aula teórica 10 sistema cardiovascular

Report
UPCII M Microbiologia
Teórica 10
2º Ano
2012/2013
1
T10-MJC
17-10-2012
Sumário

Capítulo VII. Desiquilíbrios do sistema cardiovascular





2
Bacterémia, septicémia e sepsis
Infecções do coração
Profilaxia das infecções do sistema cardiovascular
Próteses
Infecções veiculadas pelo sistema circulatório
T10-MJC
17-10-2012
Bacterémia, Sépticémia e Sepsis
Assintomática, transitória.
Provoca febre, hipotensão e tremores devidos à
multiplicação dos microrganismos na corrente sanguínea.
Resposta sistémica a produtos microbianos mediada por
citocinas.



3
T10-MJC
17-10-2012
Bacterémias por G(+)
Muito comuns antes dos antibióticos:


Staphylococccus e Streptococcus
Agora são mais comuns as provocadas por:


Pseudomonas aeruginosa, Bacteroides, Klebsiela, Proteus,
Enterobacter
O diagnóstico é feito por cultura de amostras de sangue,
cateters, urina que devem estar estéreis.

4
T10-MJC
17-10-2012
Factores de predisposição para septicémia



SI pouco
competente
Instrumentação
ou cirurgia
Sépsis localizada
5
Factor
Agente
Sépsis Abdominal
Enterobacteria
Bacteroides fragilis
Streptococcus fecalis
Feridas e queimaduras
infectadas
Staphylococcus aureus
Streptococcus pyogenes
Enterobacteria
Osteomilite
Pneumonias
Staphylococcus aureus
Streptococcus pneumoniae
Próteses intravasculares
Staphylococcus aureus
Staphylococcus epiderdimis
Enterobacteria
Intoxicação alimentar
Salmonella
Campylobacter
Meningite
Streptococcus pneumoniae
Neisseria meningitidis
Haemophilus influenzae
Imunosupressão
Enterobacteria
T10-MJC
17-10-2012
Staphylococcus
aureus, etc
Patologia reumática
Infecção por Streptococci beta-hemoliticos.
Pessoas com alterações dos HLA
parecem ser mais propensas ao aparecimento
da febre reumática
6
T10-MJC
17-10-2012
Infecções do coração
Aortite
Miocardite
Endocardite infecciosa
Pericardite




7
T10-MJC
17-10-2012
Etiologia
Turbulência  Plaquetas e Fibrina (trombos)  Adesão
microbiana  Êmbolos  Sintomas clínicos

8
T10-MJC
17-10-2012
Formação de trombos em EI
9
T10-MJC
17-10-2012
Factores de predisposição








10
Doença reumática
Válvulas cardíacas prostéticas
Patologia cardíaca congénita (alterações das válvulas)
Defeitos do septo cardíaco
História prévia de endocardite
Cirurgia cardíaca prévia (by-pass coronário)
Transplantados
Utilizadores de drogas por via IV
T10-MJC
17-10-2012
Características clínicas de endocardite




Infecção das válvulas
Embolização de órgãos
Bacteremia
Circulação de factores
imunogénicos  resposta
inflamatória






11
Febre
Murmúrio cardiaco
Êmbolos
Manifestações dérmicas
(ptéquias)
Aumento do baço
(esplenomegália)
Complicações sépticas
(meningite, pneumonia)
T10-MJC
17-10-2012
Microbiologia da Endocardite infecciosa
Grupo
Espécies
OBS
Viridans Strep. oralis, S.
sanguinis, S. mitis, S. gordonii e
S. parasanguis
40-50% casos.
De onde são característicos?
Enterococcus fecalis
Após infecção genitourinária
Strep. bovis
Após infecção gastrointestinal
Strep.pyogenes
Raro
Staph. aureus
Frequente. Infecção rápida e letal.
Staph. Coagulase negativos
Depois de cirurgia cardiaca
Fungos
Candida albicans
Válvulas prostéticas e UDI
Outros
Rickettsia burnetti
Anaeróbios
Raro
Streptococci
Enterococci
Staphylococci
17-10-2012
T10-MJC
T-15
12
Factores de virulência dos MO associados

Produção de exopolissacárido extracelular


Produção de proteínas de adesão à matriz extracelular:


Strep. mutans
Enterococcus fecalis
Estímulo de agregação plaquetária


13
Acumulação de colagénio,  Activação do factor de
Willebrandt  acumlação das plaquetas
Gspb/HSA à superfície de Streptococci ligam-se ao ácido siálico
da superfície das plaquetas (Ib) levando à activação do factor
Willebrandt
T10-MJC
17-10-2012
Factores de virulência dos MO associados

Adesão à fibronectina


Adesão ao fibrinogénio



FnBPA e FnBPB em Staph aureus
ClfA em Staph. aureus
Libertação de TFA que leva à produção de trombina que
converte fibrinogénio em fibrina
Proteínas ligadoras de iões metálicos (FimA, SloA, ScaA)

14
Streptococci do grupo viridans
T10-MJC
17-10-2012
Diagnóstico Microbiológico

Cultura



Antibioterapia
Serológico
Molecular
15
T10-MJC
17-10-2012
Prevenção da endocardite infecciosa


Manutenção de saúde oral
Profilaxia antimicrobiana
Profilaxia quando:
 Há válvulas prostéticas
Não fazer profilaxia quando há:
× Radiografia intraoral
 Há defeitos congénitos não corrigidos × Lesões com sangramento dos lábios ou
ou com correcção há < 6 meses
mucosa oral
 Em transplantados cardíacos com
patologia valvular
× Colocação e manutenção de aparelhos
prostéticos ou ortodônticos
 Há história prévia de Endocardite
Infecciosa
× Exfoliação de dentes decíduos
× Anestesia por injecção em tecidos não
infectados
16
T10-MJC
17-10-2012
Próteses


Próteses internas sejam elas intra vasculares ou
articulares requerem sempre cuidados adicionais e
constituem risco para EI
São factores de endotelização, formação de coágulos e
êmbolos que propiciam a adesão microbiana.
17
T10-MJC
17-10-2012
Infeções do Sistema circulatório e linfático
18
T10-MJC
17-10-2012
Bibliografia
Capítulo 24
Actualização das guidelines para profilaxia da endocardite infecciosa na pasta do Molar
19
T10-MJC
17-10-2012

similar documents