O Inspetor Escolar e a relevância de seu papel na implementação

Report
O INSPETOR ESCOLAR E A
RELEVÂNCIA DE SEU PAPEL NA
IMPLEMENTAÇÃO DO
REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO
“Constato para mudar e não para me
acomodar. Seria uma desolação para mim se,
enquanto ser humano, tivesse de reconhecer
a minha absoluta incapacidade de intervir
eficazmente na realidade, se tivesse de
reconhecer que minha aptidão para verificar
não se alonga na de mudar o contexto em
que verifiquei, provocando futuras verificações
diferentes”.
Paulo Freire
RESOLUÇÃO SEE/MG Nº 2.442/2013
Art. 4º - O Serviço de Inspeção Escolar está diretamente
vinculado ao Diretor da Superintendência Regional de
Ensino.
O PAPEL DO INSPETOR ESCOLAR
“Trabalha com a organização escolar em todas as suas dimensões: pedagógica,
administrativa e financeira. Preocupa-se com a veracidade e atualização da
escrituração e organização escolar para proporcionar segurança no processo
de informações e arquivos. Está também sempre em contato com as
comunidades escolares. Possui papel importante na comunicação entre os
órgãos da administração superior do sistema e os estabelecimentos de ensino
que o integram, volta-se para organização e funcionamento da escola e do
ensino, a regularidade funcional dos corpos docente e discente, a existência de
satisfatórios registros e documentação escolar.”
(Karine Emanuella Soares Santana – Licenciada em Pedagogia – Monografia de Especialização em
Inspeção Escolar da PUC-Uberlândia).
REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO:
BASES LEGAIS
 Resolução CNE/CEB nº 4 de 13/07/2012: Define Diretrizes Curriculares
Nacionais Gerais para a Educação Básica.
 Resolução CNE/CEB nº 2 de 30/01/2012: Define Diretrizes Curriculares
Nacionais para o Ensino Médio.
 Resoluções da Secretaria de Estado de Educação de Minas Gerais:
1.
Nº 2.030 de 25 de janeiro de 2012
2.
Nº 2.251 de 02 de janeiro de 2013
3.
Nº 2.486 de 20 de dezembro de 2013
4.
Nº 2.197 de 26 de outubro de 2012
UM ENSINO MÉDIO COM IDENTIDADE CLARA:
 Tornar o Ensino Médio mais atrativo, com vistas ao aumento do
desempenho discente e à redução dos elevados índices de
reprovação e abandono;
 Percursos curriculares alternativos;
 Flexibilidade;
 Uso das novas tecnologias de ensino/aprendizagem;
 Atividades interdisciplinares
extraescolares.
e
instrumentos
formativos
CARACTERÍSTICAS DA NOVA ESTRUTURA
CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO
 Contribuir para a ressignificação da escola pública;
 Gerar competências em áreas de empregabilidade. Não é curso
técnico.
 Preparar para o prosseguimento dos estudos.
ORGANIZAÇÃO CURRICULAR DO ENSINO MÉDIO
500 horas
Formação Específica:
compreende os conteúdos
curriculares destinados à
geração de competências e
habilidades nas áreas de
empregabilidade.
2.500 horas
Total: 3.000 horas.
Formação Geral:
compreende os
Conteúdos Básicos
Comuns.
REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO:
INTERDISCIPLINARIDADE
REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO:
DO PILOTO À EXPANSÃO
2013
2012
2014
+2106 escolas
669.959 alunos
+ 122 escolas
(1º ano de todas as escolas, 2º
44.062 alunos
ano de 133 escolas e 3º ano
(1º ano de 133 escolas e
de 11 escolas)
2º ano de 11 escolas)
11 escolas
2.659 alunos
(1º ano de 11 escolas)
1
REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO:
A ESCOLHA DAS ÁREAS DE EMPREGABILIDADE
• Disponibilização
de 05 áreas de
Empregabilidade
para a escolha
das escolas e de
sua comunidade
escolar por 3
áreas.
SEE
Escola
• 3 áreas
escolhidas pela
comunidade
escolar/escola
para o aluno
escolher por 1
área.
• Durante o
Seminário de
Percurso
Curricular o
aluno deverá
optar por 1
área dentre
as 3 ofertadas
pela escola.
Aluno
1
ATIVIDADES DO 6º HORÁRIO PARA OS ALUNOS QUE
UTILIZAM O TRANSPORTE ESCOLAR RURAL
1) Ofício GS/SEE nº 00515/2014, de 11 de fevereiro de 2014, esclarecendo a situação dos
alunos que dependem do transporte escolar rural.
2) Ofício Circular SEM/SB/SEE nº 19/2014, de 11 de fevereiro de 2014, que orienta as ações
que devem ser providenciadas pelas escolas e pelas SRE.
3) Ofício Circular SEM/SB/SEE nº 94, de 13 de maio de 2014, solicita consolidado das
informações por escola e por SRE.
4) Ofício Circular SEM/SB/SEE nº 151/2014, de 29 de julho de 2014, que orienta as
atividades do 6º horário e apresenta sugestão de modelos de formulários de controle das
atividades.
1
ATIVIDADES DO 6º HORÁRIO PARA OS ALUNOS QUE
UTILIZAM O TRANSPORTE ESCOLAR RURAL:
PONTOS IMPORTANTES
1) Promover o levantamento, por turma (sala), dos alunos que efetivamente utilizam o
transporte escolar rural no 6º horário.
2) Professores devem elaborar atividades tendo como foco a formação do aluno e seu
processo ensino-aprendizagem.
3) Professor deve anotar, no relatório (modelo) ou no próprio diário, os nomes dos alunos
que recebem atividades do 6º horário.
4) No diário de classe, o espaço para lançamento da frequência deverá ficar em branco, não
podendo o professor lançar (F) falta para o aluno.
5) O aluno que não frequentou a escola em um dia específico e teve faltas lançadas do 1º
ao 5º horário, deve também receber falta (F) também no 6º horário.
6) Importante registrar, acompanhar e, se possível, arquivar esses registros na ficha
individual do aluno para que possam ser consultados por todos quando necessário.
7) O aluno que não estiver realizando as atividades do 6º horário deverá a escola notificar
e orientar os pais sobre a importância da realização das atividades.
8) Sugerimos aos professores que, no mínimo uma vez por mês ou no bimestre, realize um
debate ou seminário envolvendo as atividades do 6º horário.
SEGUNDA LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA (LEM)
PROCEDIMENTOS
Observar o Ofício Circular SB/SI/SEE nº 135/2014 que trata de informações
complementares sobre lançamentos no Sistema Mineiro de Administração Escolar
– SIMADE, dos Programas Pedagógicos do Reinventando o Ensino Médio.
1) A Segunda Língua Estrangeira no Ensino Médio só é ofertada a partir de 2014,
no 2º ano do ensino médio, conforme Resolução SEE nº 2.486/2013.
2) No quadro curricular deverá estar presente na parte diversificada.
3) Na hipótese de não ocorrer, por parte do aluno, a escolha da segunda LEM a
ser ofertada, caberá à instituição destinar este módulo-aula semanal para o
conteúdo de LEM ofertado em caráter obrigatório, ficando assim este
conteúdo com 3 (três) módulos-aulas semanais.
4) As turmas do 2º e 3º ano, em terminalidade, ou seja, que não são do REM,
devem seguir as orientações do anexo VIII da Resolução.
SEGUNDA LÍNGUA ESTRANGEIRA MODERNA (LEM)
PROCEDIMENTOS
5) Em se tratando de alunos do Reinventando o Ensino Médio noturno, a
segunda Língua Estrangeira Moderna, para aqueles que optarem por cursá-la,
deverá ser ofertada no contraturno em que o aluno estuda, uma vez que o
currículo do noturno não apresenta a possibilidade mencionada para o diurno.
6 ) O Programa Pedagógico do noturno, no SIMADE, das turmas de 2º e 3º anos
deverá ser configurado com as duas línguas estrangeiras, apesar de a segunda
língua ser obrigatoriamente ofertada no contraturno. Sendo assim, a carga horária
será de 1033 horas e 20 minutos, incluindo as duas línguas estrangeiras e demais
componentes curriculares do CBC e da área de empregabilidade.
7) O Serviço de Inspeção Escolar deverá verificar in loco o plano curricular, a
documentação relativa a opção dos alunos, como está sendo ofertada, e inclusive
o número de alunos frequentes na turma, no mínimo 50% da turma, atendendo à
recomendação do anexo V da citada resolução.
INFORMAÇÕES NECESSÁRIAS PARA A CONCLUSÃO
DO ENSINO MÉDIO
 Número de dias letivos : 200
 Carga horária total dos 03 anos: 3.000 horas.
 Seguir as orientações contidas no Caderno de Orientações do
REM.
CIRCUNSTÂNCIAS QUE REQUEREM ADAPTAÇÃO
PEDAGÓGICA: TRANSFERÊNCIA E REMANEJAMENTO
DE ALUNO DO REINVENTANDO O ENSINO MÉDIO
 Seguir as orientações que já foram encaminhadas pela Superintendência de
Ensino Médio e o Ofício Circular SEM/SB/SEE nº 17/2014.
 Orientações do Ofício Circular SEM/SB/SEE nº 176 de 22/08/2014.
“Mas sendo a vez, sendo a hora, Minas
entende, atende, toma tento, avança,
peleja e faz”
Guimarães Rosa

similar documents