bd 327

Report
ESTRATÉGIAS DE CRESCIMENTO DA MODALIDADE A
DISTÂNCIA EM INSTITUIÇÕES PRIVADAS DE
ENSINO SUPERIOR
Katia Maria Rocha de Lima
Universidade Cruzeiro do Sul – [email protected]
Rita Maria Lino Tarcia
UNIFESP/Universidade Cruzeiro do Sul - [email protected]
RESUMO - O objetivo deste artigo
-
compreender quais são as estratégias utilizadas pelas Instituições Privadas de
Ensino Superior no que tange ao crescimento da modalidade a distância.
-
contribuir com a análise das diversas estratégias adotadas pelas instituições de ensino
superior;
-
observar quais são as estratégias de crescimento e quais as alternativas adotadas para
expansão da modalidade ead;
-
através estudo de caso múltiplo de natureza qualitativa em instituições privadas;
-
os resultados poderão evidenciar as estratégias de crescimento adotadas na Instituição
Privada de Ensino Superior para a modalidade de educação a distância EaD;
Palavras chave: Instituição privada de ensino superior, estratégias de crescimento
INTRODUÇÃO
-
Mais de 3,5 milhões de brasileiros estudaram em cursos a distância no ano de
2011, segundo levantamento realizado pelo Censo EAD (2012);
-
De acordo com a UNESCO, em países em desenvolvimento, a EAD representou um
meio importante de oferecer educação superior aos jovens entre 18 e 24 anos;
-
O crescimento do setor educacional e a onda de fusões e aquisições criaram
gigantes na educação brasileira, colocando em duvida a viabilidade das pequenas
instituições privadas, (ZAPAROLLI, 2013);
-
O crescimento, por sua vez, gerou questões para as universidades nas quais as
estratégias de crescimento muitas vezes não estão alinhadas com seus objetivos
institucionais;
-
O desafio que se apresenta é utilizar a EAD de forma mais sistemática, integrada
à estrutura educacional da região na qual a IES se insere, seja como sede seja
como polo presencial de apoio ao aluno;
PROBLEMA
OBJETIVO
Estudar a administração universitária
O objetivo do presente artigo é
pode colaborar com esse cenário,
analisar como ocorre a adequação
buscando atender diversas lacunas e
das estratégias de crescimento na
preparar de forma qualificada os
EAD e quais são as alternativas
profissionais
adotadas
que
atuarão
nas
instituições de ensino superior (IES);
Pergunta norteadora deste artigo é
“Como a EAD busca adequação às
estratégias de crescimento das IES”?
para
crescimento
das
organizações nessa modalidade.
Referencial Teórico Pilares
Educação a Distância
Estratégias de Crescimento
Estudos realizados
Empresarial
Literatura
TABELA 01 – Pesquisas recentes acerca da Educação a Distância
Autor
País
Experiência
Método
Kidney,
Cummings,
Boehm (2007)
Estados
Unidos
Encontrar maneiras de garantir a qualidade
do e-learning através de estratégias que
pudessem garantir a qualidade
Estudo de Caso - Universidade de Houston
Clear Lake
Kurubacak
(2011)
Turquia
Identificação, categorização, e classificação Quali-Quanti com triangulação de dados - 28
de futuras prioridades e necessidades de e- profissionais de e-learning (14 mulheres e 13
homens) Especialistas discutiram os principais
learning para o pluralismo
problemas e desafios, as categorias, as
prioridades e as necessidades de e-learning
para o pluralismo - AndalouUniversity, Turkey
Fominykh
(2011)
Noruega
Integração de um Campus virtual.
Estudo de caso empírico que foi realizado
Ampliação de possibilidades de um campus para testar e desenvolver as ideias virtual em apoio à aprendizagem e Universityof Science and Technology
socialização
Phan (2011)
Austrália
Apresentar duas vertentes (i)examinar a Estudo de caso
teoria
cognitiva
de
aprendizagem - Universidade de Nova Inglaterra
multimédia e (ii) discutir as estratégias de
visualização.
TABELA 01 – Pesquisas recentes acerca da Educação a Distância
Autor
Maglajlić (2012)
Gozzi (2012)
País
Experiência
Método
Austria
Abordagem da eficiência no e-learning e
como pode a aprendizagem ser melhorada
usando redes sociais dos formandos e
tutores, buscando uma abordagem mais
atual
Brasil
Gestão pedagógica em comunidades
virtuais orientadas para a aprendizagem
Foi desenvolvido um indicador de melhoria da
aprendizagem, definida como a diferença no
resultado da aprendizagem de um formando
antes e depois de um período de tempo. O
resultado de aprendizagem, concretamente,
foi medido pelo teste resultados dos
estagiários.
Pesquisa bibliográfica, o conceito e a
importância
do
desenvolvimento
pedagogicamente
orientado
dessas
comunidades em cursos on-line, bem como a
necessidade de formação de professores
mediadores
capazes
de
mediar
adequadamente às interações.
Resultados de pesquisa realizada com
professores que atuam em cursos de
licenciatura na modalidade a distância
Importância da formação do professor
mediador. Trouxe a reflexão das novas
tecnologias da comunicação e informação.
Gilberto (2013)
Brasil
Fonte: Kidney (2007) et al
Discussão de questões voltadas para a
EAD, torna-se fundamental compreender
a EAD como prática social e política que
possibilita
o
desenvolvimento
da
autonomia do educando.
Atualmente, os estudos realizados sobre a educação à
distância,
diz
respeito
à
qualidade
dos
cursos
e
às
estratégias que garantam a qualidade dos programas. Desta
forma,
faz-se
o
contraponto
entre
as
estratégias
de
crescimento e a educação a distância, identificando as
peculiaridades do setor educacional atual, que é a proposta
do presente trabalho.
Estratégias de Crescimento Empresarial
Período
Estratégias de
Crescimento
§Crescimento
corporativo baseado em
um negócio dominante;
§Crescimento
do
negócio baseado em:
penetração de mercado;
desenvolvimento/expan
são
para
novos
Até a Década mercados;
de 60
desenvolvimento
de
novos
produtos;
§Crescimento
dos
produtos baseado na
busca de volume de
linhas simples
Tipo de Estratégia
Principais Características
Autor
Estratégia
de
consolidação
horizontal
dos
mercados e pela
integração vertical
dos estágios de
produção
Três estratégias alternativas de
crescimento: (1) expansão
geográfica dos mercados e das
fontes de suprimento para o
exterior;(2)
expansão
das
linhas de produtos para os
consumidores existentes; (3)
desenvolvimento de novos
produtos
para
novos
consumidores.
Dimensões para crescer Quatro estratégias básicas: (1)
penetração de mercado, (2)
desenvolvimento de mercados,
(3)
desenvolvimento
de
produtos e (4) diversificação.
Chandler
(1962)
O
vetor
de
crescimento
da
empresa - associado
às dimensões do
produto (existentes e
futuros) e à sua
missão ou finalidade
(atual e nova).
Ansoff
(1965)
Estratégias de Crescimento Empresarial
Tipo de
Principais Características
Estratégia
§Crescimento corporativo baseado Estratégia
de Buscaram sintetizar estudos
na diversificação de negócios não Crescimento
anteriores por meio de um
relacionados (estratégia de carteiras)
quadro de referência conforme
e
criação
de
UENs;
indica a Figura 01.
§Crescimento do negócio baseado
em: penetração de mercado;
Anos 70
desenvolvimento/expansão
para
e 80
novos mercados; desenvolvimento
de
novos
produtos;
§Crescimento de produtos e
mercados
via
ampliação
e
diversificação das linhas de
produtos.
Período
Estratégias de Crescimento
Autor
Wrigley
(1970),
Rumelt
(1974),
Galbraith
(1983).
Estratégias de Crescimento Empresarial
Estratégias de
Tipo de
Período
Principais Características
Autor
Crescimento
Estratégia
§ Crescimento corporativo Ampliação
do Introdução a dimensão geográfica, Ansoff
passando o modelo de vetor de crescimento (1990)
baseado
nos
negócios modelo
a considerar três dimensões: a necessidade
centrais e na diversificação
do mercado, a área geográfica e as
relacionada;
tecnologias/produtos/serviços (atuais e
§ Crescimento do negócio
novas).
baseado em: penetração de
Estratégia
de Buscaram sintetizar estudos anteriores por Hax&Majl
mercado;
meio de um quadro de referência conforme uf (1991)
desenvolvimento/expansão Crescimento
indica a Figura 01.
para
novos
mercados; Fontes básicas de (1) crescimento natural; (2) ganho de Charan&
Anos 90 e desenvolvimento de novos
participação de mercado; (3) tecnologia ou
crescimento
Tichy
atual
produtos;
patente proprietária; (4) canais de (1998)
§ Crescimento de produtos e
distribuição
bem
desenvolvidos
e
mercados via ampliação e
construídos ao longo do tempo; (5) abrir
diversificação das linhas de
novos mercados para os seus produtos
atuais; (6) ganhar força no mercado via
produtos.
aquisições, alianças e/ou integração
vertical; (7) expansão do “lago em que está
o seu peixe”; (8) resegmentação do
mercado; e (9) movimentação para
mercados adjacentes.
Fonte: Elaboração própria
Estratégias de Crescimento Empresarial
P ro d u to s e m e rc a d o s e x is te n te s
• E x p a n s ã o g e o g rá fic a
• P e n e tra ç ã o d e m e rc a d o
M u d an ças n o esco p o
p ro d u to – m e rc a d o e
g e o g rá fic o
P ro d u to s e x is te n te s p a ra n o v o s
m e rc a d o s :
• E x p a n s ã o d o s u s o s /a p lic a ç õ e s
N o v o s p ro d u to s p a ra o s m e r c a d o s
e x is te n te s :
• A p ro fu n d a r a s lin h a s d e p ro d u to s
E x p a n s ã o d e n tro
d o s n e g ó c io s
e x is te n te s
In te g ra ç ã o v e rtic a l
(e x p a n s ã o d a c a d e ia
d e v a lo r)
In te g ra ç ã o p a ra a fre n te : fic a r m a is
p ró x im o d o c o n s u m id o r
In te g ra ç ã o p a ra trá z : fic a r m a is
p ró x im o d o s fo rn e c e d o re s
A lte rn a tiv a s
p a ra c re s c e r
C o m p a rtilh a m e n to d e a tiv id a d e s d a
c a d e ia d e v a lo r
D iv e rs ific a ç ã o
re la c io n a d a
e s tra té g ia h o riz o n ta l
C o m p a rtilh a m e n to d e te c n o lo g ia s e
re c u rs o s h u m a n o s
C o m p a rtilh a m e n to d e m a té ria s
p rim a s e o u tro s m a te ria is
D iv e rs ific a ç ã o
p a ra n o v o s
n e g ó c io s
D iv e rs ific a ç ã o n ã o
re la c io n a d a
(c o n g lo m e ra ç ã o )
Figura 01 - Alternativas de Crescimento e Diversificação
Fonte: Hax&Majluf 1991:116)
N ã o c o m p a rtilh a m e n to d e
a tiv id a d e s e re c u rs o s
Procedimento Metodológicos
Tipo/abordagem de pesquisa
- abordagem qualitativa exploratória;
- estudo de caso múltiplo, na medida em que se estuda exaustivamente um
objeto, permite-se o seu amplo e detalhado conhecimento, no caso, o
crescimento organizacional das IES e sua natureza diversa entre o mercado e
a
área
educacional,
tratando
de
um
modelo
híbrido
devido
à
sua
complexidade de análise;
- este trabalho se propõe a utilizar modelos empresarias para análise da IES;
Estudo de Caso, Instrumento e Coleta de Dados
-
instituições escolhidas para realização do estudo de caso múltiplo serão privadas, de
ensino superior;
-
passaram por aquisições e fusões e oferecem cursos a distância;
-
Os instrumentos de coleta de dados são relatados nas seguintes etapas para o
estudo qualitativo que deverá analisar os dados por fonte: observação, entrevistas e
documentos. Quando o padrão de determinada fonte de dados é confirmado por
evidências de outra, o achado ganha força e fundamento. Essas táticas aumentam a
probabilidade de se alcançar uma teoria mais precisa e confiável, ou seja, factível
com os dados (EISENHARDT, 1989).
Estudo de Caso, Instrumento e Coleta de Dados
As coletas dos dados nas instituições privadas de ensino superior ocorrerão nos
meses de outubro e novembro de 2014, utilizando-se a técnica de triangulação
(JICK, 1979), articulando:
(1) a realização de entrevistas semi estruturadas coletadas junto a quatro
sujeitos vinculados à entidade mantida (dimensão acadêmica), sendo dois de
nível estratégico e dois de dimensão pedagógica;
(2) uma análise documental de fontes primárias (PDI institucional,
Avaliação Institucional, relatórios, atas, registros, dentre outros) e de fontes
secundárias (MEC, INEP, SESU, CAPES, ABED dentre outros); e,
(3)
observações
assistemáticas
que,
definido, registradas em diário de campo.
seguindo
o
roteiro
previamente
Análise dos dados
- diversas fontes de dados receberão tratamentos distintos;
- os documentos serão analisados utilizando-se a técnica de análise
documental e as entrevistas por análise de conteúdo com uso da
técnica de categorização segundo Bardin (2004);
- Haverá, ainda, o retorno ao referencial teórico, identificando como os
dados coletados contribuem para o alcance dos objetivos da pesquisa.
Discussão do Setor Educacional Brasileiro
 Setor Educacional vem passando por transformações nos últimos anos;
 Forte crescimento do sistema privado no ensino superior no Brasil;
 Este segmento ganhou impulso no final dos anos 90, devido à falta de investimento na
expansão do sistema público e em razão do atendimento às reformas adotadas pelo
governo da época, levando ao crescimento de uma demanda reprimida, com muitos
candidatos, porém com poucas vagas nas universidades;
 O Ministério da Educação - MEC liberou a atuação no ensino superior para grupos com
fins lucrativos a fim de ampliar rapidamente o número de vagas;
87% das IES eram privadas, cerca de 2.416 instituições
de ensino superior do país, impactando na quantidade
de alunos matriculados na rede particular, atingindo
cerca de 5,14 milhões de alunos de graduação, os quais
representam 73% do total no país
Fonte: MEC e Associação Brasileira de Educação a Distância - ABED
Discussão do Setor Educacional Brasileiro
Desde 2007, com a entrada de fundos de investimentos no setor e uma série de movimentos de
abertura de capital em bolsa, o sistema do ensino superior privado passa por uma rápida
transformação com a concentração dos negócios em busca de maior escala e melhores resultados aos
acionistas, cenário esse vivido em quase todos os demais segmentos econômicos;
A consultoria KPMG no primeiro trimestre
Especialistas do mercado,
de 2013 contabilizou 12 transações de
que o ritmo tende a diminuir, de acordo
fusões
mercado
com as indicações do consultor Luis
educacional, no qual se retroagirmos
Motta (KPMG - 2013), pois para os
até o ano de 2008, a consultoria chega
grandes
a um número de 143 transações. Os
adquirir uma instituição com 2000
cinco maiores grupos concentram 33,5 %
alunos,
dos alunos;
trabalho para pouco resultado
e
aquisições
Fonte: Zaparolli, 2013
no
grupos
pois
não
acreditam
compensaria
representaria
muito
Discussão do Setor Educacional Brasileiro
Avaliação
de
coordenador
Oscar
do
Malvessi
curso
de
(2013),
fusões
e
aquisições da Fundação Getúlio Vargas, a
formação de grandes grupos educacionais
poderá ser salutar para o mercado, pois
este é um segmento estagnado quando
se trata de qualidade, considerando
que
nenhuma
das
universidades
brasileiras, nem mesmo as públicas,
aparecem
no
das
de
Mantenedoras
de
Ensino
Superior
(ABMES) Gabriel Mario Rodrigues (2013),
um dos fundadores da Universidade Anhembi
Morumbi
e
presidente
do
conselho
de
administração da Anhanguera, a economia
de escala é fator imprescindível nas IES para
fazer frente à necessidade de investimento
estimada em R$ 16 mil por aluno ao ano,
pois o melhor é associar-se a um grande
100
grupo e compartilhar as experiências,
melhores do mundo e a qualidade do
conhecimento e tecnologia, justamente
ensino nas instituições particulares é ainda
por ser, ainda, a única oportunidade de
menor
sobrevivência.
Fonte: Zaparolli, 2013
ranking
Já para o presidente da Associação Brasileira
Discussão do Setor Educacional Brasileiro
Elisabeth
Guedes,
vice-presidente
da
Associação
Nacional
das
Universidades Particulares (ANUP - 2013), que a consolidação é uma
necessidade do país e das escolas que, de acordo com o Plano
Nacional de Educação, a meta é dobrar o número de estudantes
no ensino superior até 2020, o que nem todas as instituições têm
condições de enfrentar sozinhas com recursos próprios.
Fonte: Zaparolli, 2013
Considerações Finais
- A Pesquisa encontra-se em andamento;
- Após o levantamento teórico e realização dos procedimentos metodológicos
a pesquisa será aplicada a fim de verificar se as estratégias de crescimento
das instituições privadas estão alinhadas com as estratégias de educação a
distância;
- Os
resultados
especificamente
contribuirão
para
estratégias
de
a
literatura
crescimento
de
estratégia,
organizacional.
A
contribuição surge da aplicação dos conceitos essencialmente
empresarias nas IES, mas sob uma nova perspectiva que a
literatura não retrata, ou seja, a resistência da aplicação deste conceito
na
área
educacional
bem
como
permitirá
a
discussão
teórica
dos
segmentos de educação a distância e estratégias de crescimento das IES.
Referências
Ansoff, H. I. (1965). Corporate strategy, 1965.NY: McGraw-Hill.
Ansoff, H. I., & McDonnell, E. J. (1990).Implanting strategic management(Vol. 2). New York: Prentice
Hall.
Bardin, L. (2004). Análise do conteúdo, trd. português.
Chandler, A. D. (1976). Strategy and structure: Chapters in the history of the American industrial
enterprise, 1962.Irwin, Boston, MA.
Charan, R., &Tichy, N. M. (1998). Every business is a growth business: How your company can
prosper year after year. Three River Press.
Belloni, M. L. (2006). Educação a distância. 4a ed. Campinas, SP: Autores Associados.
CNE/CP3., R. (18 de dezembro de 2002). CNE/MEC. disponível em Ministerio da Educação:
http://portal.mec.gov.br/cne/arquivos/pdf/CP032002.pdf.
Jick, T. D. (1979). Mixing qualitative and quantitative methods: Triangulation in action.
Administrative science quarterly, 602-611.
Referências
Fominykh, M., Prasolova-Førland, E., Morozov, M., &Gerasimov, A. (2011). Virtual campus in the
context of an educational virtual city. Journal of Interactive Learning Research,22(2), 299-328.
Galbraith, J. R. (1983). Strategy and organization planning. Human Resource Management, 22(1‐2),
63-77.
Gilberto, I. J. L. (2013). A educação a distância no ensino superior e a lógica das competências. Revista
Gestão Universitária na América Latina-GUAL,6(1), 273-286.
Gozzi, M. P. (2012). Gestão pedagógica em comunidades virtuais orientadas para a aprendizagem: a
importância da formação do professor mediador. Revista Eletrônica de Educação 6(2), 127-137.
Hax, A. C., &Majluf, N. S. (1991). The strategy concept and process: a pragmatic approach.
Kidney, G., Cummings, L., & Boehm, A. (2007). Toward a quality assurance approach to e-learning
courses. International Journal on E-learning, 6(1), 17-30.
Kurubacak, G. (2011). eLearning for Pluralism: The Culture of eLearning in Building a Knowledge
Society. Online Submission,10, 145-167.
Lévy, P. (1999). Cibercultura. Tradução de Carlos Irineu da Costa.São Paulo: Editora,34.
Referências
Maglajlić, S. (2012). Efficiency in e-learning: Can learning outcomes be improved by using social
networks of trainees and tutors? Economics, Management, and Financial Markets, (4), 121-137.
Melo, P. A., & et., a. (2006). A formação docente no Brasil, na América Latina e no Caribe. Paper Print .
Florianópolis.
MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO. (s.d.), disponível em MINISTÉRIO DA EDUCAÇÃO:
PROJETO ABERTA: Gestão e docência em EaD. (2006)./MINISTÉRIO DA EUCAÇÃO . (s.d.).
Nakayama, M. K., & Ricardo Azambuja SILVEIRA, I. B. (2004). Ensino a distância nos programas de
capacitação - Gestão contemporânea de pessoas: novas práticas, conceitos tradicionais.Porto Alegre:
Bookman Atlas
Penrose, E. T. (1995). The theory of the growth of the firm, 1959. Cambridge, MA.
Penrose, E. T. (1962). Teoria del crecimento de la empresa. Madrid: Aguilar.
Phan, H. (2011). A cognitive multimedia environment and its importance: A conceptual model for
effective learning and development. International Journal on E-Learning, 10(2), 199-221.
Referências
Rocha, C. A. (2009). Mediações tecnológicas na educação superior.Curitiba: Ibpex.
Rumelt, R. P. (1974). Strategy, structure, and economic performance.
Schreiber, D. A. (1998). Organizational technology and its impact on distance training. Distance
training: How innovative organizations are using technology to maximize learning and meet business
objectives.
UNESCO. (1997). Aprendizagem aberta e a distância: perspectivas e considerações políticas
educacionais. Florianópolis: Imprensa Universitária, UFSC.
UNESCO. (2013). Conselho Nacional de Educação - Desenvolvimento, aprimoramento e consolidação
de uma educação nacional de qualidade. Fonte: Projeto CNE/UNESCO 914BRZ1136.3.
Yin, R. K. (2001). Estudo de caso: planejamento e métodos(Vol. 2, No. 2, p. 1). Porto Alegre: Bookman.
YIN, R. K. (2005). Estudo de caso: planejamento e métodos. trad. Daniel Grassi,2.
Yin, R. K. (2010).Qualitative research from start to finish. Guilford Press.
Wrigley, L. (1970). Divisional autonomy and diversification(Doctoral dissertation, Harvard University).
Zaparolli, D. (Novembro de 2013). Tamanho é documento no ensino superior - Onda de fusões e

similar documents