Avaliação do Grupo de Trabalho – arquivo Powerpoint

Report
II SEMINÁRIO NACIONAL DO
PACTO PELO FORTALECIMENTO
DO ENSINO MÉDIO
REGIÃO SUDESTE
MINAS GERAIS
SÃO PAULO
RIO DE JANEIRO
ESPIRITO SANTO
ARTICULAÇÃO ENTRE IES/ SEDUC E MEC
AVANÇOS
MG –Parceria, respeito, comunicação,
socialização de informações entre
IES/SEDUC. Reuniões mensais em BH.
 SP - Construção de rede de contatos
IES/SEDUC/MEC
respeitando-se
o
currículo já existente no estado de São
Paulo e procurando trabalhar os
materiais de forma articulada.
 RJ – Bom diálogo entre IES/SEDUC
construído processualmente
 ES - Disponibilização pela SEDUC de
técnicos de referência nas regionais.
Validação do projeto, atendimento de
algumas demandas específicas do estado
(liberação mais orientadores de estudos e
formadores regionais).

DIFICULDADES E DESAFIOS
MG Atrasos de repasses orçamentários;
articulação Pacto/Rem; não aprovação dos
projetos das IES mineiras; melhor articulação
IES/SEDUC/MEC
considerando
as
especificidades do estado (MG); acrescentar
no SISMÉDIO o trabalho com os orientadores
de estudos assumido pelas IES
 RJ Conciliação de agendas profissionais e
pessoais para realização das atividades do
pacto.
 SP – Dificuldade de definição da equipe em
função de não poder acumular bolsa.
Definição do repasse de recursos via sistema
par para as IES estaduais e SEDUC
 ES -Número alto de professores temporários
(71%); carga horária de trabalho dos
professores; greve dos professores da rede;
demora na entrega dos tablets. Em relação ao
MEC: longo tempo de resposta às solicitações
.

MOBILIZAÇÃO E ORGANIZAÇÃO DAS EQUIPES
AVANÇOS
 MG
– 1º Seminário Estadual
Março/2014; A SEDUC disponibiliza
Banco de Dados dos Professores
para as IES; Comprometimento das
IES e SEDUC no processo de
formação.
 RJ – Gestão Democrática da Equipe
IES
 SP – Boa articulação das equipes
IES E SEDUC; mobilização e
participação
do
MEC
para
atendimento das demandas do
estado.
 ES – Seminário Estadual; boa
articulação entre os profissionais
envolvidos.
DIFICULDADES E DESAFIOS
 MG – Composição das equipes das
IES; composição da equipe da
SEDUC em relação aos formadores,
supervisores e orientadores.
 RJ – Atraso no início das atividades
do projeto; Greve de professores da
rede; não ter tido oportunidade de
fazer a sensibilização nas escolas.
 SP – Grande número de envolvidos
no processo de formação.
 ES – As orientações do MEC em
relação à etapa de inscrição no
sistema; dificuldades do MEC no uso
do SIMEC na etapa de avaliação;
dificuldade dos profissionais no uso
do sistema.
ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO PEDAGÓGICO DA
FORMAÇÃO DOS FORMADORES REGIONAIS E OE
AVANÇOS
DIFICULDADES E DESAFIOS
 MG – Formação dos orientadores de
 MG – Cumprimento de da 1ª etapa
estudos
pelas
IES;
trabalho
pedagógico coletivo coordenado
entre coordenadores IES e SEDUC
envolvimento
dos
formadores
regionais e orientadores de estudos
com as IES;
 RJ – Divisão de tarefas de forma
interessante e dinâmica na formação
dos
formadores
regionais
e
orientadores de estudos
 SP – Não se aplica
 ES – Utilização do sistema de
compartilhamento Google Drive e
Facebook para acompanhamento da
formação. Reuniões de formação
com OE e formadores regionais.
de formação sem a aprovação dos
projetos e no caso da SEDUC, sem a
liberação dos recursos.
 RJ
– Dificuldades geográficas
(deslocamentos); Plataforma SIMEC
poderia disponibilizar materiais e
interação entre participantes.
 SP – Não se aplica
 ES – Número de OE insuficiente
MATERIAL DE FORMAÇÃO E MATERIAL
COMPLEMENTAR
AVANÇOS
 MG - Integração caderno do Pacto
com os do REM; uso de sites, blogs e
plataforma
Moodle
para
disponibilização /compartilhamento
de
materiais
e
interação.
Disponibilização de materiais pelo
centro de formação de professores.
 RJ
– Produção de material
complementar da SEDUC em
articulação com material do MEC
que aborda questões específicas do
estado.
 SP – Não se aplica
 ES – trabalho exclusivo cm cadernos
do Pacto; cadernos estão sendo bem
avaliados. A formação contribuiu
para a mudança da postura
profissional
novas
práticas
pedagógicas.
DIFICULDADES E DESAFIOS
 MG
– Limitações dos tablets;
dificuldades dos professores na
utilização dos tablets.
 RJ – Maior interlocução com a
prática em relação aos conteúdos e
abordagens do material; falta de
material
que
abordasse
o
protagonismo
do
professor;
ineficiência dos tablets.
 SP – Não se aplica
 ES – Baixo número de professores
efetivos; condição de trabalho dos
professores.
ESCOLA COMO ESPAÇO E TEMPO DE
FORMAÇÃO DO PROFESSOR
AVANÇOS
 MG
– Escola como importante
espaço de mobilização; adesão de
ouvintes.
 RJ – Valorização do cotidiano
escolar.
 SP – Não se aplica
 ES – Escola está funcionando como
espaço de formação.
DIFICULDADES E DESAFIOS
 MG – Organizar e trabalhar com as
diferentes especificidades na escola
(trabalho simultâneo com inscritos e
ouvintes
 RJ – Desafio da desconstrução do
atual modelo para a construção de
um novo modelo.
 SP – Não se aplica
 ES – Não inclusão do diretor(a) na
formação; organização do trabalho
pedagógico a rede.
ARTICULAÇÃO ENTRE FORMAÇÃO INICIAL E
CONTINUADA
AVANÇOS
DIFICULDADES E DESAFIOS
 MG – MEC pela 1ª vez incentiva
 MG - Realizar o que esta proposto
articulação e debate sobre formação
inicial e continuada, nesse sentido
as IES assumem a responsabilidade
de fomentar debates, seminários e
outros diálogos.
 RJ – Troca de saberes e diálogos
possibilitados na continuidade da
formação.
 SP – Não se aplica
 ES – Seminário entre SEDUC, UFES
e fórum das licenciaturas da UFES.
nos projetos – Seminários Mineiros
de Formação Inicial e Continuada
 RJ – Seminário de Licenciatura.
 SP – Não se aplica
 ES- Sensibilizar as licenciaturas
sobre as novas diretrizes curriculares
nacionais.

similar documents