Lusofonia PB - Lutz Hoepner

Report
O Português do Brasil (PB)
em contraste com o Português Europeu (PE)
U purtuguêis é muito fáciu di aprendê, purqui é uma língua qui a genti iscrevi ixatamenti cumu si fala.
Num é cumu inglêis qui dá até vontadi di ri quandu a genti discobri cumu é qui si iscrevi algumas
palavras. Im portuguêis, é só prestátenção. U alemão pur exemplu. Qué coisa mais doida? Num bate nada
cum nada. Até nu espanhol qui é parecidu, si iscrevi muito diferenti. Qui bom qui a minha lingua é u
purtuguêis. Quem soubê falá, sabi iscrevê.
Jô Soares, revista veja, 28 de novembro de 1990
Os estados Federais
As grandes regiões (linguísticas)
O PB formou-se a partir do século XVI, com a colonização e exploração do
território brasileiro. Desde o início houve as mais diversas influências sobre o
PT falado no Brasil:
- as línguas indígenas (Tupi-Guarani desde o norte e pela costa até ao sul:
Língua Geral até 1759)
- as diversas línguas africanas
- e mais tarde, a partir do séc. XIX - as línguas dos imigrantes no Brasil (alemão,
italiano, espanhol, e outras).
Conceitos básicos: Dialeto, sotaque, fala/falar, linguajar
Dialeto – Dialekt/Mundart:
Variação regional de uma língua em todas as áreas da linguística: fonética, gramática,
léxico, sintaxe; não restrita a grupos sociais duma mesma região:
Paulista, Sulista, Carioca, Gaúcho, Nordestino.
Socioleto: variedade linguística usada por uma comunidade (social, profissional ...).
Sotaque – Akzent
Pronúncia característica de uma região.
Linguajar / falar / fala – Redeweise
Modo de falar característico de região, grupo social, família, pessoa.
Dialetos do PB
O linguista Ataliba de Castilho diz: “O português paulista espalhou-se pelo Brasil. Se você
olhar mapas que retratem os movimentos das bandeiras, das entradas e dos tropeiros, verá
que os paulistas tomaram várias direções, […]. Era paulista a língua que se falava no Rio
de Janeiro. Isso mudou em 1808, quando a população do Rio era de 14 mil habitantes e [o
rei português] D. João VI chegou com sua Corte, cerca de 16 mil portugueses. Não eram
portugueses quaisquer. Eram portugueses da Corte. Seu prestígio fez com que
imediatamente a língua local fosse alterada. E os cariocas começaram a chiar, como os
portugueses de então". Jornal da Unicamp, Ed. 328, 2006
O PB não conhece uma pronúncia única, um padrão nacional. Os dialetos das cidades
de São Paulo e Rio de Janeiro são os que têm maior presença no Brasil. SP é centro
económico e dos media (PB: mídia). O dialeto paulistano é declarado como o mais
prestigioso entre os brasileiros. O dialeto do Rio de Janeiro é apontado como padrão pelos
estudiosos. A hegemonia do dialeto carioca vem do tempo em que o Rio era capital do
Brasil, continuando um centro económico e cultural do país.
Os dialetos brasileiros mais importantes
Sudeste: Paulista
Sulista: gaúcho
Centro-oeste: caipira
Baiano - falado sobretudo
na Bahia, mas utilizado em
regiões do Sergipe e de Minas
Gerais;
Caipira - no interior do estado
de São Paulo, sul de Goiás,
norte do Paraná, parte do Mato
Grosso e Mato Grosso do Sul,
sul de Minas Gerais e Triângulo
Mineiro;
Carioca - no estado do Rio de
Janeiro, e em regiões vizinhas;
Gaúcho - no Rio Grande do Sul
e partes de Santa Catarina;
Mineiro - centro e leste
de Minas Gerais;
Nordestino - no sul do Ceará,
Pernambuco, Alagoas, Sergipe e
Paraíba. Há diferenças
linguísticas;
Paulistano - utilizado na região
de São Paulo.
Os fenómenos fonéticos mais importantes do PB
Minorias
linguísticas
no Brasil,
as línguas
indígenas
Imigração alemã no
Brasil (desde 1824)
Pomerano & Hunsriqueano
segunda língua em alguns
municípios em Minas Gerais, S.
Catarina, R. Grande do Sul, Espírito
Santo

similar documents