1° Trimestre Tarefa Ensino Médio 2º ano classe:___ Prof. Daniel

Report
.
1° Trimestre
Tarefa
Ensino Médio 2º ano classe:___ Prof. Daniel
Nome:______________________________________ nº___
.
__
INSTRUÇÕES – A tarefa deve ser entregue com capa e com todas as resoluções dos exercícios.
1-(ANHMEBI-MED 2014) Ao realizar meiose, um
organismo diploide, duplo heterozigoto com
segregação independente, gera quatro células
reprodutivas haploides.
Assinale a alternativa que contém, correta e
respectivamente, o número de alelos envolvidos, a
distribuição destes nos cromossomos, e os tipos de
gametas produzidos nessa meiose.
(A) Quatro pares de alelos em dois cromossomos
homólogos; AB, Ab, aB e ab.
(B) Dois pares de alelos em um par de cromossomos
homólogos; AB e ab, apenas.
(C) Dois pares de alelos em um mesmo cromossomo; A,
a, B e b.
(D) Quatro alelos em quatro cromossomos, sendo dois
pares homólogos; AB, Ab, aB e ab.
(E) Dois alelos em um par de cromossomos homólogos;
A, a, B e b.
2-(FMJ-2008) Em genética, é comum o uso do quadrado
de Punnett para descobrir as porcentagens ou
probabilidades do nascimento de um descendente com
as características desejadas. Um exemplo pode ser
ilustrado abaixo:
A letra indicada dentro de cada círculo representa
(A) alelo presente em célula somática.
(B) alelo presente em célula haplóide.
(C) DNA presente em célula somática.
(D) cromossomo presente em célula gamética.
(E) uma base nitrogenada presente em célula haplóide.
3-(UENF 2000) Suponha o casamento entre dois
membros de uma mesma família que apresentem,
igualmente, os genótipos Aa, no qual o gene recessivo
a determina uma doença genética.
a) Explique por que o casamento entre pessoas da
mesma família aumenta a chance de aparecimento de
alguma doença genética nos filhos.
b) Demonstre, por meio de um esquema, a
probabilidade do nascimento de filhos com
a doença genética, a partir desse casamento.
4-(ANHEMBI-MED 2014) Analise o heredograma.
Supondo que a característica analisada, ilustrada pelos
símbolos escuros, seja condicionada por apenas um par
de alelos, é correto afirmar que
(A) III-2 é homozigoto recessivo, assim como sua avó
materna.
(B) II-3 e II-4 são heterozigotos para essa característica.
(C) o casamento entre I-1 e I-2 indica que essa
característica é recessiva.
(D) o casamento entre II-1 e II-2 indica que essa
característica é dominante.
(E) II-1 é mãe de um menino afetado pela característica
dominante.
5-(FMJ 2004) Sabendo-se que a doença é autossômica
recessiva, a chance de um casal normal, que já teve
uma criança afetada pela doença, ter outra criança
também afetada é de
(A) 1/2.
(B) 1/3.
(C) 1/4.
(D) 1/8.
(E) 2/3.
6-(FGV 2013) O heredograma traz informações a
respeito da hereditariedade de uma determinada
característica
fenotípica,
indivíduos
escuros,
condicionada por um par de alelos.
Admitindo que o indivíduo II4 seja homozigoto, a
probabilidade de nascimento de uma menina, também
homozigota e afetada por tal característica, a partir do
casamento entre II3 e II4, é
(A) 3/4.
(B)1/2.
(C) 1/4.
(D) 1/8.
(E) zero.
7-(FMJ 2011) Uma cobaia do sexo feminino apresenta o
genótipo Bb que determina a cor preta da sua pelagem e o
gene recessivo b determina a cor branca para a pelagem.
Ao ser cruzada com um macho, pode-se afirmar que a
probabilidade dessa cobaia gerar descendentes com as
mesmas características genotípicas suas é de
(A) 0 %.
(B) 45,0 %.
(C) 50,0 %.
(D) 66,0 %.
(E) 75,0 %.
8-(FAMECA 2008) Em cobaias, a cor preta é determinada
por um alelo P, e a cor amarela pelo alelo p. Uma fêmea
preta, quando cruzada com um macho amarelo, produz
descendentes pretos e amarelos na mesma proporção. Se
essa fêmea for cruzada com um macho preto, a
probabilidade de nascerem três descendentes com o
mesmo genótipo dela será
(A) 0%, pois genótipo do macho não foi informado.
(B) 12,5%, independentemente do genótipo dos machos.
(C) 25%, se o macho for homozigoto dominante.
(D) 66%, considerando os machos pretos.
(E) 50%, independentemente do genótipo do macho.
9-(FMJ 2012) Uma pequena cidade próxima de Natal (RN),
Serrinha dos Pintos, é considerada a capital mundial de
uma rara doença genética conhecida como síndrome de
Spoan. Essa doença é neurodegenerativa e é causada por
alelos autossômicos, sendo mais comum em filhos de
casamentos consanguíneos (entre familiares). Os sintomas
da Spoan já aparecem no primeiro ano de vida e vão se
agravando com o passar do tempo. A
criança tem dificuldade de engatinhar e de ficar em pé, tem
fortes problemas de visão (enxerga apenas 10% do normal)
e sente fraqueza nas pernas. Até a adolescência, a maioria
já é obrigada a usar cadeira de rodas.
(http://www1.folha.uol.com.br/folha/ciencia/07.09.2008.
Adaptado)
Considerando os dados, uma genealogia hipotética foi
montada.
De acordo com a genealogia, pode-se concluir que
(A) o casal I tem 75% de chance de gerar outra criança com
a síndrome de Spoan.
(B) o casal III tem 1/9 de chance de gerar uma criança com
a síndrome de Spoan.
(C) os indivíduos 2, 5, 6 e 7 são certamente heterozigotos.
(D) o próximo filho do casal II terá obrigatoriamente a
síndrome de Spoan.
(E) a doença é considerada autossômica dominante pelo
fato de as pessoas 1, 3 e 4 serem normais.
10-(UFES 2012) Um produtor de flores recebeu algumas
sementes de petúnia, que eram provenientes de plantas
com flores roxas e de plantas com flores brancas, ambas
com folhas serrilhadas nas bordas. Ao cruzá-las, observou
que a progênie era composta apenas de flores roxas, mas
as folhas apresentavam dois tipos diferentes de fenótipos:
a maioria das plantas (75%) era serrilhada e as outras (25%)
tinham a borda da folha lisa. Com base nessas informações,
A) indique o genótipo das plantas da progênie obtida pelo
agricultor, para a característica cor da flor. Utilize letras
maiúsculas para os alelos dominantes e minúsculas para os
recessivos;
B) determine a proporção esperada de plantas que
apresentarão flores brancas e folhas com bordas
serrilhadas, caso o agricultor promova a autofecundação
das plantas da progênie;
C) indique o padrão de segregação dos genes responsáveis
pela determinação das características apresentadas na
progênie.
11-(UNESP – 2013) No romance Dom Casmurro, de
Machado de Assis, Bentinho vive uma incerteza: Ezequiel,
seu filho com Capitu, é mesmo seu filho biológico ou Capitu
teria cometido adultério com Escobar?
O drama de Bentinho começa quando, no velório de
Escobar, momentos houve em que os olhos de Capitu
fitaram o defunto, quais os da viúva. Escobar havia sido o
melhor amigo de Bentinho e fora casado com Sancha, com
quem tivera uma filha. Suponha que, à época, fosse
possível investigar a paternidade usando os tipos
sanguíneos dos envolvidos. O resultado dos exames
revelou que Bentinho era de sangue tipo O Rh–, Capitu era
de tipo AB Rh+ e Ezequiel era do tipo A Rh–. Como Escobar
já havia falecido, foi feita a tipagem sanguínea de sua
mulher, Sancha, que era do tipo B Rh+, e da filha de ambos,
que era do tipo AB Rh–. Com relação à identificação do pai
biológico de Ezequiel, a partir dos dados da tipagem
sanguínea, é correto afirmar que
(A) permaneceria a dúvida, pois os tipos sanguíneos de
Sancha e de sua filha indicam que Escobar ou tinha sangue
tipo O Rh+, e nesse caso ele, mas não Bentinho, poderia ser
o pai, ou tinha sangue tipo AB Rh–, o que excluiria a
possibilidade de Escobar ser o pai de Ezequiel.
(B) permaneceria a dúvida, pois os tipos sanguíneos dos
envolvidos não permitem excluir a possibilidade de
Bentinho ser o pai de Ezequiel, assim como não permitem
excluir a possibilidade de Escobar o ser.
(C) permaneceria a dúvida, pois, no que se refere ao
sistema ABO, os resultados excluem a possibilidade de
Escobar ser o pai e indicam que Bentinho poderia ser o pai
de Ezequiel; mas, no que se refere ao sistema RH, os
resultados excluem a possibilidade de Bentinho ser o pai e
indicam que Escobar poderia sê-lo.
(D) seria esclarecida a dúvida, pois, tanto no sistema ABO
quanto no sistema RH, os resultados excluem a
possibilidade de Bentinho, mas não de Escobar, ser o pai
de Ezequiel.
(E) seria esclarecida a dúvida, pois os tipos sanguíneos de
Ezequiel e da filha de Sancha indicam que eles não
poderiam ser filhos de um mesmo pai, o que excluiria a
possibilidade de Escobar ser o pai de Ezequiel.
12-(UFCE) Na herança do sistema sangüíneo ABO, há três
alelos autossômicos principais: IA (para sangue tipo A), IB
(para sangue tipo B) e i (para sangue do tipo O). Sabe-se
ainda, que IA e IB são codominantes, ambos dominando
sobre i. Uma mulher tipo A, casada com um homem tipo B,
teve uma filha do tipo O. O homem não quis reconhecer a
paternidade alegando infidelidade por parte da mulher.
Como na época em que o fato ocorreu não havia o “exame
de DNA”, o Juiz recorreu a um geneticista que lhe
apresentou um parecer sobre o caso.
Assinale a alternativa que contém a conclusão correta do
geneticista.
a) O homem tem razão, pois, por se tratar de um caso de
herança ligada ao sexo, a filha dos dois teria que ser,
obrigatoriamente, do tipo A.
b) O homem tem razão, pois, pais com tipos A e B,
quaisquer que sejam seus genótipos, jamais poderiam ter
filhos ou filhas do tipo O.
c) O homem não tem razão, pois, pais com tipos A e B,
dependendo de seus genótipos, podem ter filhos ou filhas
com qualquer um dos tipos sanguíneos (A, B, AB, O).
d) O homem não tem razão, pois, por se tratar de herança
autossômica, filhos e filhas teriam que ser,
obrigatoriamente, do tipo O.
e) O homem tem razão, pois, pais com tipos A e B, só
podem ter filhos ou filhas do tipo AB, visto que I A e IB são
codominantes.
13 – (UFRJ) Nas transfusões sangüíneas, o doador deve ter
o mesmo tipo de sangue que o receptor com relação ao
sistema ABO. Em situações de emergência, na falta de
sangue do mesmo tipo, podem ser feitas transfusões de
pequenos volumes de sangue O para pacientes dos grupos
A, B ou AB. Explique o problema que pode ocorrer se forem
fornecidos grandes volumes de sangue O para pacientes A,
B ou AB.
II. Para o sistema ABO, o casal poderá ter filhos que não
poderão doar sangue para qualquer um dos pais.
III. O casal poderá ter filhos Rh positivo, que terão suas
hemácias lisadas por anticorpos anti-Rh produzidos
durante a gravidez da mãe.
IV. Se for considerado apenas o sistema Rh, o pai poderá
doar sangue a qualquer um de seus filhos.
São corretas, apenas, as afirmações
a) II e IV.
b) I, II e IV.
c) II, III e IV.
d) I, II e III.
e) I e III.
15 – (F.I.Anápolis-GO) Um aluno realizou um teste de
tipagem sangüínea na escola e o resultado é mostrado na
figura abaixo.
Sabendo-se que seu pai é do tipo sangüíneo A, Rh+ e que o
aluno em questão teve eritroblastose ao nascer, assinale a
alternativa que apresenta o tipo sangüíneo e o genótipo
desse aluno:
a) A, Rh–; IAIA, rr
b) A, Rh–; IAi, Rr
c) B, Rh–; IBIB, rr
d) B, Rh+; IBi, RR
e) B, Rh+; IBi, Rr
16 - (UFF - 2011) Em um aconselhamento genético o
médico fez a análise de um casal formado por um homem
do grupo sanguíneo dito receptor universal Rh– e uma
mulher do grupo A Rh+, cuja mãe é doadora universal Rh–
. Após análise, o médico chegou a várias conclusões quanto
ao grupo sanguíneo e às doenças que os filhos do casal
poderiam ter.
14 – (UNESP) Observe a genealogia.
Para o casal (5 e 6) que pretende ter muitos flhos, foram
feitas as quatro afirmações a seguir.
I. O casal só terá filhos AB e Rh positivo.
a) Por que esse homem é chamado de receptor universal?
Justifique sua resposta, considerando a presença ou
ausência de aglutininas e aglutinogênios.
b) Com base na análise genotípica, quais seriam os
prováveis grupos sanguíneos dos filhos do casal? Justifique
sua resposta.
c) Qual a probabilidade de cada fenótipo possível, em
relação ao fator Rh, para os filhos do casal?
d) O casal poderia ter filho com eritroblastose fetal?
Justifique sua resposta.

similar documents