Critérios de Avaliação da Capes - Fórum Nacional dos Mestrados

Report
Critérios de Avaliação dos
Mestrados Profissionais
GT - Outras Grandes Áreas
VI Encontro Nacional dos Mestrados Profissionais
Salvador - BA
Universidade Federal da Bahia
17 a 19 de novembro de 2010
GRUPOS DE TRABALHO Tripartite
FNMP-FOPROP-CAPES
• GT – ENGENHARIAS
– (49 cursos de MP)
• GT – INTERDISCIPLINAR
– (84 cursos de MP)
• GT – CIÊNCIAS SOCIAIS APLICADAS
– (53 cursos de MP)
• GT – CIÊNCIAS DA SAÚDE
– (46 cursos de MP)
• GT – OUTRAS GRANDES ÁREAS
– (45 cursos de MP)
GT - Outras Grandes Áreas
N
Ciências Biológicas
BIOLOGIA GERAL
UNINILTON - CENTRO UNIVERSITÁRIO NILTON LINS
AM
SE
Ciências Biológicas
BIOQUÍMICA
FIOCRUZ - FUNDAÇÃO OSWALDO CRUZ
RJ
SE
Ciências Biológicas
ECOLOGIA
IPÊ - INSTITUTO DE PESQUISAS ECOLÓGICAS
SP
NE
Ciências Biológicas
ECOLOGIA
UFBA - UNIVERSIDADE FEDERAL DA BAHIA
BA
S
Ciências Biológicas
FARMACOLOGIA
UEL - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE LONDRINA
PR
NE
Ciências Biológicas
FARMACOLOGIA
UFC - UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ
CE
S
Ciências Biológicas
FARMACOLOGIA
UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
SC
SE
Ciências Biológicas
FISIOLOGIA
UFMG - UNIVERSIDADE FEDERAL DE MINAS GERAIS
MG
SE
Ciências Biológicas
FISIOLOGIA
UNIFESP - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO PAULO
SP
S
Ciências Biológicas
GENÉTICA
ULBRA - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL
RS
S
Ciências Biológicas
GENÉTICA
ULBRA - UNIVERSIDADE LUTERANA DO BRASIL
RS
CO
Ciências Humanas
ANTROPOLOGIA
PUC-GOIÁS - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS
GO
CO
Ciências Humanas
CIÊNCIA POLÍTICA
IRBr - INSTITUTO RIO BRANCO
DF
S
Ciências Humanas
CIÊNCIA POLÍTICA
UEM - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE MARINGÁ
PR
SE
Ciências Humanas
EDUCAÇÃO
UFJF - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
MG
SE
Ciências Humanas
HISTÓRIA
FGV/RJ - FUNDAÇÃO GETÚLIO VARGAS
RJ
NE
Ciências Humanas
SOCIOLOGIA
UECE - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
CE
S
Ciências Humanas
TEOLOGIA
EST - ESCOLA SUPERIOR DE TEOLOGIA
RS
•
•
Ciências Biológicas 11 cursos
Ciências Humanas 7 cursos
GT - Outras Grandes Áreas
NE
Ciências Exatas e da Terra
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
CESAR - CENTRO DE ESTUDOS E SISTEMAS AVANÇADOS DO RECIFE
PE
NE
NE
Ciências Exatas e da Terra
Ciências Exatas e da Terra
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
UECE - UNIVERSIDADE ESTADUAL DO CEARÁ
UFPE - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PERNAMBUCO
CE
PE
NE
Ciências Exatas e da Terra
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
UNIFACS - UNIVERSIDADE SALVADOR
BA
S
Ciências Exatas e da Terra
CIÊNCIA DA COMPUTAÇÃO
UTFPR - UNIVERSIDADE TECNOLÓGICA FEDERAL DO PARANÁ
PR
SE
Ciências Exatas e da Terra
FÍSICA (ASTRONOMIA/FÍSICA)
CBPF - CENTRO BRASILEIRO DE PESQUISAS FÍSICAS
RJ
SE
Ciências Exatas e da Terra
MATEMÁTICA
IMPA - ASSOCIAÇÃO INSTITUTO NACIONAL DE MATEMÁTICA PURA E APLICADA RJ
SE
Ciências Exatas e da Terra
MATEMÁTICA
UNESP/RC - UNIVERSIDADE EST.PAULISTA JÚLIO DE MESQUITA FILHO/RIO CLARO
SP
SE
S
SE
SE
S
Ciências Exatas e da Terra
Ciências Exatas e da Terra
Ciências Exatas e da Terra
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
MATEMÁTICA
QUÍMICA
QUÍMICA
AGRONOMIA
AGRONOMIA
UNICAMP - UNIVERSIDADE ESTADUAL DE CAMPINAS
UFRGS - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RIO GRANDE DO SUL
UFSCAR - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SÃO CARLOS
FUNDECITRU – FUNDO DE DEFESA DA CITRICULTURA
UFPEL - UNIVERSIDADE FEDERAL DE PELOTAS
SP
RS
SP
SP
RS
NE
Ciências Agrárias
AGRONOMIA
UFRB - UNIVERSIDADE FEDERAL DO RECONCAVO DA BAHIA
BA
SE
Ciências Agrárias
AGRONOMIA
UFRRJ - UNIVERSIDADE FEDERAL RURAL DO RIO DE JANEIRO
RJ
S
Ciências Agrárias
AGRONOMIA
UFSC - UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA
SC
CO
SE
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
AGRONOMIA
AGRONOMIA
UNIDERP - UNIV. PARA O DESENVOL. DO ESTADO E DA REGIÃO DO PANTANAL MS
UNIFENAS - UNIVERSIDADE JOSÉ DO ROSÁRIO VELLANO
MG
SE
Ciências Agrárias
CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
IFRJ - INSTITUTO FED. DE EDUC., CIÊNCIA E TECNOL. DO RIO DE JANEIRO / RJ RJ
SE
SE
SE
N
SE
CO
SE
SE
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
Ciências Agrárias
CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
UFJF - UNIVERSIDADE FEDERAL DE JUIZ DE FORA
CIÊNCIA E TECNOLOGIA DE ALIMENTOS
UNI-BH - CENTRO UNIVERSITÁRIO DE BELO HORIZONTE
MEDICINA VETERINÁRIA
UFF - UNIVERSIDADE FEDERAL FLUMINENSE
RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA
INPA - INSTITUTO
FLORESTAL
NACIONAL DE PESQUISAS DA AMAZÔNIA
RECURSOS FLORESTAIS E ENGENHARIA
UFV - UNIVERSIDADE
FLORESTAL FEDERAL DE VIÇOSA
ZOOTECNIA
PUC-GOIÁS - PONTIFÍCIA UNIVERSIDADE CATÓLICA DE GOIÁS
ZOOTECNIA
UFV - UNIVERSIDADE FEDERAL DE VIÇOSA
ZOOTECNIA
UNICASTELO - UNIVERSIDADE CAMILO CASTELO BRANCO
•
•
Ciências Exatas e da Terra - 11 cursos
Ciências Agrárias 16 cursos
MG
MG
RJ
AM
MG
GO
MG
SP
Conceitos
900
800
700
600
500
400
300
200
100
0
1
2
Programas Acadêmicos
3
4
5
MSc Profissional Trienal 2006
6
7
MSc Profisional 2009
GT - Outras Grandes Áreas
Sheila Farage – Biomanguinhos
Hermes Amorim – ULBRA
MP Tecnologia de Imunobiológico
MP Genetica e Toxicologia Aplicada
Horacio Frota
MP Planejamento e Politicas Públicas
- UEC
Geraldo Cernicchiaro – CBPF
Marcos Derizans – Instituto Rio Branco
MP Física Instrumentação Científica
MP Diplomacia
Francisco Rolim - UNIDERP MS
Alexandre Pinheiro – UFRB
Elodio Sebem – UFSM
MP Produção em Gestão Agroindustrial
MP Defesa Agropecuaria
MP Agricultura de Precisão
Sandra Guimarães – UFPR
Celso Carminati – UDESC
proposta MP em Educação
proposta MP em Educação
Perfil do discente
– Tempo de dedicação X Tempo de Produção:
• publico que trabalha, dedicação é parcial.
– Desenvolvimento Intelectual:
• transformar o profissional-aluno em um pensador
científico
• um agente transformador do mundo do trabalho e da
sociedade
• independência intelectual
Propostas
• Consultores dos Comitês de Avaliação:
•
Um Comitê separado para os Programas Profissionais é
o ideal, formado com os docentes que atuam nesses
programas;
•
Se continuar os atuais Comitês Mistos, então o critério
de seleção destes docentes deve ser diferenciado e
partir de uma lista ampla de docentes com experiência
em Programas Profissionais e aceitos por esta
comunidade.
•
E se for misto, que os consultores dos Comitês com
experiência em programas profissionais sejam em maior
número quando da avaliação dos MP.
Propostas
• Comitê por área para avaliação do Qualis
Técnico com valoração de:
• Depósito de patentes nacionais e internacionais;
• Indexação de Notas Técnicas com comitês editoriais
externos;
• Projetos aprovados por Edital Público;
• Consultoria com comitê de avaliação externo;
• Portarias, Laudos, Normas e Legislação derivados
de dissertações;
• Produção acadêmica derivada de dissertação
profissional;
Propostas
• Acompanhamento da atuação profissional
do egresso.
• Impactos sociais e econômicos:
• Incorporar no Coleta os indices de aplicabilidade e
impacto social e economico registrado no ato da
defesa
Propostas
• Flexibilidade do Credenciamento:
No caso especifico do MP é importante a
cooperação entre diferentes setores da sociedade
(academia, industria, instituições de pesquisa, etc.)
isto demanda em muitos casos a coorientação por
doutores externos ao programa, estes professores
não deveriam ser computados no indice de
produtividade do corpo docente.
• Mudança da época do Coleta CAPES
para final de abril ou maio.
Conclusões
• Os MPs tem como finalidade principal preparar recursos
humanos para pesquisa e atuação para além do âmbito
acadêmico;
• Os comitês de avaliação aparentam ter dificuldade de
julgar e identificar as especificidades dos MPs;
• O Coleta CAPES deve incorporar especificidades;
• CA diferenciado a partir de uma lista ampla de docentes
com experiência em Programas Profissionais;
Obrigado.
VI Encontro Nacional dos
Mestrados Profissionais
Salvador - BA
Universidade Federal da Bahia
17 a 19 de novembro de 2010
www.fnmp.org.br

similar documents