2014 Processos inflamatórios SB VRMA

Report
Citologia Clínica
Alterações celulares reativas
Vera Regina Andrade
2014
Relato do Diagnóstico Citológico - Bethesda, 2001
1.
Negativo para lesão intra-epitelial
ou malignidade
 Alterações celulares reativas
 Inflamação (incluindo reparo típico)
 Atrofia com inflamação
 Radiação
 Outras
 Organismos
 Trichomonas vaginalis
 Fungos morfologicamente consistentes
com Candida spp.
 Desvio na flora sugestivo de vaginose
bacteriana
2.
Células epiteliais anormais
 Células escamosas
 Células escamosas atípicas
 De significado indeterminado (ASCUS)
 Não exclui HSIL (ASC-H)
 Lesão intra-epitelial escamosa de
baixo grau (LSIL), compreende: HPV /
Displasia Leve / NIC 1.
 Lesão intra-epitelial escamosa de
alto grau (HSIL), compreendo:
Displasia Moderada e Acentuada,
Carcinoma “in situ” / NIC 2 e NIC 3.
 Carcinoma de células escamosas
 Células glandulares
 Bactérias morfologicamente consistentes
com Actinomyces spp.
 Células glandulares atípicas (AG)
 Alterações celulares consistentes com o
vírus do herpes simples.
 Adenocarcinoma
 Adenocarcinoma “in situ”
Classificação de Bethesda, 2001
Negativo para lesão intraepitelial ou
malignidade
Alterações celulares reativas
Inflamação (incluindo reparo típico)
Atrofia com inflamação
Radiação
Outras
Alterações celulares reativas associadas com inflamação
Critérios Citológicos
 Núcleo
 Aumento nuclear
 Hipercromatismo
 Binucleação ou multinucleação
 Degeneração nuclear
 Nucléolos únicos ou múltiplos
 Halos perinucleares, sem espessamento periférico
 Citoplasma
 Metacromasia, policromasia (anfofilia)
 Vacuolização
 Fagocitose
 Degeneração citoplasmática
 Citoplasma com bordas apagadas
 Outras células – Leucócitos
 Neutrófilos
 Histiócitos
 Linfócitos
Aumento nuclear
 Células escamosas
 1 ½ a 2 vezes o tamanho do
núcleo de uma célula
intermediária normal
 Calibrar o olho
 Células glandulares
endocervicais
 podem apresentar grande
aumento nuclear (núcleos
volumosos), nucléolos
Hipercromatismo
 Cromatina fortemente
corada, mas uniforme
 Binucleação ou
multinucleação
 Célula apresentando dois
ou três núcleos
Degeneração nuclear
 Cariorrexe
 Dissolução da cromatina
 Dispersão da cromatina
 Perda dos limites nucleares
 Picnose
 Retração nuclear
 Redução do volume nuclear
 Condensação do DNA
 Núcleo hipercromático
 Cariólise
 Dissolução da cromatina pela DNAse
 Núcleo sem coloração ou pouco corado
Nucléolos
únicos ou
múltiplos,
proeminentes
Citoplasma com metacromasia,
policromasia (anfofilia)
Vacuolização e
Degeneração
citoplasmática
Fagocitose
Halos perinucleares, sem espessamento
periférico
Citoplasma com bordas apagadas
Outras Células - Leucócitos
 Neutrófilos são vistos em
todos os esfregaços
cervicais e não são
indicativos de infecção
 Mas, quando eles estão
presentes, em
quantidade aumentada
indicam um processo
infeccioso
Leucócitos
 Na fase aguda da infecção
 Exsudato leucocitário, apresentando polimorfonucleares neutrófilos e
histiócitos (macrófagos – monócitos)
 Exsudato inflamatório denso, pode impedir uma análise citológica de
neoplasia.
Monócitos  Histiócitos
Pequenos
Grandes
 Após a fase menstrual (êxodo) 
NORMAL
 com núcleo excêntrico, forma
oval, redonda ou em feijão
 Fora dessa fase  INFLAMAÇÃO
CRÔNICA
 Após menopausa e após
radioterapia
Linfócitos
 Na fase crônica, ocorre
infiltração localizada ou difusa de
linfócitos formando folículos
linfoides
 Cervicite folicular  infecção
crônica severa
 Linfócitos e seus precursores com
padrão de cromatina grosseira,
nucléolos proeminentes,
mimetizando carcinoma de
células escamosas pouco
diferenciado
 Chlamydia trachomatis (Doença
inflamatória pélvica - DIP)
Classificação de Bethesda, 2001
Negativo para lesão intra-epitelial ou
malignidade
Alterações celulares reativas
Inflamação (incluindo reparo típico)
Atrofia com inflamação
Radiação
Outras
Critérios
 Aumento do núcleo
 Autólise, resultando
núcleos desnudos
 Células parabasais
degeneradas eosinofílicas
com núcleos degenerados
 Exsudato inflamatório com
granulações basofílicas
 Material amorfo basofílico
Classificação de Bethesda, 2001
Negativo para lesão intra-epitelial ou
malignidade
Alterações celulares reativas
Inflamação (incluindo reparo típico)
Atrofia com inflamação
Radiação
Outras
Critérios
Tamanho celular normalmente aumentado
Células em forma bizarra
Núcleos aumentados com degenerações
Binucleação ou multinucleação comum
Nucléolos proeminentes único ou múltiplos
Reação reparatória pode ser observada
Vacuolização do citoplasma
Classificação de Bethesda, 2001
Negativo para lesão intra-epitelial ou
malignidade
Alterações celulares reativas
Inflamação (incluindo reparo típico)
Atrofia com inflamação
Radiação
Outras
Reparo  Erosão ou Úlcera
Um trauma ou
infecção aguda
pode levar a uma
perda da
descontinuidade do
epitélio  ulcera ou
erosão
Reparo  restitui um epitélio destruído por
erosão ou ulceração
Representação esquemática simplificada da
reparação
 Proliferação das
células basais ou de
células de reserva na
periferia da lesão
 Células cobrem a
superfície como um
lençol
 Reconstituição do
epitélio por
proliferação e
diferenciação celular
Critérios Citológicos
Fundo da lâmina normalmente limpo
Células e núcleos orientados na mesma direção,
refletem crescimento celular rápido, aspecto de
lençol
Aumento do tamanho nuclear, nucléolos
proeminentes
Ausência de células isoladas com alterações
nucleares

similar documents