Apresentação em Powerpoint.

Report
Análise de Cenários
Brasil
Rio Grande do Sul
Microrregião de Santa Rosa
Outubro de 2012
PARTE 1
O Tamanho e o
Desempenho da
Economia
25,00%
Evolução Recente do PIB Anual do Brasil, RS e Região
• Economia da Microrregião
tem oscilações mais intensas
do que a gaúcha
20,00%
15,00%
10,00%
5,00%
0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
-5,00%
-10,00%
-15,00%
-20,00%
2008
2009
2010
2011
• Crescimento econômico
médio regional vem sendo
predominantemente inferior
ao padrão gaúcho e brasileiro
no longo prazo, mas superior
no médio prazo (2011/2005)
Brasil
Rio Grande do Sul
-25,00%
Fonte: IBGE , IPEA e FEE
-30,00%
Dinâmica de Crescimento do PIB Total
Período
Valor 2011
Valor 2010
Var % 2011/2010
Var % Média 2011/2005
Var % Média 2011/2000
Brasil
Rio Grande do Sul
1.728.164.775,02
118.811.771,88
1.682.198.544,30
112.416.573,17
2,73%
5,69%
4,16%
4,57%
3,53%
3,45%
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
2.047.553,98
1.953.863,75
4,80%
5,86%
3,05%
• Região mostra tendência de aumentar sua participação
na economia brasileira e gaúcha
Unidade Geográfica
Participação Econômica
da Microrregião de
Santa Rosa em 2005
Participação Econômica
Microrregião de Santa
Rosa em 2011*
Rio Grande do Sul
1,60%
1,72%
Brasil
0,107%
0,119%
*previsão
• Tal tendência, entretanto, passou por fortes oscilações no período
de análise. Em relação ao RS, caiu de 2,13% para 1,60% entre 2003 e
2005, recuperando-se para o patamar de 1,72% em 2011. A situação
em questão está certamente ligada à instabilidade climática.
50,00%
Evolução do PIB Agropecuário do Brasil, RS e Região
40,00%
30,00%
20,00%
10,00%
0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
-10,00%
-20,00%
-30,00%
Brasil
Rio Grande do Sul
-40,00%
Fonte: IBGE e IPEA
-50,00%
2008
2009
2010
2011
• A agropecuária é responsável
por 18% do PIB regional.
• Tem como destaques
produtivos o leite, milho, soja,
girassol, suínos, trigo, soja,
girassol, cana-de-açúcar,
manga, mamão , linho, trigo,
mel.
• Representa cerca de 4% do
PIB agropecuário do RS. Com
matriz produtiva diversificada,
tem uma dinâmica de
expansão superior à gaúcha, e
à brasileira no médio prazo.
Dinâmica de Crescimento do PIB Agropecuária
Período
Valor 2011
Valor 2010
Var % 2011/2010
Var % Média 2011/2005
Var % Média 2011/2000
Brasil
Rio Grande do Sul
83.885.665,58
11.489.480,16
80.734.833,60
9.672.051,93
3,90%
18,79%
4,01%
13,06%
3,54%
6,11%
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
438.945,63
365.136,33
20,21%
14,98%
5,73%
• A Região tem uma dinâmica
de crescimento industrial
dissociada do RS.
Evolução Recente do PIB Industrial do Brasil, RS e Região
40,00%
Brasil
Rio Grande do Sul
30,00%
20,00%
10,00%
0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
-10,00%
-20,00%
-30,00%
Fonte: IBGE , IPEA e FEE
2009
2010
2011
• Representando cerca de 22%
do PIB regional, a indústria da
Microrregião de Santa Rosa
vem crescendo em ritmo
superior à gaúcha e à brasileira
por conta das projeções para
2010/2011 e picos
diferenciados de expansão.
Mostra também sensibilidade
ao contexto agrícola.
-40,00%
Dinâmica de Crescimento do PIB Industrial
Período
Valor 2011
Valor 2010
Var % 2011/2010
Var % Média 2011/2005
Var % Média 2011/2000
Brasil
Rio Grande do Sul
406.121.899,04
29.946.843,35
399.811.092,75
29.204.805,79
1,58%
2,54%
3,01%
4,04%
3,33%
3,09%
* Valores constantes de 2000 Fontes: IBGE, IPEA e FEE
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
509.932,04
497.009,71
2,60%
5,85%
3,38%
• Nos últimos 11 anos a participação da Região no
PIB industrial do RS oscilou entre 1,38% (2006) e
2,17% em 2004, quando se desenhou seqüência de
queda, aparentemente quebrada em 2010 .
Santa Rosa, Horizontina, Três de Maio e Santo Cristo são os
maiores pólos industriais da Região, concentrando 89% do
PIB das fábricas.
Em termos de dinâmica de crescimento na última década, os
líderes foram Nova Candelária, Santa Rosa, Santo Cristo e
Cândido Godói. Nessas cidades o PIB industrial cresceu, ao
menos, 50% no período.
Por outro lado, municípios como Campina das Missões,
Tuparendi, Boa Vista do Buricá, Porto Lucena, Porto Vera
Cruz, Alecrim, Senador Salgado Filho e Buricá registraram
queda nas suas gerações de riqueza industrial.
• No setor de comércio e
serviços verifica-se uma
dinâmica predominantemente
convergente, mas mais intensa
frente ao padrão gaúcho.
• O setor responde por cerca
50% do PIB regional.
Evolução do PIB Comércio e Serv. do Brasil, RS e Região
20,00%
Brasil
15,00%
10,00%
5,00%
0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
• O setor vem crescendo em
ritmo similar à média gaúcha e
brasileira.
-5,00%
Fonte: IBGE , IPEA e FEE
-10,00%
Dinâmica de Crescimento do PIB Comércio/Serviços
Período
Valor 2011
Valor 2010
Var % 2011/2010
Var % Média 2011/2005
Var % Média 2011/2000
Brasil
987.802.526,65
961.533.096,98
2,73%
4,59%
3,44%
* Valores constantes de 2000 Fontes: IBGE, IPEA e FEE
Rio Grande do Sul
62.540.780,15
59.463.876,07
5,17%
4,21%
3,15%
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
1.015.484,81
966.473,18
5,07%
4,98%
3,22%
• A participação do PIB do comércio e serviços caiu em relação ao
Brasil e RS por efeito da estiagem de 2005/06. Nos anos seguintes
verifica-se uma gradativa retomada de posicionamento, chegando a
1,6% do PIB setorial gaúcho em 2011, estando aquém, portanto, da
participação de 1,73% de 2003..
Santa Rosa, Três de Maio, Horizontina e Santo Cristo são os
maiores pólos de comércio e serviços da Região,
concentrando 71% do PIB setorial
Os municípios de maior crescimento – 50% ou mais em 10
anos - são: Nova Candelária, Senador Salgado Filho e
Tucunduva
Por outro lado, Porto Lucena, Porto Vera Cruz, Alecrim,
Alegria e Indepedência são cidades que enfrentam
dificuldades de alavancar o PIB de comércio e serviços.
Evolução das Exportações do Brasil, RS e da Região
100,00%
600.000.000,00
US$ Exportado
80,00%
500.000.000,00
Brasil
60,00%
40,00%
400.000.000,00
-60,00%
-80,00%
2009
2010
501.542.278,00
2008
349.249.073,00
2007
489.449.484,00
2006
186.081.586,00
-40,00%
2005
310.355.200,00
-20,00%
354.869.028,00
2004
307.728.709,00
0,00%
445.274.159,00
20,00%
300.000.000,00
2011
200.000.000,00
100.000.000,00
Fonte: IPEA e SECEX
• As exportações da Região,
mesmo sendo oscilantes , têm
tendência de expansão
• Representando em 2011 2,58%
das vendas internacionais do RS,
a exportação da Microrregião de
Santa Rosa vem, no longo prazo,
crescendo em ritmo inferior ao
gaúcho.
•Principais produtos exportados:
máquinas e aparelhos para
colheita, resíduos de soja, carnes,
trigo
-
Dinâmica de Crescimento das Exportações
Período
Valor 2011
Valor 2010
Var % 2011/2010
MICRORREGIÃO
Brasil
Rio Grande do Sul
SANTA ROSA
256.039.574.768,00
19.427.101.865,00
501.542.278,00
201.909.996.918,00
14.671.867.036,00
349.249.073,00
26,81%
32,41%
43,61%
Var % Média 2011/2007
12,37%
9,14%
3,02%
Var % Média 2011/2003
16,97%
12,38%
11,52%
* Valores constantes de 2000 Fontes: IPEA e SECEX
• Se por um lado há tendência recente de queda da participação das
exportações da microrregião no contexto gaúcho, a região tem uma
base municipal e pauta de vendas externas bem diversificada, o que
a fortalece no longo prazo.
Principais Exportadores da Microrregião
Município
Santa Rosa
Horizontina
Três de Maio
Tuparendi
Tucunduva
Cândido Godói
Santo Cristo
Valor Exportado em 2011
(US$)
254.427.831
206.863.307
24.457.563
7.912.835
6.538.000
1.186.604
156.138
Dos 20
municípios da
Microrregião
de Santa Rosa,
7 são
exportadores !
PARTE 2
Cenários Humanos
e Sociais
Evolução dos Homicídios no Brasil, RS e da Região
40,00%
25,00
Número Homicídios na Região
Brasil
• Entre 2000 e 2009 o número
de assassinatos na região caiu
de 17 para 26.
30,00%
20,00
20,00%
15,00
10,00%
0,00%
2000
2001
2002
2003
2004
2005
2006
2007
2008
2009
10,00
• Identifica-se um processo de
aceleração das ondas de
violência.
-10,00%
5,00
-20,00%
Fonte: IBGE e IPEA
-30,00%
Período
Homicídios 2009
Homicídios 2008
Var % 2009/2008
Evolução dos Homicídios
-
Brasil
MICRORREGIÃO
Rio Grande do Sul
SANTA ROSA
50.313
2.228
26
50.094
2.367
22
0,44%
-5,87%
18,18%
Var % Média 2009/2005
1,41%
2,54%
16,74%
Var % Média 2009/2000
1,16%
3,31%
4,83%
Fontes: IBGE, IPEA
• Por outro lado, a região mostrou, em 2009,
indicadores de vítimas de acidentes de trânsito
superiores à média gaúcha e brasileira
• Esse é um importante indicador de deficiência
de infra-estrutura rodoviária.
• É nítida a tendência desse indicador continuar em
estagnação no longo prazo. Investimentos em
infra-estrutura se mostram necessários.
Evolução dos Acidentes de Transito por 100 Mil Habitantes
Período
Acidentes 2009
Acidentes 2008
Var % 2009/2008
Brasil
Rio Grande do Sul MICRORREGIÃO SAN
19,58
18,58
20,03
20,68
18,99
18,50
-5,28%
-2,13%
8,26%
Var % Média 2009/2005
-0,37%
-0,37%
0,02%
Var % Média 2009/2000
1,04%
-0,06%
-0,13%
Fontes: IBGE, IPEA
• Desde 2009 o número de
beneficiados do Bolsa Família
na Microrregião vem se
mantendo em patamares
estáveis. No RS o indicador vem
caindo.
• Esse fato indica que a Região
tido dificuldades em reduzir
sua incidência de pobreza
absoluta, mas os patamares
são bem inferiores à média
gaúcha.
Beneficiados do Programa Bolsa Família por Mil Habitantes
80,00
Brasil
Rio Grande do Sul
MICRORREGIÃO SANTA ROSA
70,00
60,00
50,00
40,00
30,00
20,00
Fonte: IBGE e IPEA
10,00
2004
2005
2006
2007
2008
2009
2010
2011
Evolução dos Beneficiados do Bolsa Família por Mil Habitantes
Período
Beneficiados 2011
Beneficiados 2010
Var % 2011/2010
Var % Média 2011/2007
Var % Média 2011/2004
Fontes: IBGE, IPEA
Brasil
67,72
66,42
1,96%
3,06%
9,36%
Rio Grande do Sul
40,70
42,28
-3,74%
1,21%
5,98%
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
50,11
50,01
0,19%
1,87%
4,13%
• Um das vantagens competitivas da região está na questão
educacional. O IFDM da Microrregião está acima da média gaúcha e
brasileira.
• Tal indicador se torna ainda mais importante dado o fato de o RS
ter o pior ensino fundamental público e privado do sul-sudeste do
Brasil. Se a Região se destaca nesse ponto, seu futuro é,
evidentemente, promissor. Mas melhorias ainda são necessárias!
IFDM EDUCAÇÃO
Ano
Brasil
2000
2005
2006
2007
2008
2009
Fonte: IPEA/PNUD
0,585
0,685
0,679
0,708
0,731
0,751
Rio Grande do Sul
0,640
0,685
0,679
0,678
0,715
0,736
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
0,726
0,742
0,725
0,769
0,769
0,803
• Mesmo em processo de evolução econômica, a microrregião ainda
apresenta um contexto de geração de emprego e renda inferior ao
predominante no RS e Brasil.
Municípios com alto IFDM de Emprego e Renda (maior de 0,65): Santa
Rosa e Horizontina
Municípios com baixo IFDM de Emprego e Renda (menor de 0,4):
Alecrim, Boa Vista do Buricá
IFDM EMPREGO E RENDA
Ano
Brasil
Rio Grande do Sul MICRORREGIÃO SANTA ROSA
2000
0,489
0,526
0,442
2005
0,696
0,688
0,527
2006
0,752
0,743
0,552
2007
0,752
0,743
0,552
2008
0,769
0,793
0,609
2009
0,729
0,750
0,574
Fonte: IPEA/PNUD
• Por outro lado, a infra-estrutura de atendimento à saúde da
microrregião mostra-se predominantemente superior à média gaúcha
e nacional.
•Os melhores padrões de atendimento público da Região são em Boa
Vista do Buricá, Porto Lucenda e Tuparendi, enquanto os de maior
deficiência estão em Porto Vera Cruz, Doutor Maurício e Novo Machado,
esses dois últimos em melhor padrão do que a média nacional.
IFDM SAÚDE
Ano
Brasil
Rio Grande do Sul
2000
0,712
0,785
2005
0,758
0,825
2006
0,770
0,841
2007
0,783
0,855
2008
0,794
0,864
2009
0,802
0,870
Fonte: IPEA/PNUD
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
0,822
0,888
0,901
0,916
0,912
0,918
• Em termos de totalização, o IFDM indica que o padrão de
vida da Região, apesar de crescente, é inferior ao encontrado
na média gaúcha e similar ao padrão brasileiro.
• Melhorias são necessárias e urgentes, especialmente no
campo da geração de emprego e renda.
Melhores Cidades para se Viver na Região: Santa Rosa e Horizontina, Três de Maio e
Nova Candelária
Locais de Menor IFDM na Microrregião: Alecrim, Porto Vera Cruz e Alegria
IFDM TOTAL
Ano
Brasil
2000
2005
2006
2007
2008
2009
0,595
0,713
0,738
0,748
0,765
0,760
Rio Grande do Sul
0,650
0,733
0,752
0,759
0,791
0,785
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
0,663
0,719
0,709
0,745
0,764
0,765
PARTE 3
Cenários
Empresariais e de
Empregabilidade
Evolução do Tecido Empresarial da Região
2,50%
2,00%
6.000
1,97%
1,93%
5.000
1,96%
1,96%
1,94%
2,00%
1,99%
1,96%
• Em 2010 a Região ultrapassou o
patamar de 5,5 mil empresas. O
número é significativo mas
reflete participação estável no
contexto gaúcho.
4.000
1,50%
Número de Empresas
Brasil
Rio Grande do Sul
3.000
1,00%
2.000
0,50%
1.000
0,17%
Fonte: RAIS
0,00%
0,17%
0,17%
0,17%
0,16%
0,16%
0,17%
0,17%
0,16%
• A dinâmica de evolução
empresarial da região, mesmo
positiva é um ponto crítico
regional. A microrregião conta
com uma média de uma
empresa para cada 37
habitantes.
-
Dinâmica de Crescimento do Número de Empresas
2002
2003
2004
2005
Período
Empresas 2010
Empresas 2009
Var % 2010/2009
Var % Média 2010/2006
Var % Média 2010/2002
Fontes: RAIS
2006
2007
2008
2009
2010
MICRORREGIÃO
Rio Grande do Sul SANTA ROSA
Brasil
3.403.448
281.104
5.516
3.223.514
5,58%
4,69%
4,21%
267.391
5,13%
4,09%
3,31%
5.352
3,06%
4,35%
3,51%
• O menor IFDM de emprego e renda anteriormente
identificado é reflexo direto da menor densidade de
empregabilidade: 1 emprego formal para 4,8 hab; frente a
3,83 do RS e 4,37 do Brasil
Por outro lado, a região se favorece com maior crescimento
da oferta de emprego diante do padrão nacional e estadual
no longo e médio prazos.
Dinâmica de Crescimento do Número de Empregos
Período
Empregos 2010
Empregos 2009
Var % 2010/2009
Var % Média 2010/2006
Var % Média 2010/2002
Fontes: RAIS
Brasil
Rio Grande do Sul
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
44.068.355
2.804.162
41.944
41.207.546
6,94%
5,81%
5,51%
2.602.320
7,76%
4,84%
4,14%
39.548
6,06%
6,76%
5,62%
Dinâmica de Crescimento da Massa Salarial Formal
Período
Brasil
Rio Grande do Sul
MICRORREGIÃO
SANTA ROSA
Massa Salarial 2010
559.880.246.236
35.516.581.152
418.800.421
Massa Salarial 2009
Var % 2010/2009
Var % Média 2010/2006
Var % Média 2010/2002
493.401.105.198
13,47%
14,23%
14,14%
32.274.301.707
10,05%
11,92%
12,51%
355.935.697
17,66%
14,71%
15,09%
Fonte: RAIS
• A microrregião responde por 1,18% da massa salarial formal do RS
e 0,07% da brasileira.
• Possuindo 1,9% da população estadual, os citados 1,8% da massa
salarial indicam remuneração média do emprego formal menor. R$
1.622 da média estadual, frente R$ 1.299 da Microrregião de Santa
Rosa.
EVOLUÇÃO EMPRESARIAL NA REGIÃO
Classificação Empresarial
16-Comércio Varejista
21-Aloj Comunic
20-Transporte e Comunicações
25-Agricultura
19-Adm Técnica Profissional
15-Construção Civil
17-Comércio Atacadista
22-Médicos Odontológicos Vet
13-Alimentos e Bebidas
07-Madeira e Mobiliário
Outras
Fonte: RAIS
2002
1.715
385
254
322
200
198
241
130
98
128
514
2005
1.854
427
304
312
213
226
271
141
109
134
565
2008
2.123
476
328
309
272
295
268
159
125
139
641
2009
2.206
489
364
318
307
269
292
170
133
137
667
2010
2.301
476
374
327
313
294
292
191
135
131
682
Tendência
Alta Moderada
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Moderada
Alta Moderada
• Em termos de densidade empresarial, a microrregião mostra sua
vocação para comércio e serviços e agricultura. Os segmentos com
maior tendência de expansão são:
Transporte e Comunicações, Adm Técnica e Profissional e Seviços
Médicos
EVOLUÇÃO DO EMPREGO FORMAL NA REGIÃO
Classificação Empresarial
16-Comércio Varejista
24-Administração Pública
04-Indústria Mecânica
13-Alimentos e Bebidas
20-Transporte e Comunicações
17-Comércio Atacadista
21-Aloj Comunic
19-Adm Técnica Profissional
22-Médicos Odontológicos Vet
15-Construção Civil
Outras
Fonte: RAIS
2002
5.390
5.054
2.849
1.573
1.203
1.753
1.553
520
1.079
909
5.210
2005
6.220
5.487
4.085
1.626
1.380
1.943
1.641
679
1.200
895
6.370
2008
7.948
5.498
5.462
2.691
1.670
1.757
1.592
1.170
1.355
1.670
7.580
2009
8.591
5.964
4.682
2.886
1.727
1.731
1.658
1.339
1.535
1.491
7.944
2010
8.522
6.076
5.558
3.032
2.092
1.840
1.830
1.635
1.628
1.574
8.157
Tendência
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Acelerada
Alta Acelerada
Alta Acelerada
Alta Moderada
Alta Acelerada
• No que se refere a geração de postos de trabalho, a liderança é do
comércio varejista, seguido da administração pública e indústria
mecânica e alimentos/bebidas, cuja empregabilidade continua em alta
acelerada.

similar documents