Perdas aparentes inevitáveis

Report
Uberlândia, 05 de maio de 2014
Agradecimentos
Autores:
Mario Augusto Bággio
e
Silvana da Silva Ramme
 À ASSEMAE PELO
CONVITE, À DIRETORIA
DO SAAE DE MARECHAL
CÂNDIDO RONDON E À
SABESP - UNIDADE DE
NEGÓCIO LESTE, PELAS
INFORMAÇÕES
CAMINHOS QUE SE ENCONTRAM
CASES DE REDUÇÃO DE PERDAS NO SAAE DE
MARECHAL CÂNDIDO RONDON E NA SABESP –
UNIDADE DE NEGÓCIO LESTE/ML
CONCEITOS
O que são perdas d’ água?
Perdas de água são “toda
perda real ou aparente de
água ou todo o consumo
não autorizado que
determina aumento do
custo de funcionamento
ou que impeça a realização
plena da receita
operacional”
VOLUME DE ENTRADA
CONSUMO AUTORIZADO
PERDAS
Consumo
Autorizado
Faturado
Consumo Medido Faturado
Água
Faturada
Consumo Não Medido Faturado
Consumo
Autorizado
Consumo
Autorizado
Não
Faturado
Volume
de
Entrada
no
Sistema
Consumo Medido Não Faturado
Consumo Não Medido Não
Faturado
Consumo Não Autorizado
Perdas
Aparentes
Perdas de
Água
Imprecisão dos Hidrômetros e
Erros no Manuseio de Dados
Vazamentos em Redes de Adução
e Distribuição
Perdas
Reais
Vazamentos e Extravasões em
Reservatórios
Vazamentos nas Ligações até o
Fonte: REÁGUA - Hidrômetro
Airton Sampaio
Água Não
Faturada
(não
convertida
em
receita)
NRW
Como se medem as perdas?
Perda



VD - VU
= ________________x1000
Ligações x 365
Volume disponibilizado – VD;
Volume utilizado - VU;
Ligações ativas - LA.
PERDAS ONTEM, HOJE E AMANHÃ
BALANÇO HÍDRICO 2014
Como se registram as perdas no
SAAE?
Como se registram as perdas no
SAAE?
PERDAS ONTÉM
Análise de 50 meses atrás
Perda trimestral em l/lig.dia
Perda anual em l/lig.dia
Perda trimestral em l/lig.dia
VD – volume disponibilizado (m³/mês)
VU – volume utilizado (m³/mês)
Volume perdido (m³/mês)
ANÁLISE e SÍNTESE...
 Perdas de
195 litros perdidos/ligação.dia:
 Menor índice de perdas do SAAE;
 Menor volume perdido do SAAE;
 Forte tendência de aumento de VU, sem
tendência expressiva de alta de VD.
Por que?
AÇÕES
METODOLÓGI
CAS
AÇÕES
TECNOLÓGICAS
AÇÕES HUMANAS
Gerenciamento ProAtivo de Perdas
Aparentes
Perdas
aparentes
inevitáveis
Perdas aparentes
nível econômico
Atual volume de perda
aparente anual
Fonte: IWA Water Loss Task Force
22
4 Métodos de intervenção para
combater perdas reais
Perdas reais
inevitáveis
Foco
Perdas reais
nível econômico
Atual volume de perda
real anual
Fonte: IWA Water Loss Task Force
23
4 Métodos de intervenção central para
combater perdas reais
Perdas reais
inevitáveis
Perdas reais
nível econômico
Atual volume de perda
real anual
Fonte: IWA Water Loss Task Force
Setores de Abastecimento (Regiões)
24
PERDAS HOJE
Perda trimestral hoje (fevereiro/2014)
IPL
trim
(l/lig.dia)
195
Perda Atual
02/14
Meses
PERDAS AMANHÃ
Alternativas de metas...
Meta adotada
Alternativa 09 adotada pelos Faixas Pretas e homologada pela Diretoria
O QUE FAZER?
195
IPL
trim
(l/lig.dia)
=8
Perda Atual
187
Meta de
Perda
02/14
01/15
Meses
Meta de VD
VD (m³)
4.590.882
D
VD atual
4.499.064
- 2,0%
02/14
Meta de
VD
01/15
Meses
Meta de VU
VU (m³)
D
+ 4,0%
3.374.348
VU ATUAL
Meta de
VU
3.509.114
02/14
01/15
Meses
Meta de LA
LIGAÇÕES
ATIVAS
14.183
+ 2,5%
D
Meta de
LA
LA ATUAL
14.538
02/14
01/15
Meses
COMO? MASP - Método de Análise e
Solução de Problema aplicado a Perdas
1.
8. Conclusão
Definir claramente o problema, reconhecer sua
importância e estabelecer a meta
Refletir sobre o método e
programar ataque
aos problemas
remanescentes
2. Observação do problema
Priorização do problema através de fatos e
dados.
7. Padronização
Padronizar no caso de
sucesso e tomar ação
corretiva no insucesso
6. Verificação
Verificar o Atingimento da
Meta e o cumprimento de
todas as ações do plano
Identificação do problema
3. Análise do problema
A
P
C
D
Descobrir as Causas
Fundamentais
4.Plano de ação
Estabelecer Plano para
bloquear as causas
5. Execução da Ação
Executar Plano para bloquear as
causas
QUEM?
Estratégia
de
trabalho
dos faixas
pretas,
verdes e
brancas
QUANDO?
O PROJETO MASPP ESTÁ
SENDO LIDERADO PELA ALTA
ADMINISTRAÇÃO DO SAAE,
APOIADO POR 12 LÍDERES.
A PARTIR DE MAIO, MAIS DE
30 FUNCIONÁRIOS SERÃO
TREINADOS E ENTRARÃO NO
PROJETO, COM VISTAS A
COLOCAREM SEUS
CONHECIMENTOS NA
SOLUÇÃO DO PROBLEMA DE
PERDAS (reduzir as perdas
trimestrais em 8 l/lig.dia, até
31/01/15).
PERDAS ONTEM, HOJE E AMANHÃ
PERDAS ONTEM
Descontinuidade de contrato/pesquisas/
ajuste de macromedição
Reforço da equipe de pesquisa
de vazamentos
Por que?
AÇÕES
METODOLÓGI
CAS
AÇÕES
TECNOLÓGICAS
AÇÕES HUMANAS
Gerenciamento ProAtivo de Perdas
Aparentes
Perdas
aparentes
inevitáveis
Perdas aparentes
nível econômico
Atual volume de perda
aparente anual
Fonte: IWA Water Loss Task Force
39
4 Métodos de intervenção central para
combater perdas reais
Perdas reais
inevitáveis
Foco
Perdas reais
nível econômico
Atual volume de perda
real anual
Fonte: IWA Water Loss Task Force
40
4 Métodos de intervenção central para
combater perdas reais
Perdas reais
inevitáveis
Perdas reais
nível econômico
Atual volume de perda
real anual
41
PERDAS HOJE
Atuação nos setores prioritários
Perda trimestral hoje (fevereiro/2014)
IPL
anual
(l/lig.dia)
349
Perda Atual
02/14
Meses
PERDAS AMANHÃ
Projeto MASPP III
O MASPP III
Foco em VD, nas
UGB’s
Evolução das UGB’s –Unidades Gerenciais
Básicas (células): linha do tempo (2004 a 2014)
Pré-Maspp
I -2004
Não haviam
UGB’s
Foco no
IPDt
Pós- Maspp
I - 2005
Criação
UGB’s
Foco em VD
Foco em VU
Maspp III 2014
Adequação
UGB’s
Foco no
Processo
VD
Foco no
Processo
VU
Foco do MASPP III: para redução de VD
Ações em dois (02) níveis:
GRTD
NAS
UGB’s
• Em toda a Unidade de
Negócio, intervindo nas
UGB’s de sua Central de
Controle da Distribuição –
COD;
• Em um (01) setor de
abastecimento piloto
(JARDIM POPULAR).
FOCO
SOFTWARE
NAVIA
MINITAB
17
Onde estão as UGB’s (células) do MLEA e
MLEP?
MLE
MLEA
MLEP
UGB Controle
Ativo de
Vazamentos
UGB Pressão
UGB
Distribuição
UGB Manobras
UGB
Macromedição
UGB Planej.
Controle Ativo
de Vazamentos
UGB COD
Menor célula organizacional
A SABESP das Operações, que GERA VALOR ao CLIENTE
O que são UGB’s? Por que precisamos?
 Há muita coisa abaixo do
organograma formal:
 Muita gente;
 Muitas operações;
 Muito custo;
 Muito controle;
 Muito cliente;
 Muito valor;
 Há uma ZONA DE VALOR,
onde se gera VD.
Foco do MASPP III (GRTD nas UGB’s)
O Minitab 17 aplicado ao
Jardim Popular e UGB’s
MASPP III – PROJETO DE REDUÇÃO DE VD
Software Minitab 17
 Os setores de
abastecimento da ML
dispõem de ENORMES
BANCO DE DADOS;
 Estes BANCOS, para
possibilitarem a TOMADA
DE DECISÃO, precisam ser
analisados;
 Buscou-se no mercado
software de ANÁLISE
ESTATÍSTICA, a fim de
transformar dados em
INFORMAÇÕES...
Software Minitab 17
 Baixadas versões
DEMO, enquanto se
adquirem 03 licenças;
 Treinamento de 32
horas realizado;
 Conhecimento
adquirido pelas pessoas
do MLEA e MLEP;
 Análises sendo
realizadas e produtos
gerados.
O software Navia aplicado ao
Jardim Popular e UGB’s
MASPP III – PROJETO DE REDUÇÃO DE VD
Software Navia Bulk
 Tecnologia de Informação
em ambiente de nuvem,
onde diariamente se
gerencia VD (y), a partir do
gerenciamento das
variáveis (x) que com ele
se correlacionam;
 MLEP diariamente
alimentando o software,
tanto para gerenciamento
do setor J. Popular quanto
das UGB’s.
https://demo73.navia.pt/Base/LocalizacoesBulk/
Relatório Gerencial –VD Jardim Popular
Relatório Gerencial – Balanço “on line”
Fonte: COPASA
Março/2014
Controle diário (SIMOVE)
VD
VMN
Fevereiro/14
Fórmula do VD do Setor Jardim Popular
Dados
mensais
de 2013
VU
Ligações/economias
Temperaturas
Tempo execução de vazamentos
Vazamentos locados
Execução de ramais (do geofonamento e do 195)
IRFA
IRD
VD = 0,772*(VU)+177*(Vaz loc)+1109*(Temp rep)–330*(Troca de ramal)+2373*(VMN)
Fórmula do VD do Setor Jardim Popular
Considerando valores médios diários:
VD/dia=0,834*(VU/dia)+55,5*(Vaz loc/dia)+23,1*(Temp rep)–113*(Troca de ramal/dia)+80,5*(VMN)
+ 0,834 * (Volume Utilizado/dia)
+ 55,5 * (quant. de vazamentos locados/dia)
+ 23,1* (tempo de execução de vazamentos totais)
- 113 * (quantidade de ramais trocados/dia)
+ 80,5 * (Vazão Mínima Noturna)
Volume disponibilizado (m3/dia)
Fórmula do VD do Setor Jardim Popular
Fórmula da VMN:
VMN = 88,7 – 8,05*(Temperatura mínima)+8,77*(Temperatura média)
+ 88,7 (constante)
- 8,05 * (temperatura mínima)
+ 8,77* (temperatura média)
Vazão mínima noturna (L/s)
Peso das variáveis
VMN
Temperatura média
Temperatura mínima
VD
Vazão Mínima Noturna
Volume utilizado
Vazamentos locados
Tempo execução
Troca de ramais
Sem ação
Ação comercial
Ação da UGR
Ação MLEA
57%
43%
41%
45%
26%
11%
1%
Ações no Setor Jardim Popular em maio/2014
MLEA (UGBs), com apoio do MLEP:




Pesquisa de vazamentos não visíveis em toda rede (172 km)
Apontamento de vazamentos visíveis e suspeitas de fraude
Controle de pressões nas VRP’s e DMC’s
Controle do VD e VMN
MLGM:




Execução dos vazamentos em até 32 horas
Manter carteira “zero”
Priorizar as redes
Buscar a melhor qualidade na execução
MLGR:
 Ações de combate às fraudes
 Vistoria e ações para “inativas”
 Troca de hidros (corretiva e preventiva)
Apresentação do Trabalho às Equipes
 Participação de todas as partes envolvidas: MLEA/UGBs, MLGM,
MLGR, MLEP, equipes de locação e execução de vazamentos
 Apresentação dos objetivos
 Envolvimento/comprometimento
CAMINHOS QUE SE ENCONTRAM
CASE DE REDUÇÃO DE PERDAS NO SAAE MARECHAL CÂNDIDO
RONDON E NA SABESP – UNIDADE DE NEGÓCIO LESTE/ML
• Perdas declinantes;
• Práticas IWA sendo aplicadas;
• Práticas gerenciais como forma de INOVAÇÃO;
• Foco no “pequeno” setor (operacional/comercial);
• Preocupação com sustentabilidade.
•
Precisamos nos antecipar ao confronto...
As LIDERANÇAS precisam aprender a SOLUCIONAR
PROBLEMAS, independente do tamanho da
ORGANIZAÇÃO, antecipando-se aos CONFRONTOS.
REDUZIR PERDAS é preciso! Há que se ter ESTRATÉGIA!
+
X
Nossos cumprimentos!
OBRIGADO
Mário Augusto Bággio
Silvana da Silva Ramme

similar documents