BOTOX TERÇO SUPERIOR

Report
BOTOX TERÇO SUPERIOR
R1 Andréa Buosi Fabre
Toxina Botulínica
• 1800 - botulismo
• 1895 – Clostridium botulinum, bactéria
anaeróbica gram +
• A partir de 1920 – isolamento e purificação
toxina tipo A
• 1980 – oftalmologia (FDA EUA)
• 2000 – hiperidrose
• Brasil: 1992 – Botox (Allergan) neurologia e
hiperidrose, 2000 – uso coméstico
Toxina Botulínica
• Clostridium botulinum: produz 8 tipos
sorológicos de toxina
• Toxina A: mais potente
• Termolábil
• Inibe a liberação de acetilcolina dos neurônios
pré-sinápticos na junção neuromuscular,
fazendo denervação química e atrofia muscular
• Redução dose dependente da contração
muscular – paralisia flácida
Toxina Botulínica
• Estrutura molecular: composta por uma
estrutura de 150kDa , sendo uma cadeia pesada
de 100kDa e uma cadeia leve de 50kDa, ligadas
entre si por ponte dissulfídica e “protegidas” por
proteínas hemaglutinina e não-hemaglutininas
(900kDa)
Toxina Botulínica
• Efeito a partir de 1 a 2 dias e estabiliza com 14
dias
• Bloqueio da placa neuro-muscular dura de 3 a 12
meses, com recuperação completa da função por
formação de novos terminais neurais
• Efeito se estende em raio de 1,5 cm do ponto de
aplicação
• Toxicidade: 2.500 a 3.000 U – 40U/Kg
Toxina Botulínica
• Brasil:
• Botox 100U/frasco
• Dysport 500U/frasco
• Prosigne 50 ou 100U/frasco
•
•
•
•
Conservação temperatura: 2-8ᵒ C
Evitar altas diluições
Usar em até 4 horas Botox e 8 horas Dysport
Intervalo mínimo 3 meses, usar menor dose
eficaz
Toxina Botulínica
• Orientações prévias, duração dos efeitos clínicos e
possíveis efeitos colaterais
• Saber a motivação e as expectativas do paciente
• Suspender uso AAS, vitamina E, AINEs e Ginko
biloba 1 semana antes
• Termo de consentimento
• Documentar com fotografias antes e depois
• Anotar número de lote e data de validade
• Registrar pontos e dose de cada ponto
• Aplicar com paciente sentado ou cabeceira elevada
Indicações terapêuticas
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Distonia focal
Torcicolo
Distonia laríngea
Blefaroespasmo
Estrabismo
Hiperidrose
Espasmo hemifacial
Vaginismo
Mioclonia
Distonia lingual
Distonia oromandibular
Trismo
Dor lombar
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Nistagmo
Tremores
Espasticidade
Esclerose múltipla
Sequelas de AVC
Enxaqueca
Cefaléia tensional
Acalasia do esôfago
Obstipação crônica
Espasmo do piloro
Fissura anal e hemorróidas
Lacrimejamento
Rinite
Indicações terapêuticas
•
•
•
•
•
•
•
Queratólise plantar sulcada
Bromidroses
Disidrose
Intertrigo
Hailey-Hailey
Hidrocistomas écrinos múltiplos
Granulose rubra do nariz
• LINHAS HIPERCINÉTICAS DAS REGIÕES
SUPERIOR E INFERIOR DA FACE, CERVICAL E
COLO!
Complicações
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Equimose
Hematoma
Dor
Desconforto ou peso na testa
Erupção acneiforme
Cefaléia
Parestesia
Ptose da sobrancelha
Disfagia
Infecção no ponto de aplicação
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Ceratoconjuntivite
Visão borrada
Fotofobia
Diplopia
Edema
Pápula eritematosa transitória
Enxaqueca
Estrabismo
Lacrimejamento
Complicações sistêmicas
•
•
•
•
•
•
•
Fraqueza geral
Boca e olhos secos
Retenção urinária
Resfriado
Fadiga
Náuseas e vômitos
Exantema cutâneo
•
•
•
•
•
•
Formação de anticorpos (IgG)
Alergia a albumina
Crise miastênica
Síndrome neuromuscular
Reação do tipo 1
Fasceite necrotizante
Contra-indicações
•
•
•
•
•
Hiperidrose e cosmética: < 12 anos
História de alergia a albumina
Gravidez: categoria C
Amamentação
História pessoal e familiar de doença neuromuscular
( Sd Eaton-Lambert, esclerose amiotrófica lateral,
neuropatia motora e miastenia gravis)
• Local infectado
• Dismorfofobia: botulinofilia
• Medicações: aminoglicosídeos, penicilamida,
derivados do quinino, ciclosporina, pancurônio,
succinilcolina
Anatomia da musculatura facial
• Músculos periorificiais:
▫ Músculo periorbicular
▫ Músculo perioral
• Fechar a pálpebra e a boca
Anatomia da musculatura facial
• M frontal: elevação das
sobrancelhas
• M temporal
• M zigomático menor e maior:
elevar boca e ângulo,
bochechas e pele do mento
• M masseter: mastigação
• M nasal: movimentos do dorso
do nariz
Anatomia da musculatura facial
• M corrugador: puxa as
sobrancelhas para baixo e
medial
• M depressor do supercílio:
puxa as sobrancelhas para
baixo
• M elevador do lábio
• M dilatador da narina
• M risório
• M elevador do ângulo da boca
e asa nasal
• M depressor do ângulo da
boca
• M depressor do lábio
• M depressor do septo nasal
Anatomia da musculatura facial
• M prócero: colabora com ação
dos corrugadores
• M bucinador: fazer bico
• M pterigóide medial e lateral:
auxilia na mastigação e no
movimento lateral da
mandíbula
• M platisma: flexão da cabeça e
sua fixação
Fronte e sobrancelha
• 10-20 U no músculo frontal em 5 pontos (2-4
U/ponto)
• O ponto mais lateral é medial a 1,5 cm da
margem do “enrugado”
• Massagear para cima e obliquamente
Fronte e sobrancelha
• Região próxima a LICC utilizase menor dosagem, 12U/ponto
• Aplicação na linha da pupila
(evita o aparecimento do V
invertido)
Fronte e sobrancelha
• Sem rugas hipercinéticas
lateralizadas
• Último ponto na linha
imaginária da pupila
• Distribuição dos demais
pontos na área medial
Fronte e sobrancelha
• Musculatura ativa somente na
região central
• Geralmente músculo mais
hipertrofiado
Fronte e sobrancelha
• Técnica em V
• Musculatura centralizada e
bifurcada
• Aponeurose na região central
superior – não precisa de
aplicação
Fronte e sobrancelha
• V invertido: trata região
frontal e lateral
Fronte e sobrancelha
• Rugas laterais da fronte
• Manter a ruga mais próxima a sobrancelha
• Tratar a região e correr o risco da região
lateral da sobrancelha ficar baixa
• Blefaroplastia química
Fronte e sobrancelha
• Blefaroplastia química:
aplicação na musculatura
periocular ao nível da
sobrancelha, abolindo a ação
depressora da sobrancelha
pela sua contração
• Intradérmica
• Linha imaginária da pupila
• Máximo 2U/ponto
• Melhora 3mm
Fronte e sobrancelha
•Melhora visível: tratamento da parte caudal
•Sobrancelha longa: 3 pontos, 1U/ponto
Fronte e sobrancelha
• Complicações:
• Manutenção da contração muscular – assimetria ou
aspecto congelado
• Queda da sobrancelha: pontos na sobrancelha, US
facial
• Edema pálpebra: melhora em 3-4 semanas
• Olhar diabólico: músculo também atuante na região
temporal e não tratado
• Rugas perpendiculares na região lateral da
sobrancelha: injetar 1-2 U 0,5 cm acima da
sobrancelha, bem superficial
• Cefaléia
Glabela
• Prócero:
• Ponto localiza-se no cruzamento de 2 linhas
imaginárias ligando o canto nasal da sobrancelha
ao canto nasal do olho contralateral
• Músculo curto (1-1,5 cm): 8-10U em único ponto
• Músculo até 2 cm: 2 pontos 8-15U
• Músculo >2 cm: 3 pontos 8-15U
• Massagear horizontalmente
Glabela
• Corrugadores:
• 6-15U por músculo – 4-7U/ponto
• Aplicar próximo a inserção no músculo frontal
• Palpar a órbita: injetar a mais de 1 cm da borda
supra-orbitária
• Não massagear
Glabela
• Complicações:
• Assimetria
• Ptose da sobrancelha
• Ptose palpebral: difusão do produto no septo
orbitário
Periorbitária
•
•
•
•
•
Aplicar 1 cm lateralmente da borda orbitária
Ponta da agulha direcionada para lateral
3-4U/ponto, 3-4 pontos
Último ponto 1 cm do arco zigomático
Pálpebra inferior: ponto próximo à borda
orbitária nasal, bem superficial, 0,5-1U/ponto
• Rugas longas: segunda fileira com 2 ou 3 pontos,
0,5 a 1 cm lateral à primeira linha de injeção (23U/ponto)
• Massagear lentamente
Periorbitária
• Complicações:
• Diplopia
• Queda da bochecha ao sorrir
• Ptose de pálpebra superior por aplicação perto do
ramo palpebral do nervo lacrimal
• Herniação das bolsas de gordura infraorbitárias
• Ptose do lábio superior e assimetria do sorriso
(músculo zigomático)
• Alteração lacrimal
Nasal superior
•
•
•
•
Doloroso
3-6U de cada lado
Massagear
Injeção medial alta, medial a linha imaginária
traçada lateralmente a asa nasal
Asa nasal
• Músculo dilatador da narina
• 2-3U com a ponta da agulha voltada para cima e
medialmente no sulco da asa nasal
Ponta nasal
• Músculo depressor do septo nasal
• 3-8U
• Não relaxar musculatura do dorso nasal
Região nasal
• Complicações:
•
•
•
•
Dor no local por 2-3 semanas
Assimetria
Ptose do lábio
Hematoma
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
COSMIATRIA – PROTOCOLO TOXINA BOTULÍNICA
Nome: _______________________________________________________________ Data: ___/___/___
Idade: _____
Data de nascimento:___/___/____
Telefones: ____________________________________
Indicações de tratamento:
linhas hipercinéticas face
hiperidrose
sorriso gengival
região cervical
colo
outras: ________________________________
Tratamento anterior
 sim
não
Se sim, tempo de duração:_______________________________
Fotos pré-procedimento:
Face:  vertical da fronte ao mento com musculatura relaxada
 vertical da fronte ao mento com contração da musculatura frontal (erguer a sobtancelha)
 vertical da fronte ao mento com aproximação das sobrancelhas (brava)
 vertical da fronte ao mento com contração da musculatura nasal (nojo)
 vertical da fronte ao mento sorrindo
 perfil/ 45o direita sorrindo perfil/45o esquerda sorrindo
 vertical da fronte ao mento com bico
Cervical: frontal
 perfil/ 45o lateral direita perfil/ 45o lateral esquerda
Locais tratados:
fronte
 glabela
supra- labial mento
 periocular
cervical
nasal
colo
outros:_________________________
Aplicação:
Produto utilizado:______________ Volume de diluição:_______ Lote:____________ Validade:_________
Unidades utilizadas:______________
Fotos:  sim  não
Comorbidades:_______________________________________________________________________
Uso de medicações:____________________________________________________________________
Reavaliação – data: ____/____/____ Fotos:  sim  não
Grau de melhora (paciente):  0 – 25% 26 – 50%
51 – 75%
76 – 100%
Grau de melhora (médico):  0 – 25% 26 – 50%
51 – 75%
76 – 100%
Em quantos dias a toxina começou a atuar: __________________
Duração da toxina botulínica:______meses
Necessidade de complementação:  sim  não Local:_______________ Unidades:_________
Efeitos colaterais:
 dor no local da aplicação – grau: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Tempo que durou:___________________
 cefaléia – grau: 1 2 3 4 5 6 7 8 9 10
Iniciou quanto tempo após a aplicação:______________
Tempo que durou:____________________
Melhora com analgésico comum:  sim  não
desconforto ou peso erupção acneiforme parestesia ptose da sobrancelha
equimose, hematoma infecção no ponto
fotofobia
diplopia edema
lacrimejamento
 pápula eritematosa transitória
assimetria
Tempo de efeitos colaterais/ obs:______________________________________________________
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
•
Orientações pré e intra procedimento:
A medicação demora 24-48 horas para começar a agir e 14 dias para apresentar o efeito total.
O Botox dura para fins estéticos 3-5 meses.
Não relaxar totalmente a musculatura, deixar o aspecto mais natural possível.
Suspender uso AAS, vitamina E, AINEs e Ginko biloba 1 semana antes.
Termo de consentimento.
Sempre anotar número do lote e data de validade do produto.
Fotografar o paciente.
Marcar pontos anteriormente à aplicação.
Diluir produto para 2 mL.
Compressas de gelo ou anestesia tópica 30 minutos antes para aliviar dor.
Aplicar com paciente sentado ou cabeceira elevada.
Orientações pós procedimento:
Não aplicar produtos ou massagear o local nas primeiras 24 horas após a aplicação.
Não praticar exercícios físicos nas primeiras 24 horas.
Não deitar até 4 horas após o procedimento.
Retornar em 14-20 dias.
Fotografar o paciente.
Complementar aplicação se necessário.
Intervalo mínimo de aplicação: 3 meses.
Referências
• Cirurgia dermatológica em consultório; Gadelha,
AR, Costa, IMC. 2ᵃ edição, 2009. Editora
Atheneu.
• Cosmiatria em Dermatologia, uso e aplicações;
Borelli, S. 2007. Editora Roca.
• Toxina botulínica: concepção de beleza e da
estética atual; Tamura, BM. 1ᵃ edição, 2007.
Santos Editora.
• Procedimentos em Dermatologia Cosmética –
Toxina Botulínica – Alastair Carruthers.

similar documents