Prevenção primária no caso de uma erupção vulcânica

Report
Universidade de Évora
Mestrado integrado em Medicina Veterinária
U. C.: MVT1481 – Medicina Preventiva e Saúde Pública
Prevenção primária e secundária no
caso de uma erupção vulcânica na
Ilha do Pico
Intervenção médico-veterinária
Docentes:
Professora Cristina Queiroga
Professora Eduarda Potes
Professora Manuela Vilhena
Professor Raúl Vargas
Discentes:
Sabrina Guerreiro nº 23010
Ulla Diesing nº 21490
Descrição da Ilha do Pico
• População: 14 923 habitantes (2010)
• Área: 447 km2
• Infraestruturas:
– Aeroporto moderno
– Porto com ligações marítimas várias
– Rede rodoviária ampla
[D] [E] [F]
[M]
Análise do risco
1.
2.
3.
4.
Identificação do risco
Avaliação do risco
Gestão do risco
Comunicação do risco
[L]
1. Identificação do perigo
•
•
•
•
•
•
Erupção vulcânica
Terramotos
Tsunamis
Lahares (fluxos piroclásticos)
Incêndios
Nuvens de poeiras e gases (tóxicas)
kaylietabor.edu.glogster.com/tsunami/
geographystudent.blogspot.pt/2012/03/volcanichazards-and-management.html
[K] [N]
desastresaereosnews.blogspot.pt/2010_04_16_archive.htm
2. Avaliação do risco
• Identificação das populações em risco:
– Habitantes da ilha
– Fauna doméstica
– Fauna selvagem
img240.imageshack.us/img240/9717/09fev
2005005lg1.jpg
ipt.olhares.com/data/big/6/61564.jpg
noticiasacores.blogspot.pt/2011/06/esclarecim
ento-da-secretaria-regional_03.html
• Determinação da probabilidade de ocorrência
e exposição:
– Em função da monitorização vulcânica
[L]
2. Avaliação do risco - continuação
• Determinação do impacto ou consequências
da sua ocorrência
– Morte
– Intoxicação
– Traumas físicos e psicológicos
– Impacto económico
– Impacto ecológico
– Impacto edáfo-climático
[K] [L] [N]
2. Avaliação do risco - continuação
• Estimativa final do risco
– Depende da situação passada (data da última
erupção) e da situação atual (ex: atividade
sísmica)
Na nossa opinião, estimamos que o risco de
ocorrência é baixo a ligeiro (improvável a baixa
probabilidade), podendo, no entanto, alterar-se
em qualquer momento, em função das
observações vulcânicas realizadas.
[L]
3. Gestão do risco
• Estimativa do risco é Alta (relação
risco/consequências)
• Prevenção primária e secundária
Adaptado de: “Análisis de riesgo: guía práctica” em http://www.oirsa.org/aplicaciones/subidoarchivos/BibliotecaVirtual/GuiaAnalisisRiesgoOIRSAOIE.pdf
[B] [L]
Prevenção primária
• Medidas de previsão baseadas na
monitorização vulcânica:
– Geodésica – deformações no cone vulcânico
– Geofísica – deteção de atividade sísmica
– Geoquímica – observação de alterações da
composição de gases emanados
[H] [I] [N]
Prevenção primária
• Centros de observação vulcânica:
– CVARG – Centro de Vulcanologia e Avaliação de
Riscos Geológicos
– CIVISA - Centro de Informação e Vigilância
Sismovulcânica dos Açores
[C] [J]
Prevenção primária
• Ações de formação de bombeiros e GNR
• Realização de simulações
img0.rtp.pt/icm//thumb/phpThumb.php?src
=/images/c2/c235057b94c922ada0beeaeb4
65e85e5&w=290&sx=0&sy=0&sw=368&sh=
274&q=75&w=500
www.rtp.pt/acores/index.php?article
=9105&visual=3&tm=10&layout=10
Prevenção secundária
• Existem várias pequenas explorações com:
–
–
–
–
–
37,9 bovinos
21,6 vacas leiteiras
3,9 suínos
5,8 ovinos
3,7 caprino
• Nº de efetivos pecuários
–
–
–
–
–
19667 bovinos
3992 suínos
1264 caprinos
415 equinos
27216 aves
[A]
Prevenção secundária
• Haverá sempre uma janela de tempo de atuação
antes da erupção devido à prevenção primária
• Relativamente aos animais:
– Seleção e evacuação de animais com grande potencial
genético/ valor comercial (impossibilidade de desocupar todos)
– Evacuação conjunta dos animais de companhia com os
proprietários
– Considerar abate de emergência dos restantes efetivos
pecuários para consumo
[G] [L]
Prevenção secundária - continuação
• Ações de resposta imediata
– Elaboração e disponibilização de planos de emergência
simples, flexíveis, dinâmicos, adequados, precisos
• Ações de recuperação
– Em função das condições locais, após realização de
análises tais como:
• Qualidade de água e ar
• Qualidade e estabilidade edáfica
– Repopulação das zonas habitáveis
– Indemnização dos produtores pelas perdas
[G] [L]
4. Comunicação do risco
• Comunicação entre investigadores (centros de
observação) e gestores de risco
• Alerta da população deve incluir diretivas do que
fazer antes e durante através dos meios de
comunicação social (rádio, tv, jornais, internet, etc.)
• Estabelecimento de níveis de alerta em função da
atividade vulcânica
[L]
Bibliografia
[A] “Anuário Estatístico da Região Autónoma dos Açores, 2010” em Serviço Regional de
Estatística dos Açores.
[B] “Análisis de riesgo: guía práctica” em
www.oirsa.org/aplicaciones/subidoarchivos/BibliotecaVirtual/GuiaAnalisisRiesgoOIRSA
OIE.pdf
[C] “CIVISA” em www.cvarg.azores.gov.pt/civisa/Paginas/home-civisa.aspx
[D] “Ilha do Pico” em pt.wikipedia.org/wiki/Ilha_do_Pico
[E] “Pico” em acoresdesonho.no.sapo.pt/Pico.htm
[F] “Pico – A ilha montanhosa!” em www.azores-islands.info/p/places/pico/pico.html
[G] “Plano de Segurança e Emergência” em
escolas.edu.azores.gov.pt/ebirg/images/stories/documentos/pse.pdf
[H] “PREVISÃO DE ERUPÇÕES VS MONITORIZAÇÃO VULCÂNICA” em
geocrusoe.blogspot.pt/2009/06/previsao-de-erupcoes-vs-monitorizacao.html
[I] “Previsão e prevenção da atividade vulcânica” em www.infopedia.pt/$previsao-eprevencao-da-actividade-vulcanica
[J] “Riscos de origem tectónica” em
www.inag.pt/inag2004/port/a_intervencao/planeamento/pra/pdf/relat/2.pdf
[K] “The 1991 Eruption” in “Mount Pinatubo” em en.wikipedia.org/wiki/Mount_Pinatubo
[L] Vargas, R. Análisis de riesgo. PDF da disciplina de Medicina Preventiva e Saúde Pública.
[M] “VOLCANIC ASH HAZARD TO AVIATION FROM THE AZORES” em
www.paris.icao.int/Met/Volc_Ash/VA_awareness_workshop/Volcanic%20Ash%20hazar
d%20to%20aviation%20in%20the%20Azores%20-%20CIVISA.pdf
[N] “Vulkan” em de.wikipedia.org/wiki/Vulkan
Obrigada pela atenção!
http://www.holidaycheck.de/data/urlaubsbilder/images/139/1157412421.jpg

similar documents