Desenvolvimento Infantil, Educação e Avaliação

Report
Desenvolvimento Infantil, Educação e
Avaliação: retrato da Pesquisa no Brasil
Naercio Menezes Filho
Centro de Políticas Públicas – Insper e USP
Qualidade da Educação é Muito
Ruim
Introdução
• Desigualdades de renda e mobilidade intergeracionais estão intimamente ligadas com
capital humano - > educação e saúde
• Diferenças em investimentos no início da vida
se acumulam ao longo do tempo (Cunha &
Heckman, 2008)
• Quanto mais o tempo passa, mais difícil fica
compensar a falta de investimentos no início
do ciclo de vida
• Mais difícil diminuir desigualdades entre
jovens e adultos - programas de treinamento
Introdução
• Investimentos no início da vida para famílias
mais pobres tem impactos significativos no
desempenho escolar, oferta de trabalho e
criminalidade
• Estímulos infantis com qualidade aumentam
com nível socioeconômico dos pais: número de
palavras, ensinamentos importantes para o
desenvolvimento
• Aqui: revisar a literatura sobre desenvolvimento
infantil, desempenho escolar e salários no
mercado de trabalho
Desenvolvimento Infantil e Educação
1) Nutrição e Capital Humano
2) Impacto da Creche
3) Impacto da Pré-Escola
4) Avaliação de Políticas Públicas
Nutrição e Capital Humano
• Mortalidade infantil e desnutrição eram principais problemas
para acumulação de capital humano
• Monteiro, Benicio, Konno, Silva, Lima, Conde (2009): desnutrição
reduziu-se muito no Brasil: 13,5% em 1996 para 6,8% em
2006/07
• Causas: aumento da escolaridade materna (25%), renda (22%) ,
programas de assistência à saúde (12%) e saneamento (4%).
• Mortalidade Infantil até 1 ano de idade por 1000 nascidos vivos
declinou de 50 (1990), para 31 (2000), para 17 (2010)
• Mortalidade Infantil até 5 anos de idade por 1000 nascidos vivos
declinou de 59 (1990), para 36 (2000), para 19 (2010)
Nutrição e Capital Humano
• Victora, Adair, Hallal, Martorell, Richter, Sachdev (2008)
• Revisão de evidencias de estudos longitudinais sobre a relação
entre nutrição e capital humano (controlando por indicadores
socioeconômicos)
• Subnutrição pode afetar o desenvolvimento cognitivo -> estrago
estrutural ao cérebro e impedindo o desenvolvimento motor e
comportamento exploratório
• Maiores previsores para anos de escolaridade:
Altura (0,5 ano de escolaridade por z-score) e peso aos 2 anos.
Peso ao nascer (1kg a mais) aumenta 0,3 ano de estudo.
Altura da mãe teve efeito pequeno, mas significativo
Nutrição e Capital Humano
• Altura é correlacionado com salários, mesmo em áreas
urbanas e após o controle por educação
• Indicadores de subnutrição são associados com renda mais
baixa, especialmente altura: 1 z-score aumenta renda em 8%.
• Associações entre peso e renda são mais voláteis
• Índice de massa corpórea não afetam renda
• Altura da mãe também não parece afetar a renda
• Evidências mostram que subnutrição pode afetar os anos de
escolaridade e salários
• Melhoras na nutrição provocam mudanças de prioridades?
• Obesidade, violência, informação, qualidade da creche?
Qualidade das Creches
• Barros, Carvalho, Franca, Mendonça e Rosalém (2011)
• Efeitos de programas creche sobre desenvolvimento infantil em
paises em desenvolvimento: limitado.
• Eficácia da creche depende da qualidade dos serviços prestados:
pode ser ruim nos países em desenvolvimento
• 100 creches financiadas publicamente na cidade do RJ.
• Estimado o custo econômico da creche e 500 indicadores de
qualidade
• 10 crianças em cada creche foram submetidas a um teste
psicológico: cartão da criança (IPHEM)- idade desenvolvimento
• Entrevistas com familiares das crianças: escolaridade dos pais,
renda familiar, condições de habitação
Qualidade das Creches
• Indicadores de qualidade são altamente correlacionados,
mas menor variância na infra-estrutura e maior nos pais
• Creches de alta qualidade aumentam o desenvolvimento
global da criança em 1,2 mês (0,17 desvio-padrão)
• Efeito é maior sobre o desenvolvimento mental e social (1,8
a 2,3 meses), mas não aumenta o desenvolvimento físico
• Apenas atividade e estrutura do programa tem impacto
sobre o desenvolvimento da criança (3 meses)
• Qualidade da infraestrutura e recursos humanos tem
impacto no desenvolvimento social e físico, mas qualidade
de saúde e saneamento não impactaram o desenvolvimento
Qualidade das Creches
• Qualidade da creche aumenta o seu custo
• Custo dos serviços de creches de alta qualidade é 72% maior
do que as de baixa qualidade.
• Apenas espaço físico e recursos humanos aumentam o custo
das creches
• Aumento de 60% nos custos para cada mês adicional de
desenvolvimento das crianças
• Dimensões com maior impacto no desenvolvimento da
criança são aquelas com menor impacto sobre o custo
• Em especial: atividades e estrutura do programa: experiência
da linguagem, atividades criativas, desenvolvimento social
Qualidade da Pré-Escola
• Campos, Bhering, Esposito, Gimenes, Abuchaim, Valle,
Unbehaum (2011)
• Avaliar qualidade de 150 instituições de ensino em 6 capitais:
Belém, Campo Grande, Florianópolis, Fortaleza, RJ e Teresina.
• Estimar o o impacto da frequência à creche e pré-escola no
desempenho dos alunos no início do EF.
• Estudo da qualidade em 147 instituições: 1 turma por escola
• Escala de Avaliação de Ambientes de Pré-Escola (ECERS) (13=inadequado, 3-5=básico, 5-7=adequado, 7-8,5=bom)
• Médias das pré-escolas: 3,4. Nível Básico (42%), Inadequado
(30%), Adequado (24%), Bom (3%).
Qualidade da Pré-Escola
•
•
•
•
Efeitos sobre as notas na Provinha Brasil de cada aluno
Questionários com os pais dos alunos
762 alunos do 2o ano do EF: Tratados (605) controle (157)
Melhores desempenhos na Provinha Brasil foram
alcançados por alunos que frequentaram pré-escola de boa
qualidade. Além disso, qualidade da escola EF importa
• Alunos que frequentaram EI de boa qualidade tiveram notas
2,9 pontos mais altas: 12% na escala da provinha Brasil
• Conclusão:
Educação Infantil e Longevidade Escolar
• Damiani, Dumith, Hota e Gigante (2011)
• Dados longitudinais -> seguem as mesmas crianças ao longo
do tempo: Coortes de Pelotas de 1982
• 1076 participantes com informação de frequência à préescola (55%) e creche (22%)
• Controle pelo cor, renda familiar, sexo e escolaridade
• Frequência à creche não aumentou longevidade escolar
• Frequência à pré-escola aumentou em 88% as chances de
conclusão de EF e 73% as chances de conclusão de EB
• Estudos mostram que pré-escola importa
Curi & Menezes-Filho (2010)
Fonte: PPV Elaboração: própria
Pré-Escola, Educação e Salários
Fonte: PPV Elaboração: própria
Efeitos sobre Aprendizado dos Alunos
Avaliação de Políticas Públicas
• Rocha & Soares (2010)
• Impacto do Programa Saúde da Família sobre mortalitade,
trabalho infantil, escolaridade, emprego e fecundidade.
• Programa reduziu significativamente a mortalidade infantil ao
longo das idades ,principalmente para os mais jovens.
• Municipalidades mais pobres foram as que mais se
beneficiaram do programa: também aumento oferta de
trabalho dos adultos, reduziu fecundidade e aumentou
escolaridade.
• Evidência mostra que o Programa Saúde da Família é um
mecanismo muito custo-efetivo para melhorar a saúde em
áreas mais pobres.
Conclusões
• Subnutrição e mortalidade eram os principais problemas de
desenvolvimento infantil
• Melhora dos indicadores provoca mudança nas prioridades?
• Obesidade, violência, informação, qualidade da creche
• Qualidade da creche é importante para desenvolvimento
infantil
• Creche tem efeitos reduzidos sobre escolaridade
• Pré-escola tem efeitos importantes, de boa qualidade.
• Políticas públicas na área de saúde tiveram efeitos positivos
• Agenda qualidade da creche e da pré-escola interagindo com
as políticas públicas.

similar documents