Beneficiamento primário: corte

Report
Procesamiento de minerales II
Rochas ornamentais
Maria Luiza Souza e Maurício Sartori
Montevideo-Porto Alegre
24 Setembro 2013
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
1
Rochas Ornamentais
Neste item será explicado as principais operações de
beneficiamento de rochas ornamentais.
- Usos de rochas ornamentais
- Beneficiamento primário: corte ou serragem
- Beneficiamento secundário: polimento
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
2
Cadeia produtiva de rochas ornamentais
EXTRAÇÃO
BENEFICIAMENTO
PRIMÁRIO
BENEFICIAMENTO
SECUNDÁRIO
Revestimentos Padronizados
TIRAS
BLOCOS
Revestimentos sob Medida
Soleiras
Rodapés
Escadarias
Arquitetura e
Urbanismo
Móveis
Objetos de Adorno
Bancadas
Arte e
Decoração
Espessores Acabados
Placas
Peças de Ornamentação
Arte
Funerária
CHAPAS
ESPESSORES
Semi- acabados
Bancos / Assentos
Meios- fios
Fontes
Pavimentos
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
Urbanismo
3
Beneficiamento primário
Etapas do beneficiamento primário
1ª - Pré-corte
- Mono-fio
2ª - Corte
-Tear de lâminas com lama abrasiva
- Tear de lâminas diamantadas
- Tear a fio diamantado
- Cortador de blocos tipo mono-disco
- Cortador de blocos tipo multi-discos
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
4
Beneficiamento primário: pré-corte
Mono-fio:
- Uso de fio
diamantado para
realizar o corte da
rocha.
- 2,8m2/h para
granito (vel. descida
= 80cm/h).
- 7m2/h em
mármore (vel.
descida = 2m/h).
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
5
Beneficiamento primário: pré-corte
Mono-fio:
- Aplicado
para aparar
faces
irregulares
dos blocos
melhorando a
ocupação do
tear.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
6
Beneficiamento primário: pré-corte
Mono-fio: neste tipo é possível posicionar vários blocos no solo, com o
fio a deslocar-se ao longo dos carris. O comprimento dos carris é
variável e pode inclusive conter uma ou mais mesas fixas (com ou sem
rotação) para o trabalho em blocos de menores dimensões.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
7
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
8
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
9
Beneficiamento primário: corte
Tear de Lâminas com lama abrasiva
Componentes dos
teares de lâminas
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
10
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
Lâminas utilizadas nos teares para a serragem de rochas ornamentais.
São feitas em aço carbono especial.No Brasil, são encontradas no
mercado com as seguintes dimensões: espessura entre 3,8 e 6,0 mm;
altura entre 90 e 150 mm e comprimento de acordo com as dimensões
do tear em que serão usadas.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
11
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
Lama abrasiva
Composição
- Água (solvente e refrigerante da mistura)
- Cal (lubrificante e espessador da mistura)
- Pó de pedra (auxilia na manutenção da viscosidade da lama)
- Granalha (elemento abrasivo da mistura)
- Esférica (2,0mm> Ø > 0,426mm)
- Angular (2,0mm> Ø > 0,77mm)
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
12
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
Granalhas esféricas e angulares usadas na lama dos teares para a
serragem de rochas ornamentais. Podem ser de ferro ou aço.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
13
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- A lama abrasiva
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
14
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- A laminação
As lâminas de corte
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
15
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- A carga
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
16
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- A carga
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
17
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- A carga
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
18
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O corte
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
19
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O corte
O corte se dá
pela ação
abrasiva da
granalha.
A composição e
a “viscosidade”
da lama abrasiva
são variáveis
importantes no
processo.
Lama: 66, 3% de
água; 3,1% de
granalha; 1,2 %
de cal e 29,4%
de pó de pedra.
A função das lâminas é conduzir o movimento de arraste e
pressionar a lama sobre o bloco; por isso devem ser mantidas
alinhadas e niveladas ao longo do processo.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
20
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O corte
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
21
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O corte
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
22
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O corte
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
23
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O descarregamento
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
24
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas com lama abrasiva
- O descarregamento
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
25
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas diamantadas
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
26
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas diamantadas
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
27
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas diamantadas
- Funcionamento idêntico ao tear de lâminas com lama abrasiva.
- Redução significativa do tempo de corte pois apresentam maior
velocidade de cala.
- Diminuição dos resíduos gerados (quantidade e composição).
- Melhor operação em blocos isentos de trincas e fraturas.
Os dados técnicos da máquina
mostrada à direita estão
listados no próximo slide.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
28
Beneficiamento primário: corte
Tear de lâminas diamantadas
Dados técnicos da máquina marca CIMEF – modelo TD 800
- Dimensões do Tear: 13500 x 5000 x 5500 m (Comp. x Larg. x Alt.)
- Potência Instalada:162cv / 121,5 kw
- Velocidade de Corte:10/40 cm/h
- Golpes por Minuto:90
- Curso da Lâmina:800 mm
- Nº de Lâminas:80
- Quantidade de Água:800 l/min
- Espessura Mínima de Serragem:15 mm
- Dimensões Máximas do Bloco: 3100 x 2000 x 2000 mm (C x L x A)
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
29
Beneficiamento primário: corte
Tear de fios diamantados
São constituídos de uma
estrutura (armação) metálica,
na qual se dispõem de forma
equidistante e tensionados os
fios diamantados, que
realizam um movimento
circular em torno dela.
Esse conjunto armação/fios é
suportado por duas ou quatro
colunas (dependendo do
fabricante e do modelo).
Movimentando-se
verticalmente em sentido
descendente, os fios
diamantados entram em
contato com o bloco
proporcionando o seu
desdobramento em chapas.
Chama-se cala (velocidade de corte) à distância percorrida
na descida do conjunto em função do tempo gasto.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
30
Beneficiamento primário: corte
Tear de fios diamantados
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
31
Beneficiamento primário: corte
Tear de fios diamantados
O fio diamantado é
constituído por um cabo de
aço sobre o qual são fixadas
pequenas peças cilíndricas
diamantadas (pérolas),
distanciadas entre si por um
plástico/borracha especial
injetado a alta pressão. A
pérola diamantada utilizada
no fio apresenta,
aproximadamente, diâmetro
inicial de 6,7mm, tendo sua
utilização finalizada quando
apresentar diâmetro de
5,2mm.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
32
Beneficiamento primário: corte
Cortador de blocos tipo mono-disco
Máquina destinada ao corte
de rochas de dureza média.
Produz chapas de no máximo
60 cm de espessura.
O disco gira a alta velocidade
e possui diamante industrial
incrustado na periferia do
disco. Dimensão do disco: 350
a 500 cm.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
33
Beneficiamento primário: corte
Cortador de blocos tipo multi-discos
A profundidade máxima
possível, no corte de blocos
é de cerca de 1/3 do
diâmetro dos discos.
Usado para produzir tiras e
no aproveitamento de peças
pequenas.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
34
Beneficiamento secundário-polimento
Particularidades
- Polimento é o processo que promove a transformação da
superfície bruta de placas de mármores e granitos em superfícies
polidas;
- Busca conferir à superfície do material: um plano sem
desigualdades nem diferenças de nível, fechamento e brilho.
- Desgaste promovido pelo atrito de rebolos abrasivos em uma
seqüência granulométrica previamente estabelecida, refrigerados
com água em abundância;
-Dividido nas seguintes etapas:
-Levigamento (até abrasivo #120)
-Polimento (a partir do abrasivo #120);
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
35
Beneficiamento secundário-polimento
“Cabeça de polimento” ou “satélite”
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
36
Beneficiamento secundário-polimento
Processo manual
-Pressão e
movimentação
do satélite sobre
a chapa definidas
pelo operador.
-Produtividade
de 2 a 3,5m2.h-1.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
37
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
38
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
-Tipo de movimento, a seqüência de abrasivos e a pressão do
satélite, etc, são programados no painel da máquina.
-A chapa fica fixa em bancadas e a trave promove o movimento
dos satélites sobre a superfície das chapas, de forma automática.
-De 1 a 4 satélites (mais comum, 2).
-Produtividade de 3,5 a 5m2.h-1 por satélite.
-Movimentos padronizados:
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
39
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
Tabela de movimentos sobre a chapa indicado por fabricante de abrasivo
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
40
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
Politriz de ponte móvel sobre bancada fixa
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
41
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
Politriz com várias cabeças de polimento
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
42
Beneficiamento secundário-polimento
Processo semi-automático
Politriz com várias cabeças de polimento
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
43
Beneficiamento secundário-polimento
Processo automático
Politriz multicabeça totalmente automática
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
44
Beneficiamento secundário-polimento
Processo automático
Particularidades:
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
45
Beneficiamento secundário-polimento
Processo automático
-Equipamento composto de vários satélites que promovem desde
o levigamento ao polimento;
-A chapa se movimenta por esteiras no interior do equipamento
onde os satélites se movimentam perpendicularmente a ela;
-Ajuste de pressão e altura dos satélites sobre a chapa controlados
pelo equipamento;
-Pode alcançar produtividades bastante altas, dependendo do
número de satélites.
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
46
Beneficiamento secundário-polimento
Abrasivos de polimento
-Tipos:
-Magnesianos;
-Resinóides;
-Diamantados.
-Série:
- #16 ao #120 - levigamento
- #160 ao #1500 - polimento
- Lustro (abrasivos de alumina)
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
47
Beneficiamento secundário
Tratamentos de superfície: Flameado
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
48
Beneficiamento secundário
Tratamentos de superfície: Apicoado
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
49
Beneficiamento secundário
Tratamentos de superfície: Jateado
UDELAR – URUGUAY
UFRGS – DEMIN - BRASIL
50

similar documents