Gestão de Estoques na Cadeia de Logística Integrada Hong Yuh

Report
Gestão de Estoques na Cadeia de
Logística Integrada
Hong Yuh Ching
Grupo 14 I
Subgrupo Y
Chafia Abrão – 09/91902
Rachel Soares Rebelo – 10/04557
UNIDADE 04
Modelo de associação com fornecedores
 O mundo globalizado leva as empresas a unirem forças para reduzir
custos e aumentar sua competitividade no mercado.
 Benefícios resultantes da integração com fornecedores:
 Parceiros mais fortes e para todo o negócio.
 Foco comum na qualidade.
 Confiabilidade de entregas mais estáveis e repetitivas.
 Baixos níveis de estoques.
 Menos burocracia.
 Melhor controle de processos.
 Dependência mútua e congruência de objetivos.
 Custos da cadeia reduzidos.
2
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 No tipo de relação simbiótica, todo o processo é desenvolvido em
cadeia; cada agente depende do perfeito funcionamento do outro. O
compromisso dessa relação é de longo prazo.
 Com a criação de parcerias, as empresas precisam otimizar as
oportunidades de negócios e fechar os elos com os clientes e
fornecedores.
 Esse é o começo da integração da cadeia logística.
3
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Alguns exemplos do que pode ocorrer em casos de parcerias, quando
se passa a adotar a integração da cadeia logística: o trabalho de
compras diminui consideravelmente, os estoques são reduzidos, os
prazos de atendimento de pedidos são encurtados, maior qualidade
assegurada, melhoria das falhas no atendimento, desenvolvimento de
tecnologias comuns.
4
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Parcerias com fornecedores:
Nem todos os relacionamentos com fornecedores devem ser baseados
em parcerias, para que ela seja criada e mantida com sucesso, é
necessário observar certos aspectos;
 nível de apoio das condições ambientais;
 aspectos técnicos;
 compatibilidade de estilos gerenciais e técnicos;
 grau de confiabilidade mútua.
5
UNIDADE 04
Arms Lengh, Colaboração, Parcerias e Simbiótica
 Os níveis de componentes vão determinar se o relacionamento com o
fornecedor é de colaborador ou de parceiro.:
6
Componentes
Nível Colaborativo
Nível de Parceria
Confiança
Desempenha seu papel com
honestidade e ética. Há
confiança na qualidade do
produto.
Existe
confiança
total.
Fornecimento como extensão
da produção da fábrica.
Entrega de produtos
Conforme a programação. Entrega just in time de acordo
Atrasos são decorrentes de com a produção diária do
restrições no processo.
cliente.
Sistema de produção
Misto de empurrar (previsão
de vendas) e puxar (demanda).
Direcionada pela demanda do
cliente (puxar).
Nível de estoque
Confiabilidade, flexibilidade e
capacidade de produção.
Estoque em processo hoje para
entrega amanhã.
Planejamento
Realizado
em
conjunto, Realizado previamente e em
eliminando conflito.
níveis multidisciplinares.
UNIDADE 04
Estratégias de suprimento
Estratégia de Suprimento
 Adotando estratégias de suprimento, a empresa definirá
relacionamentos apropriados a cada grupo de fornecedores. Elas
sustentam a efetividade da logística de suprimento.
 O processo de determinação das estratégias de suprimento é
estruturado em três macroetapas: avaliação, análise e
implantação.
7
UNIDADE 04
Macroetapa da avaliação
 Consiste nas seguintes atividades;
 identificação dos grupos de suprimento em função de dois eixos: impacto
sobre a empresa e complexidade do mercado;
Alto
IMPACTO
SOBRE A
EMPRESA
Grupo I
Grupo III
Grupo II
Grupo IV
Baixo
Baixa
8
COMPLEXIDADE
NO MERCADO
Alta
UNIDADE 04
Macroetapa da avaliação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Levantamento de informações sobre grupos de suprimento no tocante a:
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
o
9
confirmação dos itens incluídos em cada grupo;
volumes utilizados e consumidos anualmente;
preços praticados;
especificação de qualidade;
processos de produção;
processos de compras;
identificação dos fornecedores atuais;
volumes de fornecimento;
localização física;
características dos contratos
mercados e/ou segmentos alternativos existentes ou possíveis.
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 determinação das estratégias de suprimento
o
o
o
o
10
estratégia de consolidação;
estratégia de redução de complexidade;
estratégia de integração ;
estratégia de reposicionamento.
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 identificação de táticas a serem utilizadas
Tática
Estratégia de
consolação
Global sourcing
XXX
Estratégia de
integração
Estratégia de
reposicionamento
X
Racionalizar base de
fornecedores/ parcerias
XXX
XX
Desenvolvimento de
substitutos/padronização
XX
XXX
X
X
XX
XX
Otimizar processos
X
Benchmark das melhores
práticas
Concentração de volume
11
Estratégia de
redução de
complexidade
XXX
XXX
XX
UNIDADE 04
Macroetapa de análise
 Consiste nas seguintes atividades;
 Identificação dos fornecedores potenciais.
 As diversas fontes podem ser: consultorias de especialistas nos diversos
ramos de indústria, federação de indústria, referências em outra
empresas, etc.
12
UNIDADE 04
Macroetapa da implementação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Estabelecimento das prioridades de implantação.
 Integração com fornecedores;
o analisar as respostas recebidas;
o verificar as capacidades dos fornecedores, inclusive com vistas in
loco, quanto a nível de qualidade, capacitação tecnológica, prazos
de fornecimento, etc;
o iniciar o processo de análise de cotações e de negociação
desenvolvidas com base nas estratégias definidas para cada grupo
de suprimento;
o escolher os fornecedores e estabelecer contratos, acordos ou
confirmação das cotações;
o fazer gradualmente a transição para os fornecedores escolhidos.
13
UNIDADE 04
Macroetapa da implementação
 Consiste nas seguintes atividades;
 Avaliação contínua das estratégias ;
o
o
o
o
14
detectar alterações nos mercados;
saber das novas capacidades dos fornecedores;
descobrir novos fornecedores em potencial;
monitorar a evolução dos grupos de suprimento.

similar documents