tubulações e conexões, acontecem no momento em
que tudo parece normal, durante a operação das aeronaves,
resultando em cancelamentos de vôo, danos financeiros e à
imagem da empresa.
PROCESSO DE FORMAÇÃO
DE TUBULAÇÕES;
TUBULAÇÕES DANIFICADAS E LINHAS DE
FLUIDOS DEVEM SER SUBSTITUIDAS POR
NOVAS, SEMPRE QUE POSSÍVEL;
A formação de tubos flangeados consiste de
quatro processos:
1 - Corte;
2 – Dobragem;
3 – Flangeamento;
4 – Confecção de frisos;
Obs.: Em tubos sem flange, exclui-se os processos: flangeamento e
confecção de frisos e adiciona-se o processo: pré-colocação.
1-CORTE DE TUBOS;
1-CORTE DE TUBOS;
1-CORTE DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
2-DOBRAGEM DE TUBOS;
Permitido
Não Permitido
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
A – Flange simples
B – Flange duplo
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
3-FLANGEAMENTO DE TUBOS;
4-FRISAMENTO DE TUBOS;
CONJUNTO DE TUBOS SEM
FLANGE;
Pré-instalação:
CONJUNTO DE TUBOS SEM
FLANGE;
MONTAGEM DE CONECTORES DE MANGUEIRAS
1
2
3
Conjunto de conexão MS para tubos flexíveis;
4
MONTAGEM DE CONECTORES DE MANGUEIRAS
MONTAGEM DE CONECTORES DE MANGUEIRAS
Equipamento de teste de pressão, pós-montagem;
INSTALAÇÃO DE CONJUNTOS DE TUBOS
FLEXÍVEIS
INSTALAÇÃO DE CONJUNTOS DE TUBOS
FLEXÍVEIS
INSTALAÇÃO DE CONJUNTOS DE TUBOS
FLEXÍVEIS
INSTALAÇÃO DE CONJUNTOS DE TUBOS
FLEXÍVEIS
INSTALAÇÃO DE TUBULAÇÕES RÍGIDAS
DANOS EM TUBULAÇÕES FLEXIVEIS
DANOS EM TUBULAÇÕES RÍGIDAS

similar documents