Psicofonia Consciente

Report
PROGRAMA DE ESTUDO SISTEMATIZADO DO CEFAK
SUBPROGRAMA DE ESTUDOS SEQUENCIAIS - PES
6ª REUNIÃO DE ESTUDO
TEMA: PSICOFONIA CONSCIENTE
1
PSICOFONIA CONSCIENTE
• Psicofonia (do grego psyké, alma e phoné, som,
voz), de acordo com a Doutrina Espírita, é o
fenômeno mediúnico no qual um espírito se
comunica através da voz de um médium.
• A Doutrina Espírita identifica duas classe
principais de psicofonia:
a Psicofonia Consciente - quando o médium
afirma ter percebido mentalmente ou escutado
uma fala proveniente de um espírito que
desejava se comunicar, tendo-a reproduzido
com o seu aparelho fonador; e
2
PSICOFONIA CONSCIENTE
• Como se verifica em toda classificação espírita,
esta deve ser entendida como didática,
sabendo-se haver uma diversidade de nuances
entre uma e outra classe.
• Allan Kardec, em “O Livro dos Médiuns, chama
médiuns psicofônicos inconscientes de médiuns
falantes.
A Psicofonia Inconsciente ou sonambúlica quando o médium afirma não saber o que disse,
fazendo entender, neste caso, que o espírito
comunicante ter-se-ia utilizado diretamente de
seu aparelho fonador, por estar ele, médium,
inconsciente.
3
O Fenômeno da Psicofonia (Incorporação)
A figura abaixo apresenta os dois personagens do ato incorporativo. A entidade comunicante
e o médium encarnado. Mostrando os Corpos que os dois, respectivamente, possuem.
Vemos o comunicante emitindo suas ondas de influência sobre o encarnado, como medida
preparatória para levá-lo ao estado de transe.
Nos médiuns iniciantes, esse contato
inicial funciona de forma semelhante
ao sugestionamento hipnótico, onde a
entidade submete à sua vontade a
vontade do médium.
LEGO
Comunicante
Médium
Nos médiuns adestrados essa
aproximação dispensa esse
expediente. O médium possuidor de
maior treino, e dotado de suficiente
confiança, sem relutar, entrega seu
corpo ao comunicante.
Portanto, a figura demonstra a primeira
fase da incorporação, com a aproximação
da entidade comunicante, e a emissão de
sua influência.
4
O Fenômeno da Psicofonia (Incorporação)
Na segunda fase da incorporação vemos, sob o efeito da influência da entidade, os corpos
Perispiritual e Mental do médium se deslocam, separando-se do corpo Físico. Todavia,
através do Cordão de Prata, todo o conjunto se mantém interligado.
Essa separação quase não é sentida pelo médium treinado, porém no iniciante causa, às
vezes, desfalecimento.
Cordão
de
Prata
LEGO
LEGO
Comunicante
Corpo Físico e
Duplo Etérico
Corpo Astral e Mental
5
O Fenômeno da Psicofonia (Incorporação)
Nesta outra figura temos a terceira fase da incorporação.
Vamos primeiro descrever as partes do desenho.
1. O conjunto incorporado, composto pelo Corpo Físico do médium, e seu Duplo Etérico,
e o “Corpo” do comunicante.
2. Os Corpos Perispiritual e Mental do médium, distanciados da sua base física.
3. O Cordão de Prata do médium interligando sua base física aos Corpos Perispiritual e Mental.
Cordão
de
Prata
3
LEGO
LEGO
1
Comunicante
2
Corpo Físico e
Duplo Etérico
Corpo Perispiritual e Mental
6
O Fenômeno da Psicofonia (Incorporação)
Portanto, o que a figura mostra, embora de forma simples, é como ficam integradas, no
fenômeno da incorporação, as partes do médium e as do comunicante (1).
Quando há total confiança por parte do médium, seu afastamento (2) permite que o
acoplamento do comunicante seja completo (1).
Entretanto, nos médiuns iniciantes, esse afastamento, por vias da desconfiança, é apenas parcial.
Cordão
de
Prata
LEGO
LEGO
1
Comunicante
2
Corpo Físico e
Duplo Etérico
Corpo Perispiritual e Mental
7
O Fenômeno da Psicofonia (Incorporação)
Devido a isso o acoplamento também não se completa no todo. Não ocorre o perfeito
acoplamento necessário ao bom resultado do fenômeno. Neste caso, o comunicante terá que
se esforçar muito mais para fazer-se compreendido, pois a interferência do médium é
bloqueante. Seu pouco afastamento causa impedimento à aproximação total do manifestante,
e prejuízo aos resultados finais.
É importante que esclarecer que em quaisquer das duas circunstâncias,
acoplamento completo ou parcial, o controle
da comunicação sempre estará sob o domínio
Cordão
de
do médium.
Prata
A qualquer momento, quando ele assim
o quiser, poderá interferir no andamento
do processo de comunicação, pois, por
mais afastado que esteja,
consciencialmente em seu conjunto
Perispiritual/Mental, continuará, porém,
interligado à base física pelo Cordão
de Prata, e por este fazer a censura
e controle da comunicação.
LEGO
LEGO
LEGO
Médium
desdobrado
Corpo Físico e
Duplo Etérico
Comunicante
8
Psicofonia Consciente - Características
Há formação da atmosfera fluídica entre as irradiações perispirituais do médium com as do
espírito comunicante.
Há exteriorização do perispirito do médium de apenas alguns centímetros.
O espírito comunicante aproxima-se do médium, não mantém contato
perispiritual, e telepaticamente, transmite as idéias que deseja enunciar.
Esta é a mediunidade dos tribunos
e pregadores, daqueles que
manifestam a “inspiração
momentânea”.
LEGO
LEGO
LEGO
Médium
Comunicante
O espírito emite o pensamento e influi
sobre o aparelho fonador do médium.
Se concorda em falar, transmite a
idéia conforme a entende e usando
seu próprio estilo, vocabulário e
construção de frases. Frases e estilo
do médium, idéia do espírito.
O médium sente a influência e capta o pensamento do espírito comunicante na origem,
antes de falar, e pode transmiti-lo ou não.
O médium pode avaliar antes da manifestação, com fácil controle do fenômeno.
9
Psicofonia Consciente – Capítulo VI
“(...) localizaram o sofredor ao lado (...)” da médium.
“O mentor da casa aproximou-se dela (da médium) e aplicou-lhe forças
magnéticas sobre o córtex cerebral, depois de arrojar vários feixes de raios
luminosos sobre extensa região da glote.”
“Notamos que a médium-alma afastou-se do corpo, mantendo-se junto dele,
a distância de alguns centímetros, enquanto que, amparado pelos amigos
que o assistiam, o visitante sentava-se rente, inclinando-se sobre o
equipamento mediúnico ao qual se justapunha, à maneira de alguém a debruçar-se numa
janela.”
“Observei que leves fios brilhantes ligavam a fronte da médium, desligada do veículo físico, ao
cérebro da entidade comunicante.”
“– É o fenômeno da Psicofonia consciente ou trabalho dos médiuns falantes. Embora
senhoreando as forças da médium, o hóspede enfermo do nosso plano permanece controlado
por ela, a quem se imana pela corrente nervosa, através da qual estará nossa médium
informada de todas as palavras que ele mentalize e pretenda dizer. Efetivamente apossa-se ele
temporariamente do órgão vocal de nossa amiga, apropriando-se de seu mundo sensório,
conseguindo enxergar, ouvir e raciocinar com algum equilíbrio, por intermédio das energias
dela, mas a médium comanda, firme, as rédeas da própria vontade(...)”
10
Psicofonia Consciente- Capítulo VI
“(...) consciente de todas as intenções do companheiro infortunado a
quem empresta o seu carro físico, nossa médium reserva-se o direito de
corrigi-lo em qualquer inconveniência. Pela corrente nervosa,
conhecer-lhe-á as palavras na formação, apreciando-as previamente, de
vez que os impulsos mentais dele lhe percutem sobre o pensamento
sarnento como verdadeiras marteladas. Pode, assim, frustrar-lhe qualquer
abuso, fiscalizando-lhe os propósitos e expressões, porque se trata de uma
entidade que lhe é inferior, pela perturbação e pelo sofrimento em que se
encontra, e a cujo nível não deve arremessar-se, se quiser ser-lhe útil.(...)”
“(...) Nas sessões de caridade, qual a que presenciamos, o primeiro socorrista é o médium que
o recebe, mas, se esse socorrista cai no padrão vibratório do necessitado que lhe roga serviço,
há pouca esperança no amparo eficiente.(...)”
“(...) O médium, pois, quando integrado nas responsabilidades que esposa, tem o dever de
colaborar na preservação da ordem e da respeitabilidade na obra de assistência aos
desencarnados, permitindo-lhes a livre manifestação apenas até o ponto em que essa
manifestação não colida com a harmonia necessária ao conjunto e com a dignidade
imprescindível ao recinto.”
“– Então – perguntam –, nesses trabalhos, o médium nunca se mantém a longa distância do
corpo... ?”
11
Psicofonia Consciente – Capitulo VI
“– Sim, sempre que o esforço se refira a entidades em desajuste, o
medianeiro não deve ausentar-se demasiado. – Com um demente em
casa, o afastamento é perigoso, mas se nosso lar está custodiado por
amigos cônscios de si, podemos excursionar até muito longe, porquanto
o nosso domicílio demorar-se-á guardado com segurança. No concurso
aos irmãos desequilibrados, nossa presença é imperativo dos mais lógicos.”
“– Se preciso, nossa médium poderá retomar o próprio corpo num átimo.
Acham-se ambos num consórcio momentâneo, em que o comunicante é a
ação, mas no qual a médium personifica a vontade. Em todos os campos de
trabalho, é natural que o superior seja responsável pela direção do inferior.”
“Vimos que a médium, fora do veículo denso, escutava todas as palavras que lhe fluíam da
boca, transitoriamente ocupada pelo peregrino das sombras, arquivando-as, de maneira
automática, no centro da memória.”
“– E se nossa médium relaxasse a autoridade?”
“– Não estaria em condições de prestar-lhe benefícios concretos, porque então teria descido
ao desvairamento do mendigo de luz que nos propomos auxiliar (...)”
12
REFLEXÃO
PARA VALORIZAR A MEDIUNIDADE É PRECISO:
ILUMINAR-SE A SI PRÓPRIO:
• PELO CUMPRIMENTO DOS DEVERES MAIS ELEVADOS;
• PELO ESFORÇO PRÓPRIO NA ASSIMILAÇÃO DOS PRINCÍPIOS
DOUTRINÁRIOS;
• PELA AUTO-EVANGELIZAÇÃO PERMANENTE.
(“O CONSOLADOR“– EMMANUEL)
13

similar documents