Veja aqui o encontro 2 unidade 5

Report
GRUPO DE ESTUDOS PNAIC / 2013
Orientadora: Raquel Eveline da Silva
Grupo: Lírios
15º Encontro - 01/11/2013
Cadernos de Metacognição
QUANDO NASCE UM MONSTRO
SEQUÊNCIA DIDÁTCA OFICINA DE LEITURA
Nasceu em São Paulo, em 1964. À parte
sua atividade como escritor, dá aulas para
crianças, é clown e há mais de dez anos
realiza oficinas de arte e criatividade em
escolas, centros culturais, bibliotecas,
livrarias etc. Os poemas que reuniu em
Amigos do peito foram musicados por
Chico César, Zeca Baleiro, Rita Ribeiro
entre outros compositores, dando origem
a um divertido show para crianças e a um
CD independente. Obras publicadas por
outras editoras: - Amigos do peito. Belo
Horizonte, Formato, 1996. - Guia prático
para fazer as coisas. Belo Horizonte,
Formato, 2001.
Sono Pesado
Toca o despertador
e meu pai vem me chamar:
- Levanta, filho, levanta,
Tá na hora de acordar.
Uma coisa, no entanto,
impede que eu me levante:
Sentado nas minhas costas,
há um enorme elefante.
Ele tem essa mania,
todo dia vem aqui.
Senta em cima de mim,
e começa a ler gibi.
O sono, que estava bom,
fica ainda mais pesado.
Como eu posso levantar
com o bichão aí sentado?
O meu pai não vê o bicho,
deve estar ruim da vista.
Podia me deixar dormindo,
enquanto ia ao oculista...
Espera um pouco, papai...
Não precisa ser agora.
Daqui a cinco minutos,
o elefante vai embora...
Mas meu pai insiste tanto,
que eu levanto, carrancudo.
Vou pra escola, que remédio,
com o bicho nas costas e tudo.
Cláudio Thebas
A comunicação é feita por meio de diferentes
gêneros orais e escritos e é preciso usá-los com
eficiência e adequação nas diversas práticas
enunciativas da sociedade. Os gêneros se
materializam em textos que assume formas
variadas para atender propósitos diversos.
Gêneros vinculam-se com a vida cultural e social.
Ordenam e estabilizam as atividades comunicativas
do dia-a-dia. Os gêneros orais e escritos estão
ligados a cultura impressa e às mídias. Todo gênero
tem finalidade reconhecida; parceiros legítimos
(produtor e receptor) e um portador (suporte
material).
Gêneros textuais
“São instrumentos culturais disponíveis nas interações
sociais. São historicamente mutáveis e relativamente
estáveis” (Schneuwly e Dolz, 2004).
TIPOS TEXTUAIS
Tipos textuais são limitados e se referem à forma linguística na
qual o texto é organizado. Não são textos com funções sociais
definidas. São categorias teóricas determinadas pela organização
lexical, sintática e referem-se ao conteúdo a que se propõe.
Os tipos textuais são cinco:
•
•
•
•
•
Narrativo (textos literários)
descritivo
Argumentativo (textos acadêmicos)
Explicativo (ou expositivo)
Injuntivo (ações, como convocações, imposições, pedidos).
Se os tipos textuais são apenas cinco,
os gêneros são inúmeros.
GÊNEROS TEXTUAIS
São: contos de fada; quadrinhos; parlendas; bilhetes;
conto de humor; narrativa de aventuras; piada; carta pessoal;
lista de compra; artigo de opinião; artigo científico;
reportagem; noticia; horóscopo; receita culinária; bula de
remédio; outdoor; enigma; conversa telefônica; resenha;
charge; tira cômica; conversa espontânea; aula expositiva;
blog; email; cardápio; inquérito policial; sermão; homilia;
edital de concurso; conferencia; MSN; aulas virtuais; etc.
PORTADOR TEXTUAL
É o suporte material onde se materializa o
gênero. Pode ser físico ou virtual; com formato
especifico que serve de base ou ambiente de
fixação do gênero como texto. Ex: livros, jornais;
revistas; tela do computador; celular; camisetas;
rótulos; sacolas; panfletos; painéis; etc.
GÊNEROS TEXTUAIS
Conforme, Schneuwly, Dolz e Bronckart, “a
imersão dos alunos nas práticas de linguagem
contribui para a sua apropriação, porém
acreditamos que é preciso ir além das vivências.
É necessário um trabalho progressivo e
aprofundado com os gêneros textuais escritos e
orais envolvendo situações em que essa
exploração faça sentido” (2004).
Delaine Cafiero propõe uma tabela
de trabalho com gêneros textuais,
onde se devem trabalhar os gêneros
em todos os anos da educação básica,
mas trabalhar com afinco
determinados gêneros em
determinados anos de estudo.
Cafiero
• macro planejamento.
• articulado entre todas as disciplinas.
• trabalho que tenha continuidade, sem
discrepâncias ou repetições desnecessárias
entre os segmentos.
• O texto materializado (o gênero) funciona
como elemento organizador do trabalho.
Planilha
• Sugere a indicação de que gêneros diferentes
serão sistematizados em cada ano de estudo.
Mas, o fato de indicar aqueles que serão
enfatizados não significa que os mesmos não
possam ser estudados em outros anos de
estudos do ensino fundamental.
• A noção é de espiral: a cada novo contato com
um determinado gênero, novas possibilidades
de leitura vão sendo exploradas (2009, pag. 90).
LEITURA DELEITE
SEQUÊNCIA DIDÁTICA
• Crônica: Nem tudo que se joga fora é lixo, viu!
(Fernando Bonassi)
• Poema: A vaca (Ricardo de Azevedo)
PESQUISA: NASA
Leitura e discussão nos grupos.
Descrever uma atividade já realizada em sala de aula
que contemple um direito de aprendizagem em ciências e
outra em geografia. Socializar na turma.
• Ano 01 - Texto “Direitos de aprendizagem no ciclo de
alfabetização – Ciências e Geografia” Pág. 35 até 41.
• Ano 02 – Texto “Direitos de aprendizagem no ciclo de
alfabetização – Ciências e Geografia” Pág. 34 até 42.
• Ano 03 – Texto “Direitos de aprendizagem no ciclo de
alfabetização – Ciências e Geografia”. Pág. 34 até 41.
LIVRO DA VIDA:
Poemas construídos na oficina de
leitura;
Conceito de aprendizagem em
espiral
Sugestões de atividades para
direitos de aprendizagem em ciências
e geografia.
ENCAMINHAMENTOS
• Sequência ou projeto didático
• Leitura unidade 7
• Visita às escolas
Bom fim de semana!

similar documents