Aula 3

Report
FILOSOFIA
Aula 3 – Os Pré-Socráticos
1 - (Unicentro 2012) A passagem do Mito ao Logos na Grécia antiga foi
fruto de um amadurecimento lento e processual. Por muito tempo, essas
duas maneiras de explicação do real conviveram sem que se traçasse um
corte temporal mais preciso. Com base nessa afirmativa, é correto
afirmar:
a) O modo de vida fechado do povo grego facilitou a passagem do
Mito ao Logos.
b) A passagem do Mito ao Logos, na Grécia, foi responsabilidade
dos tiranos de Siracusa.
c) A economia grega estava baseada na industrialização, e isso
facilitou a passagem do Mito ao Logos.
d) O povo grego antigo, nas viagens, se encontrava com outros
povos com as mesmas preocupações e culturas, o que contribuiu
para a passagem do Mito ao Logos.
e) A atividade comercial e as constantes viagens oportunizaram a
troca de informações/conhecimentos, a observação/assimilação
dos modos de vida de outros povos, contribuindo, assim, de
modo decisivo, para a construção da passagem do Mito ao Logos.
2 - (Unesp 2012) Aedo e adivinho têm em comum um mesmo dom de
“vidência”, privilégio que tiveram de pagar pelo preço dos seus olhos. Cegos
para a luz, eles veem o invisível. O deus que os inspira mostra-lhes, em uma
espécie de revelação, as realidades que escapam ao olhar humano. Sua visão
particular age sobre as partes do tempo inacessíveis às criaturas mortais: o
que aconteceu outrora, o que ainda não é.
(Jean-Pierre Vernant. Mito e pensamento entre os gregos, 1990. Adaptado.)
O texto refere-se à cultura grega antiga e menciona, entre outros aspectos,
a) O papel exercido pelos poetas, responsáveis pela transmissão oral das
tradições, dos mitos e da memória.
b) A prática da feitiçaria, estimulada especialmente nos períodos de seca ou
de infertilidade da terra.
c) O caráter monoteísta da sociedade, que impedia a difusão dos cultos aos
deuses da tradição clássica.
d) A forma como a história era escrita e lida entre os povos da península
balcânica.
e) O esforço de diferenciar as cidades-estados e reforçar o isolamento e a
autonomia em que viviam.
3 - (Uncisal 2012) O conhecimento mítico apresenta características próprias
que o diferencia de outros modos de conhecer. Ele invariavelmente se
vincula ao conhecimento religioso, mas conserva suas funções especificas:
acomodar e tranquilizar o homem em meio a um mundo caótico e hostil.
Nas sociedades em que ele se apresenta como um modo válido de
explicação da realidade assume uma abrangência tamanha que determina a
totalidade da vida, tanto no âmbito público como privado. Com referência
ao conhecimento mítico, é incorreto afirmar que:
a) A adesão ao conhecimento mítico ocorre sem necessidade de
demonstração, apenas se aceita a autoridade do narrador.
b) As
explicações
oferecidas
pelo
conhecimento
mítico,
essencialmente, são de natureza cosmogônica.
c) As representações sobrenaturais são utilizadas no intuito de explicar
os fenômenos naturais.
d) A narrativa mítica faz uso de uma linguagem simbólica e imaginária.
e) Se pauta na reflexão, apresentando a racionalidade e a cosmologia
como componentes definidores do seu modo próprio de ser.
4 - (Uem 2012) O mito é um modo de consciência que predomina nas sociedades tribais
e que, nas civilizações da antiguidade, também exerceu significativa influência. Ao
contrário, porém, do que muitos supõem, o mito não desapareceu com o tempo. Sobre
os significados do mito, assinale o que for correto e some os números correspondentes:
01) O mito, como as lendas, é pura fantasia, pois não possui nenhuma coerência lógica e,
por ser dissociado da realidade, não expressa nenhuma forma de verdade.
02) O mistério é um dos componentes do mito: apresenta um enigma a ser decifrado e
expressa o espanto do homem diante do mundo.
04) Uma das funções do mito é fixar os modelos exemplares de todos os ritos e de todas
as atividades humanas significativas. Portanto, o mito é um meio de orientação das
sociedades humanas.
08) O mito é uma intuição compreensiva da realidade, cujas raízes se fundam na emoção
e na afetividade. O mito expressa o que desejamos ou tememos, como somos atraídos
pelas coisas ou como delas nos afastamos.
16) O mito é uma forma predominante de narrativa nas culturas que não conhecem a
escrita. Um de seus objetivos é contar a origem de um grupo humano.
5 - (Unesp 2012) A ciência moderna tem maior poder explicativo, permite previsões
mais seguras e assegura tecnologias e aplicações mais eficazes. Não há dúvida de que
a explicação científica sobre a natureza da chuva comporta usos que a explicação
indígena não comporta, como facilitar prognósticos meteorológicos ou a instalação de
sistemas de irrigação. Para a ciência moderna, a Lua é um satélite que descreve uma
órbita elíptica em torno da Terra, cuja distância mínima do nosso planeta é cerca de
360 mil quilômetros, e que tem raio de 1 736 quilômetros. Para os gregos, era Selene,
filha de Hyprion, irmã de Hélios, amante de Endymion e Pan, e percorria o céu numa
carruagem de prata. Tenho mais simpatia pela explicação dos gregos, mas devo
reconhecer que a teoria moderna permite prever os eclipses da Lua e até desembarcar
na Lua, façanha dificilmente concebível para uma cultura que continuasse aceitando a
explicação mitológica. Os astronautas da NASA encontraram na superfície do nosso
satélite as montanhas observadas por Galileu, mas não encontraram nem Selene nem
sua carruagem de prata. Para o bem ou para o mal as teorias científicas modernas são
válidas, o que não ocorre com as teorias alternativas.
(Sérgio Paulo Rouanet, filósofo brasileiro, 1993. Adaptado.)
Cite o nome dos dois diferentes tipos de conhecimentos
comentados no texto e explique duas diferenças entre eles.
6 - (Uenp 2011) Mario Quintana, no poema “As coisas”, traduziu o sentimento comum
dos primeiros filósofos da seguinte maneira: “O encanto sobrenatural que há nas
coisas da Natureza! [...] se nelas algo te dá encanto ou medo, não me digas que seja
feia ou má, é, acaso, singular”. Os primeiros filósofos da antiguidade clássica grega se
preocupavam com:
a) Cosmologia, estudando a origem do Cosmos, contrapondo a
tradição mitológica das narrativas cosmogônicas e teogônicas.
b) Política, discutindo as formas de organização da polis e
estabelecendo as regras da democracia.
c) Ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores e da vida
virtuosa.
d) Epistemologia, procurando estabelecer as origens e limites do
conhecimento verdadeiro.
e) Ontologia, construindo uma teoria do ser e do substrato da
realidade.
7 - (Enem 2ª aplicação 2010) “Quando Édipo nasceu, seus pais, Laio e Jocasta, os reis de Tebas,
foram informados de uma profecia na qual o filho mataria o pai e se casaria com a mãe. Para
evitá-la, ordenaram a um criado que matasse o menino. Porém, penalizado com a sorte de
Édipo, ele o entregou a um casal de camponeses que morava longe de Tebas para que o criasse.
Édipo soube da profecia quando se tornou adulto. Saiu então da casa de seus pais para evitar a
tragédia. Eis que, perambulando pelos caminhos da Grécia, encontrou-se com Laio e seu séquito,
que, insolentemente, ordenou que saísse da estrada. Édipo reagiu e matou todos os integrantes
do grupo, sem saber que entre eles estava seu verdadeiro pai. Continuou a viagem até chegar
em Tebas, dominada por uma Esfinge. Ele decifrou o enigma da Esfinge, tornou-se rei de Tebas e
casou-se com a rainha, Jocasta, a mãe que desconhecia”.
Disponível em: http://www.culturabrasil.org. Acesso em: 28/08/2010 (adaptado)
No mito Édipo Rei, são dignos de destaque os temas do destino e do determinismo. Ambos são
características do mito grego e abordam a relação entre liberdade humana e providência divina.
A expressão filosófica que toma como pressuposta a tese do determinismo é:
a) “Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo.” (Jean
Paul Sartre)
b) “Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que
quiser.” (Santo Agostinho)
c) “Quem não tem medo da vida também não tem medo da morte.” (Arthur
Schopenhauer)
d) “Não me pergunte quem sou eu e não me diga para permanecer o mesmo.”
(Michel Foucault)
e) “O homem, em seu orgulho, criou a Deus a sua imagem e semelhança.” (Friedrich
Nietzsche)
OS PRÉ-SOCRÁTICOS
•
•
•
•
História da Grécia Antiga
O mito grego
A passagem do mito para o logos
Os primeiros filósofos (Pré-socráticos)
Do Mito à Filosofia
A curiosidade humana levou o homem a buscar explicações para
os fenômenos do cotidiano. Numa época em que não havia
nenhuma fundamentação científica capaz de fornecer base para o
conhecimento, o homem encontrou na mitologia (ou
cosmogonia) uma forma de entender o mundo que o cercava. Por
isso mesmo, nós podemos afirmar que o conhecimento
mitológico representou uma das primeiras tentativas de organizar
um conhecimento sobre a realidade.
MITO
Etimologicamente, a palavra MITO vem do grego MYTHOS e significa
FÁBULA; NARRATIVA; PALAVRA. Na crença grega, o mito era um fato
narrado pelo poeta-rapsodo ou aedo, um escolhido dos deuses, para
quem era revelada a origem de todas as coisas e seres, ficando ele
incumbido de transmiti-la aos ouvintes. A narrativa, mesmo sendo
fabulosa, incompreensível ou contraditória, tornava-se confiável e
sagrada. Confiável devido à autoridade religiosa do narrador.
Sagrada porque tinha origem divina.
No mundo grego, o mito desempenha papel didático. Os valores da
cultura eram transmitidos pelas narrativas dos mitos (era uma
tradição oral). Os aedos e rapsodos percorriam as diversas cidades
gregas (pólis), narrando, em forma de poesia, mitos populares,
geração após geração.
Os principais poetas autores e compiladores dos mitos foram
Homero e Hesíodo. Uma importante característica da mitologia
helênica é a interferência dos deuses no mundo dos homens.
Homero (séc. VIII a.C.) foi um poeta grego, a quem se
atribuem as obras-primas Ilíada e Odisseia. Um dos
maiores escritores da antiguidade. Sobre a data da
elaboração das epopeias, sabe-se apenas que ocorreu
entre os séculos IX e VIII a.C. e que a Ilíada precedeu a
Odisseia em 50 anos. A Odisseia conta a aventura do
herói Ulisses, até a sua volta para a ilha de Ítaca. Na Ilíada
Homero narra os acontecimentos da Guerra de Troia, no
século IX a.C., e as proezas dos heróis gregos e troianos.
Hesíodo - o poeta viveu em Ascra, na Beócia, no final do século -VIII ou início do
século -VII (c. -700), período de crise agrícola e social. O pai era um imigrante de
Cime, na Ásia Menor, que se tornou agricultor e viveu com dificuldade numa
pequena propriedade rural próxima do Monte Hélicon. Teve vários litígios com um
irmão, Perses, a respeito da divisão da herança paterna.
A exemplo do pai, Hesíodo viveu de sua pequena propriedade rural, mas parece ter
recebido treinamento de rapsodo. Hesíodo foi, no entanto, o primeiro a utilizar suas
próprias experiências como tema de poesia e a cantar a vida simples do homem do
campo. Dois de seus poemas chegaram integralmente até nós, a Teogonia e Os
Trabalhos e os Dias.
A Filosofia, ao contrário do Mito, não aceita fabulação,
contradição ou incompreensibilidade. Ela busca respostas
lógicas, coerentes e racionais. Na Filosofia, a confiança não está
assentada na autoridade do filósofo, mas na razão, que é a
mesma em todas as pessoas.
Razão, para a Filosofia, é uma forma de organizar a realidade de
modo que esta se torne compreensível.
O surgimento da filosofia: milagre grego ou processo histórico?
O pensamento filosófico é fruto de um conjunto de
transformações históricas acontecidas no período arcaico (séc.
VII a VI a.C.). As principais transformações sociais foram:
• A dessacralização da escrita.
• O surgimento da moeda.
• A lei escrita e o aparecimento do cidadão.
ESCRITA
USO DA MOEDA
A LEI ESCRITA
O CIDADÃO DA
PÓLIS
Os primeiros filósofos
•
•
•
•
•
•
Os primeiros filósofos surgiram na região da Jônia e da Magna
Grécia, por volta do século VI e V a.C.
Os primeiros filósofos foram chamados de pré-socráticos.
Os principais pré-socráticos foram Tales, Anaximandro,
Pitágoras, Heráclito, Parmênides, Zenão, Demócrito e
Anaxágoras.
Eles escreveram em prosa e somente alguns fragmentos de
seus escritos chegaram à posteridade.
Os pré-socráticos estudaram problemas cosmológicos.
Buscaram o princípio constitutivo do cosmo: a arché. Por essa
razão são considerados físicos (do grego physis, ou natureza).
Os Pré-socráticos
Tales de Mileto
Anaximandro
Anaximenes
8 - (Unioeste 2009) “A filosofia surgiu gradualmente a partir da superação
dos mitos, rompendo em parte com a teodiceia. Outras civilizações
apresentaram alguma forma de pensamento filosófico, contudo, sempre
ligado à tradição religiosa. A filosofia, por sua vez, abandona e supera a
crença mítica e abraça a razão e a lógica como pressupostos básicos para o
pensar”.
(E. C. Santos & O. Cardoso)
Assinale a alternativa que não descreve um fator que propiciou o
surgimento da Filosofia na Grécia no século VI a.C.
a) A vivência do espaço público e o uso do discurso como instrumento
de cidadania.
b) A unificação e a centralização do Estado grego, com o
enfraquecimento das Cidades-Estados.
c) A superação da visão mitológica de mundo, seja por sua
racionalização, seja por sua substituição.
d) A ideia de um Cosmo regido por regras e leis universais.
e) A valorização da razão como um pensar metódico e sistemático,
sujeito a regras e leis universais.
9 - (Ueg 2008) Tales foi o iniciador da reflexão sobre a physis,
pois foi o primeiro filósofo a afirmar a existência de um princípio
originário e único, causa de todas as coisas que existem,
sustentando que esse princípio de tudo é a água. Tudo se origina
a partir dela. Essa proposta é importantíssima [...] podendo com
boa dose de razão ser qualificada como a primeira proposta
filosófica daquilo que se costuma chamar de começo da
formação do universo.
REALE, Giovanni. História da filosofia. São Paulo: Loyola, 1990.
A passagem do mito à filosofia iniciou-se com os pré-socráticos. O primeiro
deles foi Tales de Mileto, que iniciou o estudo da cosmologia. A cosmologia é
definida como:
a) A investigação racional do agir humano
b) A investigação acerca da origem e da ordem do mundo
c) O estudo do belo na arte
d) O estudo do estado civil e natural e seu ordenamento jurídico
10 - (Ufu 2002) “…Princípio dos seres…ele [Anaximandro] disse (que era) o
ilimitado…Pois donde a geração é para os seres, é para onde também a corrupção
se gera segundo o necessário ; pois concedem eles mesmos justiça e deferência uns
aos outros pela injustiça, segundo a ordenação do tempo.”
Pré-Socráticos. Coleção “Os Pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1978
A partir da análise do texto de Anaximandro, é correto afirmar que a
filosofia, em contraposição ao mito, se caracteriza por :
a) conceber o tempo como um passado imemorial sem relação com o
presente.
b) os seres divinos concedem, por alianças ou rompimentos, justiça e
deferência uns aos outros.
c) o mundo ser explicado por um processo constante e eterno de
geração e corrupção, cujo princípio é o ilimitado.
d) narrar a origem do mundo por meio de alianças e forças geradoras
divinas.
11 - (Ufu 2001) No poema Teogonia, as Musas aparecem ao
poeta Hesíodo e dizem-lhe o seguinte:
“sabemos dizer muitas mentiras semelhantes aos fatos e
sabemos, se queremos, dar a ouvir verdades” (vv. 25-6)
Com base neste trecho é correto afirmar:
I. A Filosofia assemelha-se ao mito por entender que a verdade baseia-se na
autoridade de quem a diz.
II. No mito, há espaço para contradições e incoerências, pois a verdade nele se
estabelece em um plano diverso daquele em que atua a racionalidade humana.
III. O mito entende que a verdade é, por um lado, uma conformidade com alguns
princípios lógicos e, por outro, a verdade deve ser dita em conformidade com o real.
IV. A crença e a confiança no mito provêm da autoridade religiosa do poeta que o
narra.
a) I e III são corretas.
b) II e III são corretas.
c) II e IV são corretas.
d) III e IV são corretas.
12 - (Ueg 2011) A influência de Sócrates na filosofia grega foi tão marcante que
dividiu a sua história em períodos: período pré-socrático, período socrático e
período pós-socrático. O período pré-socrático é visto como uma época de
formação da filosofia grega, na qual predominavam os problemas cosmológicos.
Ele se desenvolveu em cidades da Jônia e da Magna Grécia. Grandes escolas
filosóficas surgem nesse período e muitos pensadores se destacam. Entre eles,
um jônico, que ficou conhecido como pai da filosofia. Seu nome é:
a) Tales de Mileto
b) Leucipo de Abdera
c) Sócrates de Atenas
d) Parmênides de Eléia
CORREÇÃO
1 - (Unicentro 2012) A passagem do Mito ao Logos na Grécia antiga foi
fruto de um amadurecimento lento e processual. Por muito tempo, essas
duas maneiras de explicação do real conviveram sem que se traçasse um
corte temporal mais preciso. Com base nessa afirmativa, é correto
afirmar:
a) O modo de vida fechado do povo grego facilitou a passagem do
Mito ao Logos.
b) A passagem do Mito ao Logos, na Grécia, foi responsabilidade
dos tiranos de Siracusa.
c) A economia grega estava baseada na industrialização, e isso
facilitou a passagem do Mito ao Logos.
d) O povo grego antigo, nas viagens, se encontrava com outros
povos com as mesmas preocupações e culturas, o que contribuiu
para a passagem do Mito ao Logos.
e) A atividade comercial e as constantes viagens oportunizaram a
troca de informações/conhecimentos, a observação/assimilação
dos modos de vida de outros povos, contribuindo, assim, de
modo decisivo, para a construção da passagem do Mito ao Logos.
2 - (Unesp 2012) Aedo e adivinho têm em comum um mesmo dom de
“vidência”, privilégio que tiveram de pagar pelo preço dos seus olhos. Cegos
para a luz, eles veem o invisível. O deus que os inspira mostra-lhes, em uma
espécie de revelação, as realidades que escapam ao olhar humano. Sua visão
particular age sobre as partes do tempo inacessíveis às criaturas mortais: o
que aconteceu outrora, o que ainda não é.
(Jean-Pierre Vernant. Mito e pensamento entre os gregos, 1990. Adaptado.)
O texto refere-se à cultura grega antiga e menciona, entre outros aspectos,
a) O papel exercido pelos poetas, responsáveis pela transmissão oral das
tradições, dos mitos e da memória.
b) A prática da feitiçaria, estimulada especialmente nos períodos de seca ou
de infertilidade da terra.
c) O caráter monoteísta da sociedade, que impedia a difusão dos cultos aos
deuses da tradição clássica.
d) A forma como a história era escrita e lida entre os povos da península
balcânica.
e) O esforço de diferenciar as cidades-estados e reforçar o isolamento e a
autonomia em que viviam.
3 - (Uncisal 2012) O conhecimento mítico apresenta características próprias
que o diferencia de outros modos de conhecer. Ele invariavelmente se
vincula ao conhecimento religioso, mas conserva suas funções especificas:
acomodar e tranquilizar o homem em meio a um mundo caótico e hostil.
Nas sociedades em que ele se apresenta como um modo válido de
explicação da realidade assume uma abrangência tamanha que determina a
totalidade da vida, tanto no âmbito público como privado. Com referência
ao conhecimento mítico, é incorreto afirmar que:
a) A adesão ao conhecimento mítico ocorre sem necessidade de
demonstração, apenas se aceita a autoridade do narrador.
b) As
explicações
oferecidas
pelo
conhecimento
mítico,
essencialmente, são de natureza cosmogônica.
c) As representações sobrenaturais são utilizadas no intuito de explicar
os fenômenos naturais.
d) A narrativa mítica faz uso de uma linguagem simbólica e imaginária.
e) Se pauta na reflexão, apresentando a racionalidade e a cosmologia
como componentes definidores do seu modo próprio de ser.
4 - (Uem 2012) O mito é um modo de consciência que predomina nas sociedades tribais
e que, nas civilizações da antiguidade, também exerceu significativa influência. Ao
contrário, porém, do que muitos supõem, o mito não desapareceu com o tempo. Sobre
os significados do mito, assinale o que for correto e some os números correspondentes:
01) O mito, como as lendas, é pura fantasia, pois não possui nenhuma coerência lógica e,
por ser dissociado da realidade, não expressa nenhuma forma de verdade.
02) O mistério é um dos componentes do mito: apresenta um enigma a ser decifrado e
expressa o espanto do homem diante do mundo.
04) Uma das funções do mito é fixar os modelos exemplares de todos os ritos e de todas
as atividades humanas significativas. Portanto, o mito é um meio de orientação das
sociedades humanas.
08) O mito é uma intuição compreensiva da realidade, cujas raízes se fundam na emoção
e na afetividade. O mito expressa o que desejamos ou tememos, como somos atraídos
pelas coisas ou como delas nos afastamos.
16) O mito é uma forma predominante de narrativa nas culturas que não conhecem a
escrita. Um de seus objetivos é contar a origem de um grupo humano.
02 + 04 + 08 + 16 = 30
5 - (Unesp 2012) A ciência moderna tem maior poder explicativo, permite previsões
mais seguras e assegura tecnologias e aplicações mais eficazes. Não há dúvida de que
a explicação científica sobre a natureza da chuva comporta usos que a explicação
indígena não comporta, como facilitar prognósticos meteorológicos ou a instalação de
sistemas de irrigação. Para a ciência moderna, a Lua é um satélite que descreve uma
órbita elíptica em torno da Terra, cuja distância mínima do nosso planeta é cerca de
360 mil quilômetros, e que tem raio de 1 736 quilômetros. Para os gregos, era Selene,
filha de Hyprion, irmã de Hélios, amante de Endymion e Pan, e percorria o céu numa
carruagem de prata. Tenho mais simpatia pela explicação dos gregos, mas devo
reconhecer que a teoria moderna permite prever os eclipses da Lua e até desembarcar
na Lua, façanha dificilmente concebível para uma cultura que continuasse aceitando a
explicação mitológica. Os astronautas da NASA encontraram na superfície do nosso
satélite as montanhas observadas por Galileu, mas não encontraram nem Selene nem
sua carruagem de prata. Para o bem ou para o mal as teorias científicas modernas são
válidas, o que não ocorre com as teorias alternativas.
(Sérgio Paulo Rouanet, filósofo brasileiro, 1993. Adaptado.)
Cite o nome dos dois diferentes tipos de conhecimentos
comentados no texto e explique duas diferenças entre eles.
6 - (Uenp 2011) Mario Quintana, no poema “As coisas”, traduziu o sentimento comum
dos primeiros filósofos da seguinte maneira: “O encanto sobrenatural que há nas
coisas da Natureza! [...] se nelas algo te dá encanto ou medo, não me digas que seja
feia ou má, é, acaso, singular”. Os primeiros filósofos da antiguidade clássica grega se
preocupavam com:
a) Cosmologia, estudando a origem do Cosmos, contrapondo a
tradição mitológica das narrativas cosmogônicas e teogônicas.
b) Política, discutindo as formas de organização da polis e
estabelecendo as regras da democracia.
c) Ética, desenvolvendo uma filosofia dos valores e da vida
virtuosa.
d) Epistemologia, procurando estabelecer as origens e limites do
conhecimento verdadeiro.
e) Ontologia, construindo uma teoria do ser e do substrato da
realidade.
7 - (Enem 2ª aplicação 2010) “Quando Édipo nasceu, seus pais, Laio e Jocasta, os reis de Tebas,
foram informados de uma profecia na qual o filho mataria o pai e se casaria com a mãe. Para
evitá-la, ordenaram a um criado que matasse o menino. Porém, penalizado com a sorte de
Édipo, ele o entregou a um casal de camponeses que morava longe de Tebas para que o criasse.
Édipo soube da profecia quando se tornou adulto. Saiu então da casa de seus pais para evitar a
tragédia. Eis que, perambulando pelos caminhos da Grécia, encontrou-se com Laio e seu séquito,
que, insolentemente, ordenou que saísse da estrada. Édipo reagiu e matou todos os integrantes
do grupo, sem saber que entre eles estava seu verdadeiro pai. Continuou a viagem até chegar
em Tebas, dominada por uma Esfinge. Ele decifrou o enigma da Esfinge, tornou-se rei de Tebas e
casou-se com a rainha, Jocasta, a mãe que desconhecia”.
Disponível em: http://www.culturabrasil.org. Acesso em: 28/08/2010 (adaptado)
No mito Édipo Rei, são dignos de destaque os temas do destino e do determinismo. Ambos são
características do mito grego e abordam a relação entre liberdade humana e providência divina.
A expressão filosófica que toma como pressuposta a tese do determinismo é:
a) “Nasci para satisfazer a grande necessidade que eu tinha de mim mesmo.” (Jean
Paul Sartre)
b) “Ter fé é assinar uma folha em branco e deixar que Deus nela escreva o que
quiser.” (Santo Agostinho)
c) “Quem não tem medo da vida também não tem medo da morte.” (Arthur
Schopenhauer)
d) “Não me pergunte quem sou eu e não me diga para permanecer o mesmo.”
(Michel Foucault)
e) “O homem, em seu orgulho, criou a Deus a sua imagem e semelhança.” (Friedrich
Nietzsche)
8 - (Unioeste 2009) “A filosofia surgiu gradualmente a partir da superação
dos mitos, rompendo em parte com a teodiceia. Outras civilizações
apresentaram alguma forma de pensamento filosófico, contudo, sempre
ligado à tradição religiosa. A filosofia, por sua vez, abandona e supera a
crença mítica e abraça a razão e a lógica como pressupostos básicos para o
pensar”.
(E. C. Santos & O. Cardoso)
Assinale a alternativa que não descreve um fator que propiciou o
surgimento da Filosofia na Grécia no século VI a.C.
a) A vivência do espaço público e o uso do discurso como instrumento
de cidadania.
b) A unificação e a centralização do Estado grego, com o
enfraquecimento das Cidades-Estados.
c) A superação da visão mitológica de mundo, seja por sua
racionalização, seja por sua substituição.
d) A ideia de um Cosmo regido por regras e leis universais.
e) A valorização da razão como um pensar metódico e sistemático,
sujeito a regras e leis universais.
9 - (Ueg 2008) Tales foi o iniciador da reflexão sobre a physis,
pois foi o primeiro filósofo a afirmar a existência de um princípio
originário e único, causa de todas as coisas que existem,
sustentando que esse princípio de tudo é a água. Tudo se origina
a partir dela. Essa proposta é importantíssima [...] podendo com
boa dose de razão ser qualificada como a primeira proposta
filosófica daquilo que se costuma chamar de começo da
formação do universo.
REALE, Giovanni. História da filosofia. São Paulo: Loyola, 1990.
A passagem do mito à filosofia iniciou-se com os pré-socráticos. O primeiro
deles foi Tales de Mileto, que iniciou o estudo da cosmologia. A cosmologia é
definida como:
a) A investigação racional do agir humano
b) A investigação acerca da origem e da ordem do mundo
c) O estudo do belo na arte
d) O estudo do estado civil e natural e seu ordenamento jurídico
10 - (Ufu 2002) “…Princípio dos seres…ele [Anaximandro] disse (que era) o
ilimitado…Pois donde a geração é para os seres, é para onde também a corrupção
se gera segundo o necessário ; pois concedem eles mesmos justiça e deferência uns
aos outros pela injustiça, segundo a ordenação do tempo.”
Pré-Socráticos. Coleção “Os Pensadores”. São Paulo: Abril Cultural, 1978
A partir da análise do texto de Anaximandro, é correto afirmar que a
filosofia, em contraposição ao mito, se caracteriza por :
a) conceber o tempo como um passado imemorial sem relação com o
presente.
b) os seres divinos concedem, por alianças ou rompimentos, justiça e
deferência uns aos outros.
c) o mundo ser explicado por um processo constante e eterno de
geração e corrupção, cujo princípio é o ilimitado.
d) narrar a origem do mundo por meio de alianças e forças geradoras
divinas.
11 - (Ufu 2001) No poema Teogonia, as Musas aparecem ao
poeta Hesíodo e dizem-lhe o seguinte:
“sabemos dizer muitas mentiras semelhantes aos fatos e
sabemos, se queremos, dar a ouvir verdades” (vv. 25-6)
Com base neste trecho é correto afirmar:
I. A Filosofia assemelha-se ao mito por entender que a verdade baseia-se na
autoridade de quem a diz.
II. No mito, há espaço para contradições e incoerências, pois a verdade nele se
estabelece em um plano diverso daquele em que atua a racionalidade humana.
III. O mito entende que a verdade é, por um lado, uma conformidade com alguns
princípios lógicos e, por outro, a verdade deve ser dita em conformidade com o real.
IV. A crença e a confiança no mito provêm da autoridade religiosa do poeta que o
narra.
a) I e III são corretas.
b) II e III são corretas.
c) II e IV são corretas.
d) III e IV são corretas.
12 - (Ueg 2011) A influência de Sócrates na filosofia grega foi tão marcante que
dividiu a sua história em períodos: período pré-socrático, período socrático e
período pós-socrático. O período pré-socrático é visto como uma época de
formação da filosofia grega, na qual predominavam os problemas cosmológicos.
Ele se desenvolveu em cidades da Jônia e da Magna Grécia. Grandes escolas
filosóficas surgem nesse período e muitos pensadores se destacam. Entre eles,
um jônico, que ficou conhecido como pai da filosofia. Seu nome é:
a) Tales de Mileto
b) Leucipo de Abdera
c) Sócrates de Atenas
d) Parmênides de Eléia

similar documents