tutorial entrevistas

Report
GARIMPANDO MEMÓRIAS
PROGRAMA SEGUNDO TEMPO
Metodologia de processamento de
entrevistas
ETAPAS DO PROCESSAMENTO DA ENTREVISTA
a) Realização da entrevista;
b) Transcrição;
c) Conferência da fidelidade;
d) Copidesque (corrigir erros);
e) Carta de cessão dos direitos autorais ao CEME;
f)
Pesquisa;
g) Catalogação;
h) Constituição do acervo e disponibilização para
pesquisa
• Checar o funcionamento do gravador;
• Escolher um local sem barulho deixando o gravador
perto das pessoas (entrevistado e entrevistador);
• Antes da entrevista gravar uma mensagem
identificando-a. Esta deve seguir o seguinte padrão:
Porto Alegre,
DATA, entrevista com
NOME DO(A)
ENTREVISTADO(A), a cargo do(a) pesquisador(a) NOME DO(A)
ENTREVISTADOR(A), para o Projeto Garimpando Memórias –
Programa Segundo Tempo - do Centro de Memória do Esporte.
O QUE FAZER DURANTE A ENTREVISTA
• Evitar que surjam relações de poder entrevistador-entrevistado.
• Tomar cuidado com perguntas que induzam a resposta do
entrevistado por pressupor a resposta;
• Dar voz ao entrevistado.
Evitar falas sobrepostas. Deixar o entrevistado falar para depois fazer
nova pergunta ou tecer algum comentário;
•Tomar nota de nomes próprios (pessoas e lugares) citados pelo
entrevistado para evitar confusão na hora da transcrição. Esta tarefa
cabe ao segundo pesquisador;
•Tomar nota de algumas expressões que possam causar dúvidas.
Palavras antigas, em outra língua, etc. Anotar a frase em que ela
aparece e sublinhar a palavra para facilitar a localização na entrevista.
Perguntas:
• Perguntas abertas recomendadas para começar a
entrevista por despertarem lembranças sobre o tema;
• Perguntas descritivas buscando o retrato da realidade
(quem, quando, como e onde);
• Perguntas fechadas específicas a um fato/tempo;
• Perguntas analíticas pedem interpretações e explicações
pessoais sobre o tema (por que, para que);
• Perguntas comparativas comparam gerações as diferenças
e mudanças;
Observação importante: respeitar os silêncios
Ao fim de cada entrevista:
• Fazer a ficha técnica com data, hora, assuntos, duração,
• Recolher dados pessoais dos entrevistados: endereço, data de
nascimento, etc.
• Escrever o diário de campo com observações do transcorrer da
entrevista, impressões pessoais, imprevistos, como foi recebido pelo
entrevistado e outras considerações importantes.
• Depois de encerrada a entrevista esclarecer: palavras não claras;
nomes próprios, siglas, etc.
OBSERVAÇÕES
• Cada entrevista deve ser observada como um documento a fazer parte
de um acervo de história oral. Portanto, será consultado por
pesquisadores e interessados.
• Deve ser o mais esclarecedor possível. Razão pela qual envolve
pesquisa, consulta, orientação, busca de informações complementares;
• Uma entrevista não é um bate-papo, ainda que tenha um caráter
informal;
• É o entrevistado que deve falar e não o entrevistador. Este não deve
tecer opiniões, comentários julgando o que está sendo relatado. Estamos
trabalhando com a memória e, mesmo que essa já esteja prejudicada,
cabe registrar como a pessoa se lembra dos fatos.
SUMÁRIO
• O que é? O sumário é uma sucessão de tópicos, na ordem
que eles aparecem na entrevista. Tem a função de
INFORMAR qual o conteúdo da mesma.
• Quem faz? O próprio pesquisador por conhecer mais o
conteúdo da entrevista.
•Quando fazer? Preferencialmente ao mesmo tempo que
está sendo feita a conferência de fidelidade.
FICHA TÉCNICA
Projeto: Garimpando Memórias - Programa Segundo Tempo
Número da entrevista:
Entrevistado:
Nascimento:
Local da entrevista:
Entrevistadores:
Data da entrevista:
Transcrição:
Conferência Fidelidade:
Copidesque:
Pesquisa:
Total de gravação: xx minutos e xx segundos
Páginas Digitadas:
Observações:
FICHA TÉCNICA
O Centro de Memória do Esporte está autorizado
a utilizar, divulgar e publicar, para fins culturais,
este depoimento de cunho documental e
histórico. É permitida a citação, no todo ou em
parte, em qualquer suporte desde que a fonte
seja mencionada conforme especificação abaixo.
Exemplo:
LICHT, Henrique Felippe Bonnet. Henrique Licht I
(depoimento, 2002). Porto Alegre: CENTRO DE MEMÓRIA
DO ESPORTE - ESEF/UFRGS, 2003.

similar documents