Formação Cristã nos Cárceres

Report
FORMAÇÃO
CRISTÃ
NOS
CÁRCERES
Apresentação elaborado por
Ir. Petra S. Pfaller mc
Vice Coordenadora Nacional da PCR
[email protected]
Evangelizar, a partir de Jesus Cristo
e na força do Espírito Santo,
como Igreja discípula,
missionária e profética,
alimentada pela Palavra de Deus
e pela Eucaristia,
à luz da evangélica opcao preferencial
pelos pobres,
para que todos tenham vida (cf. Jo 10,10),
rumo ao Reino definitivo.
DIRETRIZES GERAIS
DA ACAO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIl
2011 – 2015 - Objetivo Geral
DIRETRIZES GERAIS DA ACAO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIl
2011 – 2015


N. 04
Toda ação eclesial brota de Jesus Cristo e se
volta para Ele e para o Reino do Pai. Jesus
Cristo é nossa razão de ser, origem de nosso agir,
motivo de nosso pensar e sentir. Nele, com Ele e
a partir d’Ele mergulhamos no mistério
trinitário, construindo nossa vida pessoal e
comunitário. Nisso se manifesta nosso
discipulado missionário: comtemplamos Jesus
Cristo presente e atuante em meio à realidade
e com ela nos relacionamos no firme desejo de
que nosso olhar, ser e agir sejam reflexos do
seguimento cada vez mais fiel ao Senhor Jesus...
DIRETRIZES GERAIS DA ACAO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIl
2011 – 2015


N° 40 (continuação)
Esta é a razão pela qual cresce o incentivo à
iniciação à vida crista, “grande desafio que
questiona a fundo a maneira como estamos
educando na fé e como estamos alimentando a
experiência crista”.
DIRETRIZES GERAIS DA ACAO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIl
2011 – 2015


N° 40 (continuação)
Trata-se, portanto, de “desenvolver, em nossas
comunidades, um processo de iniciação cristã que
conduza a um encontro pessoal, cada vez maior com
Jesus Cristo”, atitude que deve ser assumida em todo o
continente latino-americano e, portanto, também no
Brasil.
DIRETRIZES GERAIS DA ACAO EVANGELIZADORA DA IGREJA NO BRASIl
2011 – 2015


N°. 40 (continuação)
Este é um do mais urgentes
sentidos do termo missão
em nossos dias. É um
desafio de anunciar Jesus
Cristo,
recomeçando
a
partir dele, sem “dar nada
como
pressuposto
ou
descontado”. É preciso
ajudar
as
pessoas
a
conhecer Jesus Cristo,
fascinar-se por Ele e optar
por segui-lo.
Agentes de pastoral carcerária como discípulos (as)
de Jesus Cristo
Manual de Formação Cristã da PCR nacional
Prefácio - Dom Jacinto Bergman
Presidente da Comissão Animação Bíblica Catequética, CNBB Nacional
Introdução - Pe. Valdir Joao Silveira - Coordenador Nacional da PCR
“ ... Em todos os lugares do Brasil os Agentes de Pastoral
Carcerária vinham sentindo a necessidade de realizar o trabalho
de evangelização com um roteiro próprio, adaptado à
realidade do mundo carcerário, que falasse a linguagem e
tratasse da vida dos presos. O pedido não era para
uniformizar, para que todos trabalhassem da mesma forma, mas
sim criar diretrizes sobre como e o que trabalhar....”
1.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.
INDICE
Orientação bíblica
Como deve ser quem faz pastoral no cárcere
O Agente da Pastoral Carcerária como animador para a
Iniciação da Vida Cristã
A pessoa presa como animadora para a Iniciação da Vida
Cristã
O universo da pessoa presa
A missão do (a) catequista para a Iniciação da Vida Cristã
Formar catequista e integrar na vida eclesial
Metodologia da catequese no cárcere:
Olhar, ouvir, descer, libertar e subir (Ex. 3,7)
9.
10.
11.
12.
13.



O modo de proceder de Deus e a pedagogia catequética
Variedade de métodos
Iniciação Cristã
O direito da pessoa presa de assistência religiosa
A Resolução que regulamenta a Visita Religiosa nos cárceres
Palavra Final e Agradecimentos,...
Abreviações
Bibliografia
 41
Roteiros para a Formação Cristã nos
Cárceres elaborado por uma equipe da
Pastoral Carcerária Nacional
ÍNDICE DOS 41 ROTEIROS
1. A bondade de Deus – Como Deus-Pai agiu na história
1.1. O rosto materno de Deus (Os 11, 1-4)
1.2. O criador e a criatura (Gn 2,4-9)
1.3. Vi, ouvi, conheço, desci para libertar (Ex 3,7-12)
1.4. A sedução (Jeremias 20, 7-9)
1.5. Pai Misericordioso (Lc 15,11-31)
2. A experiência da condição humana – A vida de Jesus
2.1. A Sagrada família (Lc 11,27-28)
2.2. Amigos de Jesus (Lc 10, 38-44)
2.3. A compaixão (Lc 10,25-37)
2.4. As tentações (Lc 4,1-13)
2.5. A indignação e cólera de Jesus (Jo 2,13-22)
2.6. As angústias de Jesus (Mc 14,32-42)
2.7. As perseguições e a exclusão da comunidade (Lc 4,16-30)
2.8. Solidão e abandono (Lc 22, 39-46)
2.9. Traição (Judas Lc 22,47 - 53)
3. Experiência da Salvação
3.1.
Paixão, morte e Ressurreição de Jesus (Mt 26,14-27)
3.2.
Reino de Deus (Mc 4,1-9)
3.3.
Esperança do bom ladrão (Mc 23,39-43)
3.4.
Paz (Jo 20,19 -23)
3.5.
Liberdade (Lc 4,18)
3.6.
Sacramento da cura ( Jo 9,1-7)
4. Experiência da conversão
4.1.
Os Dez mandamentos Ex 20,1-17;
4.2.
Perdão, reconciliação e restauração Jo 8
4.3.
Justiça restaurativa Jo 4, A Samaritana
4.4.
Serviço Jo 13 (Lava pés), Mc 10, 35 - 45
4.5.
Amor Jo 15, 1 Cor 13;
4.6.
Confiança MT 6,25-34;
4.7.
Partilha Atos 2,42-45; - Lc 9,12-17 (Multiplicação dos Paes)
4.8.
Sacramento da reconciliação Lc 7, 36-51
5. Experiência do Espírito Santo e da missão
5.1.
Os dons 1 Cor 12;
5.2.
Chamado para ser discípulo-missionário, MT 9,9-13,
5.3.
Viver segundo o Espírito Gl 5,16 – 26,
5.4.
Corporeidade 1 Cor 12,12, Gn 4,1-16
5.5.
Sexualidade e gênero 1 Cor 6,12-20
5.6.
Os sacramentos de Iniciação: Batismo e Crisma At 8,26-40 e/ou batismo
de Jesus Lc 3,21-22
5.7.
Os sacramentos de Iniciação: Eucaristia Lc 22,14-23
5.8.
Oração Lc 11; Jesus se retira para rezar
6. Experiência de ser Igreja
6.1.
A alegria de ser discípulo-missionário (Jo 15,9-11)
6.2.
A vida comunitária (Mc 9,30-37)
6.3.
A solidariedade (Mt 25,31-46)
6.4.
Maria como exemplo de discipulado (Lc 1,26-39)
6.5.
Testemunho dos mártires e santos Ap , Hb 11, João Batista, Pedro, carta
de Filemon.
ORIENTACOES GERAIS para o uso dos roteiros
Não precisam usar um
roteiro
inteiro
num
encontro só. Um roteiro
pode ser usado para
mais encontros com os
irmãos
e
irmãs
encarcerados/as,
depende da participação
nas partilhas e da
criatividade de vocês o
assunto pode ser mais
aprofundado em vários
encontros.
Cada roteiro tem duas
paginas, assim podem ser
feitas copias numa só
folha e deixado junto
com as pessoas presas
para
elas
ter
a
oportunidade
de
continuar a reflexão e a
oração
durante
a
semana.
Por isso também os roteiros não são coloridos para facilitar
assim o trabalho de copias, ou seja, é bem mais barato em
preto/branco.
Todos os roteiros
são
propostas.
Usam
suas
criatividades para
enriquecer mais e
adaptar
a
sua
realidade, ao seu
grupo nos presídios.
Usam com toda
liberdade,
sem
ficar
preso
nos
textos
e
nas
perguntas!!
Estamos numa PASTORAL DA ESCUTA!

Evitamos fazer pregações
para
as
pessoas
encarceradas, a riqueza da
vida, da experiência de Deus
das pessoas que vivem atrás
das grades é muito grande,..
Deus está lá com eles já
antes da nossa chegada.
Vamos ouvir eles e elas.
Vamos deixar mais espaço para as partilhas!!!
Por isso os roteiros têm muitas perguntas que
poderiam ajudar nestas partilhas.

Por favor, usem este roteiro deste já nos seus
trabalhos de evangelização nos cárceres e depois
contam para nós como foi a experiência com
estes textos e enviar sugestões para melhorar
cada vez mais.
POR FAVOR, continuam colaborando
OBRIGADA!!!
•
Enviem seus comentários e sugestões para Ir. Petra mc:
[email protected]

similar documents