PPT

Report
AULINHA LINDA 2
Proteínas e ácidos nucléicos
Simulado – questã 1
Os lipídeos são moléculas apolares que não se dissolvem em solventes polares como a
água. Com relação aos lipídeos, podemos afirmar que:
I. São moléculas ideais para o armazenamento de energia por longos períodos.
II. Importantes componentes de todas as membranas celulares.
III. Estão diretamente ligados à síntese de proteínas
IV. Servem como fonte primária de energia.
V. A cutina, a suberina e a celulose são exemplos de lipídeos.
A(s) alternativa(s) correta(s) é (são):
a) I, IV e V
b) I e III
c) II e IV
E
d) II e V
e) I e II
Simulado – questã 2
Há alguns meses, foi lançado no mercado um novo produto
alimentício voltado para o consumidor vegetariano: uma
bebida sabor iogurte feita à base de leite de soja. A época,
os comerciais informavam tratar-se do primeiro iogurte
totalmente isento de produtos de origem animal. Sobre esse
produto, pode-se dizer que é isento de:
a)
Colesterol e carboidratos
b)
Lactose e colesterol
c)
Proteínas e colesterol
d)
Proteínas e lactose
e)
Lactose e carboidratos
B
Proteínas - Importância



Principais materiais estruturais das células (músculos,
membrana plasmática, colágeno dos ossos,
queratina da pele ...);
Catálise (enzimas – proteínas catalisadoras);
Defesa (anticorpos – produzidos contra antígenos);
Proteínas - fonte




Leite
Carne
Ovos
Sementes de leguminosas
 São
essenciais para o desenvolvimento. Em países
pobres (onde a dieta é basicamente de carboidratos),
há diversos problemas com desenvolvimento de
crianças.
Proteínas

O conjunto de proteínas de um ser vivo é
característico dele, e difere inclusive do conjunto
proteico de um ser vivo da mesma espécie.
Se as proteínas são tão diferentes, como
fazemos para utilizá-las?
Proteínas – aminoácidos (aa)



20 tipos de aa na natureza utilizados por todos os
seres vivos para construírem suas proteínas.
Se diferenciam principalmente pela sequência em
que os aa estão arranjados.
Alimento  quebrada em aa no tubo digestivo 
sangue  células  reestruturação de acordo com
as necessidades da célula.
Aminoácidos - Estrutura

Qualquer aminoácido tem:
 Grupo
Carboxila;
 Grupo amina;
Aminoácidos – essenciais e naturais


Autótrofos: capazes de produzir todos os aa
necessários
Heterótrofos:
 Naturais:
podem ser sintetizados;
 Essenciais: devem ser recebidos pela alimentação;
Proteínas – Ligação Peptídica


Ligação entre a carboxila de um aa e a amina de
outro.
Reação de desidratação: perde uma água.
Proteína ≠ Polipeptídeo



Polipeptídio – dois ou mais aa;
Proteína – acima de 80 aa;
Portanto nem todo polipeptídio é uma proteína,
mas toda proteína é um polipeptídio.
Sequência dos aa ou estrutura
primária



Fundamental para atividade biológica.
A troca de um aa pode modificar as propriedades
biológicas.
Ex: hemoglobina (574 aa) que tem um ácido
glutâmico por uma valina = anemia falciforme
(pode ser mortal).
Forma da proteína


O fio proteico, normalmente, encontra-se enrolado
(forma de hélice – devido a pontes de H),
formando a estrutura secundária da proteína.
A hélice acaba se dobrando sobre si mesma,
formando a estrutura terciária. Mantida pelas
reações entre os radicais dos aa.
Desnaturação: perda da estrutura
terciária, logo, da função.
Enzimas



São catalisadoras de reações (aceleram a reação);
A enzima faz com que o ponto de equilíbrio seja
atingido mais rapidamente;
Permitem que a velocidade das reações químicas
seja suficientemente alta e que a temperatura seja
mantida em níveis baixos;
Enzimas
• Repare que E + S formam um esquema de “chavefechadura”;
• Possuem alta especificidade (uma enzima catalisa
apenas uma reação ou um grupo de reações);
• Acima de 50ºC não há vida, pois as proteínas se
desnaturam – (desenhar uma enzima desnaturada);
Fatores que influem na velocidade da
reação enzimática

Concentração do substrato:
 [ótima]
= todas as enzimas estão ocupadas;
 Inibidores por competição: competem pelo substrato
(antibióticos e quimioterápicos);

pH:


Ex: tudo digestivo;
Temperatura:
 Ectotermico
(jacaré), pecilotermos (peixe) e
homeotermos ou endotermicos;
Ácidos nucléicos


Gene: pedaços de moléculas de DNA ou RNA;
Capacidades de um gene:
 Produzir
cópias fiéis de si próprio (transmissão da
informação);
 Controlar a produção de proteínas adequadas,
ordenando nelas os aa, logo, controlando a atividade
celular;
Ácidos nucleicos


São formados por nucleotídeos, ou seja, um ácido
nucleico é um poli nucleotídeo;
Estrutura:
 Um
ácido fosfórico;
 Uma pentose (ribose ou desoxirribose);
 Uma base nitrogenada;
Bases nitrogenadas

Púricas:
 Adenina;
 Guanina;

Pirimídicas:
 Timina
 Citosina
 Uracila
OBS: timina = DNA e uracila = RNA
Porcentagem de A-T e C-G são iguais.
Watson e Crick




Molécula de DNA é constituída por 2 filamentos;
Cada filamento é cheio de nucleotídeos;
As cadeias se ligam por pontes de H entre as bases
nitrogenadas;
As duas fileiras estão torcidas, formando a dupla
hélice;
Papéis biológicos do DNA


Duplicação: cada célula filha recebe uma cópia da
“programação” hereditária;
Controle da síntese de proteínas: DNA do núcleo 
fabrica uma molécula de RNA  comanda a
formação de certo tipo de proteína no citoplasma.
Duplicação do DNA


Somente na presença da DNA polimerase;
Etapas:
 As
pontes de H das bases nitrogenadas são rompidas e
os filamentos afastam-se;
 Nucleotídeos livres encaixam-se nas fitas (nas bases
complementares);
 Formação de moléculas de DNA idênticas, sempre
mantendo uma nova e uma velha (duplicação
semiconservativa);
Transcrição


Somente na presença da RNA polimerase;
Etapas:
 Afastamento
das fitas de DNA;
 Entram nucleotídeos livres de RNA (com ribose) e se
encaixam nas bases de apenas uma das fitas de DNA;
 RNA se destaca do seu molde de DNA (passando para
o citoplasma);
 As fitas de DNA voltam a se parear;
Código genético


Códon: cada grupos de 3 bases do DNA ou RNAm;
Cada 3 bases do DNA codifica um aa na proteína.
São 64 grupos de 3 bases para identificar 20 aa,
ou seja, um aminoácido pode possuir mais de um
códon (código genético degenerado).
Tipos de RNA



RNAm (mensageiro): orienta a fabricação da
proteína. O tipo de proteína depende da
sequencia de nucleotídeos do RNAm;
RNAt (transportador): carrega aa para a síntese
protéica. Existe uma série de 3 bases nitrogenadas
fixas para cada RNAt - anticódon (especificidade);
RNAr (ribossômico): faz parte da estrutura do
ribossomo. RNAr + proteínas = ribossomo;
Tradução - Síntese de proteínas






Um cístron (pedaço de DNA que corresponde a um gene),
sofre transcrição, formando um RNAm;
RNAm sai do núcleo em direção ao citoplasma;
RNAt difundem-se no citoplasma, ligando-se a determinado
aa (anticódon);
Ribossomo se liga a uma extremidade do RNAm, se ligando
a alguns segmentos de 3 bases. Um RNAt + aa se prenderá
ao primeiro segmento do RNAm;
Ribossomo se desloca sobre o RNAm, abrangendo as 3
bases seguintes: entra novo RNAt + aa. Os aa formados se
ligam por ligações peptídicas.
Proteína pronta é liberada no citoplasma;
Polirribossomos


Vários ribossomos associados a uma molécula de
RNAm – polirribossomo;
São visualizados com certa facilidade em células
bacterianas;
Mutações




No momento da duplicação do DNA ocorre um erro de
cópia que altere a sequência do códon  mRNA
modificado  pode levar a substituição de um aa por
outro.
A mudança de um aa pode alterar o papel biológico
da proteína e, consequentemente, o tipo de reação
química;
Agentes mutagênicos: raios ultravioletas, raios X,
formol, ácido nitroso ...
Caso a mutação atinja uma célula reprodutora a
alteração será transmitida ao descendente.

similar documents