Na última ultréia regional foi apresentado um material que

Report
"...Ide, anunciai e fazei discípulos”
(Mt 28,19-20)
Conversão Missionária
“PRIMEIREAR”
Neologismo do Papa Francisco e o
Movimento de Cursilhos
(EVANGELII GAUDIUM,
“A Alegria do Evangelho”, nº 24)
PRIMEIREAR
•Envolver-se,
•Acompanhar,
•Frutificar e
•Festejar.
Igreja “em saída”
é a comunidade
de discípulos missionários
que “PRIMEIREIAM”,
•
•
•
•
que se envolvem,
que acompanham,
que frutificam
e festejam.
PRIMEIREIAM
– tomam a iniciativa!
• A comunidade missionária experimenta
que o Senhor tomou a iniciativa,
precedeu-a no amor (cf. 1Jo 4,10)
e, por isso, ela sabe ir à frente,
sabe tomar a iniciativa sem medo,
ir ao encontro, procurar os afastados
e chegar as encruzilhadas dos caminhos
para convidar os excluídos.
• Vive um desejo inesgotável
de oferecer misericórdia,
fruto de ter experimentado
a misericórdia infinita do Pai
e sua força difusiva.
• Ousemos um pouco mais
no tomar a iniciativa!
• Com obras e gestos,
a comunidade missionária
entra na vida dos outros,
encurta as distâncias, abaixa-se
– se for necessário – até à humilhação
e assume a vida humana, tocando
a carne sofredora de Cristo no povo.
• Os evangelizadores contraem assim
o “cheiro de ovelha”
e estas escutam a sua voz.
Em seguida,
a comunidade evangelizadora
dispõe-se a “acompanhar”.
• Acompanha a humanidade
em todos os seus processos,
por mais duros
e demorados que sejam.
•Conhece as longas esperas
e a suportação apostólica.
•A evangelização patenteia
muita paciência
e evita deter-se
a considerar as limitações.
Fiel ao dom do Senhor,
sabe também
“frutificar”.
• A comunidade evangelizadora
mantém-se atenta aos frutos,
• porque o Senhor a quer fecunda.
• Cuida do trigo
e não perde a paz
por causa do joio.
• O semeador, quando vê surgir
o joio no meio do trigo,
não tem reações
lastimosas ou alarmistas.
• Encontra o modo para fazer
com que a Palavra se encarne
numa situação concreta (Escola
Vivencial) e dê frutos de vida
nova, apesar de serem
aparentemente imperfeitos e
defeituosos.
Por fim,
a comunidade evangelizadora jubilosa
sabe sempre “festejar”(Ultreya):
• Celebra e festeja cada pequena vitória,
cada passo em frente à evangelização.
• No meio desta exigência diária
de fazer avançar o bem,
a evangelização jubilosa
torna-se beleza na liturgia.
Somos
eternos aprendizes,
estamos
em permanente
processo
de formação.
FORMAR O HOMEM
- SOMENTE A FORMAÇÃO É CAPAZ DE
TRANSFORMAR
SEU
PRÓPRIO
AGIR,
DURANTE TODA A SUA VIDA. A FORMAÇÃO É
PERMANENTE.
- PERMITE QUE VEJAMOS A REALIDADE A SER
TRANSFORMADA E NOS PREPARA PARA QUE
ESTA TRANSFORMAÇÃO SE REALIZE DE
ACORDO COM A PALAVRA DE DEUS E DA
IGREJA.
Através da formação buscamos
a capacitação necessária para
atuar como discípulos
missionários, dentro e fora do
MCC e da Igreja.
“O MCC é um movimento ‘de Igreja’, Povo de
Deus e Corpo Místico de Cristo, no qual os leigos e
leigas, religiosas e sacerdotes, cada um de acordo
com sua própria vocação, contribuem em comunhão
para sua única missão: EVANGELIZAR.”
“o Movimento, é resposta a um desejo de
Cristo (Jo 17,21) e os une para uma missão
comum, para um Novo Pentecostes.”
(Pe. Valtuir Bolzan – Assessor Eclesiástico de um GER.)
- UM MOVIMENTO QUE TENHA COMO BASE A
FORMAÇÃO, JAMAIS ESTARÁ ULTRAPASSADO,
O ESPÍRITO SANTO CUIDA DE ATUALIZAR SUA
IGREJA, SEUS MOVIMENTOS E PASTORAIS.
“A Missão é um estímulo constante para
não nos acomodarmos na mediocridade,
mas continuarmos a crescer na Fé.”
(EG n.121)
Vale lembrar:
“ O verdadeiro missionário, que nunca
deixa de ser discípulo, sabe que Jesus
caminha com ele, fala com ele, respira com
ele, trabalha com ele. Sente Jesus vivo com
ele, no meio da tarefa missionária. Se uma
pessoa não O descobre presente no coração
mesmo da entrega missionária, depressa
perde o entusiasmo e deixa de estar seguro do
que transmite, faltam-lhe força e paixão. E uma
pessoa
que
não
está
convencida,
entusiasmada, segura, enamorada, não
convence ninguém”. (EG, 266).
“Necessitamos que cada comunidade cristã
se transforme num poderoso centro de
irradiação da vida em Cristo. Esperamos um
novo Pentecostes que nos livre do cansaço,
da desilusão, da acomodação ao ambiente;
esperamos uma vinda do Espírito que renove
nossa alegria e nossa esperança. Por isso, é
imperioso assegurar calorosos espaços de
oração comunitária que alimentem o fogo de
um ardor incontido e tornem possível um
atrativo testemunho de unidade ‘para que o
mundo creia’(Jo 17,21)” (DA 362)
AMADOS E AMADAS CURSILHISTAS:
“Hoje fixamos em Maria o olhar, para que
nos ajude a anunciar a todos a mensagem de
salvação e para que os novos discípulos se
tornem operosos evangelizadores.” (EG 287)
Como “Discípulos para um Novo
Pentecostes, cheios do Espírito Santo,
sejamos testemunhas... até os confins da
terra” (cf. At 1,8).
GRUPOS E PLENÁRIA
1. Quais
os instrumentos
que o MCC oferece para a formação
integral, querigmática e permanente?
2. Como
eles têm sido utilizados?

similar documents