Processo de Gestão e Criação de Valor - transparência

Report
Processo de gestão e criação de
valor
Uff 2010
Ariel Levy
O que é um Processo?
Davenport
(1994)
• uma ordenação específica das atividades de trabalho no
tempo e no espaço, com um começo, um fim, inputs e
outputs claramente identificados,
• enfim, uma estrutura para ação.
Harrington
(1993)
• um grupo de tarefas interligadas logicamente, que
utilizam os recursos da Organização para gerar os
resultados definidos, de forma a apoiar os seus
objetivos.
Johansson et
al. (1995)
• conjunto de atividades ligadas que tomam um insumo
(input) e o transformam para criar um resultado
(output).
• Esta transformação deve adicionar valor.
O que é um processo?
Rummler e
Brache
(1994)
• uma série de etapas criadas para produzir um
produto ou serviço, incluindo várias funções e
abrangendo o “espaço em branco” entre os
quadros do organograma, sendo visto como
uma “cadeia de agregação de valores”.
Pentland et
al., (1999)
Visão do MIT
• seqüências semi-repetitivas de eventos que,
geralmente, estão distribuídas de forma ampla
no tempo e espaço, possuindo fronteiras
ambíguas.
Então ...
Um processo dispõe de inputs, outputs, tempo,
espaço, ordenação, objetivos e valores que,
interligados logicamente, irão resultar em uma
estrutura para fornecer produtos ou serviços ao
cliente (“stakeholders”).
A Empresa como um Sistema
Aberto
Ambiente Remoto
Sociedade
Cultura
Ambiente Próximo
Clientes
Política
Concorrentes
Recursos
Naturais
Comunicação
Entradas
Materiais
Equipamentos
Energia
Pessoas
Informações
Processamento
A Empresa
Sindicatos
Acionistas
Tecnologia
Saídas
Produtos
Bens
Serviços
Fornecedores
Comunidades
Governo
Clima
Demografia
5
Educação
Economia
Legislação
e Tributos
Sistema de produção
Classificação ABC
120
100
Valor
80
60
40
20
0
6
0
20
40
60
No. de itens
80
100
120
GESTÃO DE CUSTOS E RESULTADOS
7
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
A organização e o modelo de decisão




Coleta de dados
8
Registro de dados
Relatórios
Administração
Investidores
Bancos
Governo
Outros interessados
Usuários (tomada
de decisão)
Mercados
Paradigma E- C- D
Estrutura
Conduta
Desempenho
9
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Paradigma E - C – D
Estrutura
 Monopólio
 Oligopólio
 Concorrência perfeita
10
GESTÃO DE CUSTOS E RESULTADOS
 Paradigma E - C – D
Conduta
 Nível de agressividade
 Concorrência
 (preços ou diferenciação)
 Substitutos
 Inovação
11
GESTÃO DE CUSTOS E RESULTADOS
DIAGRAMA DE PORTER
12
GESTÃO DE CUSTOS E RESULTADOS
 Desempenho ou Resultados
Como definir desempenho?
Sofisticação das
operações e
estratégia da
organização
Fundamentos econômicos
13
Qualidade do ambiente
Econômico e social – BEM
ESTAR
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Criação de valor
 A percepção do valor é relativa as perspectivas.
 Máxima apropriação do valor agregado dado pelos
produtos e serviços.
 O modelo de gestão deve ser direcionado para
obtenção da maior eficiência e eficácia das atividades
internas orientadas as diversas demandas.
14
ORGANIZAÇÕES
Curto Alcance
Longo Alcance
Fatores
Competências Básicas
(recursos e capacidades)
Escopo da
transformação
Missão
(escolha de um
domínio)
Público/ cliente
Escopo
(Produtos, mercados e
Escopo geográfico)
Escopo da Organização
•Produtos
•Mercados
•Área Geográfica
Competência Única
15
Corporate Strategy, Ansoff, Igor, 1965.- adaptado
Eficácia operacional X posicionamento
Fronteira da produtividade
(estado da melhor prática possível)
alta
.
diferenciação
baixa
baixa
alta
posição relativa de custos
16
Organização Mercadológica
As fronteiras traçadas, tanto para clientes,
quanto pelo ambiente, aliados à história e às
capacidades
da
organização
e
dos
concorrentes, levaram à reunião em alguns
grupos estratégicos coerentes. Dentro desses
grupos, as organizações são semelhantes em
termos de escopo de atividades e cobertura
de mercado, seguem estratégias semelhantes e
competem com muito mais intensidade entre
si do que com empresas de outros grupos.
17
Entrantes
Potenciais
Barreiras à
entrada
Interno
Externo
Poder de
negociação
Poder de
negociação
Ameaças
Produtos
Substitutos
Clientes
Concorrentes
Empresas
Fornecedores
18
Compradores
?
A
Fr
Estratégia FO
Estratégia FrO
Estratégia FA
Estratégia FrA
Estratégia
Competitiva
Complementadores
Escopo Competitivo
Estreito Amplo
Rivalidade
Competitiva
Fornecedores
O
F
Liderança
no Custo
Diferenciação
Enfoque no
Custo
Enfoque na
Diferenciação
Custo mais Baixo
Diferenciação
Vantagem Competitiva
Estrutura da decisão
 Resultados
 Decorrem de desempenho acima da média.
 Estão sujeitos a conjuntura.
 São relativos a objetivos e metas traçadas.
 Dependem de padrões, indicadores e modelos.
 Mensuração de conformidade e produtividade.
19
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
“Nós produzimos, publicamos, reinventamos e compartilhamos mídia
pessoal. Nós fazemos nossos próprios filmes, nós criamos fotos digitais,
animação, sites de notícias, hiper-ficção e álbuns de fotografias. Nós
programamos nossos gravadores de vídeo pessoal de modo que possamos
assistir a programação das redes não no horário deles, mas nos nossos.
Nós ouvimos web-rádio ou estações de satélite que interessam aos
nossos gostos. Nós baixamos música na internet para os nossos
tocadores de mp3 e queimamos música para os nossos próprios cd`s. E
alguns de nós gravam música e distribuem nossos trabalhos na
internet. Nós fazemos nossa própria mídia.
Em muitos casos nós somos nossa própria mídia”

21
(LASICA, 2005)
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Desempenho
Nível de realização que otimiza o valor e o serviço da organização
para os interessados.
 Mensurável
 Simultâneo
22
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
Medidas de desempenho
• Custo
• Entradas
• Atividades
• Qualidade
• Conformidade
• Produtividade
• Tempo
• Velocidade
• Flexibilidade
23
GESTÃO DE CUSTOS E RESULTADOS
Metas
Processos
Medidas de saída
Atividades - Chave
Medidas do Processo
Implementação
DESEMPENHO
24
VISÃO HOLÍSTICA DAS ORGANIZAÇÕES
 Mobilização
 Humano
 Processo
 Organização
Conscientização
25
Aceitação
Domínio
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Indicadores – Níveis de desempenho
 Foco
 Permite estabelecer metas
 Custo
 Qualidade
 Tempo
 Permitir o controle e evolução contínuo.
 Eliminação de desperdício.
26
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Processo
 Série de atividades que consumem recursos e produzem um
bem ou serviço.
 Benefícios
 A gestão com foco nos processos críticos, melhora a construção
de valor e sobrevivência das organizações.
 Riscos
 Os processos são inter funcionais e metas e indicadores devem
ser focados no desempenho global.
27
GESTÃO DE CUSTOS E
RESULTADOS
 Medidas de saída
 Relatam resultados de um processo e são utilizados para
controle de recursos.
 Benefícios
 Devem incluir:
 Qualidade; Custo;Tempo
 Riscos
 Utilizar somente relatórios financeiros tradicionais
 Não Focar nas demandas dos clientes
28
Gestão de sistemas
Recursos
Geradores do
Processo
Atividades
Medidas de
desempenho
Objetos de custo
29
Raffish,1999 How much does productreally cost
Medidas de desempenho
• As medidas de desempenho relatam as
atividades do processo de gestão e motivam as
pessoas ao controle.
• Medidas devem ser efetivas.
• Controle estatístico.
• Prevêem e evitam problemas.
• Permitem a melhoria contínua
• Possibilitam a seleção da atividade-chave.
30
Mapear os processos
Como estabelecer e implementar as medidas de desempenho
do processo?
•1 - Voltar as metas da organização
•2 – Determinar na matriz e determinar as
categorias de medição.
•3 – Determinar o que e como medir
•4 – atributo ou variável.
•5 - Validação
31
Gestão de sistemas
Implementação
• Importância
• Confiabilidade
• Utilização
• Necessidade
• Concisão
32
PDCA - Ampliado
Desenvolver
Analisar
Endossar
6 ETAPAS
Avaliar
Medir
33
Submeter
PDCA - Ampliado
6 etapas
•Desenvolver e validar a rotina dos relatórios
•Obter o endosso da administração
•Submeter o plano de implementação às
pessoas do processo
•Iniciar a medição e emissão de relatórios.
•Avaliar a efetividade das medidas.
•Analisar e melhorar continuamente as
medições de desempenho.
34
Critérios de Eficácia Organizacional
Curto Prazo
(Critérios)
35
Médio Prazo
Produção
Eficiência
Satisfação
Adaptabilidade
Desenvolvimento
Longo Prazo
Sobrevivência

similar documents