FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO

Report
FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO
AULA – 1
DOCENTE: EDSON ALENCAR SILVA
APRESENTAÇÕES PESSOAIS
 Nome, graduação, o que pretende com o curso, linha
de pesquisa para o TCC;
APRESENTAÇÃO DO CURSO
 Introdução: Filosofia e o mundo da vida;
 Linhas
Filosóficas
contemporâneas
mais
significantes são acionadas para reflexão dos
problemas pedagógicos (liberalismo, positivismo,
fenomenologia e materialismo histórico dialético);
 Análise
problematizadora
abordagens de educação;
sobre
diferentes
AVALIAÇÃO
 Elaboração de paper individual, mín. 2.pg, máx. 3.pg
 Seguir normas ABNT
 Tema: Como a Filosofia pode ser utilizada no
processo psicopedagógico;
 Entrega: 09/03/2013
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 DEFINIÇÕES:
- A Filosofia estuda, por meio do encadeamento lógico de
ideias, muitos problemas relacionados a vida humana: o
conhecimento, a moral, verdade, estética, a mente e a
linguagem;
- Distingui-se, dessa maneira, da mitologia e da religião;
- Como disciplina ela tem origem na Grécia, pois foi lá que
se desenvolveu como sistema de pensamento distinto.
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 Segundo Marilena Chauí (2000):
“Filosofia significa (...) amizade pela sabedoria,
amor e respeito pelo saber. Filósofo: o que ama a
sabedoria, amor e respeito pelo saber.”
 O filósofo seria todo aquele que ama e respeita a
sabedoria buscando-a em sua vida.
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 “Filosofia é um modo de pensar e exprimir os
pensamentos que surgiu especificamente com os
gregos e que, por razões históricas e políticas,
tornou-se, depois, o modo de pensar e de se exprimir
predominante da chamada cultura europeia
ocidental da qual, em decorrência da colonização
portuguesa do Brasil, nós também participamos.”
(CHAUÍ, 2000)
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 Ainda segundo Chauí (2000), o filósofo não é
movido pela competição ou por ambição. Ele busca o
saber pela simples motivação de se empenhar em
entender cada vez mais a verdade sobre as coisas;
 O ato de “filosofar” implica em tomar distância das
coisas cotidianas e olhá-las a partir de outro prisma:
questionamento, indagando essas coisas de maneira
a aprofundar o conhecimento sobre elas.
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 Ao indagar as esferas da vida cotidiana e a nós
mesmos deixamos de aceitar as coisas como elas são
sem investigá-las ou compreendê-las;
 O ato do questionamento torna-se a prerrogativa
essencial da filosofia e encerra em si o seu valor
primordial, ou seja, torna-se uma atitude filosófica.
A NATUREZA E A TAREFA DA FILOSOFIA
 Atitude crítica é a junção dos dois lados da atitude
filosófica:
- Negativo: dizer não aos pré-conceitos, aos pré-juízos,
ao senso comum;
- Positivo: buscar saber especulando: o que é? Por que
é ? Como é? Não conformismo.
Atividade - 1
Afinal, para que serve a
Filosofia?
EM BUSCA DE UMA DEFINIÇÃO PARA
FILOSOFIA:
1- Visão de mundo
A visão de um povo, civilização ou cultura.
Condensa visões, práticas ou costumes de um dado
povo, porém, de maneira vaga, não permitindo
distinguir o que é Filosofia das outras gamas da
cultura (arte, religião, cultura);
EM BUSCA DE UMA DEFINIÇÃO PARA
FILOSOFIA:
2- Sabedoria de vida
É associada a trajetória de vida de uma pessoa por
suas contemplações a cerca da vida, do mundo, etc.
Informa-nos, de maneira vaga, o que se espera da
Filosofia, mas não a define;
EM BUSCA DE UMA DEFINIÇÃO PARA
FILOSOFIA
3- Esforço racional por conceber o universo como
uma unidade ordenada e dotada de sentido
Tanto a Filosofia quanto a Religião procuram compreender
o Universo, mas somente a Filosofia busca esse
entendimento por meio do encadeamento racional das
ideias.
A Religião contenta-se com a fé numa revelação divina. No
entanto, essa possibilidade encurrala a Filosofia na tarefa
de gerar uma explicação total do Universo (CHAUÍ, 2000);
EM BUSCA DE UMA DEFINIÇÃO PARA
FILOSOFIA
4- Fundamentação teórica
conhecimentos e das práticas
e
crítica
dos
A Filosofia ocupa-se com as condições e os princípios
do conhecimento que pretende ser racional e
verdadeiro (política, ética, cultura, arte), assim como o
estudo da consciência (percepção, linguagem,
inteligância, imaginação) e significações gerais
(realidade, mundo, natureza, história);
ATIVIDADE 2
Buscando outra perspectiva:
a Filosofia é útil ou inútil?
Por quê?
A FILOSOFA NOS AJUDA
 Se abandonar a ingenuidade e os preconceitos do senso
comum for útil; se não se deixar guiar pela submissão às
ideias dominantes e aos poderes estabelecidos for útil; se
buscar compreender a significação do mundo, da cultura,
da história for útil; se conhecer o sentido das criações
humanas nas artes, nas ciências e na política for útil; se
dar a cada um de nós e à nossa sociedade os meios para
serem conscientes de si e de suas ações numa prática que
deseja a liberdade e a felicidade para todos for útil, então
podemos dizer que a Filosofia é o mais útil de todos os
saberes de que os seres humanos são capazes. (CHAUÍ,
2000)
DISTINÇÃO ENTRE FILOSOFIA E OUTROS
EMPREENDIMENTOS INTELECTUAIS
De acordo com Chaves (2004):
 O cientista natural pensa e reflete sobre algum aspecto da
realidade chamada natural. O físico encara essa realidade do
ponto de vista físico; o químico, do ponto de vista químico;
 O cientista biológico pensa e reflete sobre a realidade viva,
orgânica, isto é, sobre animais, plantas e outros organismos;
 O cientista social pensa e reflete sobre a realidade social,
sobre aqueles aspectos da realidade que são criados ou
modificados pelo ser humano.
DISTINÇÕES DE OUTROS
EMPREENDIMENTOS INTELECTUAIS
 Para todos esses cientistas, o objeto de sua reflexão é,
de certa forma, algum aspecto da realidade que lhe é
dado pela percepção (observação, experimento). É
verdade que em cada uma dessas ciências pensa-se
e reflete-se sobre entidades e processos que não são
visíveis, enquanto tais. Mesmo nesses casos,
postula-se, porém, que essas entidades e esses
processos têm conseqüências observáveis.
A TAREFA DA FILOSOFIA DA EDUCAÇÃO
 A tarefa da Filosofia da Educação centram-se em
refletir sobre abordagens pedagógicas, assim como
as suas implicações para os idivíduos nelas
envolvidos;
 Propõe a discutir, por meio de encadeamento lógico
de ideias, as diversas lógicas envolvidas no processo
de aprendizagem;
UM POUCO DE MÚSICA
 Música: Esquadros - Adriana Calcanhoto
Eu ando pelo mundo prestando atenção em cores que eu
não sei o nome/ Cores de Almodóvar, cores de Frida
Khalo, cores/ Passeio pelo escuro, eu presto muita
atenção no que meu irmão ouve/ E como uma segunda
pele, um calo, uma casca, uma cápsula protetora/ Eu
quero chegar antes pra sinalizar o estar de cada coisa,
filtrar seus graus/ Eu ando pelo mundo divertindo gente
chorando ao telefone, e vendo bater a fome nos meninos
que tem fome.
 Pela janela do quarto, pela janela do carro, pela janela/
Quem é ela, quem é ela?/ Eu vejo tudo em quadrado,
remoto controle.
Eu ando pelo mundo e os automóveis correm para quê?
As crianças correm para onde?/ Transito entre dos
lados, de um lado, eu gosto de opostos, exponho meu
modo, me mostro, eu canto para quem?
Eu ando pelo mundo e meus amigos cadê, minha
alegria, meu cansaço./ Meu amor cadê você, eu acordei,
não tem ninguém ao lado.
 http://www.youtube.com/watch?v=EeNUsrw8qA8
vídeos
 Filosofia – pra que serve?
http://www.youtube.com/watch?v=dKdsbHmc28E&f
eature=relmfu
 http://www.youtube.com/watch?v=rnTAB7YqupU
Bibliografia
 CHAUÍ, Marilena, Convite à Filosofia – São Paulo –
Ática, 2000
 CHAVES, Eduardo O. C, Um esboço de Filosofia
Analítica da Educação, 2004 (disponível em
http://chaves.com.br/TEXTSELF/PHILOS/esboco.h
tm)
 LUCKESI, Cipriano Carlos, Filosofia da Educação –
São Paulo – Cortez – 2001

similar documents