Apresentação do PowerPoint

Report
4
COMO ORAR?
Número de pessoas:
A sós. “Ele, porém, retirava-se para os desertos, e ali orava”
(Lc 5.16).
Em dupla. “E Pedro e João subiam juntos ao templo à hora da
oração, a nona” (At 3.1).
Com a Igreja Local. “Pedro, pois, era guardado na prisão; mas
a igreja fazia contínua oração por ele a Deus” (At 12. 5.
Com todo o povo da cidade. “Mas os homens e os animais
sejam cobertos de sacos, e clamem fortemente a Deus, e
convertam-se, cada um do seu mau caminho, e da violência que
há nas suas mãos.” (Jn 3. 8).
Condições:
Com alegria. “Fazendo sempre com alegria oração por vós em
todas as minhas súplicas” (Fp 1.14).
Com súplica e ação de graças. “Não estejais inquietos por
coisa alguma; antes as vossas petições sejam em tudo
conhecidas diante de Deus pela oração e súplica, com ação de
graças” (Fp 4.6).
Com clamor. “Ouve, ó Deus, o meu clamor; atende à minha
oração” (Sl 61.1).
Silenciosa. “Mas tu, quando orares, entra no teu aposento e,
fechando a tua porta, ora a teu Pai que está em secreto; e teu Pai,
que vê em secreto, te recompensará publicamente” (Mt 6.6).
Com abstinência sexual, em acordo com o cônjuge. “Não
vos priveis um ao outro, senão por consentimento mútuo por
algum tempo, para vos aplicardes ao jejum e à oração; e depois
ajuntai-vos outra vez, para que Satanás não vos tente pela vossa
incontinência” (1 Co 7.5).
5
Atitude:
Humildade. “E se o meu povo, que se chama pelo meu nome,
se humilhar, e orar, e buscar a minha face e se converter dos
seus maus caminhos, então eu ouvirei dos céus, e perdoarei os
seus pecados, e sararei a sua terra” (2Cr 7.14).
Reconhecimento de culpa. “Toda a oração, toda a súplica,
que qualquer homem de todo o teu povo Israel fizer, conhecendo
cada um a chaga [sinta remorso de consciência, Paulus] do seu
coração, e estendendo as suas mãos para esta casa” (1 Rs 8.38).
Pureza. “Apesar de não haver violência nas minhas mãos, e
de ser pura a minha oração” (Jó 16.17).
Sinceridade. “Ouve, Senhor, a justiça; atende ao meu clamor;
dá ouvidos à minha oração, que não é feita com lábios
enganosos” (Sl 17.1).
Súplica. “Ouve, então, nos céus a sua oração e a sua súplica,
e faze-lhes justiça” (1 Rs 8.45).
Submissão à vontade de Deus. “Venha o teu reino, seja feita
a tua vontade, assim na terra como no céu” (Mt 6.10).
Formalidades:
Pedindo diretamente a Deus. “Não me escolhestes vós a
mim, mas eu vos escolhi a vós, e vos nomeei, para que vades e
deis fruto, e o vosso fruto permaneça; a fim de que tudo quanto
em meu nome pedirdes ao Pai ele vo-lo conceda” (Jo 15.16).
Em nome de Jesus. “Até agora nada pedistes em meu nome;
pedi, e recebereis, para que o vosso gozo se cumpra” (Jo 16.24).
Com fé. “Ora, sem fé é impossível agradar-lhe; porque é
necessário que aquele que se aproxima de Deus creia que ele
existe, e que é galardoador dos que o buscam” (Hb 11.6).
A ORAÇÃO QUE DEUS ATENDE
Deus quer atender a nossa oração, porém é necessário que os
nossos pedidos atendam a alguns requisitos básicos:
Glorificação, louvor e adoração a Deus; (Ex 14);
Os resultados alcançados devem contribuir para a divulgação
do Seu Soberano nome, (Ez 29.21);
A Bênção que queremos alcançar sirva para a divulgação da
obra salvadora em Jesus, At (3.1-44);
Que seja para a nossa edificação pessoal e coletiva. “Não saia
da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para
promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem” (Ef
4.29);
=========================================
Por: Enoque Rodrigues Nogueira, pastor
www.enoque.com.br - [email protected]
8
Cura de enfermidade. Pedro e João quando subiam juntos ao
templo à hora da oração, a nona. (At 3. 6).
Liberdade. Paulo e Silas quando oravam e cantavam hinos a
Deus. (At 16. 26).
Expulsa demônios. A jovem que tinha um espírito de
adivinhação. (At 16. 18).
Fogo que consume a idolatria. Elias pedindo a manifestação
da glória de Deus diante dos profetas de Baal e Asera. (1 Rs
18.38).
Perdão de Deus. Davi pedindo perdão a Deus depois de ter
adulterado. (Sl 51.1).
Preparação para a entrada no Céu. Estevão depois de
resenhar a história de Israel e da Salvação. (At 7.59).
ORAÇÕES ABOMINÁVEIS
Do desobediente. “Ainda quando clamo e grito, ele exclui a
minha oração” (Lm 3.8); “Cobriste-te de nuvens, para que não
passe a nossa oração” (Lm 3.44).
Do desviado. “O que desvia os seus ouvidos de ouvir a lei, até
a sua oração será abominável” (Pv 28.9).
Do ímpio. “Tu, pois, não ores por este povo, nem levantes por
ele clamor nem oração; porque não os ouvirei no tempo em que
eles clamarem a mim, por causa do seu mal” (Jr 11.14).
Oração. É uma via de comunicação no sentido da criatura ao
Criador; do servo para o seu SENHOR. Também descrita como
invocar, clamar, buscar, aproximar-se, chegar-se ao SENHOR.
Os tipos mais comuns são: Agradecimento, petição e intercessão.
“A oração é uma comunicação multifacetada entre os crentes e o
Senhor. Além de palavras como ‘oração’ e “orar”, essa atividade é
descrita como invocar, clamar, buscar, aproximar-se e chegar-se
a Deus”. (http://www.vivos.com.br/321.htm)
Princípio divino: Deus nos trata segundo do mesmo modo
que tratamos ao nosso semelhante. “Não julgueis, e não sereis
julgados; não condeneis, e não sereis condenados; soltai, e soltarvos-ão. Dai, e ser-vos-á dado; boa medida, recalcada, sacudida e
transbordando, vos deitarão no vosso regaço; porque com a
mesma medida com que medirdes também vos medirão de novo”
(Lc 6.37,38).
UMA REFLEXÃO SOBRE A NOSSA ORAÇÃO
6
Com um coração contristado. “E eu dirigi o meu rosto ao
Senhor Deus, para o buscar com oração e súplicas, com jejum, e
saco e cinza” (Dn 9.3).
Com perseverança. “Mas nós perseveraremos na oração e no
ministério da palavra“ (At 6.4); “Alegrai-vos na esperança, sede
pacientes na tribulação, perseverai na oração;” (Rm 12.12).
Aceitando a vontade de Deus. “Porque Deus é o que opera
em vós tanto o querer como o efetuar, segundo a sua boa
vontade” (Fp 2.13).
Confiando na misericórdia de Deus. “Eu, porém, faço a
minha oração a ti, Senhor, num tempo aceitável; ó Deus, ouve-me
segundo a grandeza da tua misericórdia, segundo a verdade da
tua salvação” (Sl 69.13)
Com vigilância. “E já está próximo o fim de todas as coisas;
portanto sede sóbrios e vigiai em oração” (1 Pe 4.7).
Em acordo, quando coletiva. “Todos estes perseveravam
unanimemente em oração e súplicas, com as mulheres, e Maria
mãe de Jesus, e com seus irmãos” (At 1.14).
POR QUE ORAR?
Porque se ora desde a antiguidade. “E a Sete também
nasceu um filho; e chamou o seu nome Enos; então se começou a
invocar o nome do Senhor” (Gn 4. 26).
Porque Deus quer nos ouvir. “Eu te invoquei, ó Deus, pois
me queres ouvir; inclina para mim os teus ouvidos, e escuta as
minhas palavras” (Sl 17. 6).
Porque Deus está perto e pode ser achado. “Buscai ao
Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto”
(Is 55. 6).
3
ONDE ORAR?
Em casa. “Daniel, pois, quando soube que o edito estava
assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto janelas
abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se punha de
joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus, como
também antes costumava fazer” (Dn 6.10).
À Beira do rio. “E no dia de sábado saímos fora das portas,
para a beira do rio, onde se costumava fazer oração; e,
assentando-nos, falamos às mulheres que ali se ajuntaram” (At
16.13).
Em todo o lugar. “Quero, pois, que os homens orem em todo
o lugar, levantando mãos santas, sem ira nem contenda” (1 Tm
2.8).
No templo. Isaias lavrou o que o Senhor lhe disse: “Também
os levarei ao meu santo monte, e os alegrarei na minha casa de
oração; os seus holocaustos e os seus sacrifícios serão aceitos
no meu altar; porque a minha casa será chamada casa de oração
para todos os povos” (Is 56.7).
QUANDO ORAR?
Madrugada. “Eu, porém, Senhor, tenho clamado a ti, e de
madrugada te esperará a minha oração” (Sl 88.13);
Três vezes ao dia. “Daniel, pois, quando soube que o edito
estava assinado, entrou em sua casa (ora havia no seu quarto
janelas abertas do lado de Jerusalém), e três vezes no dia se
punha de joelhos, e orava, e dava graças diante do seu Deus,
como também antes costumava fazer.” (Dn 6.10).
Perto da meia-noite. E, perto da meia-noite, Paulo e Silas
oravam e cantavam hinos a Deus, e os outros presos os
escutavam (At 16.25).
Ininterruptamente. “Orai sem cessar (1Ts 5.17).
QUEM DEVE ORAR?
O desamparado. “Ele atenderá à oração do desamparado, e
não desprezará a sua oração” (Sl 102.7).
O justo. “O Senhor está longe dos ímpios, mas a oração dos
justos escutará” (Pv 15.29).
Os santos. “O sacrifício dos ímpios é abominável ao Senhor,
mas a oração dos retos é o seu contentamento.” (Pv 15.8).
O pecador arrependido. “Fui buscado dos que não
perguntavam por mim, fui achado daqueles que não me
buscavam; a uma nação que não se chamava do meu nome eu
disse: Eis-me aqui. Eis-me aqui.” (Is 65. 1).
2
Do hipócrita. “E, quando orares, não sejas como os hipócritas;
pois se comprazem em orar em pé nas sinagogas, e às esquinas
das ruas, para serem vistos pelos homens...” (Mt 6.5).
Pedido apenas para proveito próprio. “Pedis, e não
recebeis, porque pedis mal, para o gastardes em vossos deleites”
(Tg 4.3).
Oração sem fé. “... E tudo o que não é de fé é pecado” (Rm
14.23).
Oração acusativa. “O fariseu, estando em pé, orava consigo
desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os
demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda
como este publicano” (Lc 18.11).
EFEITOS DA ORAÇÃO
Salva o doente. “E a oração da fé salvará o doente, e o
Senhor o levantará; e, se houver cometido pecados, ser-lhe-ão
perdoados” (Tg 5.15).
Bênçãos para toda a família. Abraão pela casa de
Abimeleque. “E orou Abraão a Deus, e sarou Deus a Abimeleque,
e à sua mulher, e às suas servas, de maneira que tiveram filhos”
(Gn 20.17).
A estéril gera filho. Isaque pela sua esposa estéril. “E Isaque
orou insistentemente ao Senhor por sua mulher, porquanto era
estéril; e o Senhor ouviu as suas orações, e Rebeca sua mulher
concebeu” (Gn 25.21).
Aplaca a ira de Deus. Moisés em favor do povo que perecia.
“Então o povo clamou a Moisés, e Moisés orou ao Senhor, e o
fogo se apagou” (Nm 11.2).
Prolongamento dos anos de vida. Ezequias quando foi
decretado o seu fim. “Vai, e dize a Ezequias: Assim diz o Senhor,
o Deus de Davi teu pai: Ouvi a tua oração, e vi as tuas lágrimas;
eis que acrescentarei aos teus dias quinze anos” (Is 38.5).
7
Porque Jesus orou. “E aconteceu que naqueles dias subiu ao
monte a orar, e passou a noite em oração a Deus” (Lc 6.12).
Tudo é possível ao que crê. “E, tudo o que pedirdes na
oração, crendo, o recebereis” (Mt 21.22).
Porque a oração pode muito em seus efeitos. “Confessai as
vossas culpas uns aos outros, e orai uns pelos outros, para que
sareis. A oração feita por um justo pode muito em seus efeitos”
(Tg 5. 16).

similar documents