Ellen G. White e a Bíblia * como seus escritos se relacionam com as

Report
O Espírito de
Profecia:
Orientações para a
Igreja Remanescente
Organizado por Renato Stencel, diretor do Centro White, 2013
Ellen G. White e a Bíblia: Como
seus Escritos se Relacionam
com as Escrituras
Livros:
Nisto Cremos
O Grande Conflito
Renato Stencel (org.) 2013
Introdução
• Os escritos de Ellen White se igualam aos da Bíblia?
Como ela entendia a relação de seus escritos para com
as Escrituras? Qual é a diferença entre os profetas
canônicos e os não-canônicos?
• “Os escritos de Ellen White não constituem um
substituto para a Bíblia. Não podem ser colocados no
mesmo nível. As Escrituras Sagradas ocupam posição
única, pois são o único padrão pelo qual os seus
escritos – ou quaisquer outros – devem ser julgados e
ao qual devem estar subordinados” (Nisto Cremos, p.
305).
Renato Stencel (org.) 2013
Entendimento de Ellen White
• O fato de que Deus revelou Sua vontade aos homens
por meio de Sua Palavra, não tornou desnecessária a
contínua presença e direção do Espírito Santo. Ao
contrário, o Espírito foi prometido por nosso
Salvador para aclarar a Palavra a Seus servos, para
iluminar e aplicar os seus ensinos. E visto ter sido o
Espírito de Deus que inspirou a Escritura Sagrada, é
impossível que o ensino do Espírito seja contrário ao
da Palavra.
• O Espírito não foi dado – nem o poderia ser – a fim
de sobrepor-se à Escritura. (EGW, GC, p. 8 e 9)
Renato Stencel (org.) 2013
Entendimento de Ellen White
• Jesus Cristo prometeu: “O Consolador vos ensinará
todas as coisas” (Jo. 14:26). As Escrituras claramente
ensinam que estas promessas, longe de se limitarem
aos dias apostólicos, se estendem à igreja de Cristo em
todos os séculos. (EGW, GC, p. 7)
• Os dons do Espírito foram postos na igreja para o
“aperfeiçoamento dos santos, para a obra do
ministério, para edificação do corpo de Cristo, até que
todos cheguemos à unidade da fé, e ao conhecimento
do Filho de Deus, a varão perfeito, à medida da
estatura completa de Cristo”(Ef. 4: 12 e 13).
Renato Stencel (org.) 2013
A primazia da Palavra
• A relação dos escritos de Ellen G. White para com a
Bíblia. “Recomendo-vos, caro leitor, a Palavra de Deus
como regra da vossa fé e prática. Por essa Palavra
seremos julgados” (PE, p. 78).
• Não toma o lugar da Palavra. O Senhor deseja que
estudeis a Bíblia. Ele não deu alguma luz adicional para
tomar o lugar de Sua Palavra. Esta luz deve conduzir as
mentes confusas a Sua Palavra, a qual, se for comida e
assimilada, é como o sangue que dá vida à alma. Então
serão vistas boas obras como luz brilhando nas trevas
(Carta 130, 1901).
Renato Stencel (org.) 2013
A primazia da Palavra
• Obter provas da Bíblia. “Apresentai vossas provas,
claras e simples, da Palavra de Deus. Um ‘assim diz o
Senhor’ é o mais forte testemunho que podeis
apresentar ao povo. Que ninguém seja instruído a
olhar para a Irmã White, e, sim, ao poderoso Deus,
que dá instruções à Ellen White (Carta 11, 1894).
• Relação dos escritos de Ellen White para com a
Bíblia – a luz menor. Pouca atenção é dada à Bíblia, e
o Senhor deu uma luz menor para guiar homens e
mulheres à luz maior (RH, 20 de janeiro de 1903).
Renato Stencel (org.) 2013
A primazia da Palavra
• Não para proporcionar nova luz. “A palavra de Deus
é suficiente para iluminar o espírito mais
obscurecido, e pode ser compreendida de todo o
que sinceramente deseja entendê-la. Mas, não
obstante isso, alguns que dizem fazer da Palavra de
Deus o objeto de seus estudos, são encontrados
vivendo em oposição direta a alguns de seus mais
claros ensinos. Daí, para que tanto homens como
mulheres fiquem sem escusa, Deus dá testemunhos
claros e decisivos, a fim de reconduzi-los à Sua
palavra, que negligenciaram seguir” (2 TS, p. 279).
Renato Stencel (org.) 2013
A primazia da Palavra
• Testemunhos para trazer lições simples da Palavra.
Além das instruções em Sua Palavra, o Senhor tem
concedido testemunhos especiais a Seu povo, não
como uma nova revelação, mas para que possa
apresentar-nos as claras lições de Sua Palavra, a fim
de que sejam corrigidos os erros e indicado o
caminho certo, para que toda alma fique sem escusa
(Carta 63, 1893).
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Os Adventistas do Sétimo Dia aceitam a Bíblia como seu
único credo e mantêm algumas crenças fundamentais.
• Um dos dons do Espírito Santo é a profecia. Este dom é
uma característica da Igreja Remanescente e foi
manifestado por Ellen G. White. Seus escritos são uma
contínua e autorizada fonte de verdade e proporcionam
conforto, orientação, instrução e correção à Igreja. Eles
também tornam claro que a Bíblia é a norma pela qual
deve ser aprovado todo ensino e experiência. (AG,
Crenças Fundamentais, abril de 1980)
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Acreditamos que a Escritura é a Palavra divinamente
revelada de Deus e é inspirada pelo Espírito Santo.
• Acreditamos que o cânon da Escritura é composto
somente dos sessenta e seis livros do Antigo e Novo
Testamentos.
• Acreditamos que a Escritura é a base da fé e a
autoridade final em todos os assuntos de doutrina e
prática.
• Acreditamos que a Escritura é a Palavra de Deus em
linguagem humana.
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Acreditamos que a Escritura revela que o dom de profecia
será manifestado na igreja cristã após o período do Novo
Testamento.
• Acreditamos que a aceitação do dom profético de Ellen
White é importante para a nutrição espiritual e a unidade
da IASD.
• Acreditamos que o uso que Ellen White fez de fontes e
assistentes literários encontra paralelo em alguns dos
escritos da Bíblia.
• Acreditamos que o ministério e os escritos de Ellen White
foram uma manifestação do dom de profecia.
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Acreditamos que Ellen White foi inspirada pelo
Espírito Santo e que seus escritos, frutos dessa
inspiração,
são
aplicáveis
e
autoritativos,
especialmente para os adventistas do sétimo dia
• Acreditamos que os propósitos dos escritos de Ellen
White incluem orientação na compreensão dos
ensinos das Escrituras e na aplicação destes ensinos,
com urgência profética, para a vida espiritual e
moral.
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Não acreditamos que a qualidade ou grau de
inspiração nos escritos de Ellen White seja diferente
do da Escritura.
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
sejam um acréscimo ao cânon da Escritura Sagrada.
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
funcionem como o fundamentos e a autoridade final
da fé cristã, como a Bíblia funciona.
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
possam ser usados como a base da doutrina.
• Não acreditamos que os estudo dos escritos de Ellen
White possa ser usado para substituir o estudo das
Escrituras Sagradas.
• Não acreditamos que a Escritura possa ser
compreendida somente através dos escritos de Ellen
White.
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
esgotem o significado das Escrituras.
Renato Stencel (org.) 2013
Como a IASD entende Ellen G. White
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
sejam essenciais para a proclamação das verdades
das Escrituras para a sociedade como um todo.
• Não acreditamos que os escritos de Ellen White
sejam o produto de mera piedade cristã.
• Não acreditamos que o uso de fontes e assistentes
literários por parte de Ellen White negue a inspiração
de seus escritos.
Renato Stencel (org.) 2013
O Dom de Profecia
O Espírito de Profecia e a Bíblia. Os escritos de Ellen
White não constituem um substituto para a Bíblia. Não
podem ser colocados no mesmo nível. As Escrituras
Sagradas ocupam posição única, pois são o único
padrão pelo qual os seus escritos – ou quaisquer outros
– devem ser julgados e ao qual devem estar
subordinados.
Renato Stencel (org.) 2013
O Dom de Profecia
A Bíblia é o padrão supremo. Os adventistas do sétimo
dia apoiam plenamente o princípio da Reforma, sola
scriptura, a Bíblia como seu próprio intérprete e a Bíblia
sozinha, como base de todas as doutrinas. Ellen White
disse que “em Sua Palavra, Deus conferiu aos homens o
conhecimento necessário à salvação. As Santas
Escrituras devem ser aceitas como autorizada e infalível
revelação de Sua vontade. Elas são a norma do caráter,
o revelador das doutrinas, a pedra de toque da
experiência religiosa”.
Renato Stencel (org.) 2013
O Dom de Profecia
Um guia para entender a Bíblia. “Pouca importância é
dada à Bíblia”, escreveu Ellen White, e assim, “o Senhor
concedeu uma luz menor para conduzir homens e
mulheres à luz maior”.
Um guia na compreensão da Bíblia. “Não são
apresentadas verdades novas; através dos Testemunhos,
porém, Deus simplificou as grandes verdades já
concedidas e segundo a forma por Ele mesmo escolhida,
trouxe-as perante o povo, visando despertá-los e
impressionar suas mentes, afim de que todos eles fiquem
sem escusa” (EGW, 2TS, p. 280).
Renato Stencel (org.) 2013
O Dom de Profecia
Um guia para aplicar princípios bíblicos. Muitos de
seus escritos aplicam os conselhos bíblicos ao viver
diário. Ellen White disse que ela foi “orientada a
apresentar princípios gerais, e ao mesmo tempo,
especificar os perigos, erros e pecados de alguns
indivíduos, a fim de que todos pudessem ser
advertidos, reprovados e aconselhados”.
Renato Stencel (org.) 2013
O Dom de Profecia
O desafio ao crente. O livro do Apocalipse profetiza
que o “testemunho de Jesus” haveria de manifestar-se
através do “espírito de profecia” nos últimos dias da
história terrestre. Isso representa um desafio a todos,
no sentido de não assumir um atitude de indiferença
ou descrença, mas a “provar todas as coisas” e “reter o
que é bom”.
Renato Stencel (org.) 2013
Fonte
Espírito de Profecia:
Orientações para a
Igreja Remanescente
Pág. 69-78.
Centro de Pesquisas Ellen G. White
Organizador: Renato Stencel
Abril de 2013

similar documents