Redação UNESP

Report
Redação UNESP
CASDVest 2013
1. Tipo de texto e abordagem do tema
A. Proposta e Abordagem do Tema
2. Estrutura
B. Gênero Textual e Coerência
3. Expressão
C. Elementos Linguísticos (Modalidade e
Coesão)
1. Tipo de texto e abordagem do tema
• Adequação ao tema
• Adequação à forma
• Caráter argumentativo
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
2. Estrutura
B. Gênero Textual e Coerência
3. Expressão
C. Elementos Linguísticos (Modalidade e
Coesão)
1. Tipo de texto e abordagem do tema
• Adequação ao tema
• Adequação à forma
• Caráter argumentativo
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
2. Estrutura
• Coesão
• Argumentação
• Coerência
B. Gênero Textual e Coerência
• Coerência
• Estrutura tradicional
• Asseveratividade (bom-senso)
3. Expressão
C. Elementos Linguísticos (Modalidade e
Coesão)
1. Tipo de texto e abordagem do tema
• Adequação ao tema
• Adequação à forma
• Caráter argumentativo
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
2. Estrutura
• Coesão
• Argumentação
• Coerência
B. Gênero Textual e Coerência
• Coerência
• Estrutura tradicional
• Asseveratividade (bom-senso)
3. Expressão
• Gramática
• Vocabulário adequado e formal
C. Elementos Linguísticos (Modalidade e
Coesão)
• Gramática
• Coesão
• Formalidade adequada
Conhecimento de Mundo
E
Formalidade linguística
Estrutura clara
E
Atenção ao tema
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
• Tema Simples
• Sempre responder a pergunta.
• Orientações sobre o tema
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
• Tema Simples
• Sempre responder a pergunta.
• Orientações sobre o tema
O QUE É ESCREVER?
A. Proposta e Abordagem do Tema
• Adequação ao tema
• Interpretação da coletânea
• Resposta às instruções
• Uso da coletânea
Muitas pessoas consideram tais trabalhos verdadeiros exemplos de arte plástica
popular; outras afirmam que é puro vandalismo. Os autores ou escritores, por vezes, têm
de dar explicações à polícia, quando flagrados desenhando ou pintando em superfícies
de prédios públicos ou privados.
A arte de rua vai da pichação, cujo propósito é sujar, incomodar, agredir, ou
simplesmente desafiar a sociedade estabelecida e a autoridade, até o graffiti, em que se
pretende criticar e transformar o status quo.
O transeunte (...) geralmente ignora, rechaça ou destrói essa arte, considerando-a
sujeira, usurpação do seu direito a uma paisagem esterilizada, uma invasão do seu
espaço (às vezes privado, às vezes público), uma afronta à mente inteligente. Escolhe não
olhá-la, não observá-la, não ler nas suas entrelinhas e nos espaços entre seus rabiscos ou
entre seus traços elaborados. Confunde o graffiti com a pichação, isto é, a arte pura com
o vandalismo.
B. Gênero Textual e Coerência
• Coerência
• Estrutura tradicional
• Asseveratividade (bom-senso)
• Foco na estrutura
A Unesp não quer saber se o candidato conhece o tema, mas se, conhecendo o
tema, por ser previsível, o candidato é capaz de escrever uma boa redação dissertativa a
respeito. Por isso, a melhor atitude é fazer uma redação simples, criada na hora. Você
pode fazer citações dos textos desde que mencione os autores e não deixe que as
citações sejam mais extensas que sua redação.
• Estrutura e progressão
A introdução é importante, pois é o modo como você vai colocar sua opinião; o
desenvolvimento ou corpo da redação é importante, porque nele você tentará
apresentar os argumentos favoráveis ao seu ponto de vista; a conclusão é a laçada final,
o remate.
• Coesão referencial entre parágrafos
• Dados estatísticos
A perda de referências e o consumo na globalização
O shopping center talvez seja o maior símbolo da globalização. Em qualquer lugar do
mundo, o interior de um shopping é praticamente o mesmo. O shopping é apenas, um símbolo
de dois dos mais importantes aspectos da globalização: a perda de referências e o consumo.
O historiador Nicolau Sevcenko, ao caracterizar o processo de globalização, comparou o
sujeito inserido nesse processo e uma pessoa em um loop um de montanha russa. Para
Sevcenko, a perda de referências sofrida nesse brinquedo é semelhante à sofrida na constante
corrida de avanço tecnológico e progresso da sociedade contemporânea. O humano globalizado
parece estar sozinho, desorientado e à procura de algo, essa procura muitas vezes se traduz na
compra e apologia a mercadorias, o consumismo.
O shopping center funciona como a montanha russa. Bombardeados por anúncios e luzes,
os consumidores entram em frenesi, o que os induz a comprar mais. A perda de referências se
dá pela ausência de marcadores de tempo (relógios ou entradas de luz natural) e pela rapidez
da renovação dos produtos. Absolutamente tudo é novo e melhor. Com a inovação constante, o
velho fica obsoleto e a felicidade se torna em obter novidades, mesmo que não se as aproveite.
Ideologia, para Marx, é uma ideia que tem como objetivo ofuscar a visão da realidade.
Utilizando esse conceito, é possível caracterizar o Shopping Center como ferramenta de uma
ideologia da classe dominante. No estágio de progresso pelo progresso e de reprodução não
produtiva do capital em que o capitalismo se encontra hoje, a única engrenagem que mantém o
sistema de produção é o consumismo, que por sua vez é mantido por anúncios na mídia. É
preciso desacelerar a montanha russa da globalização, ou perdemos todas as nossas referências
e nos tornamos apenas consumidores.

similar documents