A Infraestrutura e os Seguros de Grandes Riscos

Report
CONGRESSO INTERNACIONAL DE DIREITO SECURITÁRIO
CIDISE 2013
Infraestrutura e os Seguros
de Grandes Riscos
Strictly Confidential
Tópicos:
1.
Aspectos atuais que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusões
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
2
Strictly Confidential
Momento positivo para a Industria de Seguros
Piramide etária, aumento da classe média, investimentos em infraestrutura e resseguro
… and improvements of social and
financial conditions....
Aging of population…
POPULATION PYRAMID
►
►
In the last years, the growth of medium
class stimulated the consumption and
accelerated economic growth
2003
2030 E
+
78
INFRA-STRUCTURE
INVESTMENTS (R$ bn)
DEMOGRAPHICS
The population pyramid of the country is
changing from a pyramid to a diamond
shape
2003
…generating a development environment
2014 E
+
High
Medium
37%
Low
+47
Millions of
People
►
Brazil will receive R$ 471 bn in infra-structure
investments in the next years
►
2016 Olympic Games and 2014 World Cup are
demanding huge investments in the sector
Airport
19
Port
55
Road
169
56%
27%
Oil &
Gas
228
0
Very Low
Men
Women
28%
20%
8%
Source: IBGE, Mckinsey&Company Study, SEP (Secretaria Especial de Portos), Brasil Plural Estimates, Min Fazenda
3
Total
471
Potencial da Industria Brasileira de Seguros
Comparação com outros paises mostra alto potencial de crescimento
Insurance Premium Penetration / GDP(²)
Non-Life Insurance penetration poised to grow(1)
►
►
Brazil is the 7th economy of the world,
however, is the 15th in terms of premiums
Solid growth potential when compared to
others developing countries
3.5
+
5.0
5.2
6.4
6.6
8.9
9.6
10.3
18.3
Note: (1) Swiss Re Economic Research. 2010 figures. Non-Life; (2) Swiss RE, in 2008
Source: ANS and SUSEP;
4
Tópicos:
1.
Aspectos que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusões
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
5
Strictly Confidential
Investimentos em infraestrutura previstos para
os próximos anos
Fonte: Site do Ministerio da Fazenda – Road Show Março 2013
6
Strictly Confidential
Disponível em: http://www.fazenda.gov.br
Investimentos em infraestrutura previstos para
os próximos anos
7
Strictly Confidential
Investimentos em infraestrutura previstos para
os próximos anos
8
Strictly Confidential
Indicadores de necessidade de investimentos
em infraestrutura
9
Strictly Confidential
Tópicos:
1.
Aspectos que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusões
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
1
Strictly Confidential
Principais modalidades de seguro em projetos de
infraestrutura
Durante a Fase de Construção






Completion Bond – Dar garantia a Bancos de Investimentos e Fundos
em relação ao montante de recursos alocado para finalização do projeto.
Transportes – Bens que irão integrar o empreendimento
DSU – Delay in Start-up - Atrasos no início da operação decorrentes de
acidente durante os transportes.
Garantias de Execução, de Entrega e de Perfeito Funcionamento
Risco de Engenharia – Garantia do tipo All Risks para todo o
empreendimento durante a construção, instalação/montagem e testes.
ALOP – Advanced Loss of Profits - O objetivo essencial da garantia é
segurar o risco de perda de oportunidade de obter receita devido à
ocorrência de um dano garantido pelo seguro de dano contratado.
Fonte: Apresentação Marsh – Infraestrutura, Seguro e Resseguro – 19/out/12
11
Strictly Confidential
Principais modalidades de seguro em projetos de
infraestrutura
Durante a Fase de Construção

Responsabilidade Civil Geral e Cruzada Completa (com fundações;
danos ambientais; danos a embarcações; lucros cessantes; empregador e
danos morais)

Automóvel/RCF

Saúde

Vida e Acidentes Pessoais

Equipamentos utilizados na construção/instalação e montagem
Fonte: Apresentação Marsh – Infraestrutura, Seguro e Resseguro – 19/out/12
12
Strictly Confidential
Principais modalidades de seguro em projetos de
infraestrutura
Durante a Fase Operacional

13
Riscos Operacionais – Garantia do tipo All Risks com inclusão de
Quebra de Máquinas quando cabível;

Lucros Cessantes

Responsabilidade Civil das Operações – RC Operação Portuária

Responsabilidade Civil Ambiental – Poluição

D&O – Responsabilidade Civil de Conselheiros/Diretores/Gerentes.

Transportes em geral

Riscos Diversos Equipamentos Fixos e/ou Móveis

Automóvel/RCF da empresa

Vida em Grupo e Acidentes Pessoais dos funcionários
Strictly Confidential
Tópicos:
1.
Aspectos que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusões
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
1
Strictly Confidential
Segmentação e Crescimento Histórico do Mercado
Crescimento acelerado em todas as linhas
Crescimento Anual médio nos últimos 5 anos (07-12)
Segmentação do Mercado em 2012 (R$ bn)
0%
5%
10%
15%
20%
Other Insurance
67.3
17.6%
2
Life & Accident
16.6
15.11
Saving Bonds
Health
15.6%
6.4
P&C Personal Lines
Pension
13.4%
Reinsurance
P&C Corporate
11.1%
Pension¹
22.1%
Saving Bonds
26.5
P&C Personal
Lines
21.9
Life & Accident
Note: 1. Includes only insurers: 2. Includes VGBL
Source: SUSEP and ANS
1
25%
13.4
P&C
Corporates
4.4
Reinsurance
16.2%
14.4%
Others
Health
11.7%
Líderes de Mercado por Linha de Negócios 2012
Property & Casualty
(Personal Lines)(1)
Volume R$
26.5 bn
Volume
(3)
R$ 13.4 bn Life & Accident
Property & Casualty
(Corporate)(2)
Volume
R$ 21.9 bn
Volume
R$ 4.4 bn
1º
Itaú / Porto
20%
1º
Itaú
29%
1º
Bradesco
18%
1º
BB
29%
2º
BB Mapfre
14%
2º
BB Mapfre
12%
2º
BB Mapfre
18%
2º
Itaú
16%
3º
Bradesco
12%
3º
Bradesco
7%
Itaú
15%
3º
Allianz
7%
Sul América
9%
Allianz
7%
Zurich Santander
12%
4º
Bradesco
5%
HDI Seguros
6%
ACE Seguradora
4%
Icatu
5%
J. Malucelli
4%
Others
38%
Others
40%
Others
33%
Others
38%
4º
5º
Volume
R$ 84.0 bn
Health(5)
4º
5º
Pension(6)
Volume
R$ 67.3 bn
3º
4º
5º
Reinsurance
Volume
R$ 6.4 bn
5º
Saving Bonds
Volume
R$ 16.6 bn
1º
UNIMED
34%
1º
Bradesco
30%
1º
IRB(7)
44%
1º
BB
24%
2º
Amilpar
10%
2º
Itaú
26%
2º
Foreigners
34%
2º
Bradesco
23%
3º
Bradesco
9%
3º
BB
26%
3º
Munich
9%
3º
Itaú
12%
4º
Sul América
8%
4º
Caixa
6%
4º
Mapfre
3%
4º
Sul América
9%
5º
Funcionários BB
3%
5º
Zurich Santander
4%
5º
ACE
3%
5º
Caixa
7%
Others
36%
Others
8%
Others
7%
Others
25%
Notes: SUSEP Groups: (1) 5 and 10; (2) 1, 2, 4 and 14; (3) 9 and 13; (4) 3, 7, 8, 11, 12, 15 and 16; (5) ANS; (6) Includes VGBL;
(7) Banks have a participation of 57,3% in IRB
1
Other Insurance(4)
Classificação das Resseguradoras autorizadas a
operar no Mercado Brasileiro
Local
Admitted
Occasional
Domiciled in Brazil, established as a
corporation, whose sole business
purpose is to carry out reinsurance
and retrocession transactions;
Domiciled abroad, with a
representative office in Brazil
Domiciled abroad, not allowed in
tax havens, without a
representative office in Brazil
Has been operating in the country
of origin for more than 5 (five)
years
Has been operating in the country
of origin for more than 5 (five)
years
Surplus of no less than US$
100,000,000.00
Surplus of no less than US$
150,000,000.00
Rating minimum
Solvency rating, issued by a risk
rating agency, with the minimum
rating S&P BBB-
Solvency rating, issued by a risk
rating agency, with the minimum
rating S&P BBB
Fund in Brazil
Foreign currency account in Brazil,
bound to SUSEP with minimum
amount of US$ 5,000,000.00
Domicile
Age
Surplus
Acceptance limit
17
Surplus of no less than R$
60,000,000.00
10% of annual premium ceded by
each ceding co. Variations by Line
Regulamentação Básica do Resseguro
Domestic Insurer
a
Minimum 40% of each piece of
reinsurance must be placed with
Local Reinsurers
b
c
Local Reinsurer
Retrocession limited to a
maximum of 50% of Annual GWP (1)
b
Admitted Foreign
Reinsurer
c
Occasional Foreign
Reinsurer
Free Placement
Domestic Insurer
Admitted Foreign
Reinsurer
Occasional Foreign
Reinsurer
Domestic Insurer
Admitted Foreign
Reinsurer
Occasional Foreign
Reinsurer
a
b
c
Local Reinsurer
Free Placement
Note: (1) Except for specific lines: Surety, Agricultural, Nuclear and Commercial Credit
18
Maximum 10% of annual ceded
premium can be directed to
Occasional Companies (1)
a
Local Reinsurer
Retrocession limited to a
maximum of 50% of
Annual GWP (1)
Reinsurance limited to a
maximum of 50% of Annual GWP (1)
Evolução do Mercado de Resseguros (R$bi)
2012
2007
0.01bn
Brazil
Insurance
Companies
(34.7bn)
International
Reinsurers
(1.7bn)
3.3bn
3.3bn
International
Insurance
Companies
0.02bn
Brazil
Insurance
Companies
(69.8bn)
1.7bn
IRB
(1.6bn)
6.4bn
1.6bn
4.1bn(c)
International
Insurance
Companies
(c)
19
2.3bn
Admitted and
Occasional
Companies
(3.9bn)
Local
Reinsurance
Companies
(2.7bn)
0.15bn(c)
IRB:2.5bn, Other Locals:1.60bn
Distribuição dos Premios de Resseguro
IRB
Other Locals
Adm+Ocas
Total
7.0
6.0
5.0
4.0
3.0
2.0
1.0
0.0
12/2004
12/2005
12/2006
12/2007
Source: SUSEP, Terra Brasis Re, figures for a 12-month rolling period
20
12/2008
12/2009
12/2010
12/2011
12/2012
Posição Estratégica dos Resseguradores Locais
Local reinsurers...
...with focus exclusively in reinsurance,
...with Brazilian capital and executives,
and from the private sector:
21
Tópicos:
1.
Aspectos que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusões
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
2
Strictly Confidential
Conclusões: Mercado Preparado?
1.
Aspectos Financeiros
2.
Aspectos Técnicos
3.
Regulamentação
4.
Práticas Operacionais
2
Strictly Confidential
Tópicos:
1.
Aspectos que afetam positivamente a Industria de Seguros
2.
Projetos de Infraestrutura para os Próximos Anos
3.
Principais Modalidades de Seguro para os Projetos de Infraestrutura
4.
O Mercado de Seguros e Resseguros
5.
Conclusão
Anexo: Principais Projetos de Infraestrutura Programados
2
Strictly Confidential
Principais projetos de infraestrutura programados
para os próximos anos
ANEXO
FONTES :
1- Revista Exame edição 01/05/2013
2- Ministerio da Fazenda – Road Show Infraestrutura no Brasil – 03/2013
3- Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
4- Secretaria de Planejamento do Estado de São Paulo
5- Marsh Corretora – Infraestrutura, Seguro e Resseguro – 10/2012
6- Terra Brasis Resseguros – Research 2012/2013
2
Strictly Confidential
Principais projetos de infraestrutura para os próximos anos
Parceria Público-Privadas (PPP)
O que são as Parcerias Público-Privadas (PPP)

Contratos de prestação de obras ou serviços não inferior a R$ 20,0 milhões;

Duração mínima de 5 e no máximo de 35 anos;

Firmado entre empresa privada e o governo federal, estadual ou municipal;

O agente privado é remunerado exclusivamente pelo governo ou numa combinação de tarifas
cobradas dos usuários dos serviços mais recursos públicos.
Tipos de Parcerias
Concessão Patrocinada – As tarifas cobradas não são suficientes para pagar os investimentos privados.
Dessa forma, o governo complementa a remuneração da empresa privada.
Concessão Administrativa – Quando não é possível cobrar do usuário pelo serviço de interesse público.
Dessa forma, a remuneração da empresa é integralmente feita pelo poder público.
2
Strictly Confidential
Principais projetos de infraestrutura para os próximos anos
Parceria Público-Privadas na Prática
Nos últimos anos aumentou o interesse pelas PPP. Atualmente, há diversos projetos pelo Brasil, desde
ações nacionais até estaduais.
Projetos apresentados pela iniciativa privada aos estados
25
27
Exemplos de projetos em andamento
 Fornecimento e manutenção de trens da Companhia
Paulista de Trens Metropolitanos (CPTM) de São
Paulo
 Construção do Complexo Datacenter do Banco do
Brasil e Caixa em Brasília
8
 Construção do Complexo Prisional de Ribeirão das
Neves, em Minas Gerais
3
 Reforma no estádio do Mineirão, em Belo Horizonte
2009
2010
A Previsão é que os
investimentos em PPPs
quintupliquem
Fonte: Revista Exame – Edição de 01/maio/2013
2
Strictly Confidential
2011
2012
2005
A partir de
2013
17
Projetos
40
Projetos
R$ 15 bilhões
R$ 77 bilhões
Grande Potencial de
Investimento Privado em
Infraestrutura
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovia BR-101 (BA)
Descrição Física
Trecho
BR-101, Entrada da BA-698 (Mucuri)até Entrada da BR-324/BA
Extensão Total
772 km
A duplicar
547 km (225 km, duplicação PAC) O projeto consiste na duplicação,
manutenção e operação da rodovia. Prevê, ainda, outras ampliações, que
inclui a construção de 67 km de vias marginais.
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 3,6 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 2,4 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 1,2 bi
9 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
28
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovia BR – 040 (MG/GO/DF)
Descrição Física
Trecho
BR-040, Juiz de Fora (MG) até Entrada da BR-251 (Brasília - DF)
Extensão Total
937 km
A duplicar
715 km (222 km já duplicados) O projeto consiste na duplicação,
manutenção e operação da rodovia. Prevê, ainda, outras ampliações, que
inclui a construção de vias marginais entre Luziânia e Brasília
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 6,7 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 3,2 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 3,5 bi
11 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
29
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovias BR-153 (GO/TO) e TO-080
Descrição Física
Trecho
BR-153, Anápolis (Entrada da BR-060/GO) até Entrada da TO-080;
TO-080, Entrada da BR 060/GO até Palmas.
Extensão Total
814 km
A duplicar
786 km (28 km já duplicados). O projeto consiste na
duplicação,manutenção e operação da rodovia. Prevê, ainda, outras
ampliações como a construção de 10 km de vias marginais
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 4,8 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 3,1 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 1,7 bi
11 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
30
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovias BR-060/153/262(DF/GO/MG)
Descrição Física
Trecho
BR-060, Entrada da BR-251 (DF) até entrada da BR-153/GO;
BR-153, Entrada da BR-060/GO até entrada da Br-262/MG;
BR-262, Entrada da BR-153/MG até entrada da BR-381 (Betim)
Extensão Total
1.177 km
A duplicar
648 km (529 km já duplicados). O projeto consiste na duplicação,
manutenção e operação da rodovia. Prevê, ainda, outras ampliações,
incluindo a construção de 27 km de vias marginais e um rodoanel em
Goiania.
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 6,1 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 3,6 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 2,5 bi
11 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
31
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovias BR-163/267/262 (MS)
Descrição Física
Trecho
BR-163, Divisa MT/MS até Divisa MS/PR; BR-262 MS; BR-267 MS
Extensão Total
1.423 km
A duplicar
1.383 km (40 km já duplicados). O projeto consiste na duplicação,
manutenção e operação da rodovia. Prevê, ainda, outras ampliações, que
inclui a construção de rodoaneis em 5 cidades e 44 km de vias marginais.
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 8,7 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 6,4 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 2,3 bi
16 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
32
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Rodoviárias
Concessão: Rodovia BR-163 (MT)
Descrição Física
Trecho
BR-163, Sinop até Divisa MT/MS
Extensão Total
822 km
A duplicar
435 km (55 km já duplicados; 332 km duplicação PAC). O projeto
consiste na duplicação, manutenção e operação da rodovia, incluindo
outras ampliações. Prevê ainda a construção de 20km de um rodoanel
(em 5 diferentes cidades) e 44 km de vias marginais.
Descrição Financeira
Duração do contrato
30 anos
R$ 4,7 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 2,2 bi
Ano 6 ao Ano 30: R$ 2,5 bi
9 praças de pedágio
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
33
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: Ferroanel São Paulo
Descrição Física
Trecho
Jundiaí até Engenheiro Manoel Feio; Ribeirão Pires até Evangelista de
Souza; Acessos a Santos
Extensão Total
245 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 4,8 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 3,5 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 1,3 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
34
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: Lucas do Rio Verde - Uruaçu - Palmas – Anápolis
Descrição Física
Trecho
Concessão: Lucas do Rio Verde - Uruaçu - Palmas – Anápolis
Extensão Total
1.920 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 10,2 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 4,1 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 6,1 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
35
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: Anápolis - Panorama – Dourados
Descrição Física
Trecho
Anápolis até Dourados
Extensão Total
1.294 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 8,0 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 3,5 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 4,5 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
36
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: Uruaçu - Corinto – Campos
Descrição Física
Trecho
Uruaçu – Corinto – Campos
Extensão Total
1.730 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 18,1 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 12,0 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 6,1 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
37
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão Maracaju - Eng Bley – Paranaguá
Descrição Física
Trecho
Maracaju – Eng. Bley – Paranaguá
Extensão Total
1.012 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 10,3 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 6,8 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 3,5 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
38
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: São Paulo - Rio Grande
Descrição Física
Trecho
São Paulo até Rio Grande
Extensão Total
1.800 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 13,0 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 6,7 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 6,3 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
39
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Ferroviárias
Concessão: Salvador – Recife
Descrição Física
Trecho
Salvador até Recife
Extensão Total
1.200 km
Descrição Financeira
Duração do contrato
35 anos
R$ 10,7 bi
Investimento Total Estimado
Ano 1 ao Ano 5: R$ 6,5 bi
Ano 6 ao Ano 35: R$ 4,2 bi
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
40
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
Investimentos privados na Região Sudeste - Perfil da Região

4 Estados: São Paulo, Rio de Janeiro, Espírito Santo e Minas Gerais

Região mais industrializada e com o maior mercado consumidor do país.

Concentra mercado de contêineres, principalmente nos portos de Santos e RJ.

Atividade muito importante de granéis sólidos em Itaguaí (RJ) e na região de Vitória (ES)

Concentra atividade petrolífera offshore, nas bacias de Campos e Santos
Sudeste
UF
Portos
2014/2015
2016/2017
ES
Vitória
6.512
6.875
RJ
Itaguaí/ Rio de Janeiro
7.053
4.466
SP
Santos/Sebastião
2.944
805
16.509
12.146
TOTAL
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
41
Investimentos (R$ milhões)
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
 Concessão do Porto de Águas Profundas (ES)
Tipos de carga
Contêineres e granéis
Valor total do investimento previsto
R$ 2,9 bilhões até 2017
Prazo da Concessão
25 anos, prorrogáveis por igual período
Arrendamentos de instalações portuárias
Licitações para 44 áreas operacionais dentro de portos públicos
Publicação dos editais
Quatro lotes entre junho e setembro/2013
Leilões
Quatro lotes entre novembro/2013 e fevereiro/2014
Contêineres – 20 terminais – investimento previsto R$ 1,3 bilhões
Tipos de carga
Granel Sólido – 10 terminais – investimento previsto R$ 2,2 bilhões
Granel Líquido – 12 terminais – investimento previsto R$ 1,3 bilhões
Apoio Offshore – 2 terminais – investimento previsto R$ 307 milhões
Prazo dos Arrendamentos
25 anos, prorrogáveis por igual período
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
42
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
Investimentos privados na Região Nordeste - Perfil da Região




9 Estados: Bahia, Sergipe, Alagoas, Pernambuco, Paraíba, Rio Grande do Norte, Ceará, Piauí e
Maranhão
Região recebe importantes investimentos logísticos: Ferrovia Transnordestina e Ferrovia OesteLeste
Integração dos portos de Suape e Pecém à malha ferroviária para recebimento de granéis
originados do Centro-Oeste do país
Importante movimento de minérios no Porto de Itaqui, no Maranhão
Nordeste
UF
Portos
2014/2015
2016/2017
MA
Itaqui
2.722
1.872
BA
Aratu/Salvador/Porto sul/ Ilhéus
1.295
2.760
PE
Recife/Suape
1.414
527
CE
Pecém
1.224
-
PB
Cabedelo
107
-
AL
Maceió
12
-
6.775
5159
TOTAL
43
Investimentos (R$ milhões)
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
 Concessão do Porto de Ilhéus (BA)
Concessão integral para novos investimentos e operação do porto de Ilhéus no sul da Bahia
Tipos de carga
Carga geral, passageiros e granel sólido
Valor total do investimento previsto
R$ 100 milhões até 2017
Prazo da Concessão
25 anos, prorrogáveis por igual período
Arrendamentos de instalações portuárias
Licitações
48 áreas operacionais dentro de portos públicos
Prazo dos Arrendamentos
25 anos, prorrogáveis por igual período
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
44
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
Investimentos privados na Região Sul – Perfil da Região



3 Estados: Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul
Região com grande produção agropecuária Importante escoamento de granéis
agrícolas da região do Centro-Oeste, sobretudo no Porto de Paranaguá.
Importante movimentação de contêineres em toda a região, sobretudo nos
portos de Rio Grande, Paranaguá e Itajaí.
Sul
Investimentos (R$ milhões)
UF
Portos
2014/2015
2016/2017
PR
Paranaguá/Antonia
1.038
3.329
SC
Imbituba/Itajaí/ São Francisco do
Sul
1.343
781
RS
Porto Alegre/ Rio Grande
982
140
3.363
4.250
TOTAL
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
45
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
 Concessão do Porto de Imbituba (SC)
Concessão integral para novos investimentos e operação do porto de Imbituba, em SC
Tipos de carga
Carga geral e granel sólido
Valor total do investimento previsto
R$ 100 milhões até 2017
Prazo da Concessão
25 anos, prorrogáveis por igual período
Arrendamentos de instalações portuárias
Licitações
39 áreas operacionais dentro de portos públicos
Prazo dos Arrendamentos
25 anos, prorrogáveis por igual período
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
46
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
Investimentos privados na Região Norte – Perfil da Região

7 Estados: Tocantins, Pará, Amapá, Roraima, Amazonas, Acre e Rondônia

Região com grande potencial agrícola e mineral

Região industrial importante na Zona Franca de Manaus (AM)

Integração dos portos da região de Belém/Vila do Conde à malha ferroviária, através
da Ferrovia Norte-Sul, possibilitando escoamento de produtos de diversas regiões do
país
Norte
UF
Portos
PA
Belém/Miramar/Outeiros/Santarém/V
ila do Conde
AM
Manuas/Itacoatiara
AP
RO
Investimentos (R$ milhões)
2014/2015
2014/15
92
Macapá
985
-
Porto Velho
135
-
115
1.597
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
Strictly Confidential
1.505
3.317
TOTAL
47
2016/2017
Infraestrutura no Brasil
Obras Portuárias
 Concessão do Porto do Polo Industrial de Manaus (AM)
Concessão integral para construção de um porto novo no estado do Amazonas
Tipos de carga
Contêineres
Valor total do investimento previsto
R$ 400 milhões até 2017
Prazo da Concessão
25 anos, prorrogáveis por igual período
Arrendamentos de instalações portuárias
Licitações
27 áreas operacionais dentro de portos públicos
Prazo dos Arrendamentos
25 anos, prorrogáveis por igual período
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
48
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Aeroportuárias
 Perfil Financeiro
Concessão do Aeroporto Galeão
Receitas
Comercial
Carga
Aeronaves
Passageiros
R$ 389
R$ 160
R$ 83
R$ 43
R$ 103
Despesas Operacionais
R$ 300
EBITDA
R$ 66
EBITDA % Receita Líquida
17,1%
EBITDA/Passageiros
4,44
EBITDA/ Empregado
69.331
Receita Comercial/ Passageiros
10,69
Passageiros/Ano*
2012
17.500.000
2022
31.750.849
2032
49.725.180
2042
68.978.123
*Estimativa de Demanda
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
49
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras Aeroportuárias
 Perfil Financeiro
Concessão do Aeroporto Cofins
Receitas
Comercial
Carga
Aeronaves
Passageiros
R$ 139
R$ 53
R$ 17
R$ 13
R$ 56
Despesas Operacionais
R$ 87
EBITDA
R$ 43
EBITDA % Receita Líquida
30,7%
EBITDA/Passageiros
4,54
EBITDA/ Empregado
123.616
Receita Comercial/ Passageiros
Passageiros/Ano*
2012
10.400.000
2022
20.910.421
2032
33.618.650
2042
47.484.943
*Estimativa de Demanda
5,70
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
50
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Petróleo e Gás
11ª Rodada Áreas a serem ofertadas
Bacia
UF
Nº
Blocos
Área
(km2)
AL
Sergipe-Alagoas-terra
25
Bacia
UF
Nº
Blocos
Área (km2)
Ceará
CE
11
7.388
CE
8
5,791
RN
2
1.534
20
587
MA
26
13.073
MA
4
3.077
PA
2
1.538
PI
14
42.143
MA
6
17.716
12
289
155.813
755
Potiguar (mar)
Foz do Amazonas
AP
PB
Pernambuco – Paraíba
Tucano Sul
Espírito Santo (mar)
PE
BA
ES
97
44.500
Potiguar (terra)
5
5
2.991
3.299
36
6.455
6
4.328
Barreirinhas
Pará- Maranhão
Parnaíba – terra
Espírito Santo (terra)
Recôncavo
ES
BA
6
178
16
474
Total
Fonte: Road Show Infraestrutura no Brasil – Projetos, financiamento e oportunidades (março/2013)
51
Strictly Confidential
RN
Infraestrutura no Brasil
Obras Metroviárias
 Estado de São Paulo
PPP – Projetos Contratados
Linha 4 Amarela (STM/Metrô)
Luz/Vila Sônia – 12,8 km – 6 estações 29 trens
Investimento
Público:
R$ 4,6 bilhões
Privado:
R$ 1,0 bilhão
Total:
Modelo de Negócio
Prazo
Licitação
Critério de Julgamento
Estágio Atual
Fonte: Site Secretária de Planejamento do Estado de São Paulo
52
Strictly Confidential
R$ 5,6 bilhões
Concessão patrocinada precedida
de obra pública
30 anos
Internacional
Menor Contraprestação
Contrato assinado em Nov/2006
Infraestrutura no Brasil
Obras Metroviárias
 Estado de São Paulo
PPP – Projetos com Modelagem Aprovada
Linha 6 Laranja (STM/Metrô)
Metrô Linha 18-Bronze VLT São Paulo - SBC
(STM/Metrô)
Implantação e operação de 15,3 km, 15 estações e
23 trens, atendimento de 630 mil passageiros/dia
Extensão de 14,2 km, 12 estações e 23 trens,
atendimento de 365 mil passageiros/dia
Investimento
Modelo de Negócio
Prazo
Licitação
Critério de Julgamento
Estágio Atual
R$ 8,06 bilhões (referência)
R$ 3,01 bilhões (estimado)
Concessão patrocinada
Concessão patrocinada
25 anos
25 anos
Internacional
Internacional
Menor Contraprestação
Menor Contraprestação
Licitação: recebimento de
propostas até 30/jul/2013
Audiência pública: 12/Mar/2013
Fonte: Site Secretária de Planejamento do Estado de São Paulo
53
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
 Hidrelétrica
Expansão a Contratar -Leilões: 2013 a 2017
Investimento Total Estimado em UHE a serem leiloados R$ 79,8 bilhões
Leilão
2013
2014
Hidrelétrica
SINOP
Teles Pires/ MT
400
Davinopólis
Paranaíba/ MG-GO
74
São Manoel
Teles Pires/ MT- PA
700
Apertados
Piquiri/ PR
136
Ercilândia
Piquiri/ PR
97
S Luíz Tapajós (*)
Tapajós/PA
6.133
Água Limpa
Das mortes/ MT
380
Comissário
Piquiri/ PR
105
Foz Piquiri
Piquiri/ PR
101
Telêmaco Borba
Tibagi/ PR
109
Paranhos
Chopim/PR
63
Tabajara
Ji-Paraná/RO
350
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
54
Rio / UF
Capacida
de
(MW)
Strictly Confidential
Capacidade
Total
(MW)
Investimentos
estimados em
Dez/2012
(R$ bilhões)
1.407
6,2
7.241
24,4
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
Leilão
2015
Hidrelétrica
Rio / UF
Capacidade
(MW)
Jatobá
Tapajós/PA
2.336
Castanheira
Arinos/ MT
192
Itapiranga
Uruguai/SC-RS
721
Torixoréu
Araguaia/ GO-MT
408
Bem Querer
Branco/ RR
709
Riacho Seco
S. Francisco / PE-BA
276
Salto Augusto
Baixo
Juruena/ MT-AM
S. Simão Alto
Juruena/ MT-AM
3.509
Pompeu
S. Francisco / MG
209
Marabá
Tocantins / PA-MA
2.160
Prainha
Aripuanã/ AM
2016
2007
TOTAL
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
55
Strictly Confidential
Capacidade
Total
(MW)
Investimentos
estimados em
Dez/2012
(R$ bilhões)
3.249
12,4
1.117
5,3
8.407
31,5
21.421
79,8
1.461
792
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
 Hidrelétrica
Expansão a contratar
Leilões em 2013
UHE São Manoel
Potência
700 MW
Unidade Geradora
5
Turbina
KAPLAN
Investimento Estimado
R$ 2,4 BILHÕES
UHE SINOP
Potência
Unidade Geradora
Turbina
Investimento Estimado
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
56
Strictly Confidential
400 MW
3
KAPLAN
R$ 1,9 BILHÕES
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
 Desenvolvimento da energia eólica no Brasil
Em operação e contratada
A contratar nos leilões de 2013 a 2017
Total Previsto
(MW)
Investimento
(R$ bilhões)
5.720
23,8
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
57
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
 Desenvolvimento da bioeletricidade no Brasil
Em operação e contratada
A contratar nos leilões de 2013 a 2017
Total Previsto
(MW)
Investimento
(R$ bilhões)
3.160
6,9
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
58
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão

Outras Fontes a Contratar nos Leilões de 2013 a 2017
Pequenas Centrais Hidrelétricas - PCHs
Total Previsto
(MW)
Investimento
(R$ bilhões)
1.170
7,2
A contratar nos leilões de 2013 a 2017
Total Previsto
(MW)
Investimento
(R$ bilhões)
1.500
2,9
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
59
Strictly Confidential
Infraestrutura no Brasil
Obras em Energia Elétrica e Linhas de Transmissão
Geração de Energia Elétrica a Contratar de 2013 a 2017
(dados consolidados)
Total Previsto
(MW)
Investimento
(R$ bilhões)
Hidrelétrica
21.421
79,8
Outras Fontes Renováveis
(Eólica, Biomassa e PCH)
10.050
Termelétrica (Gás Natural)
1.500
37,9
32.971
120,6
Fontes
TOTAL
Fonte: Empresa de Pesquisa Energética (EPE)
60
Strictly Confidential
Contatos Terra Brasis Resseguros S.A.
Endereço
Avenida Presidente Juscelino Kubitschek, 1700 – 12º Floor
Itaim Bibi – São Paulo – SP – Brazil – 04552-080
Contatos
Paulo Eduardo de Freitas Botti Diretor Presidente
[email protected]
+55 11 3320 5056
Carlos Roberto De Zoppa Diretor Técnico
[email protected]
+55 11 3320 5058
61
Strictly Confidential

similar documents