GUERRA DO PARAGUAI E CONFLITOS NO PRATA Aula: 38 Pág. 32

Report
GUERRA DO PARAGUAI E
CONFLITOS NO PRATA
AULA: 38 PÁG. 32
Profª.
Cleidivaine da S.
8º ano
1 – O BRASIL INTERFERE NA BACIA
PLATINA
Região platina – área ao redor das fronteiras do
Brasil (Argentina, Uruguai e Paraguai): conflitos
no séc. XIX – Argentina tenta controlar
economicamente a Bacia do Prata.
 De outro lado Uruguai: reafirma sua
independência.
 Paraguai: polícia expansionista.

Região banhada pelos rios da Prata, Paraná,
Uruguai e Paraguai – importância estratégica:
comunicação e comércio com as províncias do
interior (Centro-Oeste e Sudeste).
 Brasil interfere na região platina – presidente
Aguirre (Uruguai) foi retirado do poder.
 Guerra do Paraguai.

2 – COMEÇA A GUERRA CONTRA O
PARAGUAI

República do Paraguai surge após da
independência: fragmentação do Vice-Reinado do
Prata – Francisco Solano López governava o país
(representava os grandes proprietário de terras –
caudilhos) – admirador de Napoleão Bonaparte –
pretensões expansionista (Paraguai Maior): saída
para o mar.
Exército poderoso – encomenda da Inglaterra um
navio encouraçado.
 Aproveitando da rivalidade com o Brasil e de
fronteiras mal definidas e vigiadas: inicia-se o
processo de invasões territoriais – chegam a Mato
Grosso.
 O exército paraguaio ataca em novas frentes e
invade simultaneamente: Argentina e o Rio
Grande do Sul.


Resposta: união do Brasil, Argentina e Uruguai –
Tríplice Aliança: declaram guerra a Paraguai.
3 – O CONFLITO
Solano López saiu-se vitorioso nas primeiras
batalhas (fator surpresa).
 A partir da formação da Tríplice Aliança:
primeiras vitórias dos aliados – os paraguaios
elaboram defesas junto aos rios Paraná e
Paraguai (fortaleza Humaitá) – preserva a
posição paraguaia por mais de dois anos.
 Preocupação brasileira – pequena formação do
exército – criou-se a força dos Voluntários da
Pátria (civis e recrutamento de escravos).

Duque de Caxias recebe a tarefa de reorganizar o
exército brasileiro – intensa ofensiva aliada –
vitória nas batalhas: Tuiuti, Humaitá, Itororó,
Avaí e Lomas Valentinas – rompe as linhas de
defesa do Paraguai.
 1869 navios brasileiros alcançaram Assunção e
tropas aliadas entraram vitoriosas na capital
paraguaia.

Solano López foge com um pequeno exército –
Caxias deu por terminada a sua participação na
guerra (problemas de saúde e desiludido).
 O conde d’Eu (marido da princesa Isabel)
comando o exército – age com extrema violência e
crueldade – persegue Solano López e seus
soldados (foi morto) – termina a guerra.

4 – APÓS A GUERRA
A economia do Paraguai foi devastada – perdeu
uma grande parte de sua população
economicamente ativa (80%) – manteve a sua
independência política, acabou perdendo todos os
territórios em litígio com Argentina e o Brasil.
 A perda do território e a destruição econômica: o
país leva décadas para se reorganizar e não
consegue alcançar o mesmo nível de
desenvolvimento anterior.

Brasil – os territórios atenderam a expectativas
de produção de mate e preserva o acesso as
províncias do interior.
 Aumento da dívida externa com a Inglaterra.
 A monarquia viu-se abalada (a guerra do
Paraguai foi uma das causas de sua queda) –
extensa duração do conflito, perdas humanas e
enormes gastos.


O exército sai estruturado – quanto corporação
aspira destaque no cenário político (Deodoro da
Fonseca) protagonista da Proclamação da
República.
POLÊMICAS SOBRE A GUERRA DO
PARAGUAI
Historiografia tradicional privilegia a ambição do
Estado paraguaio.
 Análises revisionistas a guerra foi causada pelo
imperialismo britânico: destruir a suposta
tentativa do desenvolvimento autônomo
paraguaio – Império brasileiro e a Argentina
foram instrumentos dessa ação imperialista e
Solano López vítima de uma conspiração.

Visão revisionista os motivos são econômicos.
 Não pode esquecer dos conflitos fronteiriços
(Brasil, Uruguai e Argentina).
 Questões políticas: acusando Solano López de ser
tirano, uma barbárie que se precisava exterminar
para libertar o povo paraguaio.

A GUERRA QUE DEFINIU O MAPA
DO CONE SUL
Guerra do Paraguai ou Guerra Grande define as
fronteiras e relações entre os países – fez
milhares de vítimas civis e militares.
 Cada país tinha a sua ideia de preservar sua
integridade territorial e garantir uma posição
vantajosa frente aos demais.
 Paraguai e Uruguai iniciam a guerra – procuram
espaço entre o Brasil e Confederação da
Argentina – tentativa de anexá-los.

DUQUE DE CAXIAS
Brasil tinha a história de intervenções no
Uruguai e na Argentina.
 Argentina procurava se manter como potência
regional na produção de charque e explorar o
Uruguai e o Paraguai.
 O governo López, através do rio Paraguai e do
Prata: a comunicação e o comércio com o exterior
– forma de tirar o país da estagnação.

1)
2)
A historiografia tradicional considera como
causo do conflito a ambição de Solano López e
sua política expansionista – a busca de saída ao
mar para o Paraguai.
Corrente historiográfica revisionista considera
o imperialismo britânico, interessado em
neutraliza o desenvolvimento autônomo
paraguaio, como fator determinante para o
início do conflito.
3) Na versão mais recente a Guerra é entendida
como a acomodação definitiva dos países numa
nova ordem regional. O Paraguai e o Uruguai, no
início da Guerra, procuravam espaço político entre
o Império Brasileiro e a Confederação Argentina –
vizinhos perigosos que já tinham tentado anexá-los.
Solano López buscava formas de comunicação e de
comercialização com o exterior, como a forma de
tirar o Paraguai da estagnação. Nesse sentido, essa
linha de interpretação não aceita a tese do
desenvolvimento paraguaio.

similar documents