18. SAV-PV (formação e ação - power point)

Report
A Pastoral Vocacional é parte integrante
da pastoral da Igreja. É uma dimensão
da pastoral diocesana que trabalha com
a promoção vocacional, "uma dimensão
conatural e essencial para a vida da
Igreja e para a sua ação
evangelizadora" (cf. João Paulo II,
Pastores Dabo Vobis, nº 34 ).
Sendo as vocações um dom e um bem para a
Igreja, é seu dever assumir a sua missão
geradora e educadora de vocações. Por outro
lado, “sendo um problema vital que se coloca
no próprio coração da Igreja, a preocupação
com as vocações sacerdotais deve estar no
centro do amor de cada cristão pela Igreja”
(PDV 41). Cada um, no âmbito de sua
responsabilidade, deverá transformar essa
preocupação em formas concretas de ação.
(doc 93 nº 104)
No que se refere à formação dos
discípulos e missionários de Cristo ocupa
um lugar particular a pastoral
vocacional, que acompanha
cuidadosamente todos os que o Senhor
chama a servir à Igreja no sacerdócio,
na vida consagrada ou no estado de
leigo. (DAp 314)
A pastoral vocacional, que é
responsabilidade de todo o povo de
Deus, começa na família e continua na
comunidade cristã, deve se dirigir às
crianças e especialmente aos jovens
para ajudá-los a descobrir o sentido da
vida e o projeto que Deus tem para
cada um, acompanhando-os em seu
processo de discernimento. (DAp 314)
A pastoral vocacional tem por objetivos:
despertar para a vocação humana, cristã e
eclesial; discernir os sinais indicadores do
chamado de Deus; cultivar os germes de
vocação e acompanhar o processo de opção
vocacional consciente e livre. Deve dar
ênfase às vocações de especial
consagração e, entre elas,
particularmente, à vocação ao
presbiterato. (PDV 34 in doc.55 - 27)
Haja em cada diocese uma equipe que
coordene o serviço diocesano de animação
vocacional sob a orientação do bispo. Esta
comissão programe e realize, com certa
periodicidade, encontros vocacionais
diocesanos, com jovens que já possuem
uma pré-opção vocacional, dando especial
atenção aos vocacionados para a vida
presbiteral. (doc 93 - 107)
Em cada paróquia e, se possível, em cada
comunidade, haja uma equipe responsável
pelo serviço de animação vocacional,
sempre animada pelo pároco. Cabe à equipe
promover a oração pelas vocações,
coordenar e organizar a ação vocacional
em todo o itinerário vocacional (despertar,
discernir, cultivar e acompanhar as
vocações) e, desse modo, atuar junto aos
possíveis vocacionados, com particular
atenção aos vocacionados ao ministério
presbiteral. Sugere-se à equipe que
promova, de modo regular, permanente e
pedagógico, encontros vocacionais com
crianças, adolescentes e jovens. Cabe a
esta equipe favorecer uma orientação
vocacional personalizada, mediante um
serviço de escuta e diálogo capaz de
ajudar os vocacionados a descobrirem suas
verdadeiras motivações e deixarem-se
conhecer a partir do chamamento de
Cristo. (doc 93 - 108)
A Pastoral Vocacional exige ser assumida
com um novo, vigoroso e mais decidido
compromisso por parte de todos os
membros da Igreja, na consciência de que
ela não é um elemento secundário ou
acessório, nem um momento isolado ou
setorial, quase uma simples parte, ainda
que relevante, da pastoral global da
Igreja. (PDV 34 in doc 55 – 28; doc 93 - 102)
• Um agrupamento de pessoas que trabalham
na comunidade eclesial,
• Em profunda sintonia com a Igreja particular
• Para auxiliar o surgimento (despertar)
• Dar acompanhamento (discernir e cultivar)
• E facilitar o encaminhamento (acompanhar)
das vocações laicais, sacerdotais, religiosas e
missionárias.
Possibilitar o surgimento e o encaminhamento
de todas as vocações na Igreja:
Laicais,
Sacerdotais,
Religiosas,
Missionárias.
Dando particular atenção às vocações de
especial consagração,
ocasionando uma evangelização libertadora
em vista da construção do reino de Deus.
Dinamizar a comunidade eclesial,
integrando todas as pastorais,
promovendo atividades
que auxiliem os fiéis,
em especial os jovens,
a descobrir,
assumir,
e a desenvolver
a sua vocação
a que Deus os chamou.
• Falar com o pároco;
• Conscientização e motivação prévia da
comunidade paroquial (criar consciência da
responsabilidade e necessidade);
• Convidar pessoas;
• Organizar curso/encontro para formação e
programação do trabalho;
• Cada um conhecer com clareza: objetivos,
função de cada membro, modo de
trabalhar, campos de ação, deveres e
compromissos de cada pessoa e da equipe
inteira;
• Constituir: coordenador e vice, secretário,
tesoureiro;
• Manter contínuo laço de amizade com
pároco, CPP, Equipes Regional e
Diocesana;
• Reuniões para: rezar, estudar, avaliar e
planejar;
• Registrar conteúdos e decisões das
reuniões e movimentação financeira;
• Na área da ORAÇÃO;
• Na área da FORMAÇÃO;
• Na área do CHAMADO DIRETO;
• Na área da COLABORAÇÃO
FINANCEIRA.
• Levar a comunidade a rezar pelas
vocações de maneira mais consciente e
frequente (Jesus é modelo e motivador);
• Destaque para o Dia Mundial de Oração
pelas Vocações;
• Destaque para mês de agosto – Mês
Vocacional;
• Destaque para ordenações e profissões
religiosas (levar a comunidade a intensa
preparação e participação);
• Celebrar aniversários e jubileus de
ordenação e profissões religiosas.
• Formar os agentes: conceitos teológicos e
pastorais;
• Formar a comunidade:
 Esclarecer a necessidade, natureza e
grandeza das vocações de especial
consagração na Igreja;
 Conscientizar da responsabilidade de todos
pelas vocações;
 Frisar que cada cristão tem sua vocação
própria – pessoal, única e intransferível.
• “Chamar” é a atividade decisiva na PV;
• A exemplo de Jesus: tomar iniciativa,
chamar pelo nome, sem temer a decepção;
• Quem chamar? A quem apresenta sinais
de vocação: prontidão em servir,
engajamento pastoral, espírito de equipe,
facilidade em partilhar, amor à
Eucaristia, gosto pelas coisas de Deus.
• Na PV, as atividades financeiras têm
diretamente aplicação “pastoral”, pois
visam a formação dos futuros padres, a
manutenção dos seminários, a sustentação
das atividades das EVPs;
• Atividades ajudam a motivar e unir;
• Deve-se prestar contas.
• Essencial: motiva, dá sentido e fortalece;
• Fundamentada em: oração contínua, vida
sacramental, Palavra de Deus, Jesus como
modelo de oração e ação, visão e vida
eclesial;
• Equipe deve ter: momentos de oração, de
escuta do Senhor, retiros...
COORDENAÇÃO
• Reuniões Diocesanas;
• Assembleia do Regional Sul 1.
AGENTES
• Reuniões Regionais;
• Reuniões Paroquiais;
• Formação anual.
•
•
•
•
•
•
•
•
JOVENS
Despertar Vocacional Paroquial;
C3 – Compromisso com Cristo (por regiões);
Manhãs Vocacionais Regionais (junho);
Retiro Vocacional diocesano (outubro);
PARÓQUIAS
Semana Vocacional;
Dia mundial de oração pelas vocações – Quarto
Domingo da Páscoa;
Destaque para mês de agosto;
Gincana Vocacional.
COM PESSOAS DISPOSTAS A:
• Rezar pelas vocações;
• Despertar o espírito vocacional em
todos os movimentos e pastorais
(principalmente na liturgia, catequese e
com os jovens) – criar uma “cultura
vocacional”;
• Acompanhar e encaminhar os
vocacionados que surgem.
“Deus é sempre livre para chamar quem quer e quando
quer, segundo ‘a extraordinária riqueza de sua graça,
mediante a bondade que teve para conosco em Cristo
Jesus’ (cf. Ef 2,7). Mas, ordinariamente, Ele chama por
meio das nossas pessoas e das nossas palavras. Por
conseguinte, não tenhais medo de chamar. Descei para o
meio de vossos jovens. Ide pessoalmente ao encontro
deles e chamai. Os corações de muitos jovens, e de
menos jovens também, já estão predispostos para vos
ouvir. Muitos deles buscam um objetivo para a sua vida;
encontram-se na expectativa de descobrir uma missão que
tenha valor, para a ela consagrar a vida. E Cristo já os
sintonizou com o Seu apelo e com o vosso. Nós devemos
chamar! O resto, o Senhor fará (...).”
(Mensagem do Beato João Paulo II para o XVI Dia Mundial de Oração pelas
Vocações)

similar documents