Aula SAVC 2013

Report

Líder e membros de equipe;

Dinâmica de uma boa equipe:
1.
Comunicação em alça fechada;
Mensagens claras;
Funções e responsabilidades claras;
Conhecer as próprias limitações;
Compartilhar conhecimentos;
Intervenção construtiva;
Reavaliação e resumo;
Respeito mútuo.
2.
3.
4.
5.
6.
7.
8.


SBV
SAVC
Objetivo: Oferecer e restabelecer a boa oxigenação,
ventilação e circulação, com retorno da função neurológica
sem sequelas.
PCR é igual a compressão torácica externa e não igual a
intubação!!!
Para cada 1 minuto de parada não revertida, há diminuição da
sobrevida em 7 a 10% por minuto.
5H/5T
A- Assegurar a via aérea;
Manter a patência da vai aérea – via aérea
avançada
B- Boa respiração;
Administração de O2 suplementar
Avaliar a adequação da oxigenação: critérios
clínicos, saturação de O2, capnometria.
C- Circulação;
Estabelecer um acesso IV/IO
Fixação das derivações do ECG + monitorização
Administração de fluidos e medicamentos, quando
necessários.
D- Diagnóstico diferencial
Procure, identifique e trate causas reversíveis de
PCR.
•Hipóxia;
•Hipovolemia;
•Hipotermia;
•H+ (acidose)
• Hipo ou
Hipercalemia;
•Tamponamento
cardíaco;
•Tensão no tórax
(pneumotórax);
•Trombose pulmonar;
•Trombose
coronariana
•Toxinas (intoxicação
exógena.



1.
2.
3.
4.
5.
PCR testemunhada devido a FV/TV sem pulso e resistente ao
primeiro choque;
Medicamentos: - Epinefrina
- Vasopressina
- Amiodarona
- Lidocaína
- Sulfato de magnésio
Objetivos:
Reconhecer FV/TV ao ECG
Tratar a FV/TV sem pulso
Indicações, contra-indicações e vias de administração das
drogas
Desfibrilação com interrupções mínimas nas compressões
torácicas
Coordenar as funções da equipe, enquanto assegura a
continuidade da RCP de boa qualidade, da desfibrilação e
da avaliação do ritmo

Fibrilação ventricular

Taquicardia ventricular
monomórfica

Taquicardia ventricular
polimórfica
Análise do ritmo: Chocável?? FV/TV sem pulso
1 choque 360J
Reinicie RCP imediatamente
5 ciclos RCP
Análise do ritmo: Chocável??
Sim
Não
Algoritmo de assistolia/AESP
Continue a RCP
Aplique 1 choque 360J
RCP imediatamente após o choque
Administre vasopressor: Epinefrina 1mg / Vasopressina 40 UI
5 ciclos RCP
Análise do ritmo: Chocável??
Continue a RCP
Aplique 1 choque 360J
Reinicie RCP imediatamente após o choque
Considere o uso de antiarrítmicos: Amiodarona 300mg IV/ 150mg; ou Lidocaína 1 a
1,5mg/Kg IV/ 0,75mg/Kg até um máximo de 3 doses (3mg/Kg)
5 ciclos de RCP
Adrenalina 1mg ou Vasopressina 40UI
Amiodarona 300mg
Adrenalina 1mg ou Vasopressina 40UI
Amiodarona 150mg
Adrenalina 1mg
Lidocaína 1 a 1,5 mg/Kg
Adrenalina 1mg
Lidocaína 0,75mg/Kg
 PCR
< 5min: choque 360J + RCP por 2
min (5 ciclos) + Checar pulso;
 PCR
> 5min: 5 ciclos de RCP (30:2) +
choque 360J + 2 min RCP + checar
pulso.
A
vasopressina só é usada uma vez.

Qualquer ritmo organizado sem pulso é definido com
AESP

Medicamentos: - Epinefrina;
- Vasopressina;
- Outros medicamentos, dependendo
da causa da parada.

Pesquisar causas de base de AESP:
- Diagnóstico diferencial (5H/5T);
- Analise o ECG, procurando pistas da causa de base;
- Reconheça a presença de hipovolemia;
- Reconheça casos de intoxicação/overdose por
drogas.
Análise do ritmo: Chocável??
Não
RCP imediatamente por 5 ciclos
Administre vasopressor: Epinefrina 1mg a cada 3 ou 5 min ou1 dose de Vasopressina 40 UI em
substituição a primeira ou segunda dose de epinefrina.
5 ciclos RCP
Analise o ritmo: Chocável??
Não
Algoritmo de FV/TV sem pulso
Avalie o pulso
Ausente
Presente
Inicie os cuidados pós-ressucitação
Vasopressor/ Diagn Diferencial
RCP
Analise o ritmo
RCP

É comum em duas situações:
1- Ritmo terminal, em uma tentativa de ressucitação
iniciada em outro ritmo
2- Como primeiro ritmo identificado em um paciente com
parada não testemunhada ou prolongada.

Para um paciente em parada cardíaca sem pulso e
assistolia, exclua rapidamente quaisquer outras causas de
um ECG isoelétrico:
1- Derivações frouxas ou não conectadas ao paciente;
2- Muito pouco ganho de sinal do ECG (amplitude e
potência do sinal).

Medicamentos: - Epinefrina
- Vasopressina
Segue o mesmo algoritmo de AESP.










Comprimir o tórax forte e rápido (mínimo de 5cm);
Permitir que o tórax retorne completamente após cada
compressão;
Minimize as interrupções nas compressões torácicas;
Aplique, no mínimo, 100 compressões por minuto;
Ciclo de RCP : 30 compressões : 2 ventilações
Evite a hiperventilação;
Após a colocação de uma via aérea definitiva, não há
mais sincronismo entre RCP e ventilação. Aplique 8 a 10
ventilações por minuto. Analise o ritmo a cada 2
minutos.
Reveze a função de aplicação das compressões a
cada 2 minutos, com a análise do ritmo neste intervalo.
Pacientes em hipotermia ou intoxicação a RCP deve
ser prolongada.








ABC periodicamente
Manter SO2% >92% com a menor FiO2
possível;
PAM entre 80 e 120mmHg;
Hipotermia terapêutica;
Combater agressivamente a febre;
Controle glicêmico (<200)
Sedação e ventilação conforme
necessidade;
Investigação diagnóstica e intervenção.
Bradicardia FC < 60bpm e inadequada para as condições clínicas
Mantenha via aérea patente
O2 /Acesso IV
Monitorize o ECG
Sinais ou sintomas de perfusão inadequada pela bradicardia?
Observe e monitore
Esteja preparado para a colocação de MP
- Use sem demora para BAVT e
BAV de 2 º grau Mobitz II
- Considere atropina 0,5 mg enquanto
aguarda MP
- Considere o uso de epinefrina ou dopamina
Taquicardia com pulso
ABCD
O2/ECG/Monitorização
Avaliar estabilidade hemodinâmica:
Não
Sim
Realizar cardioversão elétrica
sincronizada imediatamente
Acesso IV/ECG
Avaliação do QRS
QRS estreito
QRS largo
QRS estreito
Avaliar o ritmo
Regular
Irregular
Manobra vagal
Adenosina 6mg bolus rápido
Repetir 12mg, por 2x, se não reverter
Provável FA / Flutter atrial /
Taquicardia atrial multifocal
Reversão do ritmo?
Sim
Não
Avaliação de um especialista
Controle de frequência
TSV
Observar recorrência
Tratar recorrência com adenosina
Ou bloqueadores do nó AV de ação
Prolongada
Possível flutter atrial, taquicardia
atrial ectópica ou juncional
Controle de frequência com diltiazem
ou β-bloqueador
Tratar a causa de base
Avaliação de um especialista
QRS largo
Avaliar o ritmo
Regular
Taquicardia ventricular ou ritmo incerto
Amiodarona 150mg IV em 10 min
Repetir até dose máxima2,2g em 24h
Cardioversão sincronizada eletiva
Irregular
Se FA e pré-excitação: avaliação
de um especialista; evitar β-Bloq;
considerar antiarrítmicos
Se TV polimórfica recorrente:
avaliação de um especialista
Se Torsade de points: administrar
magnésio 1 a 2 g de ataque em
5-60min, seguidos de infusão IV
 Redução
controlada da
temperatura
central com
objetivos
terapêuticos.
Objetivos:





Redução do consumo cerebral de
oxigênio;
Supressão de reações químicas associadas
a lesões de reperfusão;
Redução das reações de radicais livres que
aumentam o dano cerebral;
Modulação da apoptose;
Modulação da resposta anti-inflamatória.
Indicações:
1- Pacientes que não
recuperam nível de
consciência até 1
hora após a PCR;
 PCR em FV/TV –
indicação Ib
 PCR em
AESP/assitolia –
indicação IIb
Contraindicações:
 Instabilidade
hemodinâmica
refratária;
 Gravidez (absoluta);
 Coagulopatia
(relativa);



Manter T central
entre 32 e 34ºC por
12 à 24h;
Resfriamento rápido
entre 1 e 2hs após a
reanimação;
Reaquecimento
lento - aumento de
0,5ºC por hora até
atingir 36,5ºC.
Critérios de interrupção:
 Arritmia ventricular grave;
 Coagulopatia de piora progressiva;
 Sangramento abdominal, torácico ou
cerebral;
 Deteriorização progressiva das funções
orgânicas;
 Sepse.

similar documents