Capítulo 13 - Seleção ou cata

Report
Procesamiento de minerales I
Seleção ou cata
Maria Luiza Souza
Montevideo – Porto Alegre
12-16 Agosto 2013
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
1
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Cata manual é o método “original” para separação de minerais há muitos séculos !
Atributos diferenciadores: cor, textura, brilho, dureza, densidade, etc.
Figura 1- Ilustrações do livro De Re Metallica de Georgius Agricola.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
2
Capítulo 13 - Seleção ou cata
A cata é parte integrante do
processamento de diamantes.
Usada nos estágios finais de
recuperação, após o minério ser
concentrado por meio denso.
Atualmente, selecionadores
automáticos que empregam
fontes de radiação com raios-X,
estão entre os mais usados. E a
razão é: o diamante se torna
luminescente ao ser irradiado
por raio-X.
Figura 2- Seleção manual de diamantes em mina da África do Sul.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
3
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Tecnologias usadas para a detecção de minerais
- Óptica (LP): reconhece minerais industriais, metais preciosos, metais de base e
gemas pela cor.
- Infravermelho próximo (NIR): reconhece minerais por seus espectros de
emissão de cor no infravermelho próximo.
- Fluorescência de raio-X (XRF): reconhece diamantes por sua fluorescência.
- Luminescência de raio-X (XRL): reconhece diamantes por sua luminescência.
- Transmissão de raio-X (XRT): reconhece minerais e carvão por suas densidades
atômicas específicas.
- Radiometria (RM): reconhece um mineral por sua radioatividade (urânio).
- Eletromagnetismo (EM): reconhece o mineral por condutividade elétrica e/ou
permeabilidade magnética.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
4
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Exemplo 1
esmeralda
Sensores disponíveis:
RM, XRT, NIR , EM, LP.
Figura 3- Equipamento de seleção – TOMRA®.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
5
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Exemplo 2
Identificação e separação
de minerais de tungstênio.
Imagem
óptica
Imagem
RX
Identificação e separação
de carvão 5 mm a 20 cm.
Imagem
RX
Filtro
óptico
Sensores disponíveis: XRT, NIR , LP.
Figura 4- Equipamento de seleção – Comex®.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
6
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Mn
ore
Exemplo 3
Acima: equipamento instalado no
Centro de pesquisa da Mintek.
Radiometria: RX
Figura 5- Equipamento de seleção – Rados®.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
7
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Parâmetros típicos
Exciting
System
- Velocidade CT: 3-6 m/s
- Largura CT: 0,6 - 1,5 m
- Mecanismo ejector: jatos
de ar ou placas móveis
- Tamanho mínimo de
partícula: 1 - 2 cm
- Capacidade: 5 - 80 t/h
- Tamanho máximo de
partícula: 5 - 25 cm
- Capacidade: 20 - 250 t/h
Figura 6- Esquema típico de um selecionador de minerais.
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
8
Capítulo 13 - Seleção ou cata
Hishikari
Mine
??
Toyo
smelter
Cu Conc
Figura 7- Enquanto isso, na Sumitomo em pleno 2013 !!
UNIVERSIDADE DE LA REPUBLICA – URUGUAY
UFRGS - DEMIN - BRASIL
9

similar documents