Baixe a apresentação "Liderança"

Report
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Gabinete do Secretário do
Estado da Educação
Prof. Herman Voorwald
Liderança
• Rosa Parks – 01º de Dezembro de 1955
• Martin Luther King Jr.
• Boicote dos ônibus de Montgomery
Parceria
•
Um formidável orador recusando-se a ceder seu lugar em um
ônibus segregado não causaria o mesmo efeito de uma mulher
modesta que claramente preferiu manter-se em silêncio;
•
Parks não teria o necessário para eletrizar uma multidão se
tivesse tentado se levantar e anunciar que tinha um sonho.
•
Mudaram o curso da história dos Estados Unidos
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Tipos Psicológicos
• Carl Jung – 1921
• Popularizou os termos “Introvertido e Extrovertido”
• Pilares centrais da personalidade;
• Introvertido
– Atraídos pelo mundo interior do pensamento e sentimento;
– Trabalham de forma ponderada;
– Focam em uma tarefa de cada vez;
– Grande poder de concentração;
– Recarregam as baterias ficando sozinho.
• Extrovertido:
– Atraídos pela vida externa de pessoas e atividades;
– Terminam as tarefas rapidamente;
– Tomam decisões rápidas;
– Mais de uma tarefa ao mesmo tempo;
– Mergulham nos próprios acontecimentos. Precisam recarregar
quando não socializam o suficiente.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Verdadeiro ou Falso?
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
“Prefiro conversas individuais atividades em grupo”;
“Geralmente prefiro me expresasar por escrito”;
“Gosto da solidão”;
“Pareço me importar menos que meus colegas com fama,
fortuna e status”;
“Não gosto de jogar conversa fora, mas gosto de tópicos
profundos que importam para mim;”
“As pessoas dizem que sou bom ouvinte”;
“Não gosto de correr riscos”;
“Gosto de trabalhos que me permitam “mergulhar” com
poucas interrupções”;
Gosto de celebrar aniversários de maneira reservada, com
apenas um ou dois amigos e familiares”;
Me definem como alguém de “fala mansa” ou “meigo”.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Verdadeiro ou Falso?
• “Prefiro não mostrar meu trabalho ou discutir até que ele esteja
terminado”;
• “Não gosto de conflitos”;
• “Trabalho melhor sozinho”;
• “Tendo a pensar antes de falar”;
• “Sinto-me exaurido depois de estar em público mesmo que
tenha me divertido”
• Às vezes deixo ligações cairem na caixa-postal”;
• “Se tivesse que escolher, preferiria passar um fim-de-semana
para fazer a um com muitas coisas programadas”;
• “Não gosto de fazer muitas coisas ao mesmo tempo”;
• “Consigo me concentrar com facilidade”;
• “Em situação de sala de aula, prefiro palestras a seminários”.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Estados Unidos Séc. XIX / XX
“Culto ao Caráter para o Culto à Personalidade”
Culto ao caráter:
 Alguém sério, disciplinado e honorável
 O que contava não era a impressão que causava ao público, mas
como se comportava na esfera privada.
Culto à personalidade:
 Pessoas focavam em como as outras a viam (performar)
 Houve a evolução de uma sociedade agrária para a de negócios
 A palavra personalidade não existia em inglês até o Séc. XVIII e
a idéia de “ter uma boa personalidade” não foi definida até o
Séc. XX.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Início do Século XXI
•
Nas escolas, estudantes estão num mundo em que status,
salário e autoestima dependem mais do que nunca da
habilidade em atender as demandas do Culto à
Personalidade.
Início do Culto a Personalidade
•
Desenvolvimento de uma personalidade extrovertida por
razões egoístas:aparecer no meio da multidão em sociedade
nova, anônima e competitiva.
Pergunta: Sempre faz sentido relacionar liderança e hiperextroversão?
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Harvard Business School - liderança carismática
Essência do ensino: líderes têm que agir com confiança e tomar decisão
diante de informações incompletas.
Questão:
Se você não tem os fatos, deve esperar agir?
OU
Ao hesitar arriscará perder a confiança dos outros.
A resposta não é óbvia!
• Se falar com firmeza baseado em informações erradas, poderá levar seus
companheiros ao desastre.
• Se transpirar incerteza, a moral sofre, o resultado não aparece.
Modo de Ensino:
Você pode não saber qual o melhor caminho, mas tem que agir de
qualquer maneira!
Exemplo: NIKE – “JUST DO IT”
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Presume-se que os líderes devem ser falantes...
isso é parte da realidade
Observação: pessoas quietas e falantes têm quase o mesmo
número de boas (e más) idéias.
Percepção:
• Pessoas falantes são mais inteligentes que as quietas;
• Vemos pessoas falantes como líderes;
• Consideramos falantes rápidos mais capazes do que aqueles
que falam devagar;
• Nossa tendência: seguir aqueles que começam uma ação –
Qualquer ação!
É FÁCIL CONFUNDIR LÁBIA COM TALENTO
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Líderes e Liderança
•
Peter Drucker : “...o único traço de personalidade que encontrei
em comum em todos eles era algo que não tinham ou pouco
tinham: CARISMA”.
•
Bradley Agle – Universidade de Brigham Young: executivos mais
carismáticos > maiores salários < performance.
•
Jim Collin: companhias de melhor performance do fim do séc. XX
foram administradas por líderes “nível 5”.
“Não precisamos de personalidades gigantes para transformar
empresas. Precisamos de líderes que construam não o próprio
ego, mas as instituições que administram.”
Líderes nível 5 – Não são conhecidos pelo carisma mas pela
extrema humildade e uma intensa vontade profissional
Pergunta: Líderes introvertidos fazem diferente – e às vezes
melhor do que os extrovertidos?
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Teoria de Adam Grant
• Líderes extrovertidos melhoram a performance de grupo
quando os funcionários são passivos.
• Líderes introvertidos são mais eficientes com funcionários
proativos.
Após uma análise das 5 maiores cadeias de pizzaria dos EUA :
• A filiais administradas pelos extrovertidos tiveram um lucro de
16% a mais do que as administradas pelos introvertidos
• Líderes introvertidos tiveram o resultado oposto. Quando
trabalhavam com funcionários proativos, a performance foi
14% maior do que aquelas lideradas por extrovertidos
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Por que a eficiência desses líderes depende de seus
funcionários serem passivos ou proativos?
Introvertidos:
• Bons em liderar aqueles que tomam iniciativa
• Círculos de proatividade
Extrovertidos:
• Para deixar sua marca, perdem grandes idéias
• Recaem na passividade
• Alcançam melhores resultados com trabalhadores passivos
• Importante: Companhias cultivam bons ouvintes assim como
bons falantes para papéis de liderança
E o papel das mídias sociais?
• Novas formas de liderança
• Introvertidos se expressam mais que os extrovertidos
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Pergunta: Pode-se concluir que pessoas que esperam ser
inovadoras devem trabalhar em ambientes altamente
sociais?
• Instituto de Análise e Pesquisa da Personalidade da
Universidade da Califórnia (1956-1962)
• Pessoas mais criativas tendiam ser socialmente classificadas
como introvertidas
Conclusão: devemos dar aos nossos funcionários bastante
privacidade e autonomia
Cada vez mais faz-se o contrário!!
• Escolas e locais de trabalho
• Eleva-se o trabalho em equipe
• Criatividade/ Conquistas intelectuais vêm de um lugar sociável
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
O Novo Pensamento de Grupo
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Popularidade – anos 1990
Em 2000 – 50% das empresas/Atualmente – 100% (trabalho em equipe)
Para 91% dos gerentes – Equipes são a chave para o sucesso
70% do funcionários trabalham em escritórios abertos
Espaço p/funcionário : 45m² (1970) – 18m² (2010)
“Eu trabalho” – “ Nós trabalhamos”
“O estilo de ensino reflete a comunidade dos negócios”
O NPDG não surgiu em um momento preciso
Colaboração: conceito sagrado, chave para multiplicar o sucesso.
Em vários campos, estando sozinho, se investe na prática
Prática – chave para conquista
Performance não depende apenas da prática, nos requer condições
corretas de trabalho
Conclusão: Enquanto extrovertidos tendem a alcançar a liderança em
domínios públicos, os introvertidos tendem a alcançar a liderança nos
campos teóricos e estéticos.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Pesquisa:Mostra que escritórios abertos reduzem a produtividade e enfraquecem a
memória.
• Associados a alta rotatividade;
• Funcionários com pressão alta;
• Graus de estresse elevados;
• Ficam gripados;
• Discutem com colegas;
• Barulho alto e incontrolável – aceleram o ritmo cardíaco – libera cortisol (hormônio
do estresse no corpo);
• Pessoas socialmente distantes, irritáveis, agressivas e lentas;
• O publicitário Alex Osborn inventou o conceito de brainstorming – processo no qual
membros de um grupo geram idéias em uma atmosfera não crítica.
Regras:
1. Não julgue ou critique idéias;
2. Seja livre. Quanto mais louca a idéia, melhor;
3. Vá pela quantidade . Quanto mais idéias melhor;
4. Construa em cima da idéia de outros membros do grupo.
Problema:
1. O Brainstorming não funciona;
2. Estudos mostraram que a performance piora quando o tamanho do grupo
aumenta.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Única exceção: brainstorming online
• Grupos quando fazem pela internet são melhores que os individuais;
• Melhores performances quanto maior for o grupo.
Fracasso do brainstorming em grupo:
• Ócio Social: alguns relaxam, outros trabalham;
• Bloqueio produtivo: só uma pessoa produz uma idéia por vez enquanto os outros
ficam passivos;
• Apreensão avaliativa: medo de parecer baixo na frente dos colegas
Experimentos de Solomon Asch (perigos da influência de grupos);
• Reuniu estudantes universitários em grupos para teste de visão. Mostrou linhas de
comprimentos variados.
Perguntas - comparando uma com a outra:
• 95% Respondeu corretamente;
• Depois colocou outros no grupo (respostas erradas);
• Despencou para 25% as respostas corretas.
Conclusão: Pressão dos colegas pode modificar a visão sobre um problema.
(jogando sozinho, as imagens do cérebro mostraram atividades em uma rede de regiões
que incluía o córtex occipital e o parietal (percepção visual e espacial) e o córtex
frontal (tomada de decisões conscientes)
• Acompanhando a decisão errada do grupo – os conformistas demonstraram menos
atividade cerebral nas regiões frontais da tomada de decisões e mais nas áreas
associadas à percepção.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Importante:
1. As equipes mais eficientes são compostas por uma mistura saudável de introvertidos
e extrovertidos
2. Criar cenários onde pessoas se sintam livres para circular num ambiente de interação
e desaparecer em seus espaços privados
3. Nossas Escolas devem ensinar às crianças a habilidade de trabalhar em grupo, mas
também proporciona tempo e o treinamento para praticar sozinhas.
Pergunta: O temperamento é determinado pelo destino?
• Em 1989, o Prof. Jerome Kagan e sua equipe reuniram 500 bebês de 04 meses em
seu laboratório para o Desenvolvimento Infantil em Harvard.
• Expuseram os bebês a um conjunto de experiências novas
• As crianças ouviam gravações de vozes e de balões explodindo, viam móbiles
coloridos e inalaram o odor de álcool em cotonetes
• 20% chorava forte e mexia fortemente os braços e pernas (altamente reativo)
• 40% permanecia calmo e plácido
• 40% entre os dois extremos
• Com 02 anos de idade – as crianças conheciam uma senhora vestindo máscara antiga
e um jaleco; um homem com uma fantasia de palhaço e um robô controlado por rádio
• Aos 07 anos brincavam com crianças que não conheciam
• Aos 11 anos - um adulto desconhecido entrevistavam-nas sobre sua vida pessoal
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
• Equipe de Kagan – observava como as crianças reagiam, notando linguagem
corporal e gravando o quanto riam, falavam e sorriam e se era espontâneo.
• Entrevistaram crianças e seus pais para saber do que eles gostavam fora do
laboratório.
• Preferiam um ou dois amigos próximos a ter uma turma? Gostavam de visitar
locais novos? Corriam riscos ou eram mais cautelas? Consideravam-se tímidas ou
ousadas ?
Conclusão:
Os 20% altamente reativos – desenvolviam personalidades sérias e cuidadosas.
Os poucos reativos – relaxados e confiantes
Portanto: alta e baixa reatividade tendiam a corresponder à introversão e extroversão.
Comentário:
Temperamento – padrões comportamentais e emocionais inatos – determinados
biologicamente.
Personalidade – combinação complexa, depois que a influência cultural e
experiências pessoais são agregadas.
Por que bebês agitados se tornam adolescentes cautelosos e reflexivos e bebês quietos
viram pessoas práticas?
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Resposta:
• Equipe de Kagan: mediu taxa cardíaca, pressão, temperatura e outra
propriedades do sistema nervoso.
• Medidas controladas por um importante orgão localizado no cérebro
chamado AMÍGDALA
• Localizado nas profundezas do sistema límbico – chamado “cérebro
emocional” – fonte dos muitos instintos lógicos como: apetite, desejo
sexual e medo.
• Quanto mais reativa a amígdala de uma criança, maior a taxa cardíaca,
mais os olhos dilatam e mais tensas as cordas vocais, mais cortisol
(hormônio do estresse) há na saliva – confronta o desconhecido em
diferentes contextos. Pensam sobre e sentem profundamente o que
percebem.
Portanto: a alta reatividade é uma das taxas biológicas da introversão
(40%-50% herdada geneticamente)
Pergunta: Uma personalidade introvertida ou extrovertida pode ser reduzida
simplesmente ao sistema nervoso com que seu dono nasceu?
• As pessoas mudam muito com o tempo
• E o livre-arbítrio – controle sobre o que somos e o que queremos nos tornar
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Pesquisas mostraram:
• Os traços de um temperamento de alta ou baixa reatividade nunca
desaparecerem na idade adulta.
• Podemos modificar nossas personalidades, mas até certo ponto.
• “Teoria do Elástico” de personalidade. Somos como um elástico em
repouso. Podemos nos esticar, mas até certo ponto – equilíbrio entre
a parte primitiva do cérebro (amígdala e o sistema límbico), o
neocórtex e particularmente o córtex frontal (uma das funções é
amenizar medos infindados).
• A capacidade de adaptação- dentro dos limites – também se aplica
aos extrovertidos
• Diferença entre introvertidos e extrovertidos – preferência por
estímulos.
• Ideal – organiza a vida de acordo com níveis ótimos de estimulação.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Conclusão
1. Olhe pare seus colaboradores como seres humanos e suas particularidades.
Pessoas são diferentes umas das outras, têm necessidades e respondem aos
estímulos de formas diferentes. É necessário estar atento às suas
peculiaridades e agir de acordo com o que cada um precisa atingir os
melhores resultados;
2. Dê o exemplo. Os grandes líderes baseiam as atitudes em um exemplo sólido
de conduta e respeito, agindo de acordo com o que espera de seus liderados e
sendo o primeiro a pôr a “mão na massa” se necessário;
3. Dê feedback. Mantenha sua equipe informada do que estão fazendo bem e o
que precisam melhorar em suas atividades, atitudes e comportamentos,
deixando claras suas expectativas e da organização em relação aos resultados,
além de como atingí-los;
4. Transmita segurança e confiança. O verdadeiro líder age de forma condizente
com seu discurso, ou seja, faz exatamente o que fala. A equipe sabe o que
esperar dele em cada situação e sabe que ele estará ao lado de cada um
sempre que houver necessidade.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
Conclusão
5. Envolva a equipe nas decisões e soluções do problemas. Não é porque
alguém é líder que precisa tomar as decisões sozinho. Quem sabe e vive a
realidade da operação são os colaboradores. Eles devem ser ouvidos e
envolvidos nas soluções e questões, mesmo que não se possa fazer
exatamente o que os colaboradores sugerem. É necessário ouvi-los e
mantê-los informados do porquê de cada ação;
6. Conheça e estimule o uso das habilidades de cada um. É preciso saber o
que cada colaborador tem a contribuir e ampliar o uso dessas habilidades
individuais;
7. Utilize as diferenças em benefício da equipe. As diferenças podem ser
usadas como oportunidades para o crescimento da equipe e para o
desenvolvimento individual. Seja coerente e sincero, liderar será uma
jornada desafiadora e excitante de aprendizados e realizações.
SECRETARIA DA EDUCAÇÃO
OBRIGADO!

similar documents