Tendência pedagógica liberal Renovada

Report
Curso: Licenciatura em Matemática
Período: 2011.1
Docente: Edivaneide
José Firmino Júnior, Neuziene Garcia, Olívia Sobreira,Patrícia Conrado.

As Tendências Pedagógicas Liberais tiveram seu início
no século XIX, tendo recebido as influencias do ideário
da Revolução Francesa (1789), de “igualdade,
liberdade, fraternidade”, foi também, determinante do
liberalismo no mundo ocidental e do sistema
capitalista. Onde estabeleceu uma forma de
organização social baseada na propriedade privada dos
meios de produção, o que se denominou como
sociedade de classes. Sua preocupação básica e o
cultivo dos interesses individuais e não sociais. Para
esta tendência educacional, o saber já produzido
(conteúdos de ensino) é muito mais importante que a
experiência do sujeito e o processo pelo qual ele
aprende, mantendo o instrumento de poder entre
dominador e dominado.
A expressão liberal não significa “avançado”,
“democrático”, como geralmente é usado .
O princípio liberal surgiu como desculpa do
sistema capitalista que, ao argumentar o
prevalecimento da liberdade e interesses
individuais da sociedade, institui um modo de
organização social fundamentado na doutrina
privada dos processo de produção, também
sociedade de classes.
A pedagogia liberal defende a posição de que a
função da escola é preparar o indivíduo no
desempenho de papeis sociais de acordo com
suas habilidades específicas, dessa forma precisa
aprender a adaptar
se aos valores e às normas
vigentes na sociedade de classes.
A ênfase no aspecto cultural esconde a realidade
das diferenças de classes, embora haja uma
divulgação da idéia de igualdade de
oportunidades, não se considera a desigualdade
de condições.
Neste caso é importante ao professor em formação e ao que já
se encontra atuando, o conhecimento de tais tendências a fim
de construir conscientemente a sua própria trajetória políticopedagógica. Somente a partir deste conhecimento, e de
autoconhecimento é que poderá propor mudanças a fim de
transformar fazeres e saberes, problematizando-os, inserindoos no cotidiano e na própria expressão do educador. Na
verdade, conhecendo a teoria que sustenta a sua prática, o
educador pode desejar e fazer a sua transformação em direção
a conscientização e à conseqüente liberação de condicionantes
sociais, tornando o processo ensino aprendizagem algo
realmente significativo tanto para o educador como para o
educando.
As tendências pedagógicas
têm basicamente sua origem
em movimentos sociais,
filosóficos e antropológicos
em determinados momentos
da história humana,
terminam
assim por influenciar as
práticas
pedagógicas associadas às
expectativas da sociedade.
Tendência Liberal Renovada trata de um novo
pensamento
pedagógico
internacional,
que
inspirado em John Dewey, veio revolucionar o
tradicionalismo na educação brasileira, sofrendo
esta, baseada em Augusto Comte inspiração
positivista.
Para essa tendência o papel da escola é o de
atender as diferenças individuais, as necessidades
e interesses dos alunos, enfatizando os processos
mentais e habilidades cognitivas necessárias a
adaptação do homem ao meio social. Sendo o aluno
o centro e sujeito do conhecimento.
Segundo
Libâneo
(1994),
esta
tendência em nosso país segue duas
versões distintas:
•A Renovada Progressivista
•Tendência Renovada não-Diretiva
Segundo LIBÂNEO (1990), a pedagogia liberal sustenta a
ideia de que a escola tem por função preparar os indivíduos
para o desempenho de papéis sociais, de acordo com as
aptidões individuais. Isso pressupõe que o indivíduo precisa
adaptar-se aos valores e normas vigentes na sociedade de
classe, através do desenvolvimento da cultura individual.
Devido a essa ênfase no aspecto cultural, as diferenças
entre as classes sociais não são consideradas, pois, embora
a escola passe a difundir a ideia de igualdade
de oportunidades, não leva em conta a desigualdade de
condições.

Segundo essa perspectiva teórica de Libâneo, a tendência liberal
renovada (ou pragmatista) acentua o sentido da cultura como
desenvolvimento das aptidões individuais.

A escola deve imitar a vida.

O ambiente é apenas um meio estimulador. Só é retido aquilo que se
incorpora à atividade do aluno, através da descoberta pessoal. É a
tomada de consciência, segundo Piaget.

Papel da Escola: Ordenar as necessidades individuais
do meio social. Experiências que devem satisfazer os
interesses do aluno e as exigências sociais. Interação
entre estruturas cognitivas do indivíduo e estruturas do
ambiente.

Conteúdos: Conteúdos estabelecidos em função de
experiência vivificada. Processos mentais e habilidades
cognitivas. Aprender a aprender.

Métodos: Aprender fazendo. Trabalho em grupo.
Método ativo: a) situação, experiência; b) desafiante,
soluções provisórias; soluções à prova.

Professor x Aluno: Professor sem lugar privilegiado.
Auxiliados. Disciplina como tomada de consciência.
Indispensável bom relacionamento entre professor e
aluno.

Pressupostos: Estimulação da situação problema.
Aprender é uma atividade de descoberta. Retido o que
é descoberto pelo aluno.

Prática Escolar: Aplicação reduzida. Choque com a
prática - pedagogia.

Acentua-se, nessa tendência, o papel da escola na formação de
atitudes.

A escola deve se preocupar mais com os problemas psicológicos do
que pedagógicos ou sociais.

Deve haver uma adequação pessoal do individuo as solicitações do
ambiente.

Aprender é modificar suas próprias percepções. Trata-se de um ensino
centrado no aluno, sendo o professor apenas um facilitador.

A retenção se dá pela relevância do aprendido em relação ao “eu”, o
que torna a avaliação escolar sem sentido, privilegiando-se a auto
avaliação

Papel da Escola: Formação de atitudes. Preocupações com problemas
psicológicos. Clima favorável à mudança do indivíduo. Boa educação, boa
terapia (Rogers)

Conteúdos: Esta tendência põe nos processos de desenvolvimento das
relações e da comunicação se torna secundária a transmissão de conteúdos.

Método: O esforço do professor é praticamente dobrado para facilitar a
aprendizagem do aluno. Boa relação entre professor e aluno.

Professor x Aluno: A pedagogia não-diretiva propõe uma educação
centrada. O professor é um especialista em relações humanas, toda a
intervenção é ameaçadora.

Pressupostos: A motivação resulta do desejo de adequação pessoal da
auto realização, aprender, portanto, é modificar suas próprias
percepções, daí se aprende o que estiver significamente relacionados.

Prática Escolar: As ideias do psicólogo C. Rogers é influenciar o número
expressivo de educadores, professores, orientadores, psicólogos
escolares.

similar documents