Apresentação do PowerPoint - União Sul-Brasileira

Report
Pr. Kerlon Wolff
Capelão do Colégio Adventista de Viamão/RS,
pertencente à Associação Sul Riograndense
“E o que de minha parte ouvistes através de muitas
testemunhas, isso mesmo transmite a homens fiéis
e também idôneos para instruir a outros”.
II Timóteo 2:2.
1.
Identificar os princípios comuns no trabalho de Jesus, dos
apóstolos e de Paulo, confirmando a importância de sistematizar o
trabalho em equipe, com planejamento e organização.
2.
Destacar a necessidade de envolver o maior número de pessoas
desde a fase de planejamento do programa missionário da igreja,
e mantê-la constantemente informada do que está acontecendo.
3.
Conscientizar a liderança de que a união dos crentes em torno de
metas missionárias comuns não é apenas a prioridade dos planos
da igreja, mas que o processo não termina no batismo. É preciso
ainda mais comprometimento na conservação dos novos na fé, ou
o esforço evangelístico resultará em pouco crescimento real da
Igreja.
A ordem de Cristo, de ir e pregar o evangelho
pertence a todos os membros da igreja, não apenas
à liderança ou aos ministros. Para que a igreja se
envolva de modo responsável, realizando a missão
de modo organizado, a Bíblia oferece exemplos
bem claros da importância e das vantagens do
trabalho em equipe.
DOMINGO
Já ouviu falar do princípio 80/20? O que ele
afirma, é que a maior parte do trabalho é realizado
por uma minoria. Isso se confirma na igreja, onde
apenas alguns realizam efetivamente a missão,
testemunhando na prática e ganhando almas. O
autor afirma que “as pessoas muitas vezes não
sabem o que sua igreja está planejando, nem em
que direção trabalha.” Então, até que ponto este é
apenas um problema de comunicação? Não seria
uma questão de foco?
 Se nossas igrejas estiverem focadas em Eventos, é provável que o programa
missionário fique em segundo plano, não recebendo tanta divulgação.
 Apenas o reavivamento pessoal, a verdadeira conversão, pode nos tirar do circuito
de uma “cultura de consumo” adventista, que se torna um fim em si mesmo, o que
definitivamente, não é o plano de Deus para a Igreja.
 Se o problema está na comunicação, apenas, nossas congregações deveriam
buscar a maior eficiência possível em divulgar suas metas, estratégias e notícias
missionárias locais. Os membros precisam conhecer o programa de testemunho e
evangelismo da igreja. Boletim da Igreja, Jornal JA, twitter, mensagens, e-mails,
redes sociais, tudo deve ser usado na divulgação do programa missionário.
 Como fizeram espontaneamente Lídia e o Carcereiro de Filipos, muitos membros
de nossas igrejas estarão dispostos a contribuir com sua hospitalidade e recursos
de apoio, desde que estejam informados da importância de sua participação no
processo de ganhar almas. Um exemplo muito prático é a logística da Missão
Calebe, onde a Igreja local oferece apoio indispensável para o sucesso do projeto.
SEGUNDA-FEIRA
Alcançar e manter o equilíbrio emocional,
autoestima positiva, motivação e otimismo em
relação ao futuro, são desafios constantes na vida
de membros e líderes da igreja, que vivem numa
sociedade exigente e ao mesmo tempo
indiferente. Não seria interessante considerarmos
o fator “convite pessoal” como indispensável para
aumentar o envolvimento dos membros no
processo de planejamento? Este frequentemente
envolve poucas pessoas. Seria muito melhor
envolver um grupo maior desde o início.
 O Manual da Igreja recomenda o planejamento e o estudo de estratégias
para o avanço da pregação do evangelho como prioridade na pauta da
Comissão da Igreja. Esse processo só será completo se envolver alvos,
metas, estratégias e constante avaliação. Também é responsabilidade da
comissão divulgar o programa missionário e as notícias recentes.
 Quanto mais pessoas estiverem envolvidas no processo de planejamento
e na criação de metas e estratégias, maior será o comprometimento na
implementação destas, e maior a chance de ter sucesso.
 Se desejamos o sucesso, devemos confiar em Deus e fazer a nossa parte.
Deus nos promete acompanhar e auxiliar, firmando nossos passos.
TERÇA-FEIRA
O que causa mais impacto? Um e-mail, uma
mensagem pelo celular ou uma visita pessoal
em que convidamos alguém para se unir à
nossa equipe?
Não sei que tipo de rede social Jesus usaria
para se comunicar hoje com seus discípulos,
mas na hora de chamá-los ao ministério,
certamente não o faria por e-mail.
 Os evangelhos mostram que Jesus, sendo o líder perfeito, precisava
de uma equipe para realizar Sua obra. Em sintonia com Deus,
escolheu doze homens.
 Jesus os convidou, abordando-os pessoalmente. Eles tiveram o
privilégio de receber um convite pessoal de Jesus Cristo! Ele
montou sua equipe, treinando-os e ensinando-os a trabalhar. Da
mesma forma, devemos convidar pessoas a compartilhar nossos
planos e o trabalho.
 Mais tarde, os Apóstolos trabalharam em equipe, e Paulo fez o
mesmo. A maneira ideal de fazer evangelismo e realizar a missão é
em Equipe. Se acreditamos que no batismo nos unimos à família da
fé, faz sentido trabalhar em família.
QUARTA-FEIRA
Qual parte do corpo é mais importante?
Responder a essa pergunta seria o mesmo que
dizer que na família, há membros mais
importantes que outros, ou que na Bíblia, há
livros mais importantes que outros. Na verdade,
na Família da Fé, o Corpo de Cristo (Cl 1:18),
todos temos nosso lugar, embora com funções
diferentes, porque os dons espirituais são
diversos (1 Co 12:4).
 A Cooperação harmônica entre os membros do Corpo de Cristo é
recomendada com frequência no Novo Testamento através da expressão
“uns aos outros”.
 Quando uma igreja unida está concentrada na tarefa evangelística diante
dela, o Senhor abençoa seus esforços combinados. De acordo com Efésios
4:15,16 o segredo para isso é que cada um faça a sua parte. Quando isso
acontecer, a Igreja alcançará sua eficiência máxima.
 Como os 120 discípulos, em comunhão no Pentecostes, hoje precisamos
orar pelo derramamento do Espírito Santo, a Chuva Serôdia.
 Existem muitas vantagens no sistema de Evangelismo Integrado: todos os
departamentos da igreja unidos numa meta comum: o cumprimento da
missão. Em minha congregação, quão integrados são os departamentos?
QUINTA-FEIRA
Quem se une a Cristo, naturalmente deve se unir
ao corpo de Cristo, que é a Igreja. Cada novo
converso deve se unir ao corpo de crentes, mas
não podemos nos esquecer que isso é
responsabilidade de toda a igreja. Não só dos
“pais”, mas dos irmãos “mais velhos”. Como evitar
a apostasia que faz com que grande número dos
que são batizados, abandonem a fé ainda no
primeiro ano? Você já ouviu falar do Ciclo do
Discipulado?
 De acordo com Colossenses 1:28,29 o maior objetivo da
experiência cristã é alcançar a plena maturidade espiritual,
e dessa forma garantir o crescimento real da Igreja.
 Assim, quanto mais membros estiverem envolvidos em
ganhar almas, maior será seu envolvimento na
conservação.
 Trabalhar pela maturidade dos novos conversos,
acompanhando de perto seu crescimento, é tão importante
quanto trabalhar para levá-los a aceitar a Cristo e se unir à
Sua Igreja.
SEXTA-FEIRA
Dicas para um Planejamento eficaz incluem:
a. Alvos financeiramente acessíveis.
b. Alvos logisticamente realizáveis, considerando
os recursos humanos disponíveis.
c. Quando o alvo for atingido, considere a
possibilidade de fazer dele uma estratégia
permanente.
Muitos programas locais de sucesso se
transformaram em programas oficiais da Igreja,
como o Batismo da Primavera, Mutirão de
Natal, ou a Missão Calebe. A condição para
isso foi o sucesso e a praticidade do programa.
E por trás disso, sempre está a figura do líder e
sua equipe.
Considerando os desafios e oportunidades que
o trabalho em equipe nos proporciona, o
Exemplo de Cristo como Líder por excelência, e
o sucesso dos Apóstolos, de Paulo e seus
colaboradores incansáveis, concluímos que,
para a Igreja Adventista hoje, precisamos:
1.
Promover como prioridade o cumprimento da Missão, orando para que o
Espírito Santo seja derramado em nossa geração.
2.
Reunir e formar uma Equipe missionária que integre o maior número de
pessoas, que apresente o projeto à Igreja e a manter estas pessoas
informadas constantemente, motivando-as a se envolver.
3.
Que essas pessoas participem de todas as fases do projeto evangelístico, a
começar pelo planejamento e criação de metas e estratégias.
4.
Que a Igreja como um todo se sinta envolvida na Ação de Ganhar Almas,
pois estará mais comprometida em conservá-las e acompanhar seu
crescimento até a maturidade espiritual.
Coordenação: Escola Sabatina USB/2012
Texto: Pr. Kerlon Wolff
Capelão do Colégio Adventista de Viamão/RS, pertencente a
Associação Sul Riograndense
Artes e Slides: Marcos Goulart - [email protected]

similar documents