A Filosofia Ocidental na Idade Moderna

Report
A Filosofia Ocidental na
Idade Moderna
Contexto
Histórico
 A filosofia não surge do nada, ou isoladamente, ela é fruto de um
conexto histórico, político, econômico e social. O saber filosófico
surge como resposta aos problemas do mundo na época em que
estão contextualizados. Assim, como surgiu o racionalismo?
 Durante a alta idade Média (séculos V ao X): declínio das
atividades comerciais e artesanais, fragmentação do poder
político e isolamento social. Feudalismo.
 Forte poder da igreja, predomínio de uma visão mística do mundo.
Idade Média
 Séculos IX ao XIII: cruzadas, processo de abertura e expansão
desses horizontes. Renascimento comercial e urbano, aumento da
produção agrícola e crescimento da população europeia.
 Desestruturação do sistema feudal. Crescimento do comércio, a
população rural deslocava-se para as cidades, ou burgos.
 A economia monetária ia, aos poucos, substituindo a economia de
trocas e subsistência.
 Século XIV: peste negra, guerras, fome. Crise.
A revolução
comercial
 Para conter as revoltas populares e aumentar a produtividade os
senhores feudais acabaram com a servidão. Iniciou-se o trabalho
assalariado. Os trabalhadores arrendavam as terras e, com isso,
eram estimulados a produzir mais.
 O feudalismo foi perdendo suas características: relações servis,
economia voltada para a subsistência e o sustento do senhor
feudal e a terra como principal fonte de riqueza.
 nasce um sistema econômico voltado para o mercado e para o
lucro, baseado na propriedade privadada e meios de produção. O
trabalhador é livre, mas é forçado a vender sua força de trabalho.
 Substituição dos feudos pelo Estado moderno, com governo
centralizado. Absolutismo: monarquias absolutistas, ascensão de
uma nova classe social: a burguesia.
A sociedade
moderna
 O poder da nobreza e do clero diminuem, mas a religiosidade
cristã ainda tem forte influência.
 Individualismo: valorização do indivíduo. competição.
 Racionalismo: valorização da razão. Para competir o indivíduo tem
que buscar estratégias
 Rompimento com a fé e explicações religiosas da filosofia cristã.
Período anterior - idade Média, filosofia escolástica.
 Tentativa de representar o mundo pela razão e coerência
Idade Moderna
 ex: substituição do geocentrismo (terra como centro do universo)
pelo heliocentrismo (sol como centro do universo)
 O Renascimento cultural foi o marco inicial da idade moderna e da
filosofia moderna
 Século XV - colocou a razão acima da fé cristã.
Renascimento
cultural
 Cidades italianas: Roma, Milão e Florença. Artistas e intelectuais
se inspiravam na antigüidade clássica.
 Humanismo renascentista: reativação dos ideais clássicos de
valorização do homem. Individualismo.
 Teocentrismo (Deus como centro do universo) X antropocentrismo
(homem como centro do universo)
 O conhecimento deveria ter ordem e método rigorosos.
Método
 Razão: uma capacidade inata de todos os seres humanos.
 Filósofo como sujeito do conhecimento e o mundo como o objeto
a ser conhecido.
 Penso, logo existo!
 René Descartes: 1596 - 1650, França.
René
Descartes
A filosofia de Descartes tem o mesmo princípio da filosofia de
Sócrates, Platão e Aristóteles: a razão como instrumento de
conhecimento.
Para se conhecer algo, verdadeiramente, é necessário eliminar todas
as dúvidas. Duvidamos porque temos capacidade de pensar.
Cogito cartesiano: penso, logo existo!
Existo, porque sou antes de tudo algo que pensa.
razão: primeira fonte do verdadeiro conhecimento.
"Penso, logo
existo"
Um ser pensante tem uma compreensão real do mundo.
Semelhança com Platão, que julgava mais apropriado conhecer o
mundo pela razão (ideias) do que pelos sentidos.
Assim como Platão separou o mundo das idéias do mundo dos
sentidos, Descartes também separa a alma (razão, cogito) do corpo
(sentidos). O conhecimento obtido pela razão é mais seguro do que
o obtido pelos sentidos.
Deus existe e
nos deu a
capacidade de
pensar
 Para Descartes, as ideias são inatas e inquestionáveis. Assim, já
nascemos com elas.
 A existência de Deus era evidente para ele, pois se pensamos em
Deus, então ele existe. Tudo o que pensamos existe, pensar é igual
a existir.
 Deus nos deu a capacidade de pensar, para encontrarmos a
verdade do mundo, das coisas e de nós mesmos.
A dúvida
metódica
 O sujeito (o cogito, a razão) investiga o objeto (o mundo). O
indivíduo que quer compreender o mundo.
O método da dúvida de Descartes torna o homem cético num
primeiro momento, mas esse ceticismo deixa de existir quando ele
consegue demonstrar a existência real das coisas, por meio da
razão.
Racionalismo
 A corrente filosófica cartesiana é conhecida como racionalismo e
sua importância foi resgatar a razão. No período anterior, da
filosofia cristã, a explicação das coisas e do mundo se dava pela fé
e pela existência de Deus.
 A explicação de Descartes para a existência de Deus é dada por
uma seqüência de raciocínios, não pela fé, superando o
pensamento da escolástica.
 outra contribuição cartesiana foi a questão do método.

similar documents