Funcão Social da Escola - Joao Valdir Alves de Souza

Report
A FUNÇÃO SOCIAL DA ESCOLA
Prof. Dr. João Valdir Alves de Souza
Belo Horizonte, 09/04/2013
PARA QUE SERVE A ESCOLA?
• ENSINAR: tornar possível uma aprendizagem;
• INSTRUIR: garantir ao ensino uma aplicação
imediata; instrumentalizar para uma tarefa;
• EDUCAR: realizar uma prática social ou levar
adiante uma ação orientada por um valor
(econômico, político, social, ético, estético)
assumido como relevante;
• FORMAR: contribuir para a construção social
da personalidade e da coletividade
ESCOLA E TRABALHO DOCENTE
• DOCÊNCIA: docére (ação de ensinar, instruir, mostrar,
indicar, exercer o magistério).
• MAGISTÉRIO: magíster (aquele que exerce autoridade
moral, intelectual e doutrinal do alto clero da Igreja
católica, como seu corpo magisterial ou ministerial).
Magistrado, magistral, magna, mestre(a), maestro,
MAGISTRA.
• CORPO DOCENTE: conjunto daqueles que ensinam.
• PROFESSOR: profissão daquele cujo oficio é professar
uma crença, um conhecimento sobre algum assunto
sobre o qual deve se constituir como autoridade.
O QUE É EDUCAÇÃO?
• “Educação é a ação exercida pelas gerações
adultas sobre aquelas que ainda não estão
maduras para a vida social; tem por objeto
suscitar e desenvolver, nas gerações novas,
certo número de estados físicos, intelectuais e
morais, que lhe exigem a sociedade política no
seu conjunto e o meio especial ao qual estão
particularmente destinadas.” (Émile
Durkheim. Educação e Sociologia. Petrópolis:
Vozes, 2011)
Aspecto uno da educação
• No aspecto uno, universal, a educação constitui
uma “base comum” de conhecimentos
compartilhados indistintamente por todos os
indivíduos de uma determinada coletividade.
Segundo Durkheim, “não há povo em que não
exista certo número de idéias, de sentimentos e
de práticas que a educação deve inculcar a todas
as crianças, indistintamente, seja qual for a
categoria social a que pertençam.” Na legislação
isso corresponde ao núcleo comum.
Aspecto múltiplo da educação
• No aspecto múltiplo, a educação constitui fator
de diferenciação social. Existe uma diferenciação
que é própria das diferentes culturas que foram
sendo produzidas pelas diversas sociedades ao
redor da terra, durante o longo processo de sua
ocupação. Existe, também, uma diferenciação
que foi sendo produzida em decorrência da
divisão do trabalho, sobretudo da divisão técnica
do trabalho que resultou do modo capitalista de
produção. Na legislação isso corresponde à parte
diversificada.
Educação e ensino
• “Um ensino só é educativo na medida em que
for de natureza a exercer sobre nós mesmos,
sobre nosso pensamento, uma ação moral,
isto é, se ele mudar alguma coisa no sistema
de nossas idéias, nossas crenças, nossos
sentimentos.” Émile Durkheim. A Evolução
Pedagógica. Porto Alegre: Artes Médicas,
1995. p. 314.
Constatações
• 1 – Expansão da oferta de educação básica;
• 2 – Incapacidade de formar professores para
atender a essa expansão;
• 3 – Baixo valor do diploma de professor, tanto
no mercado de bens econômicos (salário)
quanto no mercado de bens simbólicos
(prestígio);
Constatações
• 4 – Discurso de valorização da educação
esbarra nas pesadas estruturas sociais,
políticas e econômicas do nosso histórico e
brutal estado de desigualdade;
• 5 – Ausência de um ethos que assuma a
escolarização como trabalho que exige
investimento, disciplina, organização e
método.
Docência: Dimensão intelectual
- Domínio dos conteúdos do ensino;
- Domínio das ferramentas de comunicação e
interlocução;
- Domínio das capacidades de “transposição
didática”;
- Domínio das ferramentas de avaliação.
Docência: Dimensão ética e moral
• Ética: Do grego éthos (propriedade do caráter;
costume). Aristóteles denominou “éticas” as
investigações que realizou sobre os caracteres e
os costumes humanos. Parte da filosofia que
toma por objeto imediato os juízos de apreciação
sobre os atos qualificados como bons ou maus.
• Moral: Do latim mõrãlis, termo criado por Cícero
para traduzir a palavra grega “éthos”. A moral
pode ser compreendida como o que é relativo
aos costumes ou às regras de conduta admitidos
pelas sociedades humanas. http://www.neppdh.ufrj.br/ole/ Observatório da laicidade do
Estado
Ética
• “Ética é o limite que faz com que uma pessoa
diga ‘não’ a si mesma. A ética se diferencia da
censura porque, enquanto a censura vem de
fora, dependendo da política, a ética, ao
contrário, vem de dentro. A ética é a voz da
consciência, não a sirene do camburão.
Censura tem a ver com violência. Ética fala da
incessante luta da consciência consigo mesma.
Acabe-se com a censura e uma sociedade
floresce; tire-se a ética e não há civilização”.
Roberta da Matta, Antropólogo
Moral
• “Todo mundo distingue mais ou menos nitidamente,
na moral, dois elementos que correspondem
exatamente àqueles que apresentamos aqui: são o que
os moralistas chamam o bem e o dever. O dever é a
moral enquanto ela ordena e proíbe; é a moral severa
e rude, com prescrições coercitivas; é a ordem que é
preciso obedecer. O bem é a moralidade enquanto nos
aparece como uma coisa boa, como um ideal amado,
ao qual aspiramos com um movimento espontâneo de
nossa vontade.” Émile Durkheim. A educação moral.
Petrópolis: Vozes, 2008. p. 102.
OBRIGADO!
• [email protected]

similar documents