produção b100 - esalq-log

Report
Potencial redução das
emissões de GEE devido ao uso
de Biodiesel de soja no
transporte rodoviário
Carlos Cerri
CENA/USP
Piracicaba • 14/04/2014
Pegada de C do biodiesel de soja
ETAPAS DA PRODUÇÃO
AGRÍCOLA
PROCESSAMENTO
DO ÓLEO DE SOJA
PRODUÇÃO DE
BIODIESEL
TRANSPORTE
DISTRIBUIÇÃO
ESALQ-LOG
Etapas da produção do biodiesel de soja (MT e MS)
PREPARO DO SOLO
COMBUSTÍVEIS
Diesel
Gasolina
SEMEADURA Etanol
Óleo lubrificante
INSUMOS
Eletricidade
Fertilizantes
Calcário
Defensivos
Sementes
Resíduos da colheita
Porto da União Europeia
TRANSPORTE MARÍTMO
TRANSPORTE RODOVIÁRIO
Refinaria de Paulínia
PRODUÇÃO
B100
Porto de Santos
GLICERINA E BIODIESEL
ARMAZÉM
REFINO
SAFRINHA MILHO
OLEO DE COZINHA
OLEO REFINADO
ARMAZENAMENTO
E TRANSPORTE
EXTRAÇÃO
OLEO BRUTO
FARELO
Fontes de emissão de GEE
Etapa
Agrícola
Processamento do
óleo de soja
Produção de
B100
Fontes de emissão de GEE
Etapa
Agrícola
Processamento do
óleo de soja
Produção de
B100
Insumos
Insumos
Insumos
Combustíveis
Combustíveis
Combustíveis
Eletricidade
Eletricidade
Eletricidade
Fontes de emissão de GEE
Etapa
Agrícola
Processamento do
óleo de soja
Produção de
B100
Insumos
Insumos
Hexano
N líquido
Soda cáustica
Ácido fosfórico
Ácido cítrico
Insumos
Metanol
Metilato
HCl
Soda cáustica
Catalisadores
Combustíveis
Diesel
Gasolina
Etanol
Óleo lubrificante
Combustíveis
Óleo BPF
Lenha
Cavaco
Combustíveis
Diesel
Gasolina
Etanol
GLP
Eletricidade
Eletricidade
Eletricidade
Fertilizantes
Calcário
Defensivos
Sementes
Resíduos colheita
Etapa agrícola – propriedades avaliadas
Estado do Mato Grosso
8
7
15
10
8
9
10
10
11
8
7
11
114
propriedades
agrícolas
2007/08
2008/09
2009/10
Metodologia de cálculo
Resultados
Gases de Efeito Estufa
Potencial de
Aquecimento
Global
CO2
1
CH4
25
Equivalente em CO2
CO2e
N2O
298
Pegada de Carbono do Biodiesel B100
Expressão em base energética: gCO2equivalente/MJ
BIODIESEL ENTREGUE EM PAULÍNIA
Pegada de Carbono do Biodiesel B100
Expressão em base energética: gCO2equivalente/MJ
BIODIESEL ENTREGUE EM PAULÍNIA
23,1 – 25,8
Distribuição relativa (%)
Agrícola
31-35
Processamento do Produção
óleo
de biodiesel
16-35
20-43
Transporte e
distribuição
10
Pegada de Carbono do Biodiesel B100
BIODIESEL ENTREGUE EM PORTO DA UNIÃO EUROPEIA
Pegada de Carbono do Biodiesel B100
Expressão em base energética: gCO2equivalente/MJ
BIODIESEL ENTREGUE EM PORTO DA UNIÃO EUROPEIA
26,5 – 29,2
Distribuição relativa (%)
Agrícola
27-30
Processamento do
óleo
14-31
Produção de
biodiesel
Transporte e
distribuição
17-38
21-22
Pegada de Carbono do Biodiesel B100
Diesel Europeu
83,8 gCO2/ MJ
Biodiesel B100
Pegada de C
gCO2eq/ MJ
APROSOJA
ABIOVE
UBRABIO
26,5 – 29,2
Redução GEE
%
65
68
Projeção da redução de emissões de GEE do
Diesel B
Emissão do diesel puro: 85,2 gCO2e/MJ
biodiesel
85,2
82,1
biodiesel
80,8
biodiesel
biodiesel
79,0
75,9
biodiesel
72,8
-0,7%
-3,6%
-7,2%
-10,8%
Diesel
puro
B5
B7
B 10
B 15
B 20
Aspectos econômicos
O aumento do percentual do biodiesel no diesel
e seu impacto na inflação
Aspectos econômicos
B5
B7
Tarifa do ônibus:
R$ 0,007/ passe
B5
B7
Cesta básica:
R$ 0,20/ un
Aspectos econômicos
B5
B10
Tarifa do ônibus:
R$ 0,017/ passe
B5
B10
Cesta básica:
R$ 0,50/ un
Potencial redução das
emissões de GEE devido ao uso
de Biodiesel de soja no
transporte rodoviário
Carlos Cerri
CENA/USP
Piracicaba • 14/04/2014

similar documents