Faixas Orogênicas

Report
FAIXAS
OROGÊNICAS
Professor Adriano Medeiros
GEOGRAFIA
ESTRUTURAS GEOLÓGICAS
Dobramentos modernos são grandes estruturas formadas por rochas
magmáticas e sedimentares pouco resistentes. Foram afetadas por
forças tectônicas durante o período Terciário provocando o
enrugamento e originando as cadeias montanhosas ou cordilheiras.
Cordilheira do Himalaia
Em regiões como os Andes, as Montanhas Rochosas, os Alpes, o
Atlas e o Himalaia, são frequentes os terremotos e as atividades
vulcânicas.
Apresentam também as maiores elevações da superfície terrestre.
Outros pesquisadores pensavam que a Terra estaria se
encolhendo como uma ameixa que seca e ao encolher
apareceriam as montanhas e depressões. Então
o pesquisador Alfred Wegener elaborou a teoria da deriva
continental.
A teoria foi confirmada com o surgimento da teoria de
movimento das placas tectônicas. A teoria da Tectônica de
Placas afirma que o planeta Terra é dividido em
várias placas tectônicas (como uma bola de capotão, mas
com gomos irregulares e de diferentes tamanhos) que se
movimentam, pois estão flutuando sobre o magma (como a
lava vulcânica derretida que sai dos vulcões).
Ao se movimentarem, formam as montanhas mais
recentes (dobramentos modernos), fossas oceânicas,
atividade vulcânica, terremotos, cordilheiras mesooceânicas, tsunamis, etc.
Os dobramentos resultam de forças laterais ou horizontais
ocorridas em uma estrutura sedimentar que forma as cordilheiras.
As falhas resultam de forças, pressões verticais ou inclinadas,
provocando o desnivelamento das rochas resistentes.
Quando os pesquisadores do século 19 e início do século passado
observavam as diferentes formas de relevo, perguntavam-se por
que alguns lugares possuíam montanhas elevadas com picos
pontiagudos, outros eram montanhas arredondadas e outros eram
planícies (áreas amplas e planas, geralmente muito baixas). Para
tentar explicar a questão, chegaram a propor que a Terra estava se
expandindo (crescendo como um pão de queijo ou um bolo no
forno) e conforme se expandia.
A
Terra é formada por várias camadas, as três principais
são: núcleo, manto e crosta, existindo ainda várias
subdivisões. As placas apresentam uma densidade menor
(em média 2,8) que a do magma (em média 3,2) e por isso
as placas “flutuam” no magma da astenosfera que é tão
quente (geralmente mais de 1.000ºC) que se apresenta
derretido, portanto quase líquido, mas muito viscoso.
 Como todo líquido quente, o magma gira e ao girar
empurra as placas em um certo sentido. Então, elas podem
se chocar ou se afastar. Na zona de convergência, as
placas se chocam resultando na formação de dobramentos
modernos e fossas oceânicas.
CORDILHEIRA DO HIMALAIA.
BACIA
SEDIMENTAR
FALHAS DO RELEVO
TERREMOTOS
O terremoto é um abalo violento do solo
que dura determinado tempo.
O chão começa a tremer devido ao
movimento das placas tectônicas.
COMO OCORRE O TERREMOTO?
A terra é formada por camadas a hidrosfera (de água), a
atmosfera (de gases) e a litosfera (de rochas). A litosfera é
a camada mais rígida da terra e divide-se em partes
menores chamadas placas tectônicas.
Essas placas tectônicas se movimentam lentamente,
gerando um processo contínuo de esforço e deformação nas
grandes massas da rocha.
Quando esse esforço supera o limite de
resistência da rocha, faz com que ela se rompa
liberando parte da energia acumulada que é
liberada sob forma de ondas elásticas, chamadas
de ondas sísmicas.
Essas ondas podem se espalhar em todas as
direções, fazendo a terra vibrar intensamente,
ocasionando os terremotos.
ESCALA RICHTER
Foi a partir de 1900 que surgiram as principais escalas de
medição que conhecemos. A mais conhecida é a escala
Richter, desenvolvida pelo americano Charles Richter
(1900-1985). A escala Richter varia de 0 a 9,5 ou mais
pontos. O último nível pode variar: ele vai depender da
força do maior terremoto ocorrido até o momento.
O abalo de maior intensidade já registrado no século XX alcançou 9,5
pontos na escala Richter e ocorreu no Chile, em 1860. O da Turquia,
em 1999, atingiu cerca de 7,4 pontos na escala Richter. O terremoto
que provocou o maior número de mortes ocorreu na China, em 1556 830 mil mortos.
As regiões mais sujeitas a terremotos são regiões próximas às placas
tectônicas como o oeste da América do Sul onde está localizada a
placa de Nazca e a placa Sul-Americana; e nas regiões em que se
forma novas placas como no oceano Pacífico onde se localiza o
Cinturão de Fogo.
O comprimento de uma falha causada por um terremoto pode variar
de centímetros a milhões de quilômetros como, por exemplo, a falha
de San Andreas na Califórnia, Estados Unidos.
NO MUNDO!
Um terrível terremoto aconteceu na Itália, cidade de Áquila, cidade
de 60 mil habitantes do estado de Abruzzo, foi a mais atingida. O
tremor ocorreu de madrugada, quando a maioria dos habitantes
dormia.
Os danos ocorreram na maior parte do município. Pelo menos 10 mil
imóveis foram danificados. Um albergue de estudantes e
algumas igrejas históricas ruíram. Carros foram soterrados pelos
escombros.
A polícia não sabe dizer o número de desaparecidos, porém a extensão
da destruição provocada pelo tremor leva a Defesa Civil local a
estimar que o índice de mortos ainda pode crescer nas próximas
horas.
As informações sobre a força do tremor de cerca de 30 segundos.
Enquanto parte das agências de notícias estima magnitude de 5,8
graus na escala Richter, outras fontes afirmam que o terremoto chegou
a 6,7 graus na mesma escala.
O forte tremor foi sentido em Roma, onde muito moradores assustados
deixaram suas casas para buscar proteção nas ruas, com medo de
possíveis desabamentos. Segundo a agência Efe, casas e prédios do
centro histórico da capital italiana sofreram pequenos danos.
O último terremoto grave na Itália havia ocorrido em 1980, no sul do
país, provocando a morte de 2.700 pessoas.
O Vesúvio é um exemplo de vulcão que entrou em
erupção violenta, provocando um forte terremoto e
expelindo
grandes
quantidades
de
pedras
incandescentes, lava vulcânica, poeira e fumaça tóxica.
Quando começaram a cair estas substâncias sobre os
corpos dos moradores de Pompéia, estes foram
petrificados.
As mortes aconteceram por sufocamento por gás
carbônico
e
super-aquecimento
pelo
calor
das cinzas do Vesúvio.
TIPOS DE VULCÕES
Vulcão-escudo
 Cones de escórias
 Caldeiras ressurgentes
 Vulcões submarinos

PREVISÃO DE ERUPÇÕES
A
ciência ainda não é capaz de prever com
certeza absoluta quando um vulcão irá entrar
em erupção, Os seguintes fatores são
analisados de forma a ser possível prever uma
erupção:
 Sismicidade
 Emissões
gasosas
 Deformação do terreno
KRAKATOA
MONTE HOOD
MONTE FUJI
VULCÕES NO ESPAÇO
A Lua não possui grandes vulcões e não é
geologicamente ativa, mas nela existem várias
estruturas vulcânicas
 O planeta Vênus é geologicamente ativo, sendo cerca
de 90% da sua superfície constituída por basalto o que
leva a crer que o vulcanismo desempenha um papel
importante na modelagem da superfície volumosa
do planeta.
 No planeta Marte existem vários vulcões extintos,
sendo quatro dos quais grandes vulcões-escudo,
largamente maiores do que qualquer um existente na
Terra

MONTE OLIMPO
MONTES THARSIS
MONTES ELYSIUM

similar documents