Liderança - Fabrício Diniz

Report
Liderança
História da Liderança
História da Liderança
• Liderança é tão antiga quanto o Homem. Ela se
origina quando o próprio Homem tentou
organizar o mundo o qual vivia, tendo que optar
por algum tipo de orientação
• Antiguidade: “A República”-Platão - Cada homem
é um líder em potencial capaz de conduzir as
instituições.
História da Liderança
• Há várias propostas teóricas na atualidade sobre
as trocas interpessoais do vínculo líder e liderado
• Dirigir alguem e a inclinação por ser dirigido é
algo natural embora nem sempre chamarmos isso
de “liderança”
História da Liderança
• Globalização e competitividade atual: investir no
desenvolvimento de líderes no futuro é uma
vantagem competitiva e a própria cúpula da
organização tem envolvimento direto nisso.
• Liderança é conceituada de maneiras diferentes,
apesar se sabermos que não é fácil defini-la de
maneira única. Há dois aspectos comuns nestes
conceitos de liderança: Fenômeno Grupal e
capacidade de influenciar de forma intencional
pelo líder a seus seguidores
História da Liderança
• Possíveis Conceitos de Liderança:
• “Liderança é o comportamento de um indivíduo
quando está dirigindo as atividades de um grupo
em direção a um objetivo comum.” (HEMPHILL)
• “Liderança é influência pessoal exercida em uma
situação e dirigida através do processo de
comunicação, no sentido de se atingir um objetivo
específico.” (TANNENBAUM)
História da Liderança
• HOLLANDER considera que liderança, alem do
cargo do líder, também requer esforço de
cooperação por parte de outras pessoas
• É um relacionamento de duplo sentido
• Líder dá início ações e precisa que seus
seguidores sejam sensíveis a elas
• A influência faz parte desse processo
História da Liderança
• Motivação, inspiração, sensibilidade e
comunicação são aspectos contidos em vários
exemplos históricos e literários de líderes.
• Há autores que consideram contradições nos
conceitos de Liderança ao longo da história e
outros que liderar é uma arte do ser humano
História da Liderança
• Termo Liderança é usado há 200 anos na língua
inglesa, mas seu conceito deve ter aparecido
cerca do ano de 1300.
• Peter Drucker: líderes da atualidade devem ser
responsáveis pelos líderes do futuro. Os líderes
terão que lidar com os imperativos da
globalização. Esses líderes deverão lidar com uma
gama de ambiguidades e incertezas, importando
mais as habilidades interpessoais e interculturais
do que as habilidades técnicas.
História da Liderança
• Caso as organizações não disponham de líderes
sensíveis e preparados, seu sucesso para o futuro
estará comprometido.
• No passado discutiu-se muito se o líder nasce
líder ou se este pode ser treinado. Tal discussão é
desnecessária, pois há pessoas que nasceram
líderes e outras que aprendem essa capacidade
ao longo do tempo
História da Liderança
• O importante observado nos grande líderes é que
o treinamento deles nunca termina, tem-se que
evoluir continuamente
História da Liderança
• Sobre o grupo:
• A satisfação entre pessoas muito semelhante é
alta, mas sua produtividade é baixa, já na
convivência entre pessoas com características
individuais diferentes, a satisfação na convivência
não é alta, mas sua produtividade é maior. Nesse
sentido é importante o líder trabalhar com
pessoas que complementem suas forças, mas
muitos têm a tendência de escolher pessoas “a
sua imagem e semelhança”
História da Liderança
• Assim, líderes efetivos reconhecem seus limites e
aprendem a identificar pessoas que suplementem
seu estilo de liderança. Isso requer maturidade
História da Liderança
• Ao longo das pesquisas várias teorias foram
sendo conceituadas sobre a Liderança, mas
nenhuma esgota o assunto. Com o tempo essas
pesquisas e teorias tornaram-se mais complexas
por lidarem com maior número de variáveis
intrínsecas e extrínsecas ao Líder.
História da Liderança
• Há vários referenciais teóricos para conceber a
Liderança.
• As pesquisas atuais também ressaltam a
importância de se explicar como se passa as
trocas entre líderes e seguidores e os motivos que
levam alguem a assumir o comportamento típico
de um líder e o papel de seguidor
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• A teoria dos traços
• Os primeiros estudos sobre liderança procuravam
identificar as qualidades dos líderes frente a
determinadas situações
• Após 2 Guerra, os estudos tiveram predominância
nas organizações. Antes disso eram observados
grupos escolares, entre 1904-48, originou-se a
teoria dos traços
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• O ponto de partida dessa teoria é que os líderes
deveriam possuir traços de personalidade
especiais. Esse é o perfil estático de um líder
eficaz. Nessa proposta são enfatizadas algumas
qualidades pessoais que tipificam o modelo de
bons líderes já conhecidos. O pressuposto que é
essas qualidades são inatas e não aprendidas
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Assim, para Bryman, os líderes possuem 3
principais tipos de traços:
• 1. Traços físicos: peso, altura, aparência, idade,
etc.)
• 2. Habilidades específicas inatas: inteligência,
influência verbal, escolaridade e conhecimento
• 3. Traços de personalidade complexos:
moderação, introversao/extroversao, dinâmica,
ajustamento pessoal, autoconfiança,
sensibilidade interpessoal e controle emocional
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Para garantir a eficácia como Líder, a pessoa
deveria ser capaz de indicar todos esses traços.
• Essa teoria tentava identificar características
comum a líderes efetivos
• Havia testes para verificar esses traços
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Essa teoria mostrou-se insuficiente quando a
conclusões de seus estudos.
• Esse modelo predominou até 1940.
• Este modelo de abordagem de liderança deu
lugar a estudos centrados nos traços de
inteligência e personalidade, assim as
características do líder passam a ser estudadas
sob uma perspectivas universalista, em si mesmo,
independente da situação e demais variáveis do
momento. Nem as características dos
subordinadas e a situação vividas por eles eram
levada em conta
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• O objetivos dos teórico permanece em descrever
um retrato fisionômico, não relacionando a eficácia
no processo de liderança, o seguir e a organização
• Atualmente, essa teoria é considerada rudimentar,
já que ao seguidor é atribuído um papel passivo,
não imaginando que ele poderia interferir no papel
do líder e porque o líder assume uma posição
prepotente sendo considerado como um ser
“praticamente”perfeito, o que não existe pois todo
humano tem seus pontos fortes e suas deficiências.
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Essa figura mítica superior que representava o
chefe tradicional no topo da pirâmide para impor
aos outros, já não existe mais!
• Portanto, ser líder é uma característica pessoal
como outra qualquer e não algo sobre-humano,
• Outros aspectos que correm contra essa teoria é
não considerar que o líder pode perder sua
eficácia caso a situação ou grupo mude.
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• O fato de ser considerado como inato e reservado
“para poucos” esses traços não consideravam o
meio. Atualmente, muitos autores só aceitam que
a liderança seja um processo
• Embora, atualmente, se saiba que as
características de personalidade do líder não são
o único requisito para promover sua eficácia,
essas teorias iniciais são consideradas um ponto
de partida importante
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Sobre a liderança carismática:
• Está ligada ao atendimento das necessidades de
seus seguidores. O carisma é o resultado das
percepções que os seguidores têm sobre as
qualidades dos líderes. Essa percepção dos
seguidores é decisiva para oferecer ou não ao
líder poder para liderá-lo. O seguidor terá uma
percepção positiva do líder quando percebe que
o líder conhece suas necessidades e procura
satisfaze-la da melhor forma possível.
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Assim, o carisma é um elemento chave na busca
da eficácia de um líder (carisma: “dom divino”,
segundo a etimologia do termo).
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• Ao exercer seu poder, o líder usa sua habilidade
de influenciar a cultura da organização, por atuar
na rede de significados, que, são a essência da
organização. (Líder como criador de significados)
Teorias de Liderança: A teoria dos traços:
McCleland
• O trabalho feito por McCleland é considerado no
referencial teórico da teoria dos traços, sendo
um pouco mais elaborada sua teoria busca
estudar traços da personalidade, propondo que
alguns líderes têm:
• 1. Alta motivação para o poder: busca por
posições de mando e autoridade, estima e status.
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• 2. baixa necessidade de aflição: maior
preocupação com os relacionamento do que com
as tarefas em si, tenta evitar conflitos e obter
relacionamento harmonioso
• 3. Orientação para realização: relacionado a
atitudes e valores, desejo de excelência e de
responsabilidades
Teorias de Liderança: A teoria dos traços
• A teoria de McCleland, embora reconhecida
como teoria do Traço, representa um ponto
intermediário para se chegar a teoria dos estilos
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• A Teoria dos Estilos
• Esta teoria também propõe aspectos especiais de
personalidade na eficácia de dirigir pessoas.
• O seguidor e a situação do líder não são
considerados também nessa teoria que buscou
estudar os estilos mais eficazes de liderança
• A partir da década de 1950 é considerado mais os
aspectos dinâmicos da personalidade e os
pesquisadores passam a dirigir sua atenção mais
para o que o líder possa fazer e não para o que ele
possa ser.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Nesta segunda etapa das pesquisas sobre a
liderança, procurou-se descrever o modo com o
líder se comporta em seus comportamentos
adotados. Assim, o estilo do comportamento passa
a ser responsável pelo aumento da eficácia em
dirigir as pessoas.
• Estilo de liderança: Conjunto de traços
comportamentais responsáveis por maneiras de
agir especiais no exercício da liderança.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Pós 2 Guerra: contingente elevado de
trabalhadores, para tal quadro é necessário
comportamento produtivo de liderança
• Estilo de lideranças: diferenças individuais e de
personalidade, vinculadas a características
intelectuais, emocionais, experiências vividas,
expectativas emocionais e motivação das pessoas.
Cada líder exerce de maneira particular seu papel
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Nesta segunda teoria acredita-se que as pessoas
poderiam ser treinadas para exibirem este tipo de
comportamento, uma vez que conhece o
comportamento responsável pela liderança eficaz.
• Surge necessidade de mudança nas organizações e
esse novo processo de desenvolvimento de
liderança seria o grande catalisador desta mudança
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Liderança: “Um processo racional e analítico, não
um traço natural no qual nascem poucos felizardos”.
O’Toole.
• Empresa: reflexo da personalidade (ação) de seus
dirigentes.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Os estilos (=padrão de comportamentos)
influenciarão a forma como alguem lida com as
diversas situações da empresa (indo bem ou com
estresse, frustração e conflitos).
• Algo novo no cenário organizacional: necessidade
de mudanças. Os responsáveis por tal processo são
os líderes das organizações
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Novo milênio: os executivos têm que estar
preparados para trabalhar em um ambiente novo e
competitivo, mas também de oportunidades.
Perspectivas novas têm que ser aproveitadas antes
que desapareçam
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Os estudos sobre A teoria dos estilos surgiram
durante as déc. De 50 e 60 nas universidades de
Ohio State e de Michigan.
• Partem da hipótese: “o estilo de liderança exibido
pelo líder determina o nível de desempenho
atingido pelo grupo por ele comandado” (Guiot).
• Início da valorização do subordinado no processo de
liderança
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• As características dos cargos das pessoas de
liderança foram analisadas mais de perto. Parte das
atividades dos líderes está ligada a “coisas”, outra
parte envolve pessoas.
• As pesquisas para conhecer os estilos basearam-se
em técnicas de diagnósticos projetivos por meio de
testes e questionários psicológicos respondidos
pelos chefes e seguidores a respeito dos tipos de
vínculos interpessoal.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Duas categorias especiais:
• 1. Voltada para a tarefa: Início de estrutura –
ocupam-se para que o trabalho saia conforme o
planejado. Considera o trabalho por si mesmo
• 2. Voltada para pessoas: Consideração – percebem
e atendem as necessidades dos subordinados,
oferecem apoio para suas expectativas pessoas em
clima de comunicação aberta. Considera sua
interação com o grupo.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• 1. Início de estrutura: grau em que o líder define a
estrutura, o seu papel e dos subordinados no
alcance dos objetivos do grupo
• 2. Consideração: grau em que o líder atua de
maneira amigável, apoio, buscando o bem-estar dos
subordinados, aceitando sugestões deles, tratandoo de igual para igual
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Enquanto Kurt Lewin estudava os dois estilos acima,
Rensis Likert na universidade de Michigan sugere o
estilo voltado à produção que foi considerado
autocrático e o estilo voltado para consideração
denominado de democrático
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Bryman: sugere em suas pesquisas que os líderes
do tipo Consideração oferecem um ambiente
agradável a seus subordinados, mas são vistos
como menos eficazes. Por outro lado, os líderes que
enfatizam atividades de Estruturação da tarefa,
reduzem os níveis de satisfação no trabalho, mas
são vistos como mais eficazes por seus superiores
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Exemplos do comportamento de Consideração:
Fazer favores pessoais aos subordinados, ouvir
problemas deles, ir a luta por eles, consultá-los
antes de prosseguir, aceitar sugestões e tratá-los
como iguais
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Exemplos comportamentos Início da estrutura:
criticas trabalhos malfeitos, enfatizar importância
dos cargos, designar subordinados para tarefas,
manter padrões de desempenho definidos,
subordinados sigam seus padrões de procedimento,
oferecer novas soluções problemas, coordenar as
atividades dos subordinados, e observar se eles
estão trabalhando no limite de suas capacidades
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Rensis Linkert ao mesmo tempo, denomina os dois
estilos de liderança:
• 1. Orientado para o empregado(democrática) e
2.orientado para a produção (autocrata, sendo cada
um desses o extremo do grau de participação e
envolvimento do funcionário, desde sua consulta e
participação até onde ele é indicado a fazer uma
tarefa sem conhecer as razões e porquês.
• Suas conclusões apontam que os líderes
democráticos são melhores avaliados
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Likert propõe estilos de liderança que vão do
sistema 1: a qual o seguidor não tem participação
alguma nas decisões até o Sistema 4 : no qual a
participação dele é integral.
• Programas de treinamento e preparação de líderes
foram surgindo: preparar os líderes é mais
importante do que somente o treinamento para
operar o maquinário (técnico). Líderes são muito
importante para se restringir ao RH
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Líderes eficazes conseguem ser altamente avaliados
nas duas dimensões: Pessoas e Trabalhos.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• O seguidor é um dos elementos decisivos para
avaliar a credibilidade e eficácia do líder e a
favorabilidade da interação entre os dois
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• A favoridade envolve 3 aspectos principais:
• 1. o tipo de relacionamento entre o líder e seus
seguidores;
• 2. A posição de poder (menos importante)
• 3. A estrutura da tarefa.
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Seguidor passa a ser considerado não mais como
passivo e submisso influência do líder
• O estilo comportamental do seguidor tem poder de
afetar a eficácia da ação do líder
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• A participação dos liderados auxilia na melhora da
qualidade decisória, maior aceitação das decisões,
melhor compreensão de todos sobre a
implementação das decisões. Auxilia também no
desenvolvimento das habilidades da tomada de
decisões, enriquecimento dos cargos e maior
facilidade na resolução de conflitos.
• Estilo de Administração participativa é considerado
por muitas correntes como o melhor estilo para
liderar independente da situação
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Outra Tipologia de estilos comportamentais (Erich
From) chama-se LIFO (Life Orientation), descreve 4
principais orientações para retratar Estilos de
liderança:
• 1. Orientação receptiva: de aceitação. Estilo dá e
apoia. Motivação: Participação
• 2. Orientação Exploradora: que assume o comando.
Estilo Toma e controla. Motivação: Mostrar-se
competente
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• 3. Orientação acumuladora: de preservação. Estilo
Mantem e conserva. Manter uma situação e sua
continuidade
• 4. Orientação de marketing: trocas sociais. Estilo
Adapta e negocia. Motivação: Conciliar pontos de
vistas aparentemente antagônico e a harmonia
social
• As pessoas possuem os 4 estilos ao mesmo tempo,
o que diferencia é a ordem de suas ênfases
Teorias de Liderança: A teoria dos estilos
• Essa teoria sugere que conhecendo o seu estilo, a
pessoa se construa a partir dos pontos fortes dele e
não devem se preocupar com o que não são seus
pontos fortes para não desperdiçar tempo precioso
tentando ser alguem diferente. – Visão otimista a
respeito de seus próprios recursos.
• No Brasil: LIFO é conhecido como LEMO
(Levantamento de Estilos Motivacionais). Cada
estilo tem uma escolha motivacional própria
Referência
• Resumo elaborado pelo professor Fabrício Diniz
Pinto, baseado na capítulo 1 do livro:
• BERGAMINI, Cecília Whitaker. Liderança. 2ª Ed. São
Paulo: Atlas 2009 (p.1-63)

similar documents