Índice de Preços ao Consumidor (IPC)

Report
Mercado de Capitais
Indicadores Econômicos
Professor: Roberto César
Indicadores Econômicos: Conceito
Indicadores econômicos são um conjunto de
dados que dão uma idéia da situação da economia
de um país, estado ou município, em determinado
período de tempo.
Indicadores Econômicos: Tipologia
•
•
•
•
•
•
Produto Interno Bruto (PIB),
Produto Nacional Bruto (PNB),
Índice de inflação,
Taxa de Câmbio,
Taxa Selic.
TR.
Produto Interno Bruto (PIB)
O PIB corresponde a soma de tudo o que é
produzido
dentro
de
um
espaço
geográfico,
em
determinado período de tempo, independente de quem o
produziu, seja agente econômico nacional ou estrangeiro.
Produto Nacional Bruto (PNB)
PNB é o resultado de tudo o que foi produzido
pelos agentes econômicos de determinado país, em
qualquer parte do mundo.
Se o PIB considera o que foi feito dentro de um
país, o PNB considera, para seu cálculo, o que foi produzido
pelos agentes econômicos nacionais, localizados em
qualquer parte do mundo
Índices de Inflação
Os índices de inflação correspondem à média das
variações dos preços dos produtos consumidos pelas
famílias, das várias faixas de renda, em diversas regiões
brasileiras.
•
•
•
•
•
Índices Gerais de Preços
Índices de Preços ao Consumidor de São Paulo
IPC - Índices de Preços ao Consumidor
IPCA - índice de Preços ao Consumidor Amplo;
INPC - índice Nacional de Preços ao Consumidor
Índice de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA)
Índice de inflação calculado mensalmente pelo Instituto
Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE. Reflete a variação de
preços das cestas de consumo das famílias com recebimento mensal
de 1 a 40 salários mínimos, qualquer que seja a fonte de renda, nas
regiões metropolitanas de Belém, Fortaleza, Recife, Salvador, Belo
Horizonte, Rio de Janeiro, São Paulo, Curitiba e Porto Alegre, além
de Brasília e Goiânia.
Utilizado
pelo
Banco
Central
do
Brasil
para
o
acompanhamento dos objetivos estabelecidos no sistema de metas
de inflação, adotado a partir de julho de 1999, para balizamento da
política monetária.
Índice de Preços ao Consumidor (IPC)
IPC que é o Índice de Preços ao Consumidor e mede a
variação de preços entre as famílias que percebem renda de 1 a 33
salários mínimos nas cidades de São Paulo e Rio de Janeiro.
• IGP-DI - índice Geral de Preços - Disponibilidade Interna.
O IGP-DI/FGV foi instituído em 1.944 com a finalidade de medir o
comportamento de preços em geral da economia brasileira. É uma média
aritmética, ponderada dos seguintes índices:
• IPA que é o Índice de Preços no Atacado e mede a variação de preços
no mercado atacadista. O IPA ponderada em 60% o IGP-DI/FGV.
• IPC que é o Índice de Preços ao Consumidor. O IPC pondera em 30% o
IGP-DI/FGV.
• INCC que é o Índice Nacional da Construção Civil e mede a variação de
preços no setor da construção civil, considerando no caso tanto
materiais como também a mão de obra empregada no setor. O INCC
pondera em 10% o IGP-DI/FGV.
DI ou Disponibilidade Interna é a consideração das variações de
preços que afetam diretamente as atividades econômicas localizadas no
território brasileiro. Não se considera as variações de preços dos produtos
exportados que é considerado somente no caso da variação no aspecto de
Oferta Global.
8,1121% em 2012
• IGP-M - índice Geral de Preços - Mercado;
O IGP-M quando foi concebido teve como princípio ser um
indicador para balizar as correções de alguns títulos emitidos pelo
Tesouro Nacional e Depósitos Bancários com renda pós fixadas acima de
um ano. Posteriormente passou a ser o índice utilizado para a correção
de contratos de aluguel e como indexador de algumas tarifas como
energia elétrica.
O IGP-M/FGV analisa as mesmas variações de preços
consideradas no IGP-DI/FGV, ou seja, o Índice de Preços por Atacado
(IPA), que tem peso de 60% do índice, o Índice de Preços ao
Consumidor (IPC), que tem peso de 30% e o Índice Nacional de Custo de
Construção (INCC), representando 10% do IGP-M.
7,8119% em 2012
Índice de preços ao consumidor
• chamado de "IPC da FIPE", apurado pela Fundação
Instituto de Pesquisas Econômicas - FIPE, da
Universidade de São Paulo - USP.
• O início de sua apuração data de 1939, porém em nível
municipal, pois abrange apenas a cidade de São Paulo
Taxa de Câmbio
• Taxa de câmbio é o valor que a moeda de um país possui
em relação a outra moeda.
– Mercado de Câmbio: ambiente (físico ou virtual)
onde se realizam as operações de câmbio.
– Política Cambial: conjunto de medidas
governamentais que influenciam no comportamento
do câmbio e na taxa de câmbio.
Câmbio Comercial
• Decorrentes de comércio exterior, ou seja, de
exportação e importação;
• Relacionadas às atividades dos governos, nas esferas
federal, estadual e municipal;
• Relativas aos investimentos estrangeiros no país e aos
empréstimos a residentes sujeitos a registro no Banco
Central;
• Referentes aos pagamentos e recebimentos de serviços.
Câmbio Turismo
• Operações relativas à compra e venda de moeda
estrangeira para o turismo internacional;
• Transferência relacionadas a doações, heranças,
aposentadorias e pensões, tratamento de saúde,
contribuições, etc.
Câmbio Paralelo
• É também chamado de câmbio negro, sendo o mercado
ilegal de divisas estrangeiras.
Regime Cambial
• Grau de intervenção da autoridade monetária
do país no mercado de câmbio.
– Flutuante: a cotação da moeda estrangeira flutua,
conforme o comportamento do mercado.
– Fixo: a cotação não muda.
– Misto (bandas cambiais): as cotações podem flutuar
dentro de determinado intervalo .
Taxa Selic
• SELlC significa Sistema Especial de Liquidação e
Custódia.
• Representa o serviço coordenado pelo Banco Central do
Brasil, destinado à custódia de títulos públicos federais
e de títulos públicos estaduais e municipais, bem como
ao registro e à liquidação de operações com os referidos
títulos.
• Apesar de ser a sigla de um serviço, com o tempo se
tornou nome de taxa. Isso ocorreu porque o mercado
"apelidou" de taxa Selic a taxa média de colocação, no
mercado, dos títulos públicos federais.
Taxa Selic
O Sistema Especial de Liquidação e de Custódia (Selic),
do Banco Central do Brasil, é um sistema informatizado que se
destina à custódia de títulos escriturais de emissão do Tesouro
Nacional, bem como ao registro e à liquidação de operações com
esses títulos.
Mês/Ano
2004
2005
2006
2007
2008
Janeiro
1,27%
1,38%
1,43%
1,08%
0,93%
Mês/Ano
2009
2010
2011
2012
2013
Janeiro
1,05%
0,66%
0,86%
0,89%
0,60%
Viés
• Indica o que pode acontecer entre uma reunião e outra
do Copom. Na prática o viés dá poderes ao presidente
do Banco Central fixar, antes da próxima reunião do
Copom, um novo valor para a taxa Selic no sentido do
viés.
– Viés de Alta
– Viés de Baixa
– Neutro ou sem viés
Fixação da Taxa SELIC
• Fatores Externos: nível de instabilidade e estabilidade,
principalmente das economias emergentes e do EUA.
• Fatores Internos: indicadores de preço, tendência da
inflação, nível de consumo da sociedade.
Título
Os títulos públicos federais são instrumentos financeiros
de renda fixa emitidos pelo Governo Federal para obtenção de
recursos junto à sociedade, com o objetivo primordial de
financiar suas despesas.
Os títulos da dívida pública podem ser emitidos com
duas finalidades principais:
• financiar o déficit orçamentário, nele incluído o
refinanciamento da dívida pública;
• realizar operações para fins específicos, definidos em lei.
A quase totalidade (mais de 95%) dos títulos públicos
federais em circulação, está custodiada no Selic - Sistema
Especial de Liquidação e de Custódia, que é administrado pelo
Banco Central. O restante dos títulos está registrado na Cetip Central de Custódia e de Liquidação Financeira de Títulos.
Alguns Título
Letra do Tesouro Nacional (LTN): Título de rentabilidade prefixada,
definida no momento da compra. Forma de pagamento: no
vencimento.
Nota do Tesouro Nacional (NTN): Título de rentabilidade pós‐fixada (à
exceção da NTN‐F) possuindo diversas séries, cada qual com índice de
atualização próprio (NTN‐A; NTN‐B; NTN‐C; NTN‐D; NTN‐H; NTN‐I;
NTN‐M; NTN‐P; NTN‐R).
Nota do Tesouro Nacional série A (NTN‐A): Título cambial com
pagamento semestral de cupom emitido para troca de títulos da dívida
pública federal externa por títulos da dívida interna com características
semelhantes.
Nota do Tesouro Nacional série B (NTN‐B): Título com rentabilidade
vinculada à variação do IPCA, acrescida de juros definidos no momento
da compra. Forma de Pagamento: semestralmente (juros) e no
vencimento (principal).
Alguns Título
Programa Financiamento Estudantil – FIES: Destina‐se a conceder
financiamento a estudantes regularmente matriculados em cursos
superiores não gratuitos, mediante emissão de Certificados Financeiros
do Tesouro – Série E (CFT–E), específicos para o FIES. Estes títulos são
emitidos para as instituições de ensino que concedem aos estudantes o
benefício da redução nas mensalidades, e devem, preferencialmente,
ser utilizados para pagamento de dívidas das instituições junto ao INSS,
à Receita Federal do Brasil (RFB) e à Procuradoria Geral da Fazenda
Nacional (PGFN), que os resgata antecipadamente junto ao Tesouro
Nacional, contribuindo ainda para melhorar a disponibilidade
financeira desses órgãos/entidades.
Taxa Referencial – TR:
Taxa obtida a partir das médias dos CDBs de 30 dias a taxas
pré‐ fixadas praticadas por bancos comerciais. A TR é ajustada por
meio de um redutor, de modo a adequá-la aos contratos de
poupança e do Sistema Financeiro da Habitação.
1993
2.474,73
2012
0,2897
Curiosidades
O Meio Circulante Nacional:
As cédulas e moedas metálicas (inclusive as
comemorativas) do padrão monetário Real, que estão em poder
do público e da rede bancária, constituem o meio circulante
nacional, cuja composição é a seguinte:
Fonte: http://www4.bcb.gov.br/adm/mecir/Resposta.asp
Referência Bibliográfica
FERREIRA,
Ricardo
J.;
Sistema
Financeiro
Nacional
http://www.editoraferreira.com.br/publique/media/01SFN.pdf
LAGIOIA, Umbelina Cravo Teixeira; Fundamentos do Mercado de
Capitais; Atlas
PORTAL DO INVESTIDOR; http://www.portaldoinvestidor.gov.br
BANCO CENTRAL DO BRASIL; http://www.bcb.gov.br

similar documents