METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS

Report
CENTRO UNIVERSITÁRIO
FRANCISCANO
CURSO DE MESTRADO PROFISSIONALIZANTE EM
ENSINO DE FÍSICA E DE MATEMÁTICA
METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS:
ENSINO E APRENDIZAGEM DE CONCEITOS DE
MATEMÁTICA FINANCEIRA NO EJA
Aluna: Tatiele Fátima Miron
Orientadora: Profª Dr. Vanilde Bisognin
METODOLOGIA DE RESOLUÇÃO DE PROBLEMAS: ENSINO E APRENDIZAGEM DE
CONCEITOS DE MATEMÁTICA FINANCEIRA NO EJA
Introdução
Objetivos
Abordagem Metodológica
Instrumentos de Pesquisa
Participantes
Atividades
INTRODUÇÃO
Este trabalho investigou a eficiencia de se trabalhar com a
Metodologia de Resolução de problemas no ensino da
Matemática Financeira na EJA do Ensino Médio.
Os problemas foram baseados em situações do cotidiano
das pessoas.
Assim procurou-se demonstrar que a Matemática Financeira
é de grande importância para a vida dos cidadãos.
OBJETIVOS
GERAL:
Investigar as contribuições da utilização da Metodologia de Resolução de Problemas
no processo de ensino-aprendizagem a na construção dos conceitos da Matemática
Financeira com alunos de uma turma do EJA.
ESPECÍFICO:
- Construir uma sequência de problemas envolvendo conteúdos de Matemática
Financeira;
- Diagnosticar os conhecimentos já adquiridos pelos alunos a respeito de juros e taxas de
juros e prazos de pagamento;
- Analisar o processo de resolução dos problemas propostos seguido pelos alunos;
- Analisar, a partir dos resultados obtidos, de que forma a metodologia de resolução de
problemas contribuiu para o processo de ensino-aprendizagem e a construção dos
conceitos relacionados com a Matemática Financeira.
ABORDAGEM METODOLÓGICA
Nesta pesquisa foi utilizada uma
abordagem qualitativa
X
Por meio dela analisaram-se as contribuições que a
X
Segundo GODOY (1995), a pesquisa qualitativa
"Envolve a obtenção de dados descritivos sobre
pessoas, lugares e processos interativos pelo
contato direto do pesquisador com a situação
estudada, procurando compreender os fenômenos
segundo a perspectiva dos sujeitos, ou seja, dos
participantes da situação em estudo.“
Metodologia
deProblemas
Problema
Metodologiade
de Resolução de
proporciona ao ensino e
aprendizagem da Matemática Financeira. Portanto para responder ao
problema de pesquisa e cumprir oConforme
objetivo
geral,
foi
necessário
LUDKE e ANDRÉ
(1986)
“a pesquisa
qualitativa
supõe o contato direto e prolongado do
pesquisador com o ambiente e a situação que está
sendo investigada, via de regra, através do trabalho
intensivo de campo”
recorrer ao contato direto com os participantes, para que se pudesse
observar os processos e compreender as diferentes maneiras de
trabalhar e interpretar, dos alunos.
Para FIORENTINI e LORENZATO (2007),
a observação participante é uma estratégia que
envolve não somente a observação direta, mas
todo o conjunto de técnicas metodológicas
(incluindo entrevistas, consulta a materiais, etc.),
pressupondo que exista um grande envolvimento
do pesquisador na situação estudada.
ABORDAGEM METODOLÓGICA
Nesta pesquisa foi utilizada uma
abordagem qualitativa
Por meio dela analisaram-se as contribuições que a
Metodologia
de Resolução
Resoluçãodede
Problem
Metodologia de
Problemas
proporciona ao ensino e
aprendizagem da Matemática Financeira. Portanto para responder ao
problema de pesquisa e cumprir o objetivo geral, foi necessário
recorrer ao contato direto com os participantes, para que se pudesse
observar os processos e compreender as diferentes maneiras de
trabalhar e interpretar, dos alunos.
ABORDAGEM METODOLÓGICA
abordagem qualitativa
Nesta pesquisa foi utilizada uma abordagem
Por meio dela analisaram-se as contribuições que a
Metodologia de
de Resolução de Problemas aproporciona ao ensino
Metodologia
e aprendizagem da Matemática Financeira. Portanto para
responder ao problema de pesquisa e cumprir o objetivo geral,
foi necessário recorrer ao contato direto com os participantes,
para que se pudesse observar os processos e compreender as
diferentes maneiras de trabalhar e interpretar, dos alunos.
Instrumentos de Pesquisa
Diário de Campo
Observação Participante
Análise de Documentos
PARTICIPANTE DA PESQUISA
• A turma era composta por vinte (20) alunos de uma turma de
EJA de um colégio do município de Ijuí.
• Tinham idades entre 18 e 56 anos, o que tornava o grupo bem
heterogêneo. Na maioria eram trabalhadores.
• Muitos já estavam a um longo tempo afastados da escola, fato
este, que exigiu um tempo maior para o entendimento e
resoluções das tarefas propostas.
Atividades
Situação-Problema 1
Situação-Problema 2
Situação-Problema 1
Situação-Problema 2
Situação-Problema 3
Atividades realizadas online
no site
na Unidade Didática
Matemática
UNIDADE DE ESTUDO 1
Situação–Problema 1
Uma pessoa toma emprestado, a juros simples, a importância de R$ 500,00,
pelo prazo de três meses, à taxa de 2% ao mês. Qual será o valor que
deverá ser pago com juro, decorrido este período? Qual o montante a ser
pago?
Resolução:
Clique
aqui
Situação–Problema 2
Encontre o que está sendo solicitado em cada uma das situações a seguir:
a) Qual o montante resultante da aplicação de R$7.000,00 à taxa de 10,5% ao
ano, durante 145 dias?
Resolução:
Clique
aqui
b) Qual o capital que aplicado a juros simples de 1,2% ao mês rende R$3.500,00
de juros em 75 dias?
Resolução:
Clique
aqui
c) Se a taxa de uma aplicação é de 15% ao ano, quantos meses serão
necessários para dobrar um capital aplicado através da capitalização simples?
Resolução :
Clique
aqui
Situação-Problema 3
Calcular o montante de um capital de R$ 1.000,00, aplicado à taxa de 4% ao
mês, sob o regime de juros compostos, durante 5 meses.
Resolução:
Clique
aqui
Como (1,04)5 = 1,21656
Situação-Problema 4
Ângela contratou um empréstimo no valor de R$600,00 a juros compostos de 5%
ao mês.De acordo com esta informação responda:
a) Qual o montante a ser pago após três meses?
Resolução:
Clique
aqui
b) Se dois meses após a data da contratação Ângela pagasse R$200,00 do saldo
devedor, quanto ainda ficaria devendo?
Resolução:
Clique
aqui
c) Agora considere que passando-se mais um mês, ou seja, após três meses em
relação a data da contratação, ela quitasse o saldo devedor, quanto estaria
pagando na quitação?
Resolução:
Clique
aqui
UNIDADE DE ESTUDO 2
Situação–Problema 1
Um consumidor resolve comprar um celular que custa R$800,00 à vista. Se
preferir pode parcelá-lo em duas prestações de R$400,00 ou quatro
prestações de R$200,00, ambas com entrada. Sendo que o cliente possui seu
dinheiro aplicado à taxa de 5% ao mês qual será a melhor alternativa de
pagamento?
Clique
aqui
Resolução:
Ato da compra: pagamento da entrada de R$200,00
O saldo de R$600,00 aplicado a 5% rendeu R$ 30,00
Após 3 meses: foi feito o quarto pagamento de R$200,00.
Pagando parcelado, nesta situação, foi possível lucrar R$64,07.
Pagando à vista não haveria lucro.
Pagando em duas vezes de R$400,00 o lucro seria de R$30,00
Situação-Problema 2
Uma televisão está sendo ofertada em uma loja, durante o mês de
outubro, por R$ 400,00 a prazo. O anúncio propõe a primeira parcela dois
meses após a compra, com o décimo terceiro salário. Entretanto, se o
consumidor preferir pagar à vista o preço será reduzido para R$ 384,00. Qual
é a taxa de juro que está embutida no produto?
Resolução:
Clique
aqui
Após dois meses o aumento será de R$16,00
Resolvendo a regra de três, teremos: x= 4,16%
Como este valor corresponde a dois meses, a taxa mensal deverá
ser de 2,08%
UNIDADE DE ESTUDO 3
Na Unidade do Estudo 3
Atividades - Montante Simples
as atividades foram
realizadas online no site
na
Unidade Didática
Matemática
Gráfico - Montante Simples
Gráfico - dos Juros Simples
Composição do Montante
Cálculo dos Juros simples
Gráfico comparativo entre Montante
simples e composto
Gráfico do Montante Composto
Metodologia de Resolução de Problemas
O professor tem a função de orientar o trabalho por ele preparado, deixando que os
alunos busquem as estratégias de resolução, desenvolvendo assim o seu raciocínio.
No Brasil, a educadora Lourdes Onuchic é uma das precursoras do trabalho com a
metodologia de Resolução de Problemas. Para a autora é possível aprender novos
conceitos através do processo de descoberta da solução de problemas propostos.
ONUCHIC e ALLEVATO (2009), sugerem
nove passos
passos
professor ao trabalhar com esta Metodologia.
que podem auxiliar o
Passos para Resolução
1º) Preparação do problema
2º) Leitura individual
3º) Leitura em conjunto
4º) Resolução do problema
5º) Observação e iniciativa
6º) Exploração na lousa
7º) Estímulo para com os grupos em assembléia .
8º) Promoção de consenso
9º) Formalização
Diario de Campo
O diário de campo é uma das documentações indispensáveis ao processo de
investigação. É um instrumento de registro diário e, segundo Minayo (1993),
nele
(...) constam todas as informações que não sejam o registro das entrevistas
formais. Ou seja, observações sobre conversas informais, comportamentos,
cerimoniais, festas, instituições, gestos, expressões que digam respeito ao
tema da pesquisa. Fala, comportamentos, hábitos, usos costumes, celebrações
e instituições compõem o quadro das representações sociais. (p.100).
Observação Participante
A técnica de observação participante, que foi utilizada, não determina uma forma
específica para se fazer a observação, desta maneira, a eficácia e responsabilidade
de sua utilização competem quase que inteiramente ao autor da pesquisa.
Segundo Ludke e André (1986),
A observação possibilita um contato pessoal e estreito do pesquisador com o fenômeno
pesquisado, o que apresenta uma série de vantagens. Em primeiro lugar, a experiência
direta é sem dúvida o melhor teste de verificação da ocorrência de um determinado
fenômeno. ( p. 26)
Registro dos Alunos
Busca-se registrar, o mais fielmente possível, o que ocorre na sala de aula, as
formas e os conteúdos das interações entre os sujeitos.
As produções dos alunos foram todos os trabalhos produzidos pelos grupos ou
individualmente e recolhidos pela professora pesquisadora ao término da aula.
Referências
ALLEVATO, N.S.G. O Computador e a Aprendizagem Matemática: reflexões sob a perspectiva da Resolução de Problemas – Universidade Cruzeiro
do Sul/SP.Disponível em http://www.rc.unesp.br/serp/trabalhos_completos/completo4.pdf Acesso em: 20 ago. 2012.
BIGODE, A. J. L. Matemática hoje é feita assim. São Paulo: FTD, 2000.
BRASIL. Decreto nº 8659 de 5 de abril de 1911. Aprova a Lei Orgânica do Ensino Fundamental e do Superior na República. Disponível
em: http://www6.senado.gov.br/legislacao/ListaPublicacoes.action?id=58698&tipoDocumento=DEC&tipoTexto=PUB. Acesso em: 30 out.
2012. 1911b.
BRASIL, Constituição (1934). Constituição da República dos Estados Unidos do Brasil . Rio de Janeiro: Assembléia Nacional Constituinte, 1934.
BRASIL, PARECER nº 699/72. Regulamenta o capítulo IV da Lei 5.692/71. 06 de julho de 1972. Constituição Federal de Educação. Rio de Janeiro.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Fundamental. Parâmetros Curriculares Nacionais: Matemática. Brasília: MEC, 1998.
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação Média e Tecnológica. Parâmetros Curriculares Nacionais (Ensino Médio). Brasília: MEC,
2000.
BRASIL. Ministério da Educação. Conselho Nacional de Educação/Câmera de Educação Básica. Diretrizes Curriculares Nacionais para a Educação
de Jovens e Adultos. Brasília: MEC, 2000
BRASIL. Ministério da Educação. Secretaria de Educação. Orientações Curriculares para o Ensino Médio, volume 2. Brasília: MEC, 2006.
Disponível em http://portal.mec.gov.br/seb/arquivos/pdf/book_volume 2_internet.pdf Acesso em: 29 ago. 2012.
V CONFINTEA. Conferência Internacional sobre Educação de Adultos. Declaração de Hamburgo e Agenda para o Futuro. Hamburgo, Alemanha:
unesco, 1997
DANTE, L.D. Didática da Resolução de Problemas de Matemática, São Paulo: Ática, 1991.p.7-43.
DINIZ, M. I. (2001). Os Problemas Convencionais nos Livros Didáticos In: Smole, K. S. e DINIZ, M. I. (Org.) Porto Alegre: Artmed Editora, p. 99 – 102.
FILHO, M.S.C. Aprendizagem de Matemática Financeira no Ensino Médio: uma proposta de trabalho a partir de planilhas eletrônicas. 2008. 130f, Dissertação
(Programa de Pós Graduação em Ensino de Matemática) – UFRS, Porto Alegre, 2008.
FIORENTINI, Dario; Lorenzato, Sergio. Investigação em Educação Matemática: percursos teóricos e metodológicos. 2. ed. São Paulo.
GODOY, A. S. Introdução à pesquisa qualitativa e suas possibilidades. RAE- Revista de Administração de Empresas, São Paulo, v. 35, n. 2, p. 57-63, 1995.
GONÇALVES, Jean Píton. A história da matemática comercial e financeira. Disponível em: http://www.somatematica.com.br/historia/matfinanceira4.php Acesso em:
29 ago. 2012.
IFRAH, Georges. História universal dos algarismos: a inteligência dos homens contada pelos números e pelo cálculo. Rio de Janeiro: Nova Fronteira, 1997.
Lei 4024/61 Fixa as Diretrizes e Bases da Educação Nacional, de 20/12/61. In: Legislação de Ensino de 1º e 2º Graus (Federal). Compilação e organização de Leslie
M. J. da S. Rama e outros 1980, v.1, p.265-270.
Lei 5692/71 Fixa Diretrizes e Bases para o Ensino de 1º e 2º Graus e da outras providências, de 11/08/71. In: Legislação de Ensino de 1º e 2º Graus. (Federal).
Compilação e organização de Leslie M. J. da S. Rama e outros, 1980, v.1, p.403-414.
Lei 9394/96. LDB. Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional. Disponível em< www.mec.gov.br>. Acesso em: 30 Out. 2012.
LÜDKE, Menga e ANDRÉ, Marli E. D. A. Pesquisa em educação: abordagens qualitativas.
São Paulo: EPU, 1986.
MINAYO, Maria Cecília de S. O Desafio do Conhecimento. Pesquisa qualitativa em saúde. 2. ed. São Paulo: HUCITEC/ RJ: ABRASCO, 1993
MASETTO, M.T., MORAN, J.M, BEHRENS, M.A. Novas Tecnologias e mediações pedagógicas-Campinas,SP: Papirus, 2007.
MORGADO, A.C., WAGNER, E., ZANI, S.C., Coleção do professor de Matemática – Progressões e Matemática Financeira. Rio de Janeiro: Sociedade Brasileira de
Matemática, 2003.
NASCIMENTO, P.L. A formação do aluno e a visão do professor do Ensino Médio em relação à Matemática Financeira. 2004. 177f. Dissertação de Mestrado em
Educação Matemática – PUC, São Paulo, 2004.
NASSER, L. & Projeto Fundão, À VISTA OU A PRAZO SEM JUROS: QUAL DESSAS MODALIDADES DE PAGAMENTO É MAIS VANTAJOSA? EMER Educação Matemática em Revista, RS,v. 2, ano 10– 2009 – Disponível em: www.sumarios.org/sites/default/files/pdfs/58776_6790.PDF Acesso em: 29 set. 2012.
National Council of Teachers of Mathematics. Curriculum and Evaluation Standards for School Mathematics. Reston, Va.: National Council of Teachers of
Mathematics, 1989.
NCTM.Principles and Standards for School Mathematics. Reston, VA: National Council of Teachers of Mathematics, 2000.
NOVAES, R.C.N.; Uma abordagem visual para o ensino de Matemática Financeira no ensino médio.Dissertação de mestrado do Programa de
Pós-graduação em ensino de Matemática - UFRJ, Rio de Janeiro, 2009.
ONUCHIC, L.R. Uma História da Resolução de Problemas no Brasil e no Mundo. ISERP - Palestra de Encerramento – Unesp, Rio Claro.
Disponível em http:// www.rc.unesp.br/serp/trabalhos_completos/completo3.pdf Acesso em: 01 ago. 2012.
ONUCHIC, L.R. Ensino-Aprendizagem de Matemática através da Resolução deProblemas. In: BICUDO, M. A. V.(Org.). Pesquisa em Educação
Matemática. SãoPaulo: Editora UNESP, 1999. cap.12, p.199-220.
ONUCHIC, L R.; ALLEVATO, N. S. G. Novas reflexões sobre o ensino-aprendizagem de matemática através da resolução de problemas. In:
BICUDO, M. A. V.; BORBA, M. C. (Orgs). Educação Matemática - pesquisa em movimento. 2.ed. São Paulo: Cortez, 2005. p. 213-231.
ONUCHIC, L. R. ; ALLEVATO, N. S. G. . A Sala de Aula, a Pesquisa em Educação Matemática e a Produção Científica do GTERP. In: IX
Encontro Nacional de Educação Matemática, 2007, Belo Horizonte. Anais do IX ENEM. Belo Horizonte : SCIM-SA. v. único. p. 1-6.
ONUCHIC, L. R.; ALLEVATO, N. S. G. Formação de Professores – Mudanças Urgentes na
Licenciatura em Matemática. In: FROTA, M. C. R.; NASSE, L. (Org). Educação Matemática no Ensino Superior: pesquisas e debates. Recife:
SBEM, 2009, 169-187.
POLYA, G. A Arte de Resolver Problemas. (Trad. Heitor Lisboa de Araújo), Rio de Janeiro: Interciência, 1995.
Portal da Amazônia. Compras a prazo podem resultar em descontrole financeiro. Disponível em
http://portalamazonia.globo.com/noticias.php?idN=50745HYPERLINK
"http://portalamazonia.globo.com/noticias.php?idN=50745&idLingua=1"&HYPERLINK
"http://portalamazonia.globo.com/noticias.php?idN=50745&idLingua=1"idLingua=1 . (Acesso em agosto de 2012, publicado em 31 de
março de 2007)
ROBERT, J. A origem do dinheiro. 2. ed. São Paulo: Global, 1989.
POZO, J.I., ECHEVERRÍA,M.P. A solução de problemas: Aprender a resolver,resolver para aprender-Porto Alegre: Art Med,1998
SANTOS, G. L. da C. Educação financeira: a matemática financeira sob nova perspectiva. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação para a
Ciência) – Faculdade de Ciências, Universidade Estadual Paulista, Bauru, 2005.
VIEIRA, C. L. A Matemática Financeira no Ensino Médio e sua Articulação com a Cidadania. 2010, 91fl.Dissertação de Mestrado (Programa
de Pós-Graduação scricto sensu - Mestrado em Educação Matemática) – USS, Vassouras,2010.
VAN DE WALLE, John A. Matemática no Ensino Fundamental: formação de professores e aplicação em sala de aula. 6.ed. Porto Alegre:
Artmed, 2009.

similar documents