ANESTESIA EM OTORRINO - Hsjc

Report
ANESTESIA EM
OTORRINOLARINGOLOGIA
GUILHERME FIRMO
INERVAÇÃO DAS VIAS AÉREAS
• MUCOSA NASAL
ANTERIOR = N. ETMOIDAL ( OFTÁLMICO – V )
POSTERIOR = N. ESFENOPALATINO ( MAXILAR – V )
• PALATO DURO E PALATO MOLE
N. PALATINOS
• LÍNGUA 2/3 ANTERIORES = N. LINGUAL (MANDIBULAR – V )
1/3 POSTERIOR = N. HIPOGLOSSO
• FARINGE/ PALATO MOLE/ AMÍGDALAS = N.GLOSSOFARINGEO
INERVAÇÃO DAS VIAS AÉREAS
LARINGE = N. LARINGEO SUPERIOR
• EPIGLOTE ATÉ PREGA VOCAL = N. LARINGEO SUPERIOR INTERNO (S)
E EXTERNO (M)
• FACE INFERIOR PREGAS VOCAIS =N.LARINGEO RECORRENTE- X)
• MUSC. LARINGE ( EXCETO CRICOTEIREÓIDE )= N. RECORRENTE
LARINGEO
• MUSC. CRICOTIREÓIDE = N. LARINGEO SUPERIOR EXTERNO
TRAQUEIA = N. RECORRENTE LARINGEO
INERVAÇÃO DAS VIAS AÉREAS
LARINGEO SUPERIOR
LESÃO UNILATERAL
LESÃO BILATERAL
MÍNIMO
ROUQUIDÃO
ROUQUIDÃO
ESTRIDOR
INSUF. RESPIRATÓRIA (A)
AFONIA (C)
ROUQUIDÃO
AFONIA
RECORRENTE LARINGEO
VAGO
QUESTÃO
A INERVAÇÃO DO M. CRICOTIREÓIDEO E DO 1/3 POSTERIOR DA
LÍNGUA SÃO DADOS PELOS RESPECTIVOS NERVOS:
a)
b)
c)
d)
LARINGEO SUPERIOR E TIREOGLOSSO
RECORRENTE LARINGEO E HIPOGLOSSO
RECORRENTE LARINGEO E TIREOGLOSSO
LARINGEO SUPERIOR EXTERNO E HIPOGLOSSO
QUESTÃO
A LESÃO UNILATERAL CRÔNICA DO N. LARINGEO RECORRENTE
CAUSA:
a)
b)
c)
d)
ESTRIDOR
ROUQUIDÃO
AFONIA
INSUFICIÊNCIA RESPIRATORIA
AMIGDALECTOMIA/ ADENOIDECTOMIA
• PACIENTES JOVENS
• APNEIA SONO
- DIST. CRESCIMENTO E COMPORTAMENTO
- SONOLÊNCIA DIURNA
- RONCOS
- PESCOÇO CURTO E LARGO; LÍNGUA GRANDE; OBESO;
OBSTRUÇÃO FARINGEA
• IVAS – PRORROGAR CIRURGIA 7 A 14 DIAS
AMIGDALECTOMIA/ ADENOIDECTOMIA
• ANESTESIA:
• CUIDADOS : IOT DIFÍCIL E SANGRAMENTO
TOT COM BALONETE
TAMPÃO COM GAZE
SNG – ESVAZIAR ESTÔMAGO
POSIÇÃO ROSE
EXTUBAÇÃO ACORDADO
QUESTÃO:
A POSIÇÃO DE ROSE USADA EM CIRURGIAS DE AMIGDALAS TEM
COMO VANTAGEM:
a)
b)
c)
d)
EVITAR EDEMA GLÓTICO
MINIMIZAR DEGLUTIÇÃO DE SANGUE
PROPICIAR EXTUBAÇÃO PRECOCE
REDUZIR SANGRAMENTO PÓS OPERATÓRIO
AMIGDALECTOMIA/ ADENOIDECTOMIA
PÓS – OPERATÓRIO:
• DECADRON :
ÊMESE
• HEMORRAGIA: IOT DIFÍCIL
EDEMA
DOR
EDEMA + SANGRAMENTO
• LARINGOESPASMO : EDEMA POR PRESSÃO NEGATIVA
CIRURGIA A LASER
• VANTAGENS:
HEMOSTASIA, EDEMA MÍNIMO, DOR MÍNIMA, PRECISÃO
• RISCOS: VARIAM COM O COMPRIMENTO DE ONDA
CO2: COMPRIMENTO GRANDE
YAG: COMPRIMENTO PEQUENO
> COMPRIMENTO > ABSORÇÃO H2O < PENETRAÇÃO TECIDO
CO2: EFEITO MAIS SUPERFICIAL
LESÃO OCULAR
QUESTÃO
EM RELAÇÃO À CIRURGIA A LASER É CORRETO
AFIRMAR:
a)
b)
c)
d)
CO2 POSSUI PEQUENO COMPRIMENTO DE ONDA
YAG POSSUI GRANDE COMPRIMENTO DE ONDA
CO2 POSSUI AÇÃO MAIS PROFUNDA
O COMPRIMENTO DE ONDA É INVERSAMENTE
PROPORCIONAL À PENETRAÇÃO NO TECIDO
CIRURGIA A LASER
IGNIÇÃO DO TUBO
• PVC: ALTAMENTE COMBURENTE, NÃO REFLETIVO
• BORRACHA: ALTAMENTE COMBURENTE, NÃO REFLETIVO
• SILICONE: NÃO REFLETIVO, COMBURENTE, LIBERA RESÍDUOS
TÓXICOS
PROTEÇÃO DO TUBO (DESVANTAGENS)
• NÃO PROTEGE O BALONETE
• AUMENTA A ESPESSURA DO TUBO (LESÃO DA MUCOSA)
• INFECÇÃO
CIRURGIA A LASER
IGNIÇÃO DO TUBO TRAQUEAL
PRECAUÇÕES:
• USAR < FIO2
• SUBSTITUIR N2O POR AR OU HÉLIO
• PREENCHER BALONETE COM AZUL DE METILENO
• REDUZIR DURAÇÃO DO LASER
• SERINGA 60 ML COM ÁGUA
CIRURGIA A LASER
IGNIÇÃO DO TUDO TRAQUEAL
CONDUTA:
• SUSPENDER VENTILAÇÃO
• DESLIGAR O2 E DESLIGAR CIRCUITO
• VENTILAR COM MÁSCARA E REENTUBAR
• GASOMETRIA + BRONCOSCOPIA
• LAVAGEM BRÔNQUICA + CORTICÓIDE
QUESTÃO
TODAS AS ALTERNATIVAS DIMINUEM O RISCO DE
IGNIÇÃO DAS VIAS AÉREAS, EXCETO:
a)
b)
c)
d)
FIO2 BAIXA
PREENCHER BALONETE COM AZUL DE METILENO
CIRURGIA RÁPIDA
SUBSTITUIR HE PELO N2O
CIRURGIA NASAL E SINUSAL
• POLIPECTOMIA, ENDOSCOPIA SINUSAL,
SINUSECTOMIA MAXILAR, RINOPLASTIA,
SEPTOPLASTIA
• PRÉ – OPERATÓRIO:
OBSTRUÇÃO NASAL, CONGESTÃO MUCOSA POR
INFECÇÃO, VENTILAÇÃO DIFÍCIL
* PÓLIPO NASAL: ASSOCIADO À ASMA, ALERGIA À
AINES, FIBROSE PULMONAR
QUESTÃO
PACIENTE DE 24 ANOS, SUBMETIDA À POLIPECTOMIA.
PORTADORA DE ASMA BRÔNQUICA ( CONTROLADO COM
BUDESONIDA E SALBUTAMOL). O FÁRMACO A SER EVITADO
NESTE PACIENTE É:
a)
b)
c)
d)
MORFINA
CETAMINA
CETOPROFENO
ONDANSETRONA
QUESTÃO: DAS PATOLOGIAS ABAIXO, A QUE ESTÁ
ASSOCIADA À POLIPOSE NASAL É:
DAS PATOLOGIAS ABAIXO, A QUE ESTÁ ASSOCIADA À
POLIPOSE NASAL É:
a)
b)
c)
d)
SD. EISEINMENGER
SD. TURCOT
SD. GARDNER
FIBROSE CÍSTICA
CIRURGIA DO OUVIDO
• ESTAPEDECTOMIA, TIMPANOPLASTIA, MASTOIDECTOMIA,
MIRINGOTOMIA.
• N2O: MAIS SOLÚVEL QUE N2 – OCUPA CAVIDADES RAPIDAMENTE
• ALTERAÇÕES DO OUVIDO MÉDIO SÃO BEM TOLERADAS
• TIMPANOPLASTIA:
 PRÓTESE – ESPAÇO FECHADO - PRESSÃO O.M. – DESLOCA
PRÓTESE
 DESCONTINUAÇÃO N2O – DESLOCA PRÓTESE
EVITAR DURANTE A CIRURGIA OU DESCONTINUAR ANTES DA
PRÓTESE
 NÁUSEAS E VÔMITOS NO P.O.
OBRIGADO !

similar documents