Modernismo - (3ª Fase) - Por dentro da obra

Report
Modernismo - (3ª Fase) –
Visão Geral
 Início: 1945
 Também chamada de “PósModernismo”
 A fase da “Reflexão” e da
“Ponderação” com a linguagem
Se opunha a 1ª fase do modernismo e
por isso era ridicularizada com o apelido
de “neoparnasianismo”
 A partir dos anos 50,preferiu-se atribuir
ao modernismo o status de estilo
contemporâneo
Modernismo - (3ª Fase) –
Contexto Histórico
• No Mundo:
 1939 a 1945: Segunda Guerra Mundial
 Pós-Guerra
• No Brasil:
 Getúlio Vargas no poder
1930 a 1934:
Governo provisório
1934 a 1937: Governo
constitucional
 1942: Participação da
FEB e FAB na Segunda Guerra 1937 a 1945:
Estado novo
 Desenvolvimento da
Industrialização
 1951 a 1954: Getúlio voltar ao poder
Modernismo - (3ª Fase) –
Características
• Na prosa:
 Investigação psicológica das personagens e
seus conflitos íntimos;
 A ação e o enredo perdem importância em
favor das emoções, estados mentais e reações
das personagens;
A literatura torna-se cada vez mais subjetiva,
interiorizada e abstrata, constituída de
experiências mentais;
 Normalmente, o autor não faz o retrato do
personagem: este vive e o leitor o conhece e
julga.
Modernismo - (3ª Fase) –
Características
• Principais autores:
Clarice Lispector
João Guimarães
Rosa
Modernismo - (3ª Fase) –
Características
• Na poesia:
 Maior apuro do verso;
 Mais ênfase na palavra, no ritmo, na
rima;
 Tendência para uma arte mais racional,
cerebral, às vezes até hermética;
 Busca do regionalismo temático e do
universalismo;
 Caráter “engajado” da poesia.
Modernismo - (3ª Fase) –
Características
• Principal autor:
João Cabral de Melo Neto
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
Morte e Vida Severina
auto de Natal Pernambucano
João Cabral de Melo Neto
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Personagens:
 Severino – Um retirante nordestino que
parte da serra para o litoral em busca de
melhores condições de vida.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
Ano de publicação: 1956
Gênero: Poesia drámatica
Temas: Morte, vida, seca, miséria
Divisão da obra: 18 cenas
Local: Pernambuco (Sertão, Litoral
– Recife)
Narração: 1ª Pessoa
 Auto: peça breve, de cunho
religioso, pedagógico ou moral;
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Personagens/Religiosidade:
 Estrela-guia = rio-guia
 Pastores = severinos
 Reis magos = os moradores que levam os
presentes às crianças
 José (carpinteiro, pai de Jesus) = José,
mestre carpina, pai da criança que nasce
 Cristo = criança (esperança de vida)
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Enredo:
 Conta a história do retirante Severino
que parte do sertão para o litoral.
S
E
R
T
Ã
O
Morte
Vida
L
I
T
O
R
A
L
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Enredo:
 Como guia, Severino tem o Rio Capibaribe,
mas, durante o percurso, só encontra morte e
miséria.
 Ao chegar a Recife, a decepção: também lá há
muita morte e tristeza.
 Resolve, então, "saltar fora da ponte e da vida",
atirando-se no Capibaribe; enquanto conversa
com o mestre José carpina, uma mulher avisa
que o filho (de José) “saltou para dentro da
vida" (nasceu).
 O nascimento da criança devolve-lhe a
esperança de vida, mesmo que seja uma vida
severina.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Estrutura:
18 partes
Grupo I - Cap. 1-12 (cenas de
morte) = Severino sai da serra
e vai para Recife, seguindo o
Rio Capibaribe. Vai para fugir
da morte, mas a encontra por
todo o caminho, para seu
desespero.
GRUPO II - Cap. 13-18
(presépio) = é descrito o
nascimento do filho de José,
mestre carpina, uma alusão feita
ao nascimento de Jesus.
 Versos com 7 sílabas poéticas (redondilha
maior), muita sonoridade, muita rima.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo I – Morte
1. O retirante explica ao leitor quem é e a que
vai.
“O meu nome é Severino,
[...] Somos muitos
como não tenho outro de
Severinos
pia.
iguais em tudo na vida:
Como há muitos
na mesma cabeça grande
Severinos,
que a custo é que se
que é santo de romaria,
equilibra, no mesmo
deram então de me
ventre crescido sobre as
chamar
mesmas pernas finas
Severino de Maria
e iguais também porque o
como há muitos Severinos
sangue,
com mães chamadas
que usamos tem pouca
Maria,
tinta”. [..]
fiquei sendo o da Maria
do finado Zacarias. [...]
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo I – Morte
2. Encontra dois homens que carregam um
defunto em uma rede.
3. O retirante tem medo de se perder porque
seu guia, o Rio Capibaribe secou com o
verão.
4. Na casa a que o retirante chega estão
cantando excelências (cantigas de velório
sem acompanhamento musical) para um
defunto.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo I – Morte
5. Cansado da viagem, Severino pensa
interrompê-la por uns instantes e procurar
trabalho ali onde se encontra.
6. Dirige-se à mulher na janela que depois
descobre tratar-se de quem se saberá
(rezadeira).
7. O retirante chega à Zona da Mata que o faz
pensar, outra vez, em interromper a viagem.
8. Assiste ao enterro de um trabalhador de eito
e ouve o que dizem do morto os amigos que
o levaram ao cemitério.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo I – Morte
9. O retirante resolve apressar os passos para
chegar logo ao Recife.
10.Chegando ao Recife, o retirante senta-se
para descansar ao pé de um muro alto e
caiado e ouve, sem ser notado, a conversa de
dois coveiros.
11. O retirante aproxima-se de um dos cais do
Capibaribe.
12. Aproxima-se do retirante o morador de um
dos mocambos que existem entre o cais e a
água do rio.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo II – Presépio (Vida)
13. Uma mulher, da porta de onde saiu o
homem, (José) anuncia-lhe o nascimento
do filho.
14. Aparecem e se aproximam, da casa do
homem, vizinhos, amigos, duas ciganas,
etc.
15. Começam a chegar pessoas trazendo
presentes para o recém-nascido.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Grupo II – Presépio (Vida)
16. Falam as duas ciganas que haviam
aparecido com os vizinhos.
17. Falam os vizinhos, amigos, pessoas que
vieram com presentes, etc.
18. (conclusão) O carpina fala com o
retirante que esteve de fora, sem tomar
parte em nada.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
ANÁLISE DA
OBRA
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
A história é narrada em primeira pessoa,
pelo personagem Severino e é composta de
monólogos e diálogos com outros
personagens.
SEVERINO
LINGUAGEM Sinônimo (no texto) de
desgraça, miséria, fome
e morte; diminutivo de
NARRAÇÃO Linguagem concisa
com expressões
“severo”.
populares e musicalidade; traços
orais, rimas e repetições.
ESPAÇO
Movimento de deslocamento:
Agreste
Caatinga
Zona da mata
Recife - ele sai da serra (Serra da
Costela) e vai para o litoral, para Recife.
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
OPINIÃO
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
• Quais os principais aspectos da obra?
• No que o contexto histórico Mundial e
nacional podem ter influenciado o
autor?
• Por quê a escolha do título “Morte e
Vida Severina”?
• O que representa o nascimento do
filho de José, mestre carpina?
Modernismo - (3ª Fase) - Por
dentro da obra
Questionário
Modernismo - (3ª Fase) Questionário
1)
(FUVEST) É correto afirmar que em Morte e Vida
Severina:
a) A alternância das falas entre ricos e pobres , em contraste,
imprime a dinâmica geral do poema o ritmo da luta de
classes.
b) A visão do mar aberto, quando Severino finalmente
chega ao Recife, representa para o retirante a primeira
afirmação da vida conta a morte.
c) O caráter de afirmação da vida, apesar de toda miséria,
comprova-se pela ausência da idéia de suicídio.
d) As falas finais do retirante, após nascimento de seu filho,
configuram o “momento afirmativo”, por excelência, do
poema.
e) A viagem do retirante, que atravessa ambientes menos e
mais hostis, mostra-lhe que a miséria é a mesma, apesar
dessas variações de meio físico.
Modernismo - (3ª Fase) Questionário
2)
(PUC-SP) João Cabral de Melo Neto é o poeta do
Modernismo que se salienta pelo constate combate
ao sentimentalismo. “É o engenheiro da poesia”.
Busca concisão e precisão nos seus poemas. No
entanto, num terreno oposto faz poesia de
participação. Um poema seu, divulgado como peça
teatral, justamente realiza uma análise social do
homem nordestino, porém sem arroubos
sentimentais. O poema em causa é:
a)
b)
c)
d)
e)
Invenção de Orfeu
Morte e Vida Severina
Jeremias sem chorar
Brejo dos almas
n. d. a.
Modernismo - (3ª Fase) Questionário
3) (CEFET) Leia as seguintes afirmações sobre Morte e Vida
Severina:
I) O nascimento do filho do compadre José é antagônico em
relação aos outros fatos apresentados na obra, já que esses são
marcados pela morte.
II) Podemos dizer que o conteúdo é completamente
pessimista, considerando-se que a jornada é marcada pela
tragédia da seca, o que leva Severino à tentativa de suicídio.
III) Mais do que a seca, as desigualdades sociais do Nordeste
são o tema da obra.
Assinale a alternativa correta sobre as afirmações:
a) Somente I e II estão corretas.
b) Somente I e III estão corretas.
c) Somente II e III estão corretas.
d) As três estão corretas.
e) As três estão incorretas.

similar documents