CEAV - Macroeconomia - CESPE -Gabarito

Report
CEAV
Macroeconomia – BACEN - CESPE
Prof. Antonio Carlos Assumpção
1) Economista – Min. da Saúde - 2013
• No que se refere ao modelo IS/LM, julgue os
próximos itens.
• 59 - Na situação de armadilha da liquidez, o Banco
Central do Brasil perde sua capacidade de estímulo à
economia por meio do canal dos juros,
permanecendo, contudo, capaz de influenciar a
economia pelo canal monetário. C
• 60 - O aumento exógeno da incerteza gera a redução
da taxa de juros e da renda de equilíbrio. E
• 61 - O aumento dos gastos do governo gera o
aumento da renda e da taxa de juros de equilíbrio.C
• 62 - O aumento da quantidade ofertada de moeda
gera a redução da taxa de juros e da renda de
equilíbrio. E
2) Economista – Min. da Saúde - 2013
• Com relação ao sistema de contas nacionais e às
identidades macroeconômicas, julgue os itens
subsequentes.
• 63 - Ao somar o produto pela ótica dos fatores de
produção, obtém-se o produto interno bruto a
preços de mercado. E
• 64 - Se a poupança externa de um país for
positiva, esse país apresenta, necessariamente,
déficit na balança comercial. E
• 65 - Em uma economia fechada, o produto
nacional bruto é igual ao produto interno bruto. C
3) Economista – Min. da Saúde - 2013
• Julgue os itens a seguir, relativos às contas do
sistema monetário.
• 66 - O multiplicador monetário é igual à razão
entre os depósitos à vista em bancos comerciais
e o papel moeda em poder do público. E
• 67 - Um aumento do produto interno bruto real
aumenta a demanda por moeda na forma do M1. C
• 68 - A base monetária é igual ao papel moeda
em poder do público. E
4) Economista – Min. da Saúde - 2013
• Acerca das relações entre inflação, salário e
desemprego, conforme a abordagem keynesiana,
julgue os próximos itens.
• 69 - De acordo com a Lei de Okun, o aumento
do produto de equilíbrio gera o aumento do
desemprego. E
• 70 - O aumento dos benefícios pagos aos
empregados na forma de seguro desemprego
tende a aumentar a taxa natural de desemprego. C
5) Economista – Min. da Saúde - 2013
• Com relação às políticas econômicas em geral e à
participação do setor público na economia, julgue os
itens que se seguem.
• 78 - Sabendo-se que , M  
1 c
B
1  r 
,
em que: M – meios de pagamento; B – base
monetária; c – taxa de retenção de moeda pelo
público; r – taxa de reservas bancárias, é correto
afirmar que a expansão dos meios de pagamento
depende diretamente da expansão da base monetária
e da taxa de retenção de moeda pelo público, e
inversamente da taxa de reservas bancárias. E
• 79 - Os formuladores de políticas econômicas
habitualmente têm de fazer escolhas que podem
variar de acordo com a ênfase atribuída a diferentes
objetivos. Quando, por exemplo, a economia se
aproxima do pleno emprego dos recursos, e esses
passam a escassear, os custos de produção tenderão
a aumentar, com repasse para os preços,
principalmente se houver pouca concorrência. O
impacto inflacionário, entretanto, poderá ser
amenizado de acordo com o grau de abertura da
economia,
ou
se
estiver
ocorrendo,
simultaneamente, aumento da produtividade. C
6) Economista – Banco da Amazônia - 2010
• Acerca de macroeconomia aberta, câmbio e balanço
de pagamentos, julgue os itens subsequentes.
• 87 - Em uma economia aberta com cambio fixo e
livre mobilidade de capitais, uma política monetária
expansionista levará à fuga massiva de capitais
dessa economia. E ?
• 88 - Uma economia com câmbio flutuante e política
fiscal expansionista terá como resultado final um
impacto nulo sobre o produto dessa economia. X
• 89 - Em uma economia com livre mobilidade de
capitais e câmbio flutuante, uma política monetária
expansionista levará à desvalorização cambial dessa
economia, porém com redução da renda nacional. E
7) Economista – MTE - 2008
• A teoria macroeconômica analisa o comportamento
dos grandes agregados econômicos. Utilizando os
conceitos básicos dessa teoria, julgue itens que se
seguem.
• 71 - A renda auferida pelos brasileiros que
trabalham no Japão é contabilizada no PIB e na
renda nacional bruta. E
• 72 - A decisão recente do Bacen de reduzir a
alíquota dos depósitos compulsórios sobre os
depósitos à vista contribui para elevar a oferta de
moeda. C
• 73 - Se, em razão da recessão mundial, as famílias
decidirem elevar seus depósitos de poupança para se
precaverem das incertezas geradas pela crise,
ocorrerá um aumento dos agregados monetários M2
e M3. C
• 74 - Supondo-se que, em resposta à deterioração
das expectativas dos empresários, sumariadas pela
redução substancial do índice de confiança do
empresário na indústria em outubro de 2008, o
governo brasileiro decida elevar a oferta monetária
para manter a demanda agregada, então, a curva LM
se deslocará para cima e para a direita, porém, a
curva IS permanecerá inalterada. E
• 75 - Políticas fiscais expansionistas baseadas e
redução de impostos elevam mais a demanda
agregada do que aquelas que implicam aumentos
equivalentes dos gastos públicos e esses aumentos
serão maiores, quanto menores forem a propensão
marginal a poupar da economia. E
• 76 - Considerando que as empresas exportadoras
brasileiras dependam fortemente de linhas de
crédito internacionais para viabilizar suas vendas
externas, então a contração desse tipo de crédito
desencadeada pela atual crise norte-americana
desloca a curva de demanda agregada da
economia brasileira para baixo e para a esquerda. C
• 77 - A forte redução do preço do petróleo nos
mercados internacionais, ocorrida recentemente,
desloca a curva de oferta agregada da economia
brasileira para baixo, contribuindo, assim, para
elevar a produção e reduzir a taxa de inflação. C
• 78 - Na visão keynesiana, a coexistência entre taxas
elevadas de inflação e de desemprego, nas décadas
de 80 e 90 do século passado, explica-se não
somente pelas expectativas de altas dessas duas
variáveis, mas também pela ausência, mesmo no
curto prazo, de um trade-off entre inflação e
desemprego. E
• 79 - No modelo clássico, aumentos da taxa de
inflação geram excesso de demanda de trabalho,
elevam o salário nominal e, conseqüentemente, os
custos das empresas, porém, não alteram os níveis
de longo prazo da produção e do emprego. E: ?
• 80 - Aumentos nas taxas de juros que incidem
sobre a dívida pública elevam as necessidades de
financiamento do setor público (NFSP) no conceito
nominal, porém, não alteram o resultado primário
do setor público. C
8) Economista – MPU - 2010
• Julgue os itens que se seguem acerca do modelo IS-LM, identidades
macroeconômicas básicas e sistema de contas nacionais no Brasil.
• 86 - Um superávit em transações correntes implica poupança
externa negativa. C
• 87 - Modificações no consumo autônomo, devido a mudanças no
estado de confiança dos consumidores, podem levar a
deslocamentos da curva IS. C
• 88 - Na armadilha da liquidez a demanda por moeda é insensível à
taxa de juros. E
• 89 - Um país com 200 bilhões de produto nacional bruto a custo de
fatores (PNBcf), 10 bilhões em impostos indiretos, 5 bilhões em
subsídios e 3 bilhões em renda líquida enviada ao exterior (RLEV)
tem 213 bilhões como produto interno bruto a preços de mercado. E
• 90 - Considera-se poupança bruta, a soma da poupança do setor
privado, da poupança do governo e da poupança externa. E
9) Economista – MPU - 2010
• Julgue os itens subsequentes acerca dos agregados
monetários, das contas do sistema monetário, da
política monetária e da relação entre taxas de juros,
inflação e resultado fiscal.
• 99 - A neutralidade da moeda em termos reais não
se aplica no longo prazo. E
• 100 - Efeito Fischer é o ajuste da taxa de juros real à
taxa de inflação. E
• 101 - Uma economia inflacionária faz com que a
moeda perca sua característica de meio de troca. E
• 102 - Uma economia com 100 unidades monetárias
em depósitos à vista e com uma taxa de compulsório
de 10% sobre tais depósitos faz com que os bancos
dessa economia multipliquem a moeda e ofertem
1.000 unidades monetárias. C
10) Economista – MPU - 2010
• Acerca da relação existente entre o comportamento do
mercado de trabalho e o nível de atividade e da relação
existente entre salários, inflação e desemprego, julgue os
itens a seguir.
• 103 - A curva de oferta de mão de obra é descendente por
causa do produto marginal decrescente. E
• 104 - Imigração, mudança nas preferências do trabalhador e
mudanças tecnológicas deslocam a curva de oferta de mão de
obra. E
• 105 - A curva de Phillips mostra as combinações de inflação
e desemprego que surgem dos deslocamentos da demanda
agregada ao longo da oferta agregada. C
• 106 - No longo prazo, a curva de Phillips é vertical. C
• 107 - Quando uma empresa competitiva contrata
trabalhadores até o ponto em que o valor do produto
marginal é igual ao salário, ela também produz até o ponto
em que o preço é igual ao custo marginal. C

similar documents