Arquivo 6

Report
AMOSTRAGEM
DEFINIÇÃO
• ATO OU PROCESSO DE OBTENÇÃO DE
PORÇÃO DE SEMENTES, DEFINIDO NA
LEGISLAÇÃO, PARA CONSTITUIR AMOSTRA
REPRESENTATIVA DE LOTE DEFINIDO
OBJETIVO DA AMOSTRAGEM
REGRAS DE ANÁLISE DE SEMENTES
• OBTER UMA AMOSTRA DE TAMANHO
ADEQUADO PARA OS TESTES, NA QUAL
ESTEJAM PRESENTES OS MESMOS
COMPONENTES DO LOTE DE SEMENTES E EM
PROPORÇÕES SEMELHANTES
LOTE
• QUANTIDADE DEFINIDA DE SEMENTES,
IDENTIFICADA POR LETRA, NÚMERO OU
COMBINAÇÃO DOS DOIS, DA QUAL CADA
PORÇÃO É, DENTRO DE TOLERÂNCIAS
PERMITIDAS, HOMOGÊNEA E UNIFORME
PARA AS INFORMAÇÕES CONTIDAS NA
IDENTIFICAÇÃO
AMOSTRAGEM DE IDENTIFICAÇÃO E
QUALIDADE
• SERÁ REALIZADA SOB A SUPERVISÃO DO
RESPONSÁVEL TÉCNICO DO PRODUTOR
• AS INFORMAÇÕES QUE PERMITAM A
IDENTIFICAÇÃO DO LOTE AMOSTRADO
SERÃO ENVIADAS AO LABORATÓRO EM
DOCUMENTO PRÓPRIO
AMOSTRAGEM DE SEMENTES A
GRANEL
SILOS OU EMBALAGENS DE TAMANHO
DIFERENCIADO
• SOMENTE QUANDO ESTIVEREM
IDENTIFICADAS
• SOB A RESPONSABILIDADE DO PRODUTOR
INSTRUMENTOS DE AMOSTRAGEM
• CALADOR OU AMOSTRADOS DO TIPO DUPLO
• CALADOR OU AMOSTRADOR DO TIPO
SIMPLES OU AMOSTRADOR NOBBE
• AMOSTRAGEM MANUAL
CALADOR
• NÃO É PERMITIDO O USO DO CALADOR
CONHECIDO COMO “LADRÃO” OU
“FURADOR”, CUJO COMPRIMENTO NÃO
ULTRAPASSA 25 CM E NÃO PREENCHE AS
EXIGÊNCIAS DA AMOSTRAGEM.
USOS DO CALADOR DUPLO
• SEMENTES ACONDICIONADAS EM SACOS
• SEMENTES A GRANEL CONTIDAS EM SILOS
OU EM EMBALAGEM DIFERENCIADAS.
• (O TAMANHO DO CALADOR VARIA DE
ACORDO COM O USO)
CALADOR DUPLO
USOS DO CALADOR SIMPLES OU
AMOSTRADOR NOBBE
• SOMENTE PARA A COLETA DE AMOSTRA DE
SEMENTES ACONDICIONADAS EM SACOS
INTENSIDADE DE AMOSTRAGEM
(EMBALAGENS ATÉ 100 QUILOS)
NÚMERO DE RECIPIENTES DO LOTE
NÚMERO DE AMOSTRAS SIMPLES
1-4
3 amostras simples de cada recipiente
5-8
2 amostras simples de cada recipiente
9-15
1 amostra simples de cada recipiente
16-30
15 amostras simples no total
31-59
20 amostras simples no total
60 ou mais
30 amostras simples no total
INTENSIDADE DE AMOSTRAGEM
(EMBALAGENS ACIMA DE 100 QUILOS)
TAMANHO DO LOTE
NÚMERO DE AMOSTRAS SIMPLES
ATÉ 500 kg
Pelo menos 5 amostras simples
501 – 3.000 kg
Uma amostra simples para cada 300 kg,
mas não menos do que 5
3.001- 20.000 kg
Uma amostra simples para cada 500 kg,
mas não menos do que 10
ACIMA DE 20.000 kg
Uma amostra simples para cada 700 kg,
mas não menos do que 40
AMOSTRAGEM MANUAL
É UTILIZADA PARA AS SEMENTES QUE
NÃO DESLIZAM FACILMENTE
CUIDADOS NA AMOSTRAGEM
MANUAL
• HOMOGENEIZAR A MASSA DE SEMENTES,
AGITANDO-SE OS SACOS ANTES DA
AMOSTRAGEM
• QUANDO A EMBALAGEM FOR MAIOR QUE 40
CM ESVAZIAR TOTALMENTE OU
PARCIALMENTE ALGUNS SACOS
• RETIRAR A AMOSTRAS EM VÁRIAS
PROFUNDIDADES
AMOSTRAGEM DURANTE O
BENEFICIAMENTO
• COLETADAS EM INTERVALOS REGULARES
DURANTE TODO O PROCESSO
• QUANDO COLETADA DURANTE O FLUXO DA
SEMENTE, TODA A SEÇÃO TRANSVERSAL DA
CORRENTE DEVE SER UNIFORMEMENTE
AMOSTRADA.
PARA SEMENTES EMBALADAS EM
RECEPIENTES PEQUENOS
• “MONTAR” UMA UNIDADE BÁSICA DE 100 kg
• CADA UNIDADE BÁSICA É CONSIDERADA UM
“RECIPIENTE”
• APLICAR A TABELA PARA EMBALAGENS DE ATÉ
100 kg
• AS AMOSTRAS SIMPLES SERÃO CADA UMA DAS
EMBALAGENS FECHADAS
• SE NÃO TIVER 100 kg A UNIDADE BÁSICA SERÁ O
PESO TOTAL DAS EMBALAGENS EXISTENTES.
TERMO de AMOSTRAGEM de SEMENTES N° *
/
n°
ano
Identificação do requerente:
Nome/Razão Social:
Atividade **
produtor
reembalador
CNPJ/CPF:
certificador de sua própria produção
Inscrição no RENASEM nº:
End. p/ corresp:
Município/UF:
CEP:
Declaro que supervisionei ou executei a amostragem dos lotes de sementes abaixo identificados, para fins de análise de
identificação:
DADOS DA SEMENTE:
Safra:
Categoria:
Espécie:
Identificação dos lotes:
Lote
Nº
Cultivar
N de
Embala
gens
Peso da
embalagem
(kg)
Tratada
(sim/
não)
Revestimento além do
tratamento
(sim/não)
Peneir
a
Obs:
Informações sobre
tratamento ou
outras***:
Ao Laboratório de Análise de Sementes
:
nome do laboratório
Requeiro a análise da(s) amostra(s) de sementes acima relacionadas, para os parâmetros abaixo indicados e a emissão dos
correspondentes boletins de análise de sementes:
pureza
peso de mil sementes
germinação
germinação após envelhecimento precoce
viabilidade
Porcentagem de retenção na peneira
Atenciosamente
local/data
Recebi as citadas amostras em ___/___/_____
________________________________________
responsável pela amostragem/
n° do credenciamento no RENASEM e assinatura
_____________________________________
responsável pelo laboratório de análise de sementes ou preposto/
identificação e assinatura
* numeração sob controle do requerente
** indicar apenas uma das atividades
*** conforme sub-item 21.20 das Normas para Produção, Comercialização e Utilização de Sementes, aprovadas pela Instrução Normativa MAPA n° 9/2005.
TERMO de AMOSTRAGEM de MISTURA de SEMENTES N° *
/
n°
ano
Identificação do requerente:
Nome/Razão Social:
CNPJ/CPF:
Inscr./credenc. no RENASEM nº:
Atividade**:
produtor
reembalador
certificador da própria produção
End. p/ corresp:
Município/UF:
CEP:
Declaro que supervisionei ou executei a amostragem dos lotes de mistura de sementes abaixo identificados, para fins de
análise de identificação:
DADOS DA SEMENTE:
Safra:
Categoria:
Componentes da mistura de sementes (em ordem decrescente de participação na mistura):
Espécie
Cultivar
N de
Embala
gens
Lote
Nº
Peso da
embalagem
(kg)
Coloração acrescida
Revestimento além do
corante
(sim/não)
Tipo de revestimento (se for o caso)
Pe-neira
Obs:
Informações sobre
tratamento ou
outras***:
Ao Laboratório de Análise de Sementes
:
nome do laboratório
Requeiro a análise da(s) amostra(s) de sementes acima relacionadas, para os parâmetros abaixo indicados e a emissão dos
correspondentes boletins de análise de sementes:
Pureza****
Peso de mil sementes
Germinação****
Viabilidade****
Atenciosamente
local/data
Recebi as citadas amostras em _____/_____/_______
________________________________________
responsável pela amostragem/ identificação /
n° cred. Renasem e assinatura
_____________________________________
responsável pelo laboratório de análise de sementes ou preposto/
identificação e assinatura
* numeração sob controle do requerente
** indicar apenas uma das atividades.
*** conforme sub-item 21.20 das Normas para Produção, Comercialização e Utilização de Sementes, aprovadas pela Instrução Normativa MAPA n° 9/2005.
**** as porcentagens de sementes puras, de germinação e, quando for o caso, de viabilidade devem ser determinadas por espécie/cultivar.
PESO MÁXIMO DO LOTE
INSTRUÇÃO NORMATIVA MAPA
Nº 30/2008
PESO MÍNIMO DAS AMOSTRAS
REGRA DE ANÁLISE DE SEMENTES
AMOSTRA
• AS AMOSTRAS DEVEM SER IDENTIFICADAS
DE FORMA QUE ASSEGUREM UM VÍNCULO
CLARO ENTRE O LOTE DE SEMENTES E AS
AMOSTRAS E SUBAMOSTRAS
AMOSTRAS SIMPLES
• TOMADAS AO ACASO
• RETIRADAS DAS PARTES SUPERIOR, MÉDIA E
INFERIOR
• NÃO PRECISA RETIRAR DE MAIS DE UMA
POSIÇÃO DE UM MESMO RECIPIENTE
AMOSTRAS SIMPLES DE SEMENTES A
GRANEL OU TAMANHO
DIFERENCIADO
RETIRADAS DE POSIÇÕES PROFUNDIDADES
ALEATÓRIAS.
AMOSTRA COMPOSTA
CONSTITUÍDA PELA MISTURA E
HOMOGENEIZAÇÃO DAS DIVERSAS
AMOSTRAS SIMPLES RETIRADAS DE UM LOTE
HOMOGENEIZAÇÃO
SEMENTES COM PADRÃO DE SEMENTES PURAS
BAIXO DEVE-SE TER O CUIDADO DE REPETIR
O PROCEDIMENTO VÁRIAS VEZES.
IDENTIFICAÇÃO DA AMOSTRA
•
•
•
•
ESPÉCIE, CULTIVAR, CATEGORIA E SAFRA
NÚMERO DO LOTE
ANÁLISES DESEJADAS
INDICAÇÃO DO TRATAMENTO (QUANDO FOR
O CASO)
• DATA DA COLETA, IDENTIFICAÇÃO E
ASSINATURA DO RESPONSÁVEL PELA COLETA
AMOSTRA DA FISCALIZAÇÃO
• REALIZADA POR FISCAL FEDERAL
AGROPECUÁRIO
• ENGENHEIRO AGRONÔMO OU ENGENHEIRO
FLORESTAL QUANDO A FISCALIZAÇÃO É
EXECUTADA POR OUTRO ENTE PÚBLICO
AMOSTRAGEM DA FISCALIZAÇÃO
(OBRIGAÇÕES DO PRODUTOR)
• FORNECER MÃO DE OBRA AUXILIAR
• CONDIÇÕES PARA A REALIZAÇÃO DA
AMOSTRAGEM
AMOSTRA DA FISCALIZAÇÃO
• DUPLICATA DA AMOSTRA (O DETENTOR DA
SEMENTE PODERÁ DISPENSAR)
• SERÁ IDENTIFICADA, LACRADA E ASSINADA
• A DUPLICATA FICARÁ SOB A GUARDA DO
DETENTOR DO PRODUTO
OBRIGADO
SÉRGIO PAULO COELHO
SEFAG/SFA/MS
3041-9300
[email protected]
YARA R. MACHADO BUENO
UTRA-Dourados/SFA/MS
3425-2440
[email protected]

similar documents